Imitar a linguagem: o que é e 6 exemplos

A linguagem de sinais é a capacidade de expressar idéias, pensamentos e sentimentos através de gestos e movimentos do corpo. Ao contrário da linguagem verbal ou escrita, as palavras não são usadas, mas a comunicação não verbal.

Desde tenra idade, paralelo à comunicação verbal, o ser humano se desenvolve ano após ano, dessa maneira de se fazer entender através da imitação. Esse processo é adquirido pela observação de diferentes ações e reações que expressam idéias e necessidades diferentes.

Imitar a linguagem: o que é e 6 exemplos 1

Um bom exemplo para entender o que queremos dizer quando falamos de linguagem imitada é quando você conhece outra pessoa que não fala sua língua, mas precisa comunicar alguma coisa. Talvez inconscientemente, você comece a fazer movimentos e gestos corporais, a fim de se fazer entender.

Você poderia dizer que o mimetismo é outra ferramenta para seres humanos e animais, que é usada para sobreviver.

Também é usado como um meio de expressão em diferentes ramos da arte, como o teatro encarregado da mímica (do grego antigo ῖμος, mimos , “imitador, ator”), que conta uma história através do movimento, sem apelar para a fala. Outro exemplo é a dança. Você também pode ver a comunicação não verbal: 10 maneiras eficazes de aprimorá-la .

6 exemplos bem conhecidos de linguagem de imitação

1- Pantomima

Pantomima é uma forma de representação artística. A pessoa encarregada de realizar a referida representação é uma mímica.Trata-se de contar diferentes histórias, emoções, sentimentos, omitindo a comunicação verbal, colocando o corpo a serviço e substituindo a palavra. Também incluído na imitação dramática.

Usada como recurso para representação dramática desde a Grécia Antiga, essa ferramenta expressiva estava evoluindo de geração em geração, através do Império Romano, amplamente utilizado no teatro Nō ou Noh do drama musical japonês.

Sua era de esplendor máximo ocorreu na Itália do século XVI, com a Commedia dell’Arte, ou seja, Comédia de Arte.

Havia grandes profissionais, artistas que usavam a pantomima como meio de expressão artística, entre os quais: Charles Chaplin (Reino Unido, 1889/1977), ator e diretor britânico; Buster Keaton (EUA, 1895/1966), ator americano e diretor de cinema mudo e Marcel Marceau (França, 1923/2007), mímica e ator francês.

2- Língua gestual

A linguagem gestual ou de sinais é uma linguagem expressiva através do uso de diferentes sinais e gestos percebidos visualmente e através do toque.

Foi Gerónimo Cardano, médico italiano, que no século XVI estabeleceu que pessoas surdas e mudas poderiam se comunicar através de símbolos, associando-as ao objeto ou coisa a que se referia.

Mais tarde, exatamente no ano de 1620, Juan de Pablo Bonet publica o primeiro tratado sobre fonética e terapia da fala, que ajudaria na comunicação entre surdos e mudos.

3- Cinema silencioso

O início do cinema mudo foi em 1888, com o primeiro filme mudo intitulado “The Roundhay Garden Scene”, de Louis Le Prince. Seu auge durou de 1894 a 1929, quando o cinema sonoro assumiu as rédeas da sétima arte.

Nos filmes mudos, não havia sincronização entre imagens e som, principalmente não havia diálogos sonoros. Às vezes você podia ver o acompanhamento de música ao vivo nas imagens do filme.

A maioria dos filmes filmados durante a era do cinema mudo foi filmada em preto e branco. Há registros que mostram que alguns cineastas, como Georges Méliès (1862/1938, França), tinham uma equipe encarregada de pintar os quadros, para colorir os filmes.

Segundo especialistas do assunto, no final dos anos 20, com a invenção do cinema sonoro, houve uma grande crise no cinema, porque a qualidade visual dos filmes mudos durante 1920 foi muito superior à do seu sucessor sonoro. . Foram necessários vários anos para recuperar pessoas dentro das salas de projeção audiovisual.

4- Saudações com as mãos

Outro exemplo de linguagem simulada, pode ser todos ou alguns gestos que usamos diariamente com nossos colegas. De piscar a um aperto de mão.

Existem várias histórias que tentam explicar esse costume: precisamos nos cumprimentar com as mãos. Um deles nos diz que, para fazer isso, vem dos homens das cavernas, que levantaram as mãos para comunicar à outra pessoa que eles não possuíam armas.

Ao longo dos anos, essa forma evoluiu, mudando de acordo com a cultura de cada cidade e ressignificando-se de acordo com sua forma. Existem alguns estudos, como a PNL (programação neurolinguística), que nos informam que, dependendo da maneira como cumprimentamos, estaremos demonstrando posições diferentes. Por exemplo:

  • Palma para baixo: Dominação.
  • Palma reta / paralela: Empatia.
  • Palma para cima: submissão ou timidez.

5- Tentativas de comunicação entre duas pessoas que não falam o mesmo idioma

As situações em que colocamos em movimento toda a nossa bagagem de linguagem imitativa que possuímos, são aquelas em que, por acaso ou falta, cruzamos com outro ser humano que não possui a mesma linguagem que nós.

Seja viajando para outro país ou com um turista em sua terra, essas reuniões acontecem. É quando começamos a fazer todos os tipos de sinais, com o rosto, as mãos, todo o corpo, para nos fazer entender. De todos os exemplos, esse é o que mais esclarece o conceito de linguagem mímica, porque é natural imaginarmos essa situação.

6- Teatro gestual

O teatro do gesto nos faz passar por histórias através de atores treinados para alcançar a excelência no treinamento corporal. Eles são profissionais do gesto, têm corpo e não apenas com a palavra, se expressam, despojam suas emoções ou melhor, a de seus personagens.

Uma das grandes referências do teatro do gesto, reconhecida mundialmente por seus anos de estudos e práticas, foi o mímico francês, ator e professor Jacques Lecoq (1921/1999).

Lecoq, começou como atleta e professor de educação física, dando a esses estudos um grande conhecimento sobre o corpo e sua expressão no espaço. Anos depois, ele começou a se interessar por comédia artística.

O principal fator de treinamento no método Lecoq é a primazia do gesto, do corpo em movimento sobre a ação meramente verbal.

Referências

  1. Imitar Recuperado de es.thefreedictionary.com.
  2. Canto da Psicologia (2011). Imitar a linguagem: como ajuda a entender o outro? Recuperado de rinconpsicologia.com.
  3. Le Corps Poétique (O Corpo em Movimento, o editorial Poetic Body- Alba, Barcelona, ​​maio de 2003 ).
  4. O que é linguagem imitada? Recuperado de: queesela.net.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies