Juba do leão: características, propriedades, cultivo

A juba do leão é uma planta ornamental conhecida por suas folhas longas e finas que se assemelham à juba de um leão. Originária da África do Sul, a juba do leão é uma planta de fácil cultivo e baixa manutenção, sendo uma ótima opção para quem deseja adicionar um toque exótico ao jardim ou à decoração da casa. Além de sua beleza estética, a juba do leão também possui propriedades medicinais e é utilizada na medicina tradicional para tratar diversos problemas de saúde. Neste artigo, exploraremos mais sobre as características, propriedades e cultivo da juba do leão.

Guia prático para o cultivo do Juba de Leão: dicas e cuidados essenciais.

O Juba de Leão, também conhecido como Rhipsalis cereuscula, é uma planta suculenta que se destaca por suas longas hastes pendentes e flores brancas delicadas. Originária do Brasil, essa planta é uma excelente opção para quem deseja adicionar um toque exótico e elegante à decoração de sua casa ou jardim.

Para cultivar o Juba de Leão com sucesso, é importante seguir algumas dicas e cuidados essenciais. Primeiramente, certifique-se de que a planta receba luz indireta abundante, mas evite a exposição direta ao sol forte, que pode queimar suas folhas sensíveis. Além disso, regue a planta regularmente, mas evite encharcar o solo, pois o acúmulo de água pode levar ao apodrecimento das raízes.

Outro aspecto importante a ter em mente é a temperatura ideal para o cultivo do Juba de Leão. Essa planta prefere ambientes com temperaturas entre 15°C e 25°C, portanto, evite expô-la a temperaturas extremas que possam prejudicar seu desenvolvimento.

Em relação ao solo, opte por um substrato rico em matéria orgânica e bem drenado, o que ajudará a manter a umidade adequada para a planta. Além disso, fertilize o Juba de Leão a cada 3 meses com um adubo balanceado para estimular seu crescimento e floração.

Por fim, lembre-se de podar a planta regularmente para estimular o crescimento de novos brotos e mantê-la com um aspecto saudável e vigoroso. Com os cuidados adequados, o Juba de Leão pode se tornar uma peça-chave na decoração de seu espaço, adicionando charme e elegância ao ambiente.

Quais vantagens a juba de leão pode trazer para a saúde capilar?

A juba de leão, também conhecida como Hericium erinaceus, é um tipo de cogumelo com propriedades incríveis para a saúde capilar. Este cogumelo possui diversas vantagens que podem beneficiar a saúde dos cabelos.

Uma das principais vantagens da juba de leão para a saúde capilar é a sua capacidade de estimular o crescimento dos fios. Isso ocorre devido à presença de nutrientes essenciais, como vitaminas do complexo B, que são fundamentais para o fortalecimento dos cabelos e para estimular o crescimento saudável dos fios.

Além disso, a juba de leão também é rica em antioxidantes, que ajudam a combater os danos causados pelos radicais livres no couro cabeludo e nos fios. Isso contribui para manter os cabelos saudáveis e brilhantes, prevenindo a queda e a quebra dos fios.

Outra vantagem da juba de leão para a saúde capilar é a sua capacidade de nutrir o couro cabeludo, ajudando a manter a hidratação e a saúde da pele que sustenta os folículos capilares. Isso contribui para prevenir problemas como a caspa e a dermatite seborreica, que podem comprometer a saúde dos cabelos.

Incluir este cogumelo na dieta ou utilizar produtos capilares que contenham extrato de juba de leão pode trazer benefícios significativos para a saúde e a beleza dos cabelos.

Aprenda a cultivar o cogumelo Hericium erinaceus em seu próprio ambiente.

O cogumelo Juba do leão, também conhecido como Hericium erinaceus, é uma espécie única e interessante de cogumelo que tem ganhado popularidade devido às suas características e propriedades nutricionais. Além de ser delicioso, o Juba do leão é conhecido por seus potenciais benefícios para a saúde, como a melhoria da saúde cerebral e do sistema imunológico.

Para cultivar o cogumelo Hericium erinaceus em casa, você precisará de um ambiente adequado e de alguns materiais básicos. Comece adquirindo um kit de cultivo ou sementes de qualidade, que podem ser encontrados em lojas especializadas em jardinagem. Certifique-se de seguir as instruções de cultivo cuidadosamente, pois o Juba do leão requer condições específicas para crescer saudável e saboroso.

Relacionado:  nogueira preta: características, habitat, distribuição, propriedades

Uma vez que você tenha preparado o substrato e as condições ideais de umidade e temperatura, é hora de plantar as sementes ou o kit de cultivo do Hericium erinaceus. Mantenha o ambiente limpo e livre de contaminantes, pois os cogumelos são sensíveis a infecções por fungos e bactérias.

Após algumas semanas, você verá os primeiros sinais de crescimento do cogumelo Juba do leão. Certifique-se de manter a umidade e a ventilação adequadas para garantir um desenvolvimento saudável. Em pouco tempo, você poderá colher e desfrutar dos seus próprios cogumelos frescos em casa.

Com os cuidados adequados e a dedicação necessária, você poderá desfrutar de todos os benefícios deste incrível cogumelo em seu próprio ambiente.

Dicas para aproveitar ao máximo o potencial do Juba de Leão no cabelo.

O Juba de Leão é uma planta conhecida por suas propriedades hidratantes e nutritivas para o cabelo. Se você deseja aproveitar ao máximo o potencial dessa planta em seus fios, aqui vão algumas dicas:

Lave o cabelo com um shampoo suave e sem sulfatos para não retirar os óleos naturais do couro cabeludo. Em seguida, aplique uma máscara de hidratação com Juba de Leão, deixando agir por alguns minutos para melhores resultados.

Após enxaguar a máscara, finalize com um condicionador também enriquecido com extrato de Juba de Leão para selar as cutículas e manter a hidratação por mais tempo.

Para potencializar os efeitos da planta, você também pode usar um óleo capilar com Juba de Leão, aplicando algumas gotas nas pontas dos fios para evitar o ressecamento e dar mais brilho.

Lembre-se de manter uma rotina de cuidados regular com produtos à base de Juba de Leão para obter resultados mais duradouros e saudáveis para o seu cabelo.

Cultivar o hábito de usar produtos naturais como o Juba de Leão pode trazer benefícios não só para a saúde dos seus fios, mas também para o meio ambiente, já que as plantas são uma opção sustentável e amiga da natureza.

Juba do leão: características, propriedades, cultivo

O fungo capilar do leão ( Hericium erinaceus ) é um basidiomiceto (Basidiomycota) da família Hericiaceae, caracterizado por apresentar um corpo formado por uma base de até 25 cm de comprimento (sem estipe) a partir da qual uma série de estruturas em forma de agulhas que compõem o hymenium do fungo.

Segundo alguns taxonomistas, Hericium erinaceus é um complexo de espécies muito difíceis de separar, uma vez que são muito semelhantes em sua morfologia, tanto macroscópicas quanto microscópicas.

Juba do leão: características, propriedades, cultivo 1

Fungo de cabelo de leão, Hericium erinaceus. Retirado e editado de: Esta imagem foi criada pelo usuário Richard Sullivan (enchplant) no Mushroom Observer, uma fonte de imagens micológicas.Você pode entrar em contato com esse usuário aqui.Português | Espanhol français | Italiano македонски | portugues | +/− [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)].

É uma espécie comestível que deve ser ingerida preferencialmente quando jovem, porque então tende a endurecer. É fácil de cultivar, sendo possível de maneira artesanal e industrial, utilizando toras ou serragem esterilizada.

Também possui propriedades medicinais, sendo utilizada pelas técnicas tradicionais para combater uma grande diversidade de doenças, incluindo distúrbios intestinais e doenças degenerativas do sistema nervoso. Mesmo extratos deste fungo são comercializados na forma de medicamentos contra vários tipos de câncer, Parkinson ou Alzheimer.

Caracteristicas

A juba do leão é um fungo séssil, ou seja, carece de estipe. Também não possui chapéu e, em vez disso, possui um hímen muito bem desenvolvido e não ramificado, formado por uma série de estruturas em forma de espinha que têm um comprimento médio de 2-3 cm, mas podem atingir até 6 cm.

Esses espinhos, lisos e muito frágeis, começam diretamente a partir de uma base de forma retangular, que pode atingir até 25 cm de comprimento e que é fixada diretamente no substrato. Inicialmente eles são brancos, depois ficam com a cor creme, para depois adquirir tons marrons em organismos senescentes.

O esporo é branco, enquanto os esporos podem ser arredondados ou elipsoidais, superfície incolor e lisa para adornar com grãos pequenos, com um tamanho variando de 5,5 a 7 μm de comprimento por 4,5 a 5,5 μm largo

Relacionado:  Fauna e Flora da Região Amazônica

Taxonomia

A juba do leão é um fungo Basidiomycota pertencente à classe Agaricomycetes, da família Russulales e Hericiaceae. Está incluído no gênero Hericium , que foi erguido por Persoon em 1794, que selecionou Hericium coralloides como uma espécie-tipo.

Hericium erinaceus foi descrito pelo físico e botânico Pierre Bulliard e é a espécie do gênero que apresenta maior importância comercial. Alguns autores argumentam que esse táxon realmente abrange um complexo de espécies muito semelhantes entre si e difíceis de separar usando apenas caracteres morfológicos.

Para realizar uma identificação adequada, os taxonomistas também devem analisar outros fatores, como a distribuição geográfica, o substrato em que crescem e a análise da biologia molecular. Esta espécie também foi identificada por outros nomes, incluindo Clavaria erinaceus, Dryodon erinaceus e Hydnum erinaceus.

Habitat e distribuição

Hericium erinaceus vive principalmente em florestas de faias e carvalhos, onde cresce em grandes troncos mortos e também diretamente em árvores vivas. Tem uma tendência a crescer em grupos e seu corpo de frutificação é comum nas estações de verão e outono.

É amplamente distribuído no hemisfério norte da América, sendo muito comum nos Estados Unidos, México e Costa Rica. Também cresce em outros países como a Colômbia, mas não no Canadá.

No continente europeu, é abundante na França, Grã-Bretanha, Alemanha, Holanda e Espanha, enquanto no resto dos países sua abundância é rara ou muito rara. Na Ásia, cresce do Cáucaso ao Japão, mas também na Índia e Bornéu. É possível encontrá-lo na Austrália, embora em menor grau.

Conservação

Em alguns países, as populações naturais de Hericium erinaceus permanecem relativamente bem preservadas, no entanto, devido à degradação e perda de seu habitat natural, as populações desse fungo estão em declínio.

Esta espécie está incluída na lista vermelha de espécies ameaçadas de países como França, Alemanha, Bélgica ou Rússia, entre muitos outros. É uma espécie protegida legalmente em países como Croácia, Hungria, Polônia, Sérvia e Reino Unido, onde demonstraram maior consciência de sua conservação.

Nutrição

Hericium erinaceus é uma espécie parasitária opcional que pode crescer em troncos grossos de árvores mortas. Ele tem hábitos saprófitos, alimentando-se da madeira que se decompõe, secretando enzimas digestivas e absorvendo os nutrientes já digeridos.

Quando cresce em árvores vivas, ele se comporta como uma espécie parasitária que se alimenta às custas de seu hospedeiro, que geralmente é um carvalho ou uma faia.

Reprodução

A reprodução e o ciclo de vida de Hericium erinaceus são típicos dos fungos Basidiomycota. O micélio se desenvolve no tronco de árvores mortas (saprobio) ou vivas (parasitas) que se alimentam de madeira. O corpo frutífero emerge do tronco quando o organismo está pronto para se reproduzir.

O fungo é um dicarionte, ou seja, é formado por células com dois núcleos haplóides. Nas agulhas ou dentes do corpo de frutificação, ocorrerá a cariogamia dos dois núcleos haplóides da célula reprodutiva, dando origem a uma célula diplóide que então sofre meiose e forma células ou esporos haplóides não-inlucidos.

Os esporos são liberados e, ao encontrar um substrato adequado, germinam em um micélio primário. Posteriormente, isso será combinado com outro micélio primário sexualmente compatível e produzirá um dicarion secundário de micélio que prosperará em árvores mortas ou vivas e continuará o ciclo.

Propriedades

Hericium erinaceus é um cogumelo comestível, com sabor e textura agradáveis, que alguns se comparam aos do marisco. Além disso, o fungo possui uma série de compostos como B-glucanos, heteroglicanos, heteroxilanos, hericenonas, erinacinas, trietol, arabinol, entre outros, que conferem propriedades medicinais, como:

Saúde mental

Os cientistas demonstraram em ensaios clínicos com animais que extratos de Hericium erinaceus diminuem marcadores de depressão no sangue de ratos, bem como seu comportamento depressivo.

Os médicos também realizaram testes em pequena escala em humanos e o fungo demonstrou sua capacidade de diminuir pelo menos os níveis de ansiedade e irritabilidade em mulheres na menopausa.

Outra propriedade da crina de leão é que ela estimula a produção de uma proteína chamada Fator de Crescimento Nervoso (FCN), necessária para o crescimento neuronal. Além disso, o fungo estimula o desenvolvimento da bainha de mielina, responsável pela transmissão do impulso nervoso.

Relacionado:  Fauna Lambayeque: Recursos Mais Relevantes

Por esse motivo , os pesquisadores acreditam que o Hericium erinaceus pode ajudar no tratamento de pacientes com doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer.

Seu uso também foi promovido em casos de déficit de atenção, demência, comprometimento cognitivo leve, bem como recuperação de acidentes vasculares cerebrais, incluindo convulsões por esses acidentes.

Juba do leão: características, propriedades, cultivo 2

Seção do fungo da juba do leão Hericium erinaceus. Retirado e editado de: 2012-10-02_Hericium_erinaceus_ (Bull.) _ Pers_268395.jpg: Esta imagem foi criada pelo usuário Christine Braaten (wintersbefore) no Mushroom Observer, uma fonte de imagens micológicas. Você pode entrar em contato com esse usuário aqui.Português | Espanhol français | Italiano македонски | portugues | +/− trabalho derivado: Ak ccm [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)].

Anti-inflamatório e antioxidante

Os componentes antioxidantes do Hericium erinaceus ajudam contra a oxidação e contra a inflamação no corpo. Entre esses antioxidantes estão, por exemplo, treitol, arabinitol e ácido palmítico. Os pesquisadores classificam as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias do fungo como moderadas a altas.

O fungo evita inflamações que contribuem para o desenvolvimento de inúmeras patologias, incluindo alterações nos níveis de açúcar no sangue, além de doenças cardíacas, sistema nervoso degenerativo, entre outras.

Sistema imunológico

As propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes do Hericium erinaceus ajudam a fortalecer o sistema imunológico em geral e o gastrointestinal em particular. Eles também ajudam no tratamento de doenças autoimunes.

Sistema digestivo

O fungo capilar do leão ajuda a regenerar o epitélio gastrointestinal, participa do controle da flora bacteriana, favorecendo o desenvolvimento de microrganismos benéficos para o ser humano e inibindo o desenvolvimento de outros potencialmente prejudiciais, como o Helicobacter pylori . Também favorece o desenvolvimento da mucosa gástrica.

Graças a todas essas qualidades, os médicos usam Hericium erinaceus para tratar condições gástricas, incluindo o tratamento de úlceras gástricas e estomacais, gastrite, câncer de estômago e esôfago, entre outros.

Além disso, seu alto teor de fibra alimentar favorece a retenção de água nas fezes e estimula os movimentos peristálticos intestinais, ajudando a aumentar o trânsito intestinal e a corrigir problemas de constipação.

Sistema circulatório

O consumo de Hericium erinaceus ajuda a controlar os níveis de açúcar e colesterol no sangue, impedindo o aparecimento de arteriosclerose, controlando a pressão sanguínea e prevenindo doenças cardíacas.

Cultivo

Hericium erinaceus é cultivado industrialmente e manualmente. O cultivo comercial utiliza troncos de árvores mortas ou serragem esterilizada. Também estão disponíveis no mercado kits de cultura diferentes, que incluem o meio de cultura e esporos e / ou micélio do fungo.

Os produtores de cogumelos consideram essa uma espécie simples para se manter em cultivo e até sugerem que os kits são tão fáceis de usar que até uma criança pode fazê-lo.

Essas culturas devem ser realizadas em locais onde não há incidência direta de luz solar, garantindo que as temperaturas oscilem entre 15 e 20 ° C e mantendo alta umidade, regando pelo menos duas vezes por dia.

Contra-indicações

Alguns autores apontam que o consumo de Hericium erinaceus , ou extratos destes, não representa nenhum risco à saúde, mas alertam que o consumo por mulheres grávidas deve ser evitado, pois até o momento não há evidências de sua inofensividade ao feto ou à a criança

Outros especialistas alertam que o principal risco é o consumo de suplementos de baixa qualidade feitos com Hericium erinaceus , que podem causar doenças como diarréia ou náusea e que raramente o consumo fresco pode ter efeitos colaterais.

Esses efeitos colaterais incluem desconforto gástrico, inflamação tópica da pele e até dispnéia. Em qualquer um desses casos, a sugestão é suspender imediatamente o consumo do fungo ou produtos derivados dele.

Referências

  1. Hericium erinaceus . Na Wikipedia Recuperado de: en.wikipedia.org.
  2. N. Hallenberg, RH Nilsson e G. Robledo (2012). Complexos de espécies em Hericium (Russulales, Agaricomycota) e uma nova espécie – Hericium rajchenbergii – do sul da América do Sul. Progresso Micológico
  3. H.-G. Park, H.-G. Ko, S.-H. Kim & W.-M. Park (2004). Identificação molecular de isolados asiáticos do cogumelo medicinal Hericium erinaceum por análise filogenética do rDNA nuclear ITS. Jornal de Microbiologia e Biotecnologia.
  4. Propriedades do fungo Hericium erinaceus . Retirado de: Bestmelab.com.
  5. Juba do leão: propriedades, usos, benefícios e efeitos colaterais. Retirado de: medicinal plants.info.
  6. M.Liu, H. Cheng e H. Sun. 1999. Pesquisa em valor medicinal de Hericium erinaceus . Fungos comestíveis da China.

Deixe um comentário