Fontes da história: tipos e exemplos

Fontes da história: tipos e exemplos

As fontes da história são os documentos, objetos e outros materiais que os pesquisadores usam para adquirir informações sobre eventos passados. Esses arquivos são usados ​​para explicar o passado e o presente da humanidade.

Existem muitos elementos que podem ser considerados fontes históricas, entre eles descobertas arqueológicas, pinturas, mapas e leis; Esses registros são essenciais para entender as características políticas e sociais dos diferentes períodos.

No entanto, deve-se notar que a metodologia de pesquisa histórica está em constante evolução. É por isso que – nos últimos anos – os acadêmicos examinaram literatura, fotografias, documentários e até filmes como fontes relevantes.

Isso ocorre porque eles mostram eventos específicos na realidade. Desse modo, percebe-se que as fontes da história podem ser variadas, sendo os mais importantes documentos escritos, imagens antigas e testemunhos.

No entanto, o fundamental é que os pesquisadores os usem de maneira objetiva; isto é, eles retratam os eventos como ocorreram, sem apresentar opiniões que não podem ser demonstradas.

Tipos de fontes de histórias

Os tipos de fontes históricas são explicados abaixo:

– Fontes primárias

As fontes primárias são aquelas que respondem como, por que e quando um evento ocorreu. Assim, observa-se que este material deve fornecer dados concretos para que possa ser considerado um suporte principal.

É conveniente mencionar que os historiadores trabalham através do exame social; É como dizer que eles quebram os fatos com o objetivo de reuni-los novamente. Da mesma forma, para obter resultados positivos, os pesquisadores não devem apenas ir às bibliotecas; Eles também precisam visitar museus, academias e registros civis.

Se necessário, é justo que eles visitem os parentes das pessoas que realizaram uma façanha ou que foram vítimas de um evento.

O objetivo é obter uma reportagem pouco conhecida, como os jornais ou as histórias das pessoas que viveram o evento. Essas fontes são chamadas de testemunhos e enriquecem os projetos escolares e de trabalho.

Entre as principais fontes primárias estão:

Obras iconográficas

Fotografias e desenhos são fontes essenciais porque mostram um episódio específico da história. Eles revelam as roupas, paisagens e materiais usados ​​pelos homens. No entanto, é essencial verificar se esses objetos não foram alterados ao longo do tempo.

Referências textuais

Os livros são geralmente as fontes mais relevantes porque contêm informações completas e detalhadas. Ao analisar os textos, os pesquisadores podem preparar um novo estudo. As referências escritas com o valor mais alto são:

– Códigos legais (como leis que mantêm a ordem da nação).

– Censo (são os dados que mostram quantos habitantes existem em um país).

– Registros (local de nascimento, casamento e reclamações de pessoas físicas ao longo dos anos).

– Artigos de imprensa (jornais e revistas, seja em papel ou na internet).

– Crônicas e biografias (nesses livros são encontradas as histórias locais dos países ou a vida de figuras importantes, como políticos, artistas, comunicadores ou militares).

Fontes orais

Para que uma opinião seja válida, é necessário verificar se a pessoa – que transmitirá seu testemunho – está consciente e em pleno uso de suas faculdades; Isso com o objetivo de impedir que a história seja modificada. Geralmente, essa fonte é dividida em:

– Entrevistas com testemunhas diretas.

– Comerciais.

– Discursos de rádio e televisão.

– Gravações de voz e documentários.

– Fontes secundárias

Referências secundárias aos textos e elementos que pretendem demonstrar que algum evento realmente ocorreu são consideradas; isto é, eles explicam o que dizem as fontes principais.

Assim, percebe-se que os materiais – que são incorporados nessa categoria – são caracterizados como instrumentos de exemplificação. Os mais comuns são:

Referências gráficas

São tabelas, gráficos e ilustrações expostas nos trabalhos de pesquisa e buscam descrever as mudanças econômicas, demográficas e climáticas. A idéia é dizer como essas transformações afetam o homem diariamente.

Trabalhos cartográficos

Mapas e gráficos escritos por navegadores são obras cartográficas. Esses documentos são essenciais porque, por exemplo, os mapas mostram os estados que compõem um país, bem como os territórios que desapareceram ou se uniram à nação.

Em vez disso, as letras mostram as transformações da paisagem que as regiões tiveram. Estes instrumentos são amplamente utilizados em geo-história e etno-história:

– Geohistória: estuda como as ações dos seres humanos modificam o meio ambiente.

– Etno-história: examina como o mundo percebeu diferentes grupos sociais (indígenas, africanos, mestiços e europeus).

Referências materiais

Graças a essas fontes, pode-se demonstrar que inúmeras culturas existiram no passado e que seus habitantes contribuíram para o progresso da humanidade através de suas palavras ou descobertas. Às vezes, esses objetos representam o poder e a fortuna das civilizações antigas, incluindo:

– Moedas e medalhas.

– As primeiras escrituras (como os hieróglifos).

– A construção de peças arquitetônicas e hidráulicas (como edifícios, ruas e tubulações).

Exemplos de fontes da história

Cada aspecto da vida pode ser considerado uma fonte histórica se oferecer alguma informação concreta. Textos fictícios, descobertas de túmulos antigos ou a visão de uma pessoa podem ser relevantes ao fazer um estudo escrito.

Aqui estão alguns exemplos que ajudaram muito os acadêmicos a entender a realidade:

Descoberta de uma tumba egípcia

Em julho de 2018, um grupo de arqueólogos encontrou uma tumba perto dos Vales dos Reis, uma cidade no Egito. Essa descoberta foi importante porque mostrou como os homens daquele país organizaram as sepulturas há 3.500 anos.

Essa divulgação é importante para os acadêmicos porque eles observaram as seguintes características:

– Uma sepultura foi compartilhada por 10 pessoas.

– O ouro não era mais usado, mas a madeira.

– Os indivíduos foram enterrados com 1.000 impressões funerárias.

Diário de Cristóvão Colombo

No século 16, Cristóvão Colombo escreveu um jornal onde expôs como eram a fauna e a flora das regiões americanas; Ele também descreveu como os seres que habitavam aquelas terras agiam. É por isso que seu livro é essencial para os historiadores, pois é uma das primeiras visões dos povos indígenas.

No entanto, os acadêmicos sabem que este livro não é totalmente confiável porque exagera os fatos.

Fontes da história no México

As primeiras investigações históricas realizadas no México procuraram explicar a origem dos povos indígenas. Por esse motivo, os historiadores analisaram as imagens feitas pelos aborígines e as crônicas escritas pelos espanhóis.

A partir da década de 1920, começaram os trabalhos de revolução, capitalismo e formação de povos. Por esse motivo, os pesquisadores tiveram que visitar os registros para encontrar novas informações.

No entanto, uma das principais fontes históricas deste país é a estátua localizada na porta central do metrô de Chapultepec:

Monumento do metro de Chapultepec

Especialistas expressam que esta estátua é uma referência histórica porque conta como os costumes aborígines se uniram aos hábitos impostos pelos espanhóis, criando uma nova cultura.

No Peru

O estudo histórico no Peru não foi muito desenvolvido. Geralmente, as investigações são realizadas por estrangeiros, que vão para os territórios onde os nativos viviam ou as brigas entre nativos e conquistadores; o objetivo desses especialistas é examinar o passado.

Consequentemente, as fontes mais importantes são materiais, pois os estudiosos analisam paisagens e suas modificações, escritos antigos, estradas e objetos feitos pelos aborígines. Até agora, as fontes mais utilizadas são as encontradas em Nazca:

Linhas de Nazca

As representações encontradas em Nazca continuam sendo um mistério para a humanidade. Os pesquisadores pensam que, se puderem entender as 300 figuras – que são diferentes umas das outras -, não entenderão apenas a origem do mundo, mas o fim do homem.

Na Colômbia

Pesquisadores na Colômbia costumam usar estudos de texto: eles valorizam mais os livros do que objetos. Por causa disso, o governo daquele país declarou que as bibliotecas poderiam emprestar as obras aos habitantes que precisassem delas.

É necessário enfatizar que os historiadores desta nação também aprovam como fontes históricas as entrevistas, os documentários, as certidões de nascimento e os registros de casamento; mas os documentos mais utilizados são as crônicas, um exemplo é o texto Os homens e os deuses , cujo autor ainda é desconhecido:

Homens e deuses

Essa crônica é relevante porque mostra como os indígenas viviam antes da conquista. Da mesma forma, revela que um dos primeiros europeus a chegar a este país foram os alemães, que procuravam um reino de ouro. Por fim, narra o destino dos espanhóis e dos aborígines.

Referências

  1. Barraclough, G. (2014). Como estudar história: métodos e bibliografia . Retirado em 1 de fevereiro de 2020 da Faculdade de História: history.ox.ac.uk
  2. Bauer, C. (2016). Bibliografia da história na América e na Europa . Retirado em 31 de janeiro de 2020 da Universidade Johns Hopkins: jhu.edu.
  3. Castillo, M. (2011). Comunidades e seus arquivos . Retirado em 31 de janeiro de 2020 do Portal de Pesquisa: geocities.ws
  4. Cook, Ch. (2002). Estudar história . Retirado em 1 de fevereiro de 2020 do Departamento de História: history.stanford.edu
  5. Ginzburg, C. (2017). A história e a modernidade . Retirado em 31 de janeiro de 2020 da Science: sciencemag.org
  6. Hernández, S. (2008). Os caminhos da história: historiografia e método . Recuperado em 31 de janeiro de 2020 da Universidade Complutense de Madrid: ucm.es
  7. Martínez, C. (2005). Os desafios da história . Retirado em 1 de fevereiro de 2020 do Institute of History: csic.es
  8. Medina, A. (2012). Teoria, fontes e método da história . Retirado em 1 de fevereiro de 2020 da Universidade Central da Venezuela: ucv.ve
  9. Pineda, S. (2005). Limites e fontes da história . Retirado em 31 de janeiro de 2020 do Boletim Histórico: latinoamericanarevistas.org

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies