Indigenismo: características, história e antecedentes

O indigenismo refere-se a vários ideologias associados com povos indígenas. Pode-se referir do estudo da cultura dos povos indígenas que viviam nos lugares colonizados pelos europeus, ao movimento político e cultural que busca defender a identidade dos povos indígenas.

Na América Latina, o termo indigenismo é geralmente usado para descrever as maneiras pelas quais as nações coloniais formularam sua visão de inclusão social indígena.

Indigenismo: características, história e antecedentes 1

O movimento indígena é cultural e político. Há um grande número de pessoas identificadas como indígenas que devem dar seu apoio, não apenas ao Estado como tal, mas a uma forma diferente de nação.

Essas nações são freqüentemente oprimidas, punidas, desviadas e às vezes ameaçadas de extinção. Esses aspectos são dados apenas pelo fato de existir simultaneamente com um ou mais estados-nação.

O movimento indigenista tenta fornecer simultaneamente a seus membros vários níveis de certeza moral e empoderamento social.

Antecedentes históricos do indigenismo

Antecedentes

Na maioria das culturas colonizadas, os povos indígenas sempre ocuparam um nível social mais baixo.

Por exemplo, na América Latina, os espanhóis estavam no topo da pirâmide social, seguidos pelos crioulos, depois os mestiços, depois os mulatos, depois os negros e, finalmente, os nativos.

Nas nações colonizadas, era popular exterminar todos os nativos assim que os colonizadores chegavam às novas terras. Os povos indígenas são entendidos como toda a população que existia lá antes da chegada dos colonizadores.

Exemplos desses casos podem ser encontrados amplamente nos Estados Unidos, América Latina, Austrália, Cuba e Ásia. Além disso, exemplos de extermínio indígena na África e no Oriente Médio podem ser encontrados ao longo da história.

De alguma forma, pode-se dizer que o indigenismo procura corrigir esses comportamentos negativos que historicamente abundavam contra sua cultura.

Definição e história

O indigenismo é uma teoria e uma prática que localiza as lutas dos povos indígenas por terra e autonomia no centro de sua missão.

Na maioria das vezes, também inclui inspiração e idéias das lições dos povos indígenas, como valores de comunidade, solidariedade, reciprocidade, justiça social, igualdade e harmonia com a natureza.

Esse termo foi popularizado pelo acadêmico Wards Churchill, um descendente das nações americanas Cherokee e Muskogi. O antropólogo e ativista mexicano Guillermo Bonfil Batalla também usou o indigenismo em seus escritos sobre a América Latina.

Por sua parte, o antropólogo Ronald Niezen usa esse termo para descrever o movimento internacional que aspira a promover e proteger os direitos dos primeiros colonos do mundo.

Esse movimento é um tipo de nacionalismo ético que enfatiza o indigenismo do grupo em relação à sua terra natal.

Isso pode ser adaptado pelo anarquismo pós-colonial ou como em um misticismo nacional nacionalista construído sobre declarações históricas ou pseudo-históricas de continuidade ética.

Essa idéia começou a ganhar força e reconhecimento no México durante a década de 1930, quando muitas pessoas neste país começaram a olhar para as formas tradicionais de organização indígena para encontrar inspiração.

Eles também começaram a levantar as lutas dos povos indígenas no país. Atualmente, no México, o indigenismo é uma força política.

Principais declarações de indigenismo

Inicialmente, seis requisitos fundamentais podem ser identificados dentro do movimento indígena. Estes incluem:

1 – O direito a terras ancestrais, incluindo o controle total da terra e do subsolo; a defesa da terra e a recuperação de terras perdidas.

2 – O reconhecimento da identidade cultural e étnica dos povos indígenas. Todos os povos indígenas e suas organizações reafirmam o direito de ter diferentes culturas, idiomas e instituições. Da mesma forma, o valor de suas práticas tecnológicas, ideológicas e sociais deve ser aumentado.

3-Direitos políticos iguais em relação ao Estado.

4 – O fim da repressão e da violência, particularmente contra os líderes, ativistas e seguidores de organizações políticas indígenas.

5 – O fim dos programas de planejamento familiar que alcançaram a esterilização em massa de homens e mulheres indígenas.

6 – A rejeição do turismo e folclore, que se traduz no fim da comercialização de músicas indígenas, danças e outras formas de arte, bem como outras formas de apropriação cultural. Em vez disso, o respeito pelas verdadeiras expressões culturais indígenas deve ser respeitado.

Indigenismo como ideologia política

Em muitos países latino-americanos, o indigenismo é uma ideologia política que enfatiza a relação entre estados-nação e nações indígenas e minorias indígenas.

Em alguns usos contemporâneos, refere-se à busca de maior inclusão política e social para os habitantes indígenas da América, seja em reformas nacionais ou alianças regionais.

De qualquer forma, esse tipo de indigenismo busca justificar diferenças indígenas, tanto culturais quanto lingüísticas, além de declarar direitos indígenas, encontrar reconhecimento e, em alguns casos, buscar uma compensação pelos erros cometidos pelos estados republicanos e coloniais.

Indígenas mexicanos

O indigenismo no México tem uma grande profundidade histórica. Originalmente, esse termo era um componente da ideologia nacionalista que se tornou uma influência no México após a consolidação da revolução de 1910-20.

O indigenismo também reivindicou alguns aspectos do patrimônio cultural indígena, mas o fez principalmente como uma relíquia do passado.

Nesse caso, dentro da narrativa nacional da nação mexicana como produto da mistura européia e ameríndia, o indigenismo tornou-se expressão de nostalgia por uma figura imaginada de indigeneidade.

Indígenas peruanos

No Peru, o indigenismo está associado ao movimento APRA. Esse movimento dominou a política peruana por décadas; Foi a maior festa que não estava focada em um indivíduo.

O aprisma, como foi o caso, foi sobre a nacionalização de empresas estrangeiras e procurou eliminar a exploração dos povos indígenas.

Além disso, eu também queria combinar economia e tecnologia modernas com as tradições históricas das populações indígenas.

Dessa maneira, seria criado um novo modelo único de desenvolvimento social e econômico.

Referências

  1. Indigenismo Recuperado de wikipedia.org
  2. Indigenismo (2011). Recuperado do site www.umb.edu
  3. O que é indigenismo? Recuperado de bermudaradical.wordpress.com
  4. Indigenismo Recuperado de wikipedia.org
  5. As origens do indigenismo: direitos humanos e a política da identidade (2003). Recuperado de jstor.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies