Francisco Bolívar Zapata: biografia e contribuições para a ciência

Francisco Bolívar Zapata (1948) é um bioquímico, pesquisador, professor acadêmico e universitário de origem mexicana. Ele é reconhecido por seu trabalho de pesquisa e desenvolvimento tecnológico na área de biologia molecular e biotecnologia, sendo pioneiro internacional.

Tem 240 publicações citadas e escreveu e editou vários livros de divulgação e opinião. Estima-se que ele tenha ministrado mais de 150 seminários e conferências de educação e divulgação, além de mais de 200 contribuições em congressos e workshops. Além disso, dirigiu mais de 65 teses, principalmente de pós-graduação.

Francisco Bolívar Zapata: biografia e contribuições para a ciência 1

Dr. Francisco Bolìvar Zapata. Fonte: Aocadiz [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

Ele recebeu várias distinções e mais de 10 prêmios, como o Prêmio Manuel Noriega em Ciência e Tecnologia (1988), o Prêmio Nacional da Universidade (1990), o Prêmio Príncipe das Astúrias em Pesquisa Científica e Técnica (1991) ou o Prêmio Nacional de Ciência e Artes (1992), entre outros.

Biografia

Em 7 de março de 1948, na Cidade do México, nasceu Francisco Gonzalo Bolívar Zapata. Durante seus anos de escola, ele demonstrou grande interesse em química e biologia. Nos primeiros anos do ensino fundamental, ele os desenvolveu na Richards Mexico School e, na escola secundária, na Hispano-Mexican Academy.

Depois de se formar em 1966 como Bacharel em Ciências, ingressou na Faculdade de Química da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Ele obteve um diploma de bacharel em 1971, bem como um mestrado e doutorado da mesma instituição em 1973 e 1975, respectivamente.

De 1975 a 1977, viajou para os Estados Unidos para realizar seus estudos de pós-doutorado no Departamento de Bioquímica e Biofísica da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, em São Francisco. Naquela época, tornou-se conhecido no campo da biotecnologia global, graças ao seu trabalho de recombinação in vitro de DNA e técnicas de clonagem molecular.

Relacionado:  Andrés Caicedo: biografia, estilo, obras, frases

Em 1980, ele foi premiado pela primeira vez com o Prêmio Nacional de Química, concedido pelo Governo Federal.

Em 1982, ele fundou o Centro de Pesquisa em Engenharia Genética e Biotecnologia da UNAM, que mais tarde se tornou o Instituto de Biotecnologia. Ele dirigiu essa instância até 1997.

Nos três anos seguintes, ele foi responsável pela Pesquisa Científica da UNAM, do papel de coordenador. Paralelamente, de 1998 a 2000, ele foi presidente da Academia Mexicana de Ciências.

Desde a sua criação em 2000 até o presente, ele é o Coordenador do Comitê de Biotecnologia da Academia Mexicana de Ciências. Ao longo de sua carreira como pesquisador, Bolívar Zapata foi membro de vários comitês de especialistas da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atividades governamentais

Bolívar Zapata é membro desde 2007 do Conselho de Administração do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CONACYT). Ele fez várias intervenções em defesa e promoção da ciência, biotecnologia e universidade pública, em frente ao Congresso da União e antes da Presidência da República.

Em meados de 2012, foi nomeado Coordenador da área de Ciência, Tecnologia e Inovação da Equipe de Transição do Presidente do México, Enrique Peña Nieto.

Quase um ano depois, em abril de 2013 até sua renúncia em setembro de 2015, Bolívar atuou como Coordenador de Ciência, Tecnologia e Inovação do Gabinete do Presidente da República. Para este cargo, ele também foi nomeado pelo presidente mexicano.

Contribuições para a ciência

Francisco Bolívar Zapata: biografia e contribuições para a ciência 2

Bolìvar recebendo o Prêmio Príncipe das Astúrias de Pesquisa Científica e Técnica (1991). Fonte: fpa.es

Entre suas principais contribuições científicas está o isolamento, caracterização e manipulação de genes em microorganismos, no campo da biologia molecular e da biotecnologia.

Relacionado:  Julio Arboleda: biografia, estilo, obras

Em 1977, ele fazia parte de um grupo de pesquisadores em San Francisco que conseguiu produzir nas bactérias uma série de proteínas transgênicas idênticas às humanas. Especificamente, eles usaram a bactéria Escherichia coli para produzir, para técnicas de DNA recombinante, os hormônios humanos somatostatina e insulina.

A partir daí, ele continuou seu trabalho no design e otimização de microrganismos que produzem metabólitos e proteínas, tanto para uso social quanto comercial. De fato, ele participou da criação e organização da primeira empresa de engenharia genética, conhecida como Genentech , e da qual ele atualmente é consultor.

Seu retorno ao México tornou possível para seu laboratório isolar e caracterizar os primeiros genes no México. Além disso, graças à sua equipe, eles também foram pioneiros na América Latina ao sintetizar genes que codificam as cadeias de proteínas da insulina humana.

Graças à sua experiência e pesquisa, a produção do primeiro hormônio no México também foi alcançada, usando técnicas de engenharia genética e a continuação de um plano piloto.

O cientista mexicano também colaborou no isolamento e caracterização de genes que codificam enzimas de interesse industrial, além de peptídeos de toxinas de animais peçonhentos.

Prêmios e outras distinções

– Prêmio Nacional de Ciências Farmacêuticas «Dr. Leopoldo Rio da Loza »(1979), concedido pela Associação Farmacêutica Mexicana.

– Prêmio Nacional de Química e Ciências Farmacêuticas (1981).

– Pesquisa em ciências naturais (1982), concedida pela AMC.

– Manuel Noriega em Ciência e Tecnologia (1988), concedido pela OEA.

– Prêmio Universidade Nacional na área de Ciências Naturais (1990).

– Príncipe das Astúrias em Pesquisa Científica e Técnica (1991), concedido pela Fundação Príncipe das Astúrias na Espanha.

– Prêmio Nacional de Ciências e Artes (1992), oferecido pelo Governo da República.

Relacionado:  Pedro Moreno: biografia, revolução e morte do insurgente

– Acadêmico Honorário da Academia Nacional de Ciências Farmacêuticas, Cidade do México (1994).

– Doutorado Honorário pela Universidade de Liège, Bélgica (1994).

– Prêmio TWAS na área de Biologia (1997), concedido pela Academia de Ciências do Terceiro Mundo da Itália.

– Prêmio Luis Elizondo em Ciência e Tecnologia (1998).

– Cientista Internacional do Ano (2001), concedido pelo Centro Biográfico Internacional de Cambridge, Inglaterra.

– Doutorado Honoris Causa (2008) pela Universidade Autônoma Metropolitana (UAM).

– Atribuição do nome Francisco Gonzalo Bolívar Zapata ao Auditório do Instituto de Biotecnologia (2012).

– Pesquisador emérito (2012) do Sistema Nacional de Pesquisadores – Conacyt.

– Doutorado Honorário (2016) pela Universidade Autônoma do Estado de Morelos (UAEM).

Referências

  1. Uribe, MO (novembro de 2015). Dr. Francisco Gonzalo Bolivar Zapata. Franciscobolivar.com recuperado
  2. Dados biográficos de Conacyt (sf) do Dr. Francisco Bolívar Zapata. Recuperado de conacyt.gob.mx
  3. O Colégio Nacional (sf) Francisco Bolívar Zapata. Recuperado de colnal.mx
  4. IAP (sf). Francisco Gonzalo Bolivar-Zapata. Recuperado interacademies.org/
  5. Possani, L. (2016, 9 de novembro). Contribuições do Dr. Bolívar Zapata. Recuperado de cronica.com.mx
  6. Fundação Príncipe das Astúrias (sf) Francisco Bolívar Zapata – Vencedores – prêmios Princess of Asturias. Recuperado de fpa.es

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies