Gêneros jornalísticos: características, estrutura

Os gêneros jornalísticos são formas específicas de organização e apresentação da informação jornalística, que possuem características e estruturas próprias. Eles são utilizados para transmitir notícias, reportagens, opiniões e análises de forma clara, objetiva e adequada ao público-alvo. Cada gênero jornalístico possui suas particularidades e finalidades, sendo essencial para a diversificação e aprimoramento da cobertura jornalística. Neste contexto, é fundamental compreender as características e a estrutura de cada gênero para produzir um conteúdo jornalístico eficiente e de qualidade.

Principais características de um gênero jornalístico: o que você precisa saber.

Os gêneros jornalísticos são formas específicas de organização e apresentação das informações em um veículo de comunicação. Cada um possui características próprias que os diferenciam e os tornam adequados para diferentes tipos de notícias e públicos-alvo.

Para entender e utilizar corretamente os gêneros jornalísticos, é importante conhecer suas principais características. Um dos aspectos essenciais é a linguagem utilizada em cada um deles. Enquanto a notícia é mais objetiva e direta, a reportagem permite uma abordagem mais aprofundada e contextualizada. Já a entrevista se caracteriza pela interação entre o jornalista e o entrevistado, proporcionando diferentes pontos de vista sobre um tema.

Outro elemento importante a se considerar é a estrutura de cada gênero. A notícia, por exemplo, costuma seguir a pirâmide invertida, com as informações mais relevantes no início do texto. Já a crônica jornalística permite uma maior liberdade criativa, explorando a subjetividade do autor e sua visão pessoal sobre os fatos.

Além disso, é fundamental compreender a finalidade de cada gênero. Enquanto a resenha crítica busca analisar e avaliar obras artísticas, o editorial expressa a opinião do veículo de comunicação sobre determinado assunto. Assim, é importante escolher o gênero mais adequado para comunicar a informação de forma clara e eficaz.

Em resumo, para utilizar os gêneros jornalísticos de forma eficiente, é essencial conhecer suas características, estrutura e finalidade. Dessa forma, será possível produzir conteúdos jornalísticos de qualidade e impacto, atendendo às necessidades do público e garantindo a credibilidade do veículo de comunicação.

Estrutura de um texto jornalístico: Como organizar informações de forma clara e objetiva.

Para escrever um texto jornalístico de forma clara e objetiva, é importante seguir uma estrutura bem definida. Os elementos essenciais de um texto jornalístico incluem o lead, que é a introdução que resume a notícia de forma sucinta, o corpo da matéria, que desenvolve os fatos e informações relevantes, e a conclusão, que pode apresentar um desfecho ou uma reflexão sobre o assunto abordado.

No corpo da matéria, as informações devem ser apresentadas de forma lógica e organizada, seguindo uma ordem de importância. É importante também utilizar fontes confiáveis e citações diretas para embasar as informações apresentadas. Além disso, é fundamental manter um tom imparcial e evitar a inserção de opiniões pessoais no texto.

A linguagem utilizada deve ser clara e acessível, evitando jargões ou termos técnicos que possam dificultar a compreensão do leitor. Parágrafos curtos e objetivos facilitam a leitura e a assimilação das informações. A utilização de títulos e subtítulos também ajuda a organizar o texto e destacar os pontos principais.

Em resumo, a estrutura de um texto jornalístico visa organizar as informações de forma a torná-las claras e objetivas para o leitor. Seguindo uma sequência lógica e utilizando uma linguagem acessível, é possível transmitir as notícias de forma eficiente e impactante.

Características essenciais de um jornal: o que não pode faltar nas notícias.

Os jornais são veículos de comunicação que têm como principal objetivo informar a população sobre os acontecimentos mais relevantes do mundo. Para isso, é fundamental que apresentem algumas características essenciais que não podem faltar nas notícias.

Em primeiro lugar, as notícias veiculadas em um jornal devem ser verídicas e imparciais. Os jornalistas têm a responsabilidade de apurar os fatos de forma precisa e transparente, sem distorcer a realidade ou favorecer algum ponto de vista específico.

Além disso, as notícias devem ser atuais e relevantes. É importante que os jornais estejam sempre atualizados com os acontecimentos mais recentes, trazendo informações que sejam de interesse público e que impactem a sociedade de alguma forma.

A pluralidade de fontes também é uma característica fundamental em um jornal. É essencial que as notícias sejam embasadas em diferentes pontos de vista e opiniões, garantindo assim uma cobertura mais completa e diversificada dos fatos.

Por fim, a clareza e a objetividade na apresentação das notícias são aspectos essenciais. Os textos jornalísticos devem ser escritos de forma direta e concisa, facilitando a compreensão do leitor e transmitindo a informação de maneira eficaz.

Em resumo, as características essenciais de um jornal incluem a veracidade, imparcialidade, atualidade, relevância, pluralidade de fontes, clareza e objetividade. Somente com esses elementos presentes, um jornal poderá cumprir sua função de informar e formar opinião na sociedade de forma ética e responsável.

Conheça os principais gêneros jornalísticos utilizados na produção de notícias e reportagens.

Os gêneros jornalísticos são formas específicas de apresentação de informações no jornalismo, cada um com suas características e objetivos. Conhecer os principais gêneros jornalísticos é fundamental para quem trabalha na produção de notícias e reportagens.

Relacionado:  Adjetivos conotativos e não conotativos: características

Gêneros jornalísticos: características, estrutura

Os principais gêneros jornalísticos são a notícia, a reportagem, a entrevista, o editorial e a crônica. Cada um desses gêneros tem características próprias que os diferenciam e os tornam adequados para determinados tipos de informações.

A notícia é o gênero mais comum no jornalismo, sendo conhecida pela sua objetividade e imparcialidade na apresentação dos fatos. Geralmente, uma notícia é composta por título, lead, corpo da notícia e fonte das informações.

A reportagem, por sua vez, é mais aprofundada do que a notícia e tem como objetivo apresentar informações detalhadas sobre um determinado assunto. Geralmente, uma reportagem é dividida em várias partes, como introdução, desenvolvimento e conclusão.

A entrevista é um gênero jornalístico que se caracteriza pela conversa entre o jornalista e uma pessoa de interesse. Pode ser uma entrevista em profundidade, em que são abordados diversos temas, ou uma entrevista rápida, com perguntas diretas e respostas objetivas.

O editorial é um texto opinativo, em que o jornal expressa sua posição sobre determinado assunto. Geralmente, o editorial é assinado pelo jornal e reflete a opinião da equipe editorial.

A crônica é um gênero jornalístico mais literário, em que o autor aborda temas do cotidiano de forma mais pessoal e subjetiva. Geralmente, a crônica é caracterizada pela linguagem mais poética e pela reflexão sobre os acontecimentos.

Em resumo, conhecer os principais gêneros jornalísticos é essencial para quem deseja atuar na produção de notícias e reportagens, pois cada um deles tem suas características e estrutura próprias que devem ser respeitadas para uma comunicação eficaz e de qualidade.

Gêneros jornalísticos: características, estrutura

Os géneros jornalísticos são aquelas formas de criação linguística cuja principal característica adaptando sua estrutura para a divulgação de notícias e opiniões. Esta divulgação é feita através das mídias sociais. O conteúdo transmitido envolve tanto a notícia em si quanto seu julgamento avaliativo.

No entanto, o conceito de gênero jornalístico foi usado pela primeira vez em 1952 pelo jornalista francês Jacques Kayser. A intenção inicial de cunhar essa definição foi o desenvolvimento de um método quantitativo para fazer análises sociológicas das mensagens dos jornais.

Gêneros jornalísticos: características, estrutura 1

Posteriormente, foi perfilado como uma doutrina da sociolinguística para fazer avaliações críticas de natureza literária e linguística das notícias publicadas. Da mesma forma, a teoria dos gêneros jornalísticos foi posteriormente adotada como método para a organização pedagógica dos estudos universitários sobre jornalismo.

Por outro lado, os gêneros jornalísticos evoluíram para o ritmo da humanidade e sua necessidade informativa. Em sua primeira etapa (até a Primeira Guerra Mundial ), era um jornalismo puramente informativo). Então, seguiu-se um jornalismo interpretativo (até meados da década de 1940). Nos últimos tempos, o jornalismo de opinião predomina.

Os gêneros jornalísticos são importantes no desenvolvimento da função jornalística. Por um lado, permitem que o jornalista cumpra as funções confiadas pela sociedade à imprensa. Essas funções têm a ver com a satisfação das necessidades de informação, educação, cultura e entretenimento da população.

Eles também permitem que as interações entre a imprensa e seus leitores sejam diversas, graças à multiplicidade de canais disponíveis para acessar o material jornalístico. Da mesma forma, eles permitem a diferenciação de elementos comunicacionais (os elementos constituintes da informação e os da opinião, por exemplo).

Características gerais

Simplicidade

Quando se trata de gêneros jornalísticos, simplicidade significa escrever com palavras fáceis de entender para os leitores. No entanto, esse recurso é um complemento à precisão.

O último assume que as palavras usadas além das conhecidas são precisas; isto é, são os indicados para obter um texto coerente.

Concisão

Concisão é a característica oposta à redundância, verborragia e hesitação expressiva. Essa característica dos gêneros jornalísticos exige que especialistas de diferentes ramos se esforcem para garantir que seus textos cheguem a todos os setores claramente.

Parágrafos estruturalmente consistentes

Os gêneros jornalísticos são caracterizados por possuir parágrafos estruturalmente consistentes. Devem ser compostas de frases que se misturam de maneira ordenada.Assim, um parágrafo se conecta ao seguinte para expressar coerentemente idéias, declarações ou julgamentos.

Dentro do mesmo parágrafo, a idéia inicial de uma frase está ligada à idéia final da frase anterior ou à idéia geral dominante. Dessa maneira, a idéia central da escrita é claramente demarcada e desenvolvida.

Notícias do emissor-receptor

Em geral, os gêneros jornalísticos se referem a problemas imediatos, próximos e ao mesmo tempo dimensionais, tanto do remetente quanto do destinatário.

Caso contrário, eles deixariam de ser jornalísticos, uma vez que o receptor da informação exige em relação aos fenômenos, eventos e caracteres que estes pertencem à sua atualidade.

Relacionado:  Glossários Emilianenses: Origem, Características, Exemplos

Temas de interesse social

Outra das características gerais dos gêneros jornalísticos é o fato de eles se referirem tematicamente a questões, fenômenos, eventos, obras ou personagens de interesse social.

Estrutura

Em geral, não existe uma estrutura única para o desenvolvimento de gêneros jornalísticos. Existe apenas uma estrutura referencial geral que os jornalistas seguem para a produção de seu trabalho. Essa estrutura referencial segue uma metodologia de ordem de tensão decrescente.

De acordo com esse esquema, o mais importante está escrito no primeiro parágrafo. Em seguida, os dados de menor interesse são colocados. Essa estrutura é conhecida entre os especialistas como uma pirâmide invertida e consiste em dois elementos: entrada e corpo.

Entrada ou chumbo

A entrada corresponde ao primeiro parágrafo do gênero. Aqui as informações centrais do trabalho estão localizadas. Não foi escrito como introdução nem tem suas funções sob nenhum ponto de vista.

Pelo contrário, reúne os elementos mais importantes da redação e forma um elemento projetado para despertar a curiosidade do leitor sobre o assunto abordado.

Nesse sentido, este parágrafo de entrada deve conter todas as informações relevantes, respondendo às perguntas o quê, quem, quando, onde, como e por quê.

Eles configuram o estilo dos jornalistas, pois, pela ordem em que são respondidos, a abordagem do jornalista ao assunto é estabelecida.

Durante muito tempo, esse formulário foi utilizado por jornalistas em todo o mundo. No entanto, hoje essa tendência caiu em desuso devido ao desenvolvimento de gêneros e à introdução de avanços técnicos na redação e divulgação.

Atualmente, é comum descobrir que apenas duas ou três perguntas são respondidas no primeiro parágrafo e o restante é deixado para parágrafos posteriores. Geralmente, aqueles que focalizam o interesse temático dos leitores são respondidos primeiro.

Como conseqüência disso, o sucesso de uma entrada depende em grande parte da capacidade do jornalista de descobrir qual é a pergunta que gera o maior interesse dos leitores.

Corpo

De acordo com o formato atual, a parte substancial do trabalho jornalístico está localizada no corpo. Nesta seção estão as causas, consequências e a análise dos fatos. Dessa forma, o público obtém uma visão mais profunda sobre eles e uma opinião sobre o que aconteceu pode ser formada.

Esta parte contém os dados explicativos com os quais os aspectos complementares do fato central estão relacionados. Geralmente, esses dados podem ser omitidos sem prejudicar o restante dos dados expostos nas outras seções.

Principais gêneros jornalísticos

Gêneros jornalísticos informativos

Eles são os gêneros que oferecem detalhes sobre eventos atuais ou informações sobre personagens que são novidades. Alguns desses tipos de gêneros jornalísticos serão explicados abaixo.

Notícias

A notícia é uma produção jornalística que lida com as análises de eventos noticiosos. Para sua realização, requer um evento digno de nota.

Uma das características fundamentais que caracterizam esse gênero informativo é a realidade que força o fato a ser relatado como sendo de ocorrência, anúncio ou descoberta recente.

Além disso, outra de suas peculiaridades é a novidade. Isso implica que as notícias devem ser de um evento desconhecido ou pouco conhecido até então.

Você também deve atender ao requisito de veracidade ou apego à realidade. Periodicidade é outra de suas características mais comuns: as informações são apresentadas ao público com um intervalo fixo no tempo.

Por outro lado, as notícias devem responder às necessidades e expectativas do público leitor. Outros especialistas atribuem notícias adicionais às notícias. Segundo elas, as notícias devem ser oportunas, sistemáticas (eventos isolados sem conexão entre si) e perecíveis (elas desaparecem quando perdem a relevância).

Relatórios informativos

O relatório informativo desenvolve o evento de notícias, incluindo informações sobre a descrição do contexto e as declarações das pessoas ligadas ao fato.

Esse gênero aborda as notícias de uma perspectiva objetiva-descritiva. As avaliações ou opiniões pessoais do editor são excluídas.

Dependendo do assunto, do formato e do tratamento da informação, os relatórios podem ser diferenciados com blocos temáticos e com uma contraponto ou estrutura dialética.Da mesma forma, podem ser encontrados relatórios com estrutura cronológica e estrutura por cenas ou casos.

Entrevistas

A entrevista é definida como uma conversa em que são buscadas respostas para tópicos de interesse público. Em uma entrevista, uma pessoa que faz as perguntas (o entrevistador) e outras que respondem (entrevistadas) participam. As respostas refletem apenas a posição do entrevistado em relação ao assunto da pergunta.

Além disso, uma entrevista pode consistir na reprodução aproximada das palavras das fontes de informação.

A característica predominante nesse tipo de gênero é que é isso que define a agenda. Essa dependência é mais pronunciada, dependendo do nível social, político, econômico ou cultural da fonte.

Relacionado:  José María de Pereda: biografia, estilo, obras

Nesse gênero, o jornalismo deixa de cumprir seu papel social de interpretação da realidade, pois são os entrevistados que estabelecem o conteúdo.

Isso controla o fluxo e a cadência do fornecimento de informações. Por outro lado, o jornalista se torna um propagador do que ela diz e tudo o que acontece é agendado com antecedência.

Gêneros jornalísticos de opinião

Os gêneros de opinião jornalísticos não relatam eventos atuais. Em vez disso, esse tipo de texto procura apresentar opiniões sobre informações que foram divulgadas antecipadamente e que são de conhecimento público.

Editoriais

O editorial é uma opinião escrita em que comenta, analisa, interpreta e valoriza um fato de significância local, nacional ou internacional. Isso reflete o ponto de vista do editor ou editor do jornal e, consequentemente, do próprio jornal.

Sua intenção é fazer o leitor refletir sobre fatos particulares. Às vezes, eles também procuram influenciar as opiniões do leitor do editorial. Eles são escritos sob um esquema discursivo expositivo-argumentativo. Dependendo do esquema aplicável, existem editoriais explicativos e editoriais de opinião.

Cartas ao diretor

Esse tipo de texto é um dos gêneros jornalísticos do jornalismo mais desenvolvido nos últimos anos. Eles representam o relacionamento entre a mídia e seu público. As pessoas escrevem essas cartas quando desejam opinar sobre um artigo publicado ou um evento real publicado pelo jornal.

Como qualquer outra letra, o idioma usado é informal dentro do refinamento imposto pelo idioma. Do mesmo modo, as normas de cortesia e decoro impostas pela sociedade em que o escritor e o ambiente jornalístico se desenrolam determinam o tom geral da carta.

Artigos de opinião

O artigo de opinião é um texto em que um fato específico é analisado ou interpretado. O autor do artigo define sua posição e dá seu julgamento avaliativo em relação ao assunto e, como no editorial, carimba sua assinatura. No entanto, a assinatura é pessoal, pois representa a opinião do autor que não é necessariamente a mesma que o jornal.

Além disso, a extensão desse tipo de artigo geralmente é curta, os tópicos abordados são variados e seus títulos buscam ser originais e atraentes.

Por sua intenção informativa, assemelham-se a ensaios literários e também buscam uma reflexão sobre qualquer questão da vida humana.

Colunas

Jornalistas que escrevem dentro desse gênero jornalístico de opinião são conhecidos como colunistas. A coluna se assemelha ao artigo de opinião, mas seus jornalistas geralmente trabalham na mídia. Eles também podem definir posições diferentes em relação ao mesmo tópico.

É um gênero onde você pode encontrar representantes importantes da literatura e das artes em geral. Nas colunas, a linguagem usada é amigável, de camaradagem entre autor e leitor.

Críticas

Críticas são textos especializados nos quais você pensa em áreas de uma especialidade artística específica. Este trabalho é realizado por especialistas conhecidos como críticos.

Além disso, sua linguagem é simples de ser entendida por todas as pessoas, mas, ao mesmo tempo, ele é apaixonado. Trata-se de destacar aspectos das obras que podem interessar ao público.

Gêneros jornalísticos interpretativos

Esse tipo de gênero combina as características das notícias com o gênero de opinião. Existe uma grande variedade nos gêneros jornalísticos interpretativos, alguns dos quais serão detalhados abaixo.

Crônicas

Ao contrário de outros gêneros, a crônica é ainda mais antiga que o jornalismo. Tem sua origem nos relatos cronológicos que seguem seu padrão do curso natural do tempo.

O editor é conhecido como um cronista que faz a história como se fosse uma testemunha. Sua principal característica é a história dos fatos de forma sequencial e detalhada.

Pesquisas

Esse gênero jornalístico é usado para fazer pesquisas rápidas em relação aos assuntos atuais. Seu objetivo é oferecer aos leitores a tendência pública em relação a um tópico específico.

Ele tem suas origens na pesquisa estatística para fins sociais, mas difere disso porque o rigor dos modelos matemáticos é óbvio.

Referências

  1. Garcia, VM e Gutierrez, LM (2011). Manual de gêneros jornalísticos. Bogotá: Universidade de La Sabana.
  2. Errami, A. (s / f). Guia do Jornalista Profissional. Retirado de isesco.org.ma.
  3. Velásquez, CM et al. (2005). Manual de gêneros jornalísticos. Bogotá: Universidade de La Sabana.
  4. Dallal, A. (2007). Linguagens jornalísticas México: UNAM.
  5. Vázquez Bermúdez, MA (2009). Notícias sob demanda. Sevilha: Edições e Publicações em Comunicação Social.
  6. González Briones, E.; Goldstein, A.; Cubino, RL e López Sobrino, B. (2012). As notícias e o relatório. Madri: Ministério da Educação.
  7. Melo, JM de e Assis, F. de. (2016). Gêneros e formatos jornalísticos: um modelo classificatório. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, 39 (1), pp. 39-56.

Deixe um comentário