Insônia: causas, tipos, sintomas, tratamento

A insônia é um distúrbio do sono caracterizado pela dificuldade em iniciar o sono, acordar frequentemente ou muito cedo e não conseguir voltar a dormir, ou dormir um número de horas, mas ainda se sentir cansado.

Portanto, a insônia geralmente se refere a problemas para dormir, não apenas à dificuldade de adormecer.Na verdade, é impossível não dormir – exceto em algumas patologias – e após cerca de 40 horas sem fazê-lo, ocorrem os chamados microsueños, que duram vários segundos.

Insônia: causas, tipos, sintomas, tratamento 1

Tipos de insônia

Insônia primária

A dificuldade para dormir não se refere a outros problemas médicos ou psiquiátricos. No entanto, a insônia pode causar distúrbios como ansiedade; não dormir causa ansiedade, a ansiedade interrompe ainda mais o sono, o que aumenta ainda mais a ansiedade.

Insônia secundária

A pessoa tem problemas de sono devido a outras coisas, como doenças (depressão, asma, artrite, câncer, doenças cardíacas), dor, medicamentos ou substâncias (álcool, drogas).

Sintomas

Os sintomas da insônia podem ser:

  • Dificuldades em adormecer
  • Acordando à noite.
  • Acordando muito cedo.
  • Não se sentir bem descansado, mesmo que tenha adormecido à noite.
  • Cansaço durante o dia.
  • Eu sonho durante o dia.
  • Irritabilidade, depressão ou ansiedade.
  • Dificuldade em prestar atenção, concentrar-se ou lembrar-se das coisas.
  • Mais erros ou acidentes.
  • Tensão e dores de cabeça.
  • Dor de estômago.
  • Preocupa-se em dormir.

Diagnóstico

Critérios de diagnóstico para insônia primária (DSM-IV)

A) O sintoma predominante é a dificuldade em iniciar ou manter o sono, ou não ter um sono reparador, por pelo menos 1 mês.

B) A alteração do sono (ou fadiga diurna associada) causa desconforto clinicamente significativo ou áreas sociais, ocupacionais ou outras áreas importantes de atividade do indivíduo.

C) O distúrbio do sono não aparece exclusivamente no curso da narcolepsia, distúrbio do sono relacionado à respiração, distúrbio do ritmo circadiano ou uma parassonia.

D) A alteração não aparece exclusivamente no curso de outro transtorno mental.

E) A alteração não se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou doença médica.

Causas

As causas comuns de insônia podem ser:

  • Estresse : preocupações com trabalho, saúde, escola ou família que podem manter a mente ativa à noite.
  • Ansiedade : ansiedade diária ou distúrbios graves de ansiedade, como estresse pós-traumático, podem interromper o sono. Preocupar-se em poder ou não dormir pode piorar o problema.
  • Depressão : Você pode dormir demais ou ter problemas para dormir se estiver deprimido.
  • Outras condições médicas : existem condições médicas que podem piorar a insônia, como dor, falta de ar, micção frequente, artrite, câncer, hipertireoidismo, Parkinson, Alzheimer …
  • Mudanças no ambiente ou no horário escolar : viajar ou trabalhar até tarde pode perturbar os ritmos circadianos, dificultando o sono.
  • Maus hábitos de sono : maus hábitos de sono incluem horários irregulares, atividades estimulantes antes de dormir, um ambiente desconfortável, usar a cama para atividades que não sejam sexo ou dormir.
  • Medicamentos : muitos medicamentos prescritos podem interferir no sono, incluindo alguns antidepressivos, medicamentos para hipertensão, estimulantes, corticosteróides …
  • Cafeína, nicotina e álcool : café, chá e bebidas que contêm cafeína são estimulantes e podem interferir no sono se tomados à tarde. A nicotina é outro estimulante que pode produzir insônia. O álcool é um sedativo, embora possa impedir a realização de estágios profundos do sono e, frequentemente, causa perturbações do sono à noite.
  • Comer demais no jantar : comer demais no jantar pode causar desconforto físico na hora de dormir, dificultando o sono.
Relacionado:  Síndrome de Wendy: sintomas, causas, consequências

Por outro lado, a insônia se torna mais comum com a idade. Ao passar dos anos, você pode experimentar:

  • Alterações nos padrões de sono : o sono geralmente se torna menos restaurador com a idade e os sons do ambiente facilitam o despertar. Com a idade, o relógio interno geralmente avança, o que equivale a ficar cansado no início da tarde e acordar mais cedo. No entanto, as pessoas mais velhas geralmente precisam das mesmas horas de sono.
  • Mudança de atividade : com a idade, a atividade física ou social pode diminuir. Essa falta de atividade pode interferir com uma boa noite de sono. Por outro lado, ser menos ativo pode levar a mais cochilos, o que pode interferir no sono noturno.
  • Mudança na saúde : dor crônica, artrite, estresse, ansiedade ou depressão podem interferir no sono. A hiperplasia prostática benigna nos homens causa a necessidade de urinar com frequência, interrompendo o sono. Ondas de calor da menopausa também podem ser as mesmas.
  • Outros distúrbios do sono: a apneia do sono ou a síndrome das pernas inquietas tornam-se mais frequentes com a idade.
  • Mais medicamentos: os idosos tendem a tomar mais medicamentos, o que aumenta a probabilidade de insônia medicamentosa.

Tratamentos

Terapias comportamentais

As terapias comportamentais educam sobre novos comportamentos, hábitos e maneiras que melhoram a qualidade do sono.Essas terapias são recomendadas como primeira linha de tratamento e geralmente são tão eficazes ou mais que a medicação.

Terapia Cognitivo-Comportamental

A terapia cognitiva-comportamental (TCC) centra-se na quebra do ciclo de amnésia.A má qualidade do sono leva ao estresse e à ansiedade, o que torna o sono ainda pior e isso causa mais estresse e mais ansiedade.

Para tentar resolver o problema, a pessoa afetada pode adotar maus hábitos, como tomar pílulas para dormir, álcool ou tirar longos cochilos para recuperar o sono. Isso torna tudo pior.

Além de melhorar os hábitos, a TCC visa mudar pensamentos e sentimentos sobre o sono que podem causar estresse e contribuir para a insônia.A TCC não apresenta resultados imediatos, requer paciência e persistência, embora seja um tratamento mais seguro e eficaz que a medicação.

A princípio, a situação pode piorar se o terapeuta propor terapia de restrição do sono. Nisso, o tempo gasto na cama é limitado e, à medida que a eficiência do sono aumenta, você começa a dormir mais cedo e acorda mais tarde, até que as horas ideais sejam alcançadas.

Técnicas de relaxamento

Os relaxamento muscular progressivo , biofeedback e exercícios de respiração pode reduzir a ansiedade na hora de dormir.Essas técnicas ajudam a controlar a respiração, os batimentos cardíacos, a tensão muscular e o humor.

Neste artigo, você tem várias técnicas detalhadas de relaxamento.

Controle de Estímulos

Trata-se de controlar o tempo gasto acordado na cama e associar a cama e o quarto ao sono e ao sexo.

Restrição do sono

Esse tratamento diminui o tempo gasto na camada, causando uma privação parcial do sono, o que faz com que a pessoa se sinta mais cansada na noite seguinte. Quando o sono melhora, a hora de dormir aumenta gradualmente.

Intenção paradoxal

O objetivo é reduzir as preocupações e a ansiedade de conseguir adormecer.Trata-se de tentar ficar acordado – intenção paradoxal – em vez de se preocupar com a capacidade de dormir.

Relacionado:  Fuga dissociativa: sintomas, causas, tratamentos

Terapia de luz

Se a pessoa afetada adormecer cedo demais e acordar cedo demais, poderá usar a terapia de luz para atrasar o relógio interno.

-Medicação

Medicamentos prescritos como zolpidem, eszopiclona, ​​zaleplon ou ramelteon podem ajudar a adormecer.Não é recomendável tomar pílulas para dormir por mais de algumas semanas, embora alguns medicamentos sejam aprovados para uso a longo prazo.

Segundo a Associação Americana de Aposentados, os seguintes medicamentos podem causar insônia:

  • Corticosteróides : são utilizados em pacientes com reações alérgicas, gota, lúpus, artrite reumatóide e inflamação muscular. Exemplos são: prednisona, triamcinolona, ​​metilprednisolona e cortisona.
  • Estatinas : medicamentos usados ​​para tratar níveis elevados de colesterol. Eles podem ser sinvastatina, rosuvastatina, lovastatina e atorvastatina.
  • Bloqueadores alfa : usados ​​no tratamento da hipertensão e hiperplasia prostática benigna. Exemplos são terazosina, silodosina, alfuzosina, prazosina, doxosina e tamsulosina.
  • Inibidores seletivos da recaptação de serotonina : eles são usados ​​para depressão. Exemplos são fluxetina, paroxetina, escitalopram, sertralina e fluvoxamina.
  • Inibidores da colinesterase : usados ​​para tratar a perda de memória e outros sintomas em pacientes com demência. Exemplos são rivastigmina, donezepil e galantamina.
  • Glucosamina / sulfato de condroitina : suplementos alimentares usados ​​para diminuir os sintomas de dor nas articulações e reduzir a inflamação.

-Medicina alternativa

Muitas pessoas não visitam um profissional e conseguem superar a insônia sozinhas.Embora em alguns casos não exista pesquisa sobre segurança e eficácia, existem opções como:

  • Melatonina : o corpo produz naturalmente melotonina, liberando-a na corrente sanguínea. A liberação aumenta durante o anoitecer e diminui durante a manhã. As pessoas mais velhas parecem ter maiores benefícios com a melatonina, embora não haja evidências que provem sua eficácia. Geralmente é considerado seguro por algumas semanas, mas sua segurança a longo prazo é desconhecida.
  • Valeriana : é um suplemento que é vendido como uma ajuda para dormir melhor. Tem um efeito sedativo moderado, embora não tenha sido bem estudado. É aconselhável consultar o seu médico antes de tomá-lo.
  • Acupuntura : envolve a colocação de pequenas agulhas em pontos específicos do seu corpo. Há evidências de que essa prática pode beneficiar algumas pessoas com insônia, embora sejam necessárias mais pesquisas.
  • Yoga : alguns estudos sugerem que a prática regular de yoga pode melhorar a qualidade do sono.
  • Meditação : alguns estudos sugerem que a meditação juntamente com o tratamento convencional pode melhorar a qualidade do sono. Além disso, possui benefícios como redução do estresse ou pressão arterial.

-Estilo de vida e hábitos

Muitas vezes, a melhor solução para a insônia é alterar as rotinas que você tem durante o dia e antes de dormir.Bons hábitos de sono promovem uma boa qualidade de sono, energia e alerta durante o dia.

As dicas básicas são:

  • Verifique os medicamentos : se você tomar medicamentos, verifique regularmente com seu médico quais podem estar afetando seu sono.
  • Exercite-se e mantenha-se ativo : o exercício físico promove a qualidade do sono. Faça 30 minutos de exercício físico diariamente pelo menos 4 ou 5 horas antes de dormir.
  • Evite ou limite o cochilo : o cochilo pode dificultar o sono à noite. Se você precisar, tente não passar mais de 30 minutos na soneca e o mais tardar às 15:00.
  • Evite ou limite a cafeína, o álcool e a nicotina : café, chá e bebidas que contêm cafeína são estimulantes e podem interferir no sono se tomados à tarde. A nicotina é outro estimulante que pode produzir insônia. O álcool é um sedativo, embora possa impedir a realização de estágios profundos do sono e, frequentemente, causa perturbações do sono à noite.
  • Defina uma programação : mantenha as horas em que acordar e fique acordado, inclusive nos finais de semana.
Relacionado:  Potomania: sintomas, causas, consequências e tratamentos

Antes de dormir:

  • Evite refeições e bebidas longas antes de dormir : evite comer muito antes de dormir para reduzir a probabilidade de refluxo gastroesofágico e melhorar a qualidade do sono.
  • Use a cama ou o quarto apenas para dormir ou fazer sexo : evite ler, trabalhar ou comer na cama. Assista também à TV, use seu smartphone ou laptop, jogue videogame ou qualquer tipo de tela.
  • Torne seu quarto confortável para dormir : feche-o e mantenha-o quieto. Faça a temperatura agradável, geralmente mais fria do que durante o dia, e que esteja escura.
  • Desativar relógios : defina seu alarme para ativar, mas desligue os outros relógios, incluindo o smartphone, para não se preocupar com a hora.
  • Relaxe : você pode relaxar antes de dormir com técnicas de relaxamento, música relaxante, massagens ou banhos.
  • Saia da cama se não dormir : durma o que precisa para descansar e depois saia da cama. Se você não conseguir dormir, levante-se da cama por 20 minutos, faça algo relaxante e tente dormir novamente.
  • Não tente dormir demais : quanto mais você tentar adormecer, mais acordado estará. Faça algo em outro quarto até ficar com sono e tente dormir novamente.

Quando procurar ajuda profissional?

Se você tentou os tratamentos descritos acima e ainda tem problemas com o sono, um especialista pode ajudá-lo.

Procure ajuda profissional se:

  • Sua insônia não responde às suas estratégias.
  • Sua insônia causa mais problemas em casa, trabalho ou escola.
  • Você sente sintomas como dor no peito ou dificuldade em respirar.
  • A insônia ocorre todas as noites e está piorando.

Fatores de risco

O risco de insônia é maior se:

  • Ser mulher : é mais provável que as mulheres experimentem insônia. As alterações hormonais do ciclo menstrual e da menopausa desempenham um papel.
  • Ter mais de 60 anos : devido a alterações nos padrões de sono.
  • Tendo um distúrbio mental : distúrbios como depressão, transtorno bipolar, ansiedade ou transtorno de estresse pós-traumático podem interromper o sono. Acordar de manhã cedo é um sintoma clássico de depressão.
  • Estresse : ter eventos estressantes pode causar insônia. Exemplos são mortes familiares, cônjuges, perda de emprego …
  • Alterar horários ou trabalhar à noite .
  • Percorrer longas distâncias (jet lag).

Complicações

Dormir é tão importante para a saúde quanto ter uma dieta e exercícios adequados.Qualquer que seja a causa, pode ter consequências negativas em todas as áreas da vida e na saúde mental e física.

As complicações podem ser:

  • Menor produtividade no trabalho ou na escola.
  • Menor tempo de reação ao dirigir.
  • Problemas psiquiátricos como ansiedade ou depressão.
  • Irritabilidade
  • Maior chance de contrair doenças ou condições como hipertensão, diabetes ou doenças cardíacas.
  • Abuso de substâncias
  • Excesso de peso ou obsessivo.

E que experiências você tem com insônia?

Deixe um comentário