Gestão do conhecimento (GC) nas organizações

A Gestão do Conhecimento (GC) nas organizações refere-se ao processo de identificar, capturar, armazenar, compartilhar e utilizar o conhecimento existente dentro da empresa para melhorar a tomada de decisões, inovação e desempenho organizacional. Por meio da GC, as organizações podem alavancar o conhecimento de seus colaboradores, promover a aprendizagem contínua e criar uma cultura que valorize e incentive a troca de informações e experiências. A GC é essencial para as organizações que buscam se manter competitivas em um ambiente de negócios cada vez mais dinâmico e complexo.

Qual o significado e a importância da Gestão do Conhecimento nas organizações empresariais?

A Gestão do Conhecimento (GC) é um processo que visa identificar, capturar, armazenar, compartilhar e utilizar o conhecimento existente dentro de uma organização. Trata-se de uma prática que se tornou fundamental para as empresas que desejam se manter competitivas no mercado atual.

A importância da Gestão do Conhecimento nas organizações empresariais reside no fato de que o conhecimento é um dos principais ativos de uma empresa. Por meio da GC, as organizações conseguem garantir que o conhecimento produzido e adquirido seja devidamente organizado e compartilhado entre os colaboradores, permitindo a inovação e a melhoria contínua dos processos.

Além disso, a GC contribui para a tomada de decisão mais assertiva, uma vez que os gestores têm acesso a informações relevantes e atualizadas. Isso possibilita uma maior eficiência operacional e estratégica, tornando a empresa mais ágil e adaptável às mudanças do mercado.

Em um contexto de transformação digital e aceleração da inovação, a Gestão do Conhecimento se torna ainda mais essencial. As empresas que investem nesse processo estão mais preparadas para enfrentar os desafios do ambiente empresarial atual e se destacar frente à concorrência.

Entendendo a importância da gestão do conhecimento nas organizações para o sucesso empresarial.

A Gestão do Conhecimento (GC) nas organizações é essencial para garantir o sucesso empresarial no mundo atual. Com a quantidade cada vez maior de informações disponíveis e a velocidade com que as coisas mudam, é fundamental que as empresas saibam como gerenciar e utilizar o conhecimento de forma eficaz.

Um dos principais benefícios da GC é a possibilidade de compartilhar o conhecimento existente dentro da organização. Quando as informações são compartilhadas de forma eficiente, os colaboradores podem aprender uns com os outros e evitar a duplicação de esforços. Isso resulta em uma maior produtividade e eficiência no ambiente de trabalho.

Além disso, a GC permite que as empresas inovem de forma mais rápida e eficaz. Ao capturar e armazenar o conhecimento adquirido ao longo do tempo, as organizações podem acessá-lo quando necessário e usá-lo para desenvolver novas ideias e soluções. Isso dá às empresas uma vantagem competitiva no mercado, pois podem se adaptar mais rapidamente às mudanças e antecipar as necessidades dos clientes.

Outro aspecto importante da GC é a retenção de talentos. Quando as empresas valorizam o conhecimento e as habilidades dos seus colaboradores, eles se sentem mais motivados e engajados. Isso resulta em uma maior satisfação no trabalho e em uma menor rotatividade de funcionários, o que é fundamental para o sucesso a longo prazo de qualquer organização.

Relacionado:  As 10 piores profissões do mundo, segundo estudo

Ao compartilhar informações, inovar de forma eficaz e reter talentos, as empresas podem se manter competitivas e adaptáveis em um mercado em constante mudança. Portanto, investir na GC é investir no futuro da empresa.

Significado de alinhar GC com estratégia organizacional: compreenda a importância dessa integração.

A Gestão do Conhecimento (GC) é um processo fundamental nas organizações, pois envolve a criação, compartilhamento e utilização do conhecimento de forma estratégica. Quando falamos em alinhar a GC com a estratégia organizacional, estamos destacando a importância de integrar as ações e práticas de gestão do conhecimento com os objetivos e metas da empresa.

Essa integração é essencial para garantir que o conhecimento produzido e adquirido pela organização esteja alinhado com sua visão, missão e valores. Dessa forma, a GC passa a ser um elemento chave para impulsionar o sucesso e a competitividade da empresa no mercado, uma vez que permite o aproveitamento máximo do potencial intelectual dos colaboradores.

Quando a GC está alinhada com a estratégia organizacional, é possível identificar com maior clareza quais são os conhecimentos essenciais para atingir os objetivos da empresa. Além disso, a integração da GC com a estratégia permite que a organização desenvolva uma cultura de aprendizado contínuo e inovação, favorecendo a adaptação às mudanças do mercado e a antecipação de tendências.

Portanto, compreender a importância de alinhar a Gestão do Conhecimento com a estratégia organizacional é fundamental para garantir a sustentabilidade e o crescimento das empresas no mundo atual, onde o conhecimento é um dos principais ativos. Investir nessa integração é um passo essencial para alcançar a excelência e se manter competitivo no mercado.

A importância da gestão do conhecimento para a aprendizagem organizacional.

A gestão do conhecimento (GC) nas organizações é um processo fundamental para promover a aprendizagem organizacional e impulsionar a inovação. Através da GC, as empresas são capazes de capturar, armazenar, compartilhar e utilizar o conhecimento de forma estratégica, garantindo que as informações relevantes estejam disponíveis para todos os colaboradores.

Um dos principais benefícios da GC é a redução da perda de conhecimento tácito, que muitas vezes reside na mente dos funcionários e pode se perder quando eles deixam a organização. Ao implementar práticas de GC, as empresas conseguem transformar esse conhecimento implícito em conhecimento explícito, facilitando sua disseminação e preservação.

Além disso, a GC contribui para a criação de uma cultura organizacional que valoriza a aprendizagem contínua e a inovação. Ao incentivar a troca de experiências e o compartilhamento de conhecimento entre os colaboradores, as empresas conseguem criar um ambiente propício para o desenvolvimento de novas ideias e soluções criativas.

Outro aspecto importante da GC é a melhoria da tomada de decisão e a resolução de problemas de forma mais eficiente. Ao ter acesso a informações atualizadas e relevantes, os gestores conseguem tomar decisões mais embasadas e identificar oportunidades de melhoria com maior rapidez.

Investir em práticas de GC é, portanto, um investimento estratégico que pode trazer benefícios significativos a longo prazo para as organizações.

Gestão do conhecimento (GC) nas organizações

Gestão do conhecimento (GC) nas organizações 1

Desde o final do século XX até hoje, a principal fonte de criação de riqueza econômica é o conhecimento . Considerou-se que a principal fonte de vantagens competitivas de uma organização reside no que ela sabe, em como usa o que sabe e na capacidade de aprender coisas novas (Barney, 1991).

A partir dessa concepção do conhecimento como fonte de riqueza, nosso tempo foi batizado como sociedade do conhecimento (Viedma, 2001). Que implicações isso tem no mundo das organizações?

Gerenciando conhecimento e competitividade

Para manter sua vantagem competitiva, as organizações precisam estabelecer uma estratégia. O ponto de partida para a formulação dessa estratégia é identificar e avaliar os recursos e capacidades disponíveis na organização. Esses recursos podem ser: tangíveis (produtos, renda), intangíveis (cultura) e capital humano (conhecimentos, habilidades e habilidades).

Nem todo o conhecimento de uma organização se torna uma fonte de vantagem competitiva sustentável; Somente aqueles que contribuem para a geração de valor econômico serão. Aqui, conhecimento também é entendido como habilidades, experiência, informações contextualizadas, valores, atitudes, know-how , etc., cujo conjunto foi chamado de conhecimento essencial ou “competências essenciais” (Viedma, 2001).

Conhecimento como um ativo individual

É importante indicar que o conhecimento está localizado principalmente nas pessoas. É um ativo individual que se desenvolve principalmente através da aprendizagem .

No contexto atual, mais exigente e dinâmico do que em qualquer época anterior, as organizações precisam fazer emergir esse conhecimento para torná-lo um bem comum e controlá-lo. Nas últimas décadas, uma nova tendência começou, tanto no nível de pesquisa quanto no operacional, que visa atingir esse objetivo: gestão do conhecimento (GC) .

Partindo da premissa de que o conhecimento reside no indivíduo, o GC é entendido como um processo de transformação desse ativo individual em ativo organizacional. Para que esse processo ocorra com sucesso é essencial a existência de um compromisso entre todos os membros da organização, a divulgação adequada de conhecimentos ea integração bem sucedida dos processos e sistemas necessários para alcançar tal conhecimento é institucionalizada e permanecer entre os seus membros.

O GC é essencial para a adaptabilidade das organizações, sua sobrevivência e competitividade em ambientes onde as mudanças são rápidas, crescentes e descontínuas. Pessoas, sistemas organizacionais e tecnologia da informação e comunicação estão envolvidos no GC.

Gestão do Conhecimento como uma disciplina

O GC é uma disciplina jovem e promissora, que visa promover a inovação e a vantagem competitiva das organizações que integram atividades em seus processos operacionais e de negócios para capturar conhecimento, documentá-lo, recuperá-lo e reutilizá-lo, além de criá-lo, transferi-lo e trocá-lo (Dayan e Evan, 2006).

Gestão do Conhecimento afeta não apenas as organizações empresariais, também é importante na prática de pesquisa, a nível científico. É um amplo e complexo conceito, actividades multi-dimensionais e inter-relacionadas (identificação, criação, desenvolvimento, intercâmbio, processamento, retenção, renovação, disseminação, aplicação, etc.) que geram um recurso valioso para a empresa, o conhecimento (Lloria, 2008).

Pesquisando em gestão do conhecimento

A pesquisa em GC foi abordada a partir de diferentes disciplinas. Assim, existem estudos provenientes, por exemplo, de psicologia, sociologia, economia, engenharia, ciência da computação ou administração .

Cada contribuição dessas áreas serviu para fornecer descobertas sobre diferentes aspectos da Gestão do Conhecimento, mas até agora um arcabouço explicativo universal abrangente não foi alcançado, nem para qualquer domínio específico. Conclui-se que a pesquisa interdisciplinar é necessária, em vez de atividades de pesquisa focadas em uma única área do conhecimento (Nonaka e Teece, 2001).

Relacionado:  Trabalhos tóxicos: 11 sinais que indicam que você tem um trabalho não solicitado

O que é eo que não é GC?

GC é um processo:

1. Gerenciamento contínuo utilizado (Quintas et al., 1997)

  • Conheça as necessidades atuais e emergentes
  • Identifique e explore o conhecimento adquirido
  • Desenvolver novas oportunidades na organização

2. Facilitador dos fluxos de conhecimento e compartilhamento para melhorar a produtividade individual e coletiva (Guns e Välikangas, 1998)

3. Dinâmica converter prática reflexiva impensada, de modo que: (a) traz as regras que regem a prática de atividades (b) ajuda a moldar o entendimento coletivo e (c) facilite o surgimento de conhecimento heurístico (TSOUKAS e Vladimirou, 2001)

Processos e fases do GC

Alguns autores distinguir três tipos de processos em que a CG (Argote et al., 2003):

  • Criação ou desenvolvimento de novos conhecimentos
  • Retenção de conhecimento
  • Transferência de conhecimento

Lehaney e colegas (2004) definem o GC como: “organização sistemática (…), com objetivos e mecanismos de feedback apropriados, sob o controle de um setor (público ou privado) que facilita a criação, retenção, troca, identificação, aquisição, uso e medição de informações e novas idéias, para atingir objetivos estratégicos, (…) sujeitos a limitações financeiras, legais, de recursos, políticas, técnicas, culturais e sociais. “

O GC não deve ser confundido com o gerenciamento de informações ou o gerenciamento da tecnologia que o suporta . Nem é exatamente o mesmo que gerenciamento de talentos. O conhecimento e sua gestão requerem intervenção humana e, nesse sentido, a aprendizagem e o conhecimento tácito são fundamentais nesse processo. A tecnologia da informação nada mais é do que um suporte para todo o processo, mas não é o objetivo final do GC (Martín e Casadesús, 1999).

Referências bibliográficas:

  • Barney, J. (1991). Recursos firmes e vantagem competitiva sustentada. Jornal de Gestão, 17 (1), 99-120.
  • Dayan, R. & Evans, S. (2006). KM seu caminho para CMMI. Journal of Knowledge Management, 10 (1), p. 69-80.
  • Guns, W. & Välikangas, L. (1998). Repensando o trabalho do conhecimento: criando valor através do conhecimento idiossincrático. Jornal de Gestão do Conhecimento, 1 (4), 287-293.
  • Lehaney, B., Coakes, E., & Gillian, J. (2004). Além da gestão do conhecimento. Londres: Idea Group Publishing.
  • Lloria, B. (2008). Uma revisão dos principais aproaches a gestão do conhecimento. Konwledge Administração Pesquisa e Prática, 6, 77-89.
  • Martín, C. (2000). 7 Cibertendencias século XXI. Madri: McGraw Hill.
  • Nonaka, I., & TEECE, D. (2001). Diretrizes de pesquisa para gestão do conhecimento. In I. Nonaka, & D. Teece (Edits.), Gerenciando o conhecimento industrial: criação, transferência e utilização (pp. 330-335). Londres: Sage.
  • Quintas, P., Lefrere, P., & Jones, G. (1997). Gestão do conhecimento: uma agenda estratégica. Planejamento de longo alcance, 30 (3), 385-391.
  • Tsoukas, H. & Vladimirou, E. (2001). Qual é o conhecimento organizacional? Journal of Management Studies, 38 (7), 973-993.
  • Viedma, J. (2001). ICBS Sistemas de benchmarking de capital intelectual. Journal of Intellectual Capital, 2 (2), 148-164.

Deixe um comentário