José Sarukhán Kermez: biografia, contribuições, prêmios

José Sarukhán Kermez (1940) é um biólogo, pesquisador e acadêmico mexicano que dedicou sua vida a defender a biodiversidade do planeta. Seu trabalho científico concentrou-se na ecologia da população de plantas, na conservação do ecossistema e no desenvolvimento sustentável da população.

Ele ganhou prêmios e reconhecimentos internacionais devido ao seu intenso trabalho com mais de 40 anos de experiência; Além de professor universitário e escritor de livros dedicados à questão ecológica.

José Sarukhán Kermez: biografia, contribuições, prêmios 1

José Sarukhán kermez
Fonte: Governo do México, Via gob.mx

Biografia

José Aristeo Sarukhán Kermez nasceu em 15 de julho de 1940 na Cidade do México. Seus pais eram imigrantes Harutiun Sarukhanian e Ángela Kermez da Turquia e Armênia que chegaram ao México nos anos 20 do século XX.

Sarukhán era um jovem amante da leitura e muito próximo da natureza devido aos seus sete anos de experiência como criança exploradora.

Em suas entrevistas, ele comenta que optou por estudar Biologia porque foi a carreira que mais jovem se aproximou da Neurobiologia, um campo que ainda atrai sua atenção.

Sarukhan e sua irmã eram adolescentes quando o pai morreu, deixando a família em difíceis condições econômicas.Apesar disso, sua mãe sempre o encorajava a continuar seus estudos e avançar em seus projetos de vida, independentemente das circunstâncias adversas que surgissem.

Educação

Ele estudou Biologia na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), dedicando sua tese ao fenômeno ecológico de sucessão nas selvas de Tuxtepec, Estado de Oaxaca.

Em 1968, concluiu o Mestrado em Botânica Agrícola no Chapingo Graduate College, com uma tese voltada para a análise de florestas úmidas.

Em 1972, ele obteve um doutorado em Ecologia pela Universidade de Gales, Grã-Bretanha, onde se formou com sua pesquisa no estudo de populações de plantas.

Vida profissional

Desde o início de sua carreira, Sharukhán Kermez tornou-se um profissional dedicado a assumir a liderança da maioria das organizações ligadas ao seu campo de pesquisa e desenvolvimento acadêmico.

Em 1972, ele atuou como presidente da Sociedade Botânica do México.

Em 1979, foi eleito diretor do Instituto de Biologia da UNAM, cargo que ocupou até 1985. Durante seu mandato, criou o Departamento de Ecologia que acabaria se tornando o atual Instituto de Ecologia.

Em 1986, ele deixou esse cargo depois de ser chamado para a Coordenação da Academia de Pesquisa Científica, hoje a Academia Mexicana de Ciências, onde permaneceu até 1988.

Durante seu mandato nesta organização, ele participou ativamente da criação do Sistema Nacional de Pesquisadores.

Em 1987, foi eleito membro do El Colegio Nacional, uma organização que reúne os mais destacados cientistas, escritores e artistas do México. Sua conferência inaugural correspondente, intitulada As dimensões biológicas: tempo ecológico e evolutivo.

Desafios profissionais

Ele foi eleito reitor da UNAM por dois períodos consecutivos entre 1989 e 1996, uma responsabilidade que o próprio Sarukhán qualifica como uma honra e um privilégio.

Em 1992, atuou como Coordenador Nacional da Comissão para o Conhecimento e Uso da Biodiversidade, que nasceu por decreto presidencial como proposta do México na Cúpula da Terra do Rio em 1992.

Este projeto tornou-se, com o tempo, um dos organismos ecológicos mais importantes do mundo.

Em 2000, ele obteve o cargo de Comissário para o Desenvolvimento Social e Humano no gabinete presidencial, onde permaneceu até 2002.

Em 2014, foi eleito presidente do Conselho Nacional de Participação Social na Educação.

Paralelamente à sua atividade em favor do meio ambiente, Sarukhán desenvolveu um intenso trabalho como acadêmico e professor da Universidade Nacional Autônoma do México, da Universidade Metropolitana Autônoma, da Organização de Estudos Tropicais da Costa Rica, em outras instituições de destaque.

Livros

Sarukhán publicou mais de 190 artigos científicos, além de livros, com o objetivo de ampliar seus conhecimentos ecológicos e pedir consciência aos líderes mundiais e à população em geral.

Entre seus textos publicados estão:

– Árvores tropicais do México (1972) publicado em coautoria com Terence Pennington.

– Weed Manual of Valle México (1997), em co-autoria com Francisco Espinoza.

– Musas de Darwin (2013)

– A mudança climática. Causas, efeitos e soluções (2016), em coautoria com Mario Molina e Julia Carabias.

Prêmios e reconhecimentos

Seu trabalho no estudo e defesa do meio ambiente lhe rendeu prêmios e reconhecimento em todo o mundo. Aqui estão alguns deles:

– 1979. Prêmio Nacional de Florestas do México.

– 1984. Medalha de Mérito Botânico, concedida pela Sociedade Botânica do México

– 1988. Medalha Alfonso L. Herrera em Ecologia e Conservação.

– 1985. Prêmio da Academia de Pesquisa Científica.

– 1990. Prêmio Nacional de Ciências e Artes na área de Ciências Físicas-Matemáticas e Naturais.

– 2006. Nomeado Pesquisador Emérito pela Universidade Nacional Autônoma do México.

– 2007. Prêmio Semina Motum.

– 2008. John C. Phillips Medal, concedido pela União Internacional para a Conservação da Natureza e Recursos Naturais.

– 2009. Prêmio da Melhor Conferência do Ano pela Universidade de Chiba, Japão.

– 2011. Medalha Eduardo Neri de Mérito Cívico, concedida pela Câmara dos Deputados do México, por suas contribuições científicas à nação.

– 2011. Decoração da Ordem Orange Nassau, entregue pela rainha Beatrice da Holanda.

– 2012. Nomeado Membro Titular da Academia Mexicana de Ciências.

– 2012. Prêmio Nacional Malinalli, concedido pela Universidade Juárez Autónoma de Tabasco.

– 2014. Nomeado Acadêmico Honorário pela Academia Mexicana de Idiomas.

– 2014. Medalha de Mérito da Fundação UNAM.

– 2016. Prêmio NatureServe Conservation, “por sua experiência em biologia e ecologia de plantas, aulas particulares e dedicação extraordinária ao serviço público”

– 2016. Prêmio Champions of the Earth, concedido pela Organização das Nações Unidas.

– 2017. Prêmio Tyler pelo Uso do Meio Ambiente.

Doutorado honorário pela Universidade de Colima e Universidade La Salle do México.

Doutorado Honorário concedido por: Prefeito da Universidade Nacional San Marcos de Lima, Peru; Universidade de Gales da Grã-Bretanha, Universidade de Nova York e Universidade Autônoma de Hidalgo, entre outras casas de estudos.

– Vice-Presidente de Honra da Associação dos Mares do México.

– Coordenador Honorário da Comissão Nacional para o Conhecimento e Uso da Biodiversidade.

– Presidente Honorário do Instituto Cultural Anglo-Mexicano.

Atualmente, ele é membro de associações locais e internacionais, incluindo a Academia de Ciências Européias, a Academia de Ciências do Terceiro Mundo, a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos e a Royal Society de Londres, entre outras organizações científico-acadêmicas.

Vida pessoal

Em 1962, casou-se com Adelaida Casamitjana Vives, a quem conheceu durante seus estudos de biologia na UNAM. Ela é mãe de seus dois filhos: Adelaida e Arturo, que vieram servir como embaixadora do México nos Estados Unidos.

Para o resgate da biodiversidade

Em seus discursos, Sarukhán insiste que a deterioração da biodiversidade é tão severa quanto a mudança climática, devido à perda excessiva de espécies vegetais e animais.

Ele afirma que essa situação foi causada principalmente pelo crescimento da população humana que triplicou desde 1950, além do gasto excessivo de recursos.

Ele explica que, devido ao estilo de vida atual, uma pessoa nascida nos Estados Unidos consome 16 vezes mais energia, água ou comida hoje do que alguém nascido no mesmo país em 1900.

Para Sarukhán, a estratégia de resgate da biodiversidade deve ter como objetivo criar e disseminar uma cultura ambiental, além de uma rápida intervenção do governo que seja consistente com o problema.

Referências

  1. Instituto de Ecologia da Universidade Nacional Autônoma do México. (2016). Dr. José Aristeo Sarukhán Kermez. Retirado de web.ecologia.unam.mx
  2. Yureli Cacho. (2015). José Sarukhán, primeiro doutor em ecologia no México. Retirado de Cienciasmx.com
  3. Boletim UNAM-DGCS-833. (2016). José Sarukhán ganhou o maior prêmio das Nações Unidas em questões de meio ambiente. Retirado de dgsc.unam.mx
  4. Gerardo Villafranco. José Sarukhán, o mexicano que ganhou o ‘Prêmio Nobel do Meio Ambiente’. Retirado de forbes.com. mx
  5. Conselho Consultivo Científico. (2019). José Sarukhán Kermez. Retirado de cciencias.mx
  6. Editores The National College. (2019). Deputados Retirado de conal.mx
  7. Editores do século XXI. (2005). Educação e Desigualdade. Uma política educacional para a coesão social. José Sarukhán Kermez. Retirado de book.google.co.ve

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies