Henri Fayol: biografia, teoria da administração, princípios, outras contribuições

Henri Fayol: biografia, teoria da administração, princípios, outras contribuições

Henry Fayol (1841-1925)  foi um engenheiro e pesquisador francês conhecido por ter formulado a Teoria Clássica da Administração. Essa teoria, também conhecida como fayolismo em homenagem a seu autor, tornou-se a base da metodologia moderna em organizações e empresas.

Seu modelo de gestão de negócios, juntamente com outras idéias sobre o assunto, apareceu em seu livro Industrial and General Administration , publicado em 1916. Neste trabalho, Fayol explicou seu pensamento sobre os princípios de administração e suas funções. Além disso, também formulou catorze pontos que devem reger os princípios de administração.

O autor, nascido em Constantinopla, hoje Istambul (Turquia), no seio de uma família francesa, concluiu seus estudos no país de origem de seus pais. Após a conclusão, ele começou a trabalhar na Commentry-Fourchambault Company, uma empresa de mineração e metalurgia. Fayol continuou toda a sua vida na mesma empresa, alcançando o cargo de CEO.

Sua teoria da administração é baseada em três aspectos principais: a divisão do trabalho; as medidas que são aplicadas no processo administrativo; e na formulação dos critérios técnicos adequados para orientar a função administrativa. Ele também foi o criador de vários termos relacionados à sua especialidade que ainda são usados ​​hoje.

Biografia

Henry Fayol nasceu em 29 de julho de 1841 em Constantinopla, a atual cidade turca de Istambul. Sua família era de origem francesa e próspera.

Henry e sua família retornaram à França em 1847 e lá Henry recebeu uma educação de acordo com sua boa posição social. Os primeiros estudos foram realizados no Liceu de Lyon e, posteriormente, ele os continuou na Escola Nacional de Minas, localizada em Saint Etienne. Aos 19 anos, em 1860, Fayol obteve seu diploma de engenheiro de minas.

Início da sua carreira

Henry Fayol começou a trabalhar em 1960 em uma prestigiada empresa francesa de mineração e metalurgia: a Commentry-Fourchambault Company. Suas primeiras tarefas foram relacionadas à extração de carvão e aos processos utilizados para derreter o ferro.

A Commentry-Fourchambault Company foi a única empresa para a qual Fayol trabalhou em toda a sua vida. A princípio, seu papel era o de engenheiro, mas seu bom trabalho permitiu que ele aumentasse ao longo dos anos.

Entre as tarefas que lhe deram mais prestígio dentro da empresa durante os primeiros anos, estava o desenvolvimento de várias melhorias e alternativas para prevenir e combater os incêndios habituais que ocorreram dentro das minas.

Gerenciamento e direção

Fayol foi promovido a gerente em 1866 e, a partir dessa posição, passou por uma série de mudanças que permitiram um aumento significativo na lucratividade da empresa. Este trabalho lhe rendeu uma nova promoção em 1888, ano em que foi nomeado diretor.

Apesar do bom resultado das medidas adotadas por Fayol como gerente, em 1888 a empresa estava passando por sérias dificuldades econômicas. Isso havia causado, por exemplo, três anos de atraso no pagamento dos dividendos correspondentes aos seus acionistas.

Foi nessa situação que Fayol ocupou o cargo de CEO da empresa. Seu primeiro objetivo foi melhorar sua condição econômica para garantir a viabilidade da empresa.

Revitalização da empresa

Como CEO, Fayol começou a tomar medidas para atingir seu objetivo. A primeira foi o fechamento de uma das plantas de fundição e a centralização da produção de outra planta, que conseguiu gerar uma economia de escala.

Além disso, Fayol foi encarregado de obter novos depósitos de carvão em três locais estratégicos da França: Gondreville, Saint-Lager-Bressac e Decazeville

Essas medidas, juntamente com outras relacionadas à gestão de negócios, fizeram com que Fayol tivesse sucesso em seu propósito de revitalizar a empresa. Parte das estratégias que ele aplicou faziam parte da teoria da administração que ele publicaria anos depois.

O desempenho de Fayol fez com que a empresa sobrevivesse e melhorasse seus resultados. Hoje continua sendo uma das empresas siderúrgicas mais importantes da França, fazendo parte da Creusot-Loire.

Relacionado:  Relações públicas internas e externas de uma empresa

Congresso de Paris da Sociedade Industrial de Mineração

Antes mesmo de ser nomeado diretor de sua empresa, Fayol já havia conquistado o nome de engenheiro. Isso permitiu que ele fosse convidado a apresentar um trabalho no Congresso de Paris da Sociedade Industrial de Mineração, realizado em Paris em 1878. O relatório apresentado foi sobre as alterações e a combustão espontânea sofridas pelo carvão quando expostas ao ar.

Seus últimos anos de vida foram dedicados à teoria. Fayol dedicou seu tempo à disseminação de seus princípios de gestão, com base em sua experiência e pesquisa no campo da administração de empresas.

Vida pessoal

Henry Fayol faleceu em 19 de novembro de 1925, em Paris. Sua morte foi devido apenas à sua idade avançada, 84 anos, já que ele não sofria de nenhuma doença grave.

O teórico da administração fora casado com Marie Céleste Adélaïde Saulé, com quem teve três filhos.

Teoria da gestão

A teoria da administração em vigor até então era a chamada científica. Isso enfatizou o trabalho realizado pelos trabalhadores. Pelo contrário, a teoria clássica de Fayol colocou como ponto mais importante a estrutura e as funções que a organização deveria ter para ser mais eficiente.

O objetivo de ambas as teorias era o mesmo: conseguir que as organizações, especialmente a empresa industrial, aumentassem sua eficiência.

Como observado, a teoria clássica foi exposta por Henry Fayol em 1916. O engenheiro de mineração a publicou em seu livro mais conhecido: Administração Industrial e Geral.

Seu trabalho foi baseado em uma abordagem global, universal e sintética da empresa. Para desenvolver a teoria, ele partiu de uma concepção estrutural da empresa industrial, uma visão que substituiu a antiga concepção analítica de Frederick Taylor, o promotor da teoria científica.

Em resumo, o modelo proposto por Fayol para administração foi baseado em três aspectos diferentes: a aplicação do processo administrativo; os princípios técnicos para orientar a função da referida administração; e a divisão do trabalho.

Para esse teórico, a função da administração é direcionada apenas ao corpo social, ou seja, ao pessoal da empresa. Os demais, por sua vez, estão focados em matérias- primas e máquinas

Frederick Taylor

A principal influência que Fayol teve para desenvolver sua teoria foi o trabalho do americano Frederick Taylor, criador do taylorismo. Ele havia desenvolvido a chamada teoria científica, baseada na organização do trabalho com métodos científicos.

Taylor acrescentou a esse cientismo uma visão positivista. O americano estudou os fatos na prática e realizou diferentes experimentos. Com os resultados, ele decidiu se concentrar na planta de produção da própria fábrica. Seu taylorismo foi caracterizado pela divisão do trabalho realizado no processo de produção.

Outra diferença entre as duas teorias foi o contexto da época. Taylor, ao elaborar sua teoria, levou em consideração a Revolução Industrial e seu trabalho teve um impacto durante a segunda fase. A teoria de Fayol, por sua vez, influenciou os estágios finais dessa revolução.

Por outro lado, Fayol era um defensor franco da liberdade de negócios. O francês era totalmente contra o estado que intervinha de alguma forma na economia.

Etapas para uma administração adequada

Fayol considerou necessário seguir cinco etapas diferentes para o processo administrativo se desenvolver adequadamente. Segundo esse teórico, as etapas são as seguintes:

– Planejamento: o planejamento, para Fayol, é a base do procedimento administrativo. Trata-se de realizar um trabalho anterior em que todos os objetivos que a empresa deseja alcançar sejam claramente estabelecidos. Da mesma forma, o método para atingir esses objetivos deve aparecer.

Esses planos devem ser tão concretos quanto possível e permanecer consistentes com a natureza da organização e com seu objetivo final. Se o planejamento for bom, as atividades comerciais serão desenvolvidas de maneira harmoniosa.

Relacionado:  Ato constitutivo de uma empresa (modelo de amostra)

– Organizar: inclui a administração de todos os recursos que a empresa possui. Seu objetivo é disponibilizá-los para serem usados ​​com eficiência e rapidez quando necessário. Esses recursos podem ser humanos e materiais.

– Liderando: para Fayol, a gerência não deve lidar apenas com a organização e coordenação do pessoal da empresa, mas é uma tarefa muito mais complexa.

Entre outros aspectos, a gerência deve levar em consideração aspectos como motivar os funcionários ou abrir um canal de comunicação eficiente e útil para todo o pessoal da empresa.

A pessoa encarregada de dirigir a organização também terá a função de resolver conflitos que possam surgir. Manter um bom ambiente de trabalho é essencial para otimizar a produção.

– Controle: trata-se de garantir que a operação geral esteja se adaptando ao esperado.

Essa etapa significa estar sempre atento ao que está acontecendo dentro da organização e que tudo flui de tal maneira que é possível obter os resultados planejados.

– Prever: esta etapa é essencial para garantir a viabilidade a longo prazo da empresa. O processo administrativo deve ser capaz de ter uma visão do futuro sobre os possíveis cenários para poder se preparar com antecedência.

14 princípios de Henry Fayol

Entre as contribuições de Fayol para a administração de empresas, destacam-se os quatorze princípios que ele desenvolveu neste campo. Esses pontos se tornaram a base de boa parte das teorias administrativas no século XX.

Os princípios formulados por Fayol são uma espécie de guia sobre o que os gerentes de negócios devem considerar sobre os processos administrativos.

1.- Divisão do trabalho

Para Fayol, a organização comercial deve ser dividida em vários departamentos, cada um dedicado a uma tarefa específica. Graças a essa especialização, há uma melhoria na produtividade e um aumento na eficiência.

2.- Autoridade e responsabilidade

Ambos os aspectos devem sempre ser apresentados em perfeita harmonia. Portanto, não precisa haver mais autoridade do que responsabilidade, pois isso leva ao abuso.

3.- Disciplina

A disciplina ocorre quando a empresa é respeitada pelo cumprimento de suas regras e obrigações. Pode ser auto-imposto pelo próprio trabalhador ou imposto pelos supervisores, embora o primeiro caso ofereça resultados muito melhores a médio e longo prazo.

4.- Unidade de controle

Cada trabalhador deve responder apenas a um supervisor específico. Esta unidade de controle evita a desorganização e reduz a eficácia.

5- Unidade de gerenciamento

Outro aspecto importante para evitar a desorganização é que as atividades cujo objetivo é o mesmo são sempre direcionadas pelo mesmo gerente. Isso será responsável pelo planejamento, filtragem e tomada de decisões apropriadas sobre os projetos.

6.- Subordinação do interesse individual ao general

Em qualquer empresa, é essencial que todos remarem na mesma direção e colocarem o bem comum sobre o interesse geral.

7.- Remuneração

A remuneração ou salário é o preço que a empresa paga pelos serviços prestados, principalmente aos trabalhadores. O valor pago deve ser adaptado ao trabalho, à experiência acumulada e à produtividade do trabalhador.

8.- Centralização

A empresa deve ter um órgão de administração com poucos membros. É essencial que os tomadores de decisão não sejam muito numerosos, pois isso geralmente causa problemas e um ritmo mais lento de obtenção de acordos.

9.- Hierarquia

Hierarquia é a escala que cobre todas as responsabilidades dentro de uma empresa, desde o CEO até o último dos funcionários.

10.- Encomenda

A importância de todos os processos de manutenção da ordem será refletida em todos os processos que ocorrem dentro da empresa. Dessa maneira, uma ordem adequada melhora o gerenciamento de recursos e tempo, a disposição dos materiais ou as responsabilidades dos gerentes ou funcionários.

11.- Patrimônio líquido

Todo funcionário, independentemente de sua posição ou nível na empresa, deve ser tratado de maneira justa, justa. Isso significa que seus funcionários demonstram maior lealdade e identificação com a empresa.

Relacionado:  Demonstrações financeiras básicas: para que servem, cálculo, exemplos

12.- Estabilidade do pessoal

Oferecer estabilidade no trabalho aos trabalhadores, bem como um ambiente de trabalho seguro, são fatores que melhoram sua conexão com a empresa. Isso, por sua vez, ajuda a aumentar a produtividade.

13.- Iniciativa

Os gerentes da empresa devem encontrar maneiras de os funcionários demonstrarem interesse e contribuir com suas próprias idéias para melhorar os projetos.

14- Espírito de grupo

O último ponto contribuído por Fayol refere-se à estrutura departamental. Nesse caso, trata-se de departamentos, como funcionários, procurando a melhor maneira de cooperar entre si. O aparecimento de conflitos e divisões deve ser evitado, pois estes causam sofrimento à produtividade da empresa.

Outros p Ortes Fayol

As contribuições de Fayol não se limitaram às suas teorias para o desenvolvimento de sistemas administrativos. O engenheiro francês também dedicou parte de seus esforços para promover a formalização do ensino de administração.

Fayol, entre outras coisas, estabeleceu o Centro de Estudos Administrativos logo após a publicação de seu livro mais famoso, em 1916. Sua intenção era que suas teorias se tornassem populares e alcançassem mais pessoas.

Além do exposto, Fayol defendeu que o governo deveria, em suas próprias palavras, ter como alvo “todas as camadas da população”.

Essas iniciativas permitiram que a administração se estabelecesse como disciplina e se tornasse profissional.

Principais funções em uma empresa industrial

Fayol estabeleceu em seus trabalhos uma série de funções que ele considerava fundamentais em qualquer empresa industrial. Essas funções são as seguintes:

– Comercial: compra e venda de produtos fabricados pela empresa.

– Técnicas: a capacidade específica com a qual qualquer empresa fabrica seus produtos ou oferece seus serviços.

– Contabilidade: aqueles relacionados a custos, saldos, estoques e outros registros contábeis importantes para a operação de uma empresa.

– Segurança: todos relacionados à segurança no setor, tanto para o pessoal quanto para a própria instalação. Para aumentá-lo, a empresa deve tomar precauções para que não ocorram acidentes, roubos, incêndios e outros incidentes semelhantes.

– Financeiro: eles cuidam da gestão econômica necessária para que a empresa seja rentável.

– Administrativo: tudo necessário para que todas as funções acima possam ser executadas com a melhor eficácia. Fayol concentrou seu trabalho nessa função.

Escola de chefes

Os trabalhos de Fayol foram uma continuação, com suas diferenças, daqueles realizados por Frederick Taylor, considerado outro dos pais da administração moderna.

Taylor focou nas fábricas, olhando para as plantas de produção. Fayol, por sua vez, preferiu se concentrar em melhorar a coordenação das diferentes funções administrativas.

Essa nova perspectiva no campo da administração tem sido chamada de “escola de chefes”. De acordo com esse conceito, cada administrador deve dedicar parte de seu trabalho ao planejamento da atividade específica que lhe corresponde na organização comercial.

Os resultados dessa teoria mostraram sua eficácia para as empresas atingirem seus objetivos. A causa desse sucesso é a melhor coordenação dos esforços de todas as áreas e departamentos da empresa.

Igualmente importante foi o aumento da capacidade de definir os perfis profissionais a serem procurados pela administração.

Referências

  1. Ruiza, M., Fernández, T. e Tamaro, E. Biografia de Henry Fayol. Obtido de biografiasyvidas.com
  2. Quiroga, Fabian. Biografia de Henry Fayol. Obtido em tueconomiafacil.com
  3. Luis Luis Cueva; Martín, Alberto; Pérez, Jimmi. Teoria clássica da administração de Henri Fayol. Obtido em gestiopolis.com
  4. ManagementMania. Henri Fayol. Obtido em managementmania.com
  5. Edgell, Roger. Henri Fayol (1841-1925). Obtido de managers-net.com
  6. Van Vliet, Vincent. 14 Princípios de Gerenciamento (Fayol). Obtido de toolshero.com
  7. Janren, Krenn. Teoria da Gestão de Henri Fayol. Obtido em business.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies