Globalização no México: história, vantagens e características

A globalização no México foi um fenômeno de abertura econômica, política e social no exterior que ocorreu durante a década de 1990 O fenômeno começou a se desenvolver em 1985, com a liberalização do comércio, a eliminação unilateral de tarifas ea eliminação de restrições investimento estrangeiro direto.

Nesse estágio, a globalização contribuiu para o crescimento econômico do país, favorecendo o desenvolvimento de indústrias como manufatura, automotiva e eletrônica. Foi também um período de intensa modernização tecnológica.

Globalização no México: história, vantagens e características 1

Por outro lado, a globalização permitiu que o México ganhasse presença nos mercados financeiros internacionais. As regiões norte e oeste do país experimentaram o fenômeno da globalização com maior intensidade. Nessas regiões, houve um período de melhoria das condições de trabalho, aumento dos salários e redução do desemprego.

Da mesma forma, os numerosos acordos de livre comércio assinados pelo país, como o NAFTA e o TLCUEM, permitiram aumentar suas exportações. No entanto, a globalização também causou o aumento da desigualdade no país. As áreas rurais e mal industrializadas sofreram queda nos salários, aumento da pobreza e migração forçada.

A globalização também teve outros efeitos nocivos, como a degradação ambiental. Por essas razões, no México o fenômeno da globalização tem muitos apoiadores e também detratores.

Características da globalização mexicana

A globalização no México foi um fenômeno de abertura econômica, política e social no exterior.

Esta etapa é caracterizada pela abertura de barreiras comerciais e pela remoção de restrições ao investimento direto estrangeiro. Além disso, houve um aumento nas exportações e importações.

A globalização não afetou todas as regiões do país da mesma maneira. As regiões adjacentes aos Estados Unidos e o centro-oeste do estado foram as mais expostas ao fenômeno.

Por outro lado, áreas rurais e menos industrializadas participaram em menor grau da globalização.

História

Contra as políticas protecionistas tradicionais, em 1985 o México adotou uma política de liberalização comercial e promoção da globalização.

A globalização e a abertura no exterior se desenvolveram principalmente durante os anos 90. O México foi um dos primeiros mercados emergentes a experimentar esse fenômeno.

Nesse período, o México enfrentou uma situação de contração econômica interna, desvalorização do peso e crise bancária. No entanto, o aumento das exportações e a integração nos mercados financeiros internacionais permitiram ao país mitigar seu impacto negativo.

Com o objetivo de aumentar sua abertura comercial no exterior, o México assinou vários acordos de livre comércio.

Especialmente importantes são o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA), assinado em 1994 com os Estados Unidos e o Canadá; e o Acordo de Livre Comércio entre o México e a União Européia (TLCUEM), assinado em 2000.

Efeitos da política

A partir de 1985, o governo adotou medidas como a abolição unilateral de tarifas e a eliminação de restrições ao investimento estrangeiro. Graças ao apoio político, o processo de globalização no México foi especialmente rápido.

O principal fator de mudança foi a eliminação progressiva de barreiras ao comércio e ao investimento, além da modernização tecnológica.

A globalização significou o aumento da participação do México nas relações internacionais e na política internacional.

Efeitos na sociedade

A globalização trouxe a abertura cultural do México no exterior. Essa etapa permitiu melhorar as condições de trabalho e reduzir o desemprego no país, principalmente nas áreas mais expostas à globalização. Também houve progresso significativo em direitos trabalhistas.

Por outro lado, o aumento do investimento direto estrangeiro também contribuiu para reduzir o desemprego, promover a transferência de tecnologia e aumentar a competitividade no país.

Durante esse período, houve um aumento significativo dos salários nas regiões do México mais expostas à globalização. No entanto, apenas algumas regiões do país experimentaram os benefícios desse fenômeno.

Nas áreas rurais e pouco industrializadas, a globalização causou o desaparecimento de certas indústrias, como o milho, além da queda de preços e salários. Nessas regiões, esse estágio levou a um aumento da desigualdade e da pobreza .

Como consequência, originou-se um fluxo migratório da força de trabalho rural para as atividades de exportação. O volume de transferências para o exterior também aumentou consideravelmente.

Efeitos na economia

A globalização e a liberdade de comércio provaram ser estímulos importantes para o crescimento da economia mexicana. Entre 1990 e 2000, o PIB do país passou de 280 bilhões de dólares para 680 bilhões.

O desenvolvimento econômico também se beneficiou do aumento do investimento estrangeiro. Entre 1994 e 2005, o México recebeu 170,7 bilhões de dólares em investimentos estrangeiros.

Entre 1980 e 2002, o peso do comércio internacional no PIB do México aumentou de 11% para 32%. O aumento na importação de bens e tecnologia também contribuiu positivamente para a economia .

Além disso, a globalização favoreceu o desenvolvimento de indústrias e empresas mexicanas. A abertura comercial no exterior permitiu impulsionar algumas das principais indústrias do país, como manufatura, automotiva e eletrônica.

No outro extremo da balança, as indústrias nas quais o México não tinha vantagem comparativa foram prejudicadas pela política comercial expansiva. A deterioração da indústria provocou a perda de renda, o aparecimento de situações de pobreza e as consequentes migrações forçadas.

Vantagens da globalização no México

A globalização do México gerou inúmeras opiniões a favor e contra. Por um lado, o fenômeno trouxe consigo uma série de vantagens para o país, dentre as quais as mais importantes são:

– Crescimento econômico.

– Desenvolvimento de indústrias que representem uma vantagem comparativa para o Estado.

– Maior segurança jurídica e melhor clima para fazer negócios.

– Menor dependência da economia interna e aumento da integração nos mercados internacionais.

– Aumento dos salários, diminuição do desemprego e melhoria do padrão de vida, especialmente no norte e no centro-oeste do país.

Desvantagens

A globalização também causou uma série de inconvenientes para o país, entre os quais os mais relevantes são:

– Deterioração de indústrias nas quais o país não possui vantagem comparativa.

– Nas regiões rurais e mal industrializadas, foram gerados estagnação econômica, piora das condições de trabalho, aumento da pobreza e fenômenos migratórios forçados.

– Aumento da desigualdade e distribuição desigual da riqueza.

– Degradação ambiental, principalmente no norte do Estado, devido ao aumento do consumo de combustíveis fósseis e à emissão de gases de efeito estufa.

Referências

  1. Centro de Empresas Privadas Internacionais. 2000. Globalização e abertura do México. Disponível em: cipe.org
  2. Dabat, A. 1994. México e globalização. México: Universidade Nacional Autônoma do México.
  3. Davis, M. Globalização e pobreza no México. Estados Unidos: Escritório Nacional de Pesquisa Econômica. Disponível em: nber.org
  4. García Fuentes, M. Revista de Comércio Exterior. Disponível em: revistacomercioexterior.com
  5. Hanson, GH 2005. Globalização, renda do trabalho e pobreza no México. Estados Unidos: Escritório Nacional de Pesquisa Econômica.
  6. Henrichs, K. 2013. Globalização no México, Parte 1: Efeitos econômicos e sociais. Borgen Magazine Disponível em: borgenmagazine.com
  7. Henrichs, K. 2013. Globalização no México, Parte 2: Efeitos ambientais. Borgen Magazine Disponível em: borgenmagazine.com
  8. IMF 2018. Relatório para países e assuntos selecionados. Disponível em: imf.org

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies