Francisco Carvajal: Biografia, Governo e Contribuições

Francisco Carvajal era um advogado e político mexicano, que assumiu a presidência do México em caráter provisório após a queda do general Victoriano Huerta. Ele governou de 15 de julho de 1914 a 10 de agosto de 1914, quando renunciou à presidência e fugiu do país.

Carvajal ocupou altos cargos durante os governos de Porfirio Díaz e Victoriano Huerta , devido ao seu talento como oficial e jurisconsulto. Ele era um homem de leis reconhecido, conciliador, com habilidades comprovadas para negociação política durante sua vida pública.

Francisco Carvajal: Biografia, Governo e Contribuições 1

No breve período em que esteve no comando da presidência, Carvajal levou o país a uma transição negociada. Ele foi o arquiteto dos Tratados de Teoloyucan durante a mudança de governo do general Victoriano Huerta em direção a Venustiano Carranza.

Sua compreensão da situação do país na época impediu um novo derramamento de sangue no México, rendendo-se incondicionalmente e deitando armas. Seu governo foi caracterizado pela busca da paz no país e do respeito pelas liberdades dos cidadãos.

Biografia

Francisco Sebastián Carvajal y Gual nasceu em 9 de dezembro de 1870 em San Francisco de Campeche, no estado que leva o mesmo nome. Sua infância e juventude foram passados ​​em sua cidade natal, mas ele emigrou para a Cidade do México para estudar direito na universidade.

Ao se formar em direito, ingressou na administração pública durante o governo do general Porfirio Díaz. Lá ele estava subindo posições até ocupar as posições mais altas do Estado mexicano.

Devido à sua capacidade como negociador, em 1911, o presidente Porfirio Díaz o encarregou de negociar a paz com Francisco I. Madero, que acabara de vencer as eleições.

A administração não teve sucesso, porque Madero exigiu como requisito para assinar os tratados de paz a renúncia de Porfirio Díaz e Carvajal não tinha o poder de decidir.

Relacionado:  Rodrigo de Bastidas: Biografia, Viagens e Rotas

No entanto, nesse mesmo ano, ele assinou os Tratados de Ciudad Juárez com as forças revolucionárias de Madero, representando o governo. Carvajal conseguiu uma negociação favorável ao regime Porfirista, que também protegeu o Exército Federal, que permaneceu inalterado.

Devido a essa circunstância, Madero já na presidência não conseguiu consolidar um governo estável. Ele foi traído e morto pelo general Victoriano Huerta em 22 de fevereiro de 1913, no que é conhecido como Década Trágica.

Encargos públicos

Antes de assumir a presidência do México, ele ocupou o cargo de secretário geral do governo no estado de Tabasco. Mais tarde, durante o governo de fato de Victoriano Huerta, ele foi nomeado secretário de Relações Exteriores.

Posteriormente, recebeu a nomeação como magistrado do Supremo Tribunal de Justiça, tornando-se seu presidente. É por esse motivo que, após a renúncia de Huerta em 1914, ele assumiu a presidência interina do México.

O presidente Francisco Carvajal nomeou uma comissão chefiada pelo ministro da Guerra, general José Refugio Velasco, para negociar um tratado de paz com os constitucionalistas.

A comissão foi criada em 13 de agosto de 1914 em Teoloyucan, estado do México. No entanto, dias antes do general Velasco ter conversado com os constitucionalistas.

Em 10 de agosto, antes de assinar o tratado, Carvajal emitiu um manifesto à nação mexicana explicando sua situação. Nisso, ele expressou seu desejo de dar poder aos constitucionalistas sem derramamento de sangue, para que a verdadeira paz pudesse ser alcançada para o país.

Vôo do país

Antes de deixar o país, porque tinha medo de ser morto, Carvajal deixou ordens expressas para entregar a Cidade do México às tropas de Venustiano Carranza.

Relacionado:  Por que o vice-reinado do Rio da Prata foi criado na Argentina

A responsabilidade por essa missão, juntamente com a assinatura dos tratados, foi atribuída ao general Gustavo A. Salas. Ele foi acompanhado por Eduardo Iturbide (governador do Distrito Federal) e José Refugio Velasco.

Os Tratados de Paz de Teoloyucan estabeleceram o compromisso e a maneira pela qual a evacuação da Plaza de México foi realizada, bem como o desarmamento do Exército Federal e sua dissolução, para evitar novas conspirações e golpes.

Depois de apresentar sua demissão, ele fugiu para os Estados Unidos. Em 1922, quando o país entrou em um estágio de relativa calma, Francisco Carvajal retornou ao México para se dedicar ao exercício da lei. Uma década depois, em 30 de setembro de 1932, ele morreu na Cidade do México.

Características de seu governo

– Era um governo efêmero, caracterizado por sua disposição de negociar e se reconciliar com os revolucionários.

– Ele respeitou as disposições da Constituição do México devido à sua adesão à lei.

– Um processo de pacificação começou no país, pois libertou prisioneiros políticos e proibiu o disparo de prisioneiros de guerra.

– Era um governo que respeitava a liberdade de imprensa e as liberdades cidadãs estabelecidas na Constituição.

– Seu primeiro ato de governo foi a nomeação do general José Refugio Velasco como chefe do Secretário de Guerra. Ele imediatamente iniciou negociações com Venustiano Carranza e seu movimento constitucionalista, que exigiam respeito à legalidade e à democracia.

– Seu objetivo era encontrar uma fórmula que levasse o país a uma transferência de comando em paz.

Contribuições para o México

– Negociei com os revolucionários constitucionalistas de Venustiano Carranza os Tratados de Teoloyucan, que permitiram uma transição em paz. Os tratados foram assinados pelos generais Álvaro Obregón, representando o Exército Constitucionalista; e Gustavo A. Salas, pelo governo de Carvajal.

Relacionado:  O que são direitos de segunda geração?

– Os Tratados Teoloyucanos foram considerados uma vitória para as classes média e popular mexicanas contra as elites porfirianas.

– A dissolução do Exército Federal levou à subsequente modernização e institucionalização das Forças Armadas do México. Além disso, significou para a Revolução Constitucionalista sua vitória definitiva, pois Carranza permaneceu no poder até 1920, quando foi assassinado.

– Após a assinatura dos Tratados Teoloyucanos e a entrega pacífica do governo, Venustiano Carranza foi nomeado presidente provisório da República. Após esse episódio, o México entrou em um processo de construção de sua democracia que acabou com os governos militaristas.

Referências

  1. Assinatura dos “Tratados Teoloyucanos”. Recuperado em 14 de junho de 2018 de Archivohistorico2010.sedena.gob.mx
  2. Francisco S. Carvajal. Consultado de presidents.mx
  3. Francisco S. Carvajal. Consultado em Busca.com.mx
  4. História do México Século XX (PDF) Recuperado de portal.uah.es
  5. Francisco Carvajal. Consultado em es.wikipedia.org
  6. Biografia de Francisco S. Carvajal. Consultado em paratodomexico.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies