Hipotálamo: definição, características e funções

Hipotálamo: definição, características e funções 1

A parte mais característica do cérebro é sua superfície cheia de dobras e rachaduras, mas sob essa camada de células existem muitas outras estruturas cerebrais sem as quais não conseguimos pensar nem nos adaptar ao ambiente. Alguns deles, como o cerebelo, são mais ou menos conhecidos porque, afinal, se destacam e são fáceis de ver, mas outros são muito mais ocultos, como o hipotálamo .

Obviamente, o fato de o hipotálamo ser pequeno e muito mais discreto do que outras partes do cérebro não nos dá uma idéia sobre sua importância. O papel do hipotálamo na nossa sobrevivência é de extrema importância , porque, entre outras coisas, é responsável por coordenar e comunicar dois mundos aparentemente independentes: o dos neurônios e o dos hormônios que navegam no sangue.

O que é o hipotálamo?

O hipotálamo é, juntamente com o tálamo , uma das partes de uma estrutura cerebral chamada diencéfalo , localizada no centro do cérebro dos seres humanos, abaixo do córtex cerebral e acima do tronco cerebral .

Seu nome é uma referência direta ao lugar que ocupa: “hipotálamo” significa literalmente “sob o tálamo”. De fato, se olharmos para o desenho de uma seção sagital do cérebro humano , veremos que o hipotálamo parece ser o monte do tálamo, que é muito mais volumoso .

Funções desta parte do cérebro

O hipotálamo é uma das estruturas cerebrais com um papel mais importante na regulação do humor , temperatura corporal, sono, impulsos sexuais e fome e sede.

Devido à sua relação com a regulação das emoções e estados fisiológicos, considera-se que o hipotálamo faz parte do sistema límbico , o conjunto de partes do cérebro diretamente relacionadas à geração de emoções. Pode-se dizer que o hipotálamo é responsável por iniciar e coordenar boa parte dos processos que nos permitem sobreviver e nos adaptar a situações em mudança.

Além disso, o hipotálamo está localizado próximo ao tronco cerebral, porque intervém nas funções básicas que garantem nossa sobrevivência e, portanto, é realizado involuntariamente, sem que se perceba. Além de atuar como uma ponte entre o cérebro e o sistema endócrino, coordena tudo o que é feito através do sistema nervoso autônomo , ou seja, aquele que envia ordens a partes do corpo para que elas se adaptem a cada situação.

Entre os processos que regulam o hipotálamo estão:

  • Níveis de sono e o ciclo circadiano .
  • Excitação sexual e o comportamento associado a ela .
  • O nível de fome.
  • Pressão sanguínea
  • Tensão muscular
  • Temperatura corporal
  • Os níveis de energia disponíveis.

Um processo vital: homeostase

O hipotálamo está constantemente recebendo informações de todas as partes do corpo e enviando ordens de acordo, porque sua tarefa é não fazer nada do que acontece dentro do corpo quebrar o equilíbrio de como a globalidade do corpo deve funcionar . É por isso que funciona como mediador de diferentes partes do corpo, estejam ou não em contato com o cérebro; Para influenciar as partes mais distantes, permite que os hormônios sejam liberados no sangue que chegam ao seu destino em poucos minutos para desencadear o processo necessário.

Por exemplo, se virmos algo que pode ser potencialmente perigoso, o hipotálamo garantirá que tudo o que acontece no corpo funcione coerentemente com a preparação para reagir rapidamente. Não permitirá que o coração comece a bater rapidamente sem que muitos outros órgãos ajam de acordo: os músculos se contraem, a quantidade de energia disponível no sangue aumenta, etc.

Da mesma forma, se não comemos o hipotálamo por um longo tempo, ele fará com que os neurônios do sistema límbico gerem dinâmicas que fazem a sensação de fome aparecer, ao mesmo tempo em que interferirá na maneira como as gorduras e açúcares disponíveis no corpo são queimados. Tudo isso ao mesmo tempo, para que haja sempre um equilíbrio e a propriedade da homeostase seja mantida, ou seja, a capacidade de manter a estabilidade no funcionamento das coisas.

O hipotálamo e sua conexão com a hipófise

O fato de o hipotálamo intervir na regulação de muitas funções vitais significa que ele deve ser capaz de enviar ordens que atingem partes muito diferentes do corpo. Além disso, alguns dos efeitos que deve produzir devem ser mais ou menos instantâneos, enquanto outros parecem atrasados ​​e permanecem mais ativos.

Como o hipotálamo é capaz de cobrir toda essa gama de responsabilidades? Bem, agindo como uma dobradiça entre o sistema nervoso e o sistema endócrino . Como o hipotálamo é inserido em um local muito bem conectado do cérebro (é muito próximo ao centro), sua conexão com o resto do sistema nervoso é muito fácil, mas também se conecta ao sistema endócrino através de uma pequena estrutura chamada glândula pituitária , ou hipófise.

A hipófise está localizada logo abaixo do hipotálamo e está muito bem conectada a ele, com a qual se dedica a executar as ordens que passa: basicamente, faz com que os hormônios sejam liberados. O hipotálamo cruza os dados do sistema nervoso com aqueles que chegam sobre a quantidade e o tipo de hormônios que circulam no sangue.

Quando detecta um desequilíbrio, faz com que a hipófise secrete certos hormônios que serão introduzidos na corrente sanguínea, ou eles alteram o funcionamento de certos órgãos ou fazem com que outras partes do corpo secretem outros hormônios. Dessa forma, os processos biológicos necessários para melhorar as chances de sobrevivência serão ajustados.

Como o hipotálamo tem efeitos no cérebro e em muitas outras partes do corpo que reagem à presença de hormônios no sangue , seus efeitos são perceptíveis em questão de milissegundos e minutos.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies