Leuconostoc: características, morfologia, doenças

Leuconostoc é um gênero de bactérias gram-positivas, anaeróbias facultativas e pertencentes à família Leuconostocaceae. Elas são encontradas em ambientes diversos, como plantas, solo, água e alimentos fermentados.

Morfologicamente, as bactérias do gênero Leuconostoc são células em forma de bastão ou cocóides, não formam esporos e são imóveis. Elas são catalase-negativas e produzem ácido a partir da glicose.

Apesar de muitas espécies de Leuconostoc serem utilizadas na indústria de alimentos para a produção de fermentados como queijos, iogurtes e embutidos, algumas delas também podem causar infecções em humanos, principalmente em pacientes imunocomprometidos. Estas infecções podem se manifestar como endocardite, bacteremia e infecções do trato urinário, entre outras. Portanto, é importante manter uma boa higiene e cuidados adequados ao lidar com produtos alimentícios fermentados para evitar possíveis infecções por Leuconostoc.

Características morfológicas das bactérias: o que são e como se apresentam visualmente.

As bactérias são organismos unicelulares procariontes, ou seja, não possuem núcleo definido. Elas podem ser encontradas em diversos ambientes, desde o solo até o nosso próprio corpo. Em termos de morfologia, as bactérias podem se apresentar de diversas formas, tamanhos e arranjos.

Uma das bactérias mais conhecidas é o Leuconostoc, que faz parte do grupo das bactérias ácido-láticas. O Leuconostoc apresenta forma de coco, ou seja, são arredondadas, e podem se agrupar em pares, cadeias ou aglomerados. Além disso, possuem uma parede celular composta por peptidoglicano, que confere resistência e forma à célula.

Em relação às doenças, o Leuconostoc não é geralmente associado a infecções em seres humanos, mas pode causar problemas em alimentos como produtos lácteos, onde pode levar à deterioração do produto. Por outro lado, algumas espécies de Leuconostoc são utilizadas na produção de alimentos fermentados, como queijos e iogurtes.

Em resumo, as bactérias, incluindo o Leuconostoc, apresentam uma grande diversidade morfológica, o que reflete suas diferentes funções e interações com o ambiente. É importante entender essas características para melhor compreender a biologia e a importância das bactérias em diversos aspectos de nossas vidas.

Classificação das bactérias baseada em sua forma e estrutura morfológica.

As bactérias podem ser classificadas de acordo com a sua forma e estrutura morfológica, sendo divididas em diferentes grupos. Um exemplo de bactéria é o Leuconostoc, que pertence ao grupo das bactérias Gram-positivas.

O gênero Leuconostoc é caracterizado por sua forma de coco bacilar, com células que se agrupam em cadeias ou pares. Estas bactérias são anaeróbias facultativas e fermentativas, produzindo ácido láctico como principal subproduto do metabolismo.

Em relação às doenças, as bactérias do gênero Leuconostoc não são consideradas patogênicas para os seres humanos, sendo mais comumente encontradas em ambientes naturais, como vegetais e laticínios. No entanto, em alguns casos, podem causar infecções oportunistas em pessoas imunocomprometidas.

Em resumo, as bactérias podem ser classificadas de acordo com sua morfologia e estrutura, como é o caso do gênero Leuconostoc, que apresenta características específicas em relação à sua forma e função. É importante compreender essas diferenças para melhor entender o papel das bactérias no nosso ambiente e na saúde humana.

Tipos de bactérias: morfologia e diferenças entre eles.

As bactérias são microorganismos unicelulares que podem ser encontrados em diversos ambientes. Elas possuem diferentes morfologias, sendo classificadas em diferentes tipos de acordo com sua forma. Alguns dos principais tipos de bactérias quanto à morfologia são as cocos, bacilos e espirilos.

Relacionado:  Percevejos (Cimex lactularius): características, habitat, tipos, reprodução

Os cocos são bactérias esféricas, os bacilos são bactérias em forma de bastão e os espirilos são bactérias em forma de espiral. Cada tipo de bactéria possui características específicas que as diferenciam umas das outras, como a forma, o tamanho e a disposição das células.

Uma das bactérias pertencentes ao gênero Leuconostoc é o Leuconostoc mesenteroides, que é uma bactéria gram-positiva, em forma de cocobacilo e anaeróbia facultativa. Esta bactéria é conhecida por sua capacidade de fermentar açúcares, produzindo ácido láctico, o que a torna importante na indústria de alimentos para a produção de alimentos fermentados, como o kefir e o chucrute.

O Leuconostoc mesenteroides não é conhecido por causar doenças em humanos, mas pode ser responsável por deterioração de alimentos, principalmente em produtos lácteos. Portanto, é importante manter boas práticas de higiene e armazenamento para evitar a contaminação por essa bactéria.

Em resumo, as bactérias podem ser classificadas em diferentes tipos de acordo com sua morfologia, sendo os cocos, bacilos e espirilos os principais. O Leuconostoc mesenteroides é uma bactéria do gênero Leuconostoc, com características específicas como forma de cocobacilo e capacidade de fermentação de açúcares. Embora não seja patogênica para humanos, pode causar deterioração de alimentos, sendo importante na indústria alimentícia.

Classificação morfológica e Gram das bactérias: métodos para identificação e diferenciação.

As bactérias são microrganismos procariontes que podem ser classificados de acordo com sua morfologia e coloração de Gram. A classificação morfológica das bactérias é feita com base em características como forma, arranjo e tamanho das células. Já a coloração de Gram é um método de diferenciação que divide as bactérias em dois grupos, as Gram-positivas e as Gram-negativas, com base na composição da parede celular.

Para identificar e diferenciar as bactérias, são utilizados métodos como a observação microscópica, a realização de testes bioquímicos e a análise genética. A observação microscópica permite visualizar a morfologia das células bacterianas, enquanto os testes bioquímicos ajudam a identificar características metabólicas específicas. Já a análise genética, como a técnica de PCR, permite identificar bactérias com base em seu material genético.

Um exemplo de bactéria que pode ser classificada morfologicamente e pela coloração de Gram é o Leuconostoc. O gênero Leuconostoc é composto por bactérias Gram-positivas, em forma de cocos ou bacilos, que são encontradas no ambiente e em produtos fermentados, como queijos e alimentos em conserva.

Alguns dos principais tipos de Leuconostoc são o Leuconostoc mesenteroides e o Leuconostoc citreum. Essas bactérias são importantes na produção de alimentos fermentados, mas também podem causar infecções em humanos, principalmente em pessoas imunocomprometidas. As infecções por Leuconostoc podem causar sintomas como febre, dor abdominal e diarreia.

Em resumo, a classificação morfológica e Gram das bactérias são métodos importantes para identificar e diferenciar esses microrganismos. O gênero Leuconostoc é um exemplo de bactéria que pode ser classificada por esses métodos e que possui importância tanto na indústria alimentícia quanto na saúde humana.

Leuconostoc: características, morfologia, doenças

Leuconostoc é um gênero de bactérias gram-positivas, localizadas principalmente em plantas e laticínios. É constituído pelo grupo de bactérias que podem realizar a fermentação , obtendo como produto o ácido lático.

O gênero foi descrito pela primeira vez no ano de 1878 pelo micologista francês Philippe Van Thieghem. Atualmente, o gênero abrange cerca de 16 espécies, das quais as mais conhecidas e estudadas são as mesenteroides de Leuconostoc.

Leuconostoc: características, morfologia, doenças 1

Bactérias do gênero Leuconostoc são utilizadas na indústria do vinho. Fonte: Pixabay.com
Relacionado:  Caldo de tioglicolato: justificativa, preparação e usos

Bactérias deste gênero são consideradas não patogênicas para seres humanos, embora infecções associadas a elas tenham sido raramente relatadas.

Essas bactérias são muito úteis em certas indústrias, como o vinho, nas quais a bactéria Leuconostoc oenos é usada para realizar o processo de fermentação . Da mesma forma, são utilizados na indústria de alimentos em queijos, iogurtes, picles e embutidos, entre outros.

Taxonomia

A classificação taxonômica do gênero Leuconostoc é a seguinte:

Domínio: Bactérias

Borda: Firmicutes

Classe: Bacilli

Ordem: Lactobacillales

Família: Leuconostocaceae

Gênero: Leuconostoc

Morfologia

As bactérias do gênero Leuconostoc pertencem ao grupo de cocos, o que significa que têm uma forma esférica, embora às vezes possam assumir uma forma lenticular. Eles têm medidas aproximadas de 0,7-0,5 mícrons por 0,7-1,2 mícrons.

Essas células bacterianas não são revestidas por uma cápsula e não produzem esporos.

A célula bacteriana é cercada por uma parede celular cujo constituinte principal é o peptidoglicano. É um polímero composto por N-acetil-glucosamina e ácido acetilmurânico. Possui grande resistência e confere a forma característica a esta bactéria.

Seu DNA está contido em um único cromossomo circular. Ele contém mais de dois milhões de nucleotídeos. Estes, por sua vez, codificam cerca de 2005 proteínas diferentes. Aproximadamente 39% do DNA é constituído por nucleotídeos de guanina e citosina.

Nas culturas, formam pequenas colônias, que medem menos de 1 mm. Eles são viscosos, lisos, redondos e acinzentados. Eles crescem satisfatoriamente em meios de cultura ricos em sacarose.

Características gerais

Eles são gram-positivos

As bactérias deste gênero são Gram-positivas, o que significa que, quando submetidas ao processo de coloração de Gram, adquire a característica cor violeta.

Isto é devido à presença de pepetidoglicano na parede celular, em cuja estrutura as partículas do corante são retidas.É uma propriedade importante usada para classificar bactérias.

Habitat

O habitat natural dessas bactérias são plantas, produtos lácteos e leite. Existem algumas espécies que são encontradas principalmente em beterraba e cana-de-açúcar, assim como há uma espécie (L. oenos) encontrada no vinho.

Eles são anaeróbios facultativos

Bactérias do gênero Leuconostoc são anaeróbios facultativos. Isso implica que eles podem crescer tanto na presença quanto na ausência de oxigênio. Isso é importante porque significa que eles obtêm energia de outra fonte que não o oxigênio e que não é tóxico para eles.

Metabolismo

Essas bactérias realizam o processo de fermentação, no qual a glicose é fermentada em ácido lático, dióxido de carbono e etanol.

Entre os compostos que essas bactérias precisam desenvolver estão: ácido nicotínico, ácido pantotênico, bem como itiamina e biotina.

Eles são mesófilos

O Leuconostoc são bactérias que crescem optimamente necessárias para estar em uma faixa de temperatura entre 20 e 30 ° C. Acima ou abaixo dessas temperaturas, as proteínas e enzimas que compõem as bactérias são desnaturadas e, portanto, morrem.

É catalase negativo

Como não sintetiza a enzima catalase, não pode dividir o peróxido de hidrogênio em água e oxigênio.

Não reduz nitratos

Bactérias do gênero Leuconostoc não sintetizam a enzima nitrato redutase. Portanto, eles não são capazes de reduzir nitratos a nitritos.

É indole negativo

Quando são submetidos ao teste do indol, obtêm um resultado negativo. Isso implica que a bactéria não é capaz de quebrar o indol do aminoácido triptofano, porque a bactéria não sintetiza as enzimas triptofanase.

Relacionado:  Flora e fauna de Córdoba (Argentina): espécies representativas

É gama hemolítica

Essas bactérias não causam destruição dos glóbulos vermelhos. Quando estão em uma cultura de ágar-sangue, sua aparência permanece intacta, evidenciando a ausência do processo de hemólise.

Resistência a antibióticos

Foi demonstrado experimentalmente que as bactérias pertencentes a esse gênero têm ampla resistência contra o antibiótico Vancomicina. A razão para isso ainda não foi elucidada corretamente. Acredita-se que seja por algum mecanismo cromossômico ainda não totalmente estabelecido.

Da mesma forma, vários estudos descreveram cepas de Leuconostoc que também são resistentes a sulfonamidas, cotrimoxasol, fosfomicina e ácido fusídico.

Doenças

Bactérias do gênero Leuconostoc, em geral, não são conhecidas como patógenos. No entanto, sob certas circunstâncias, pode se tornar um agente causador de alguma infecção.

Essas circunstâncias são referidas exclusivamente a pessoas que têm um sistema imunológico deprimido, como aquelas que são HIV positivas ou têm câncer.

Apesar disso, também foram descritos casos muito isolados de pessoas com bacteremia por Leuconostoc, independentemente de terem um sistema imunológico funcional.

Entre as patologias que podem ser causadas por essas bactérias, a mais encontrada é a endocardite. Da mesma forma, as bactérias do gênero Leuconostoc também foram associadas a infecções como meningite e osteomielite.

Endocardite

É definida como uma inflamação da camada mais interna do coração (endocárdio), bem como as estruturas internas do coração, especialmente as válvulas atriais ventriculares.

Sintomas

Entre os sintomas que podem ser encontrados quando uma pessoa sofre de endocardite, podem ser mencionados os seguintes:

  • Febre alta
  • Sudorese excessiva, principalmente à noite.
  • Dores musculares e articulares
  • Fadiga e fraqueza
  • Aumento da frequência cardíaca

Meningite

É uma inflamação das meninges . Estes são um conjunto de três membranas que cobrem os órgãos do sistema nervoso central . A meningite bacteriana é uma doença muito cuidadosa e, na maioria dos casos, é fatal.

Sintomas

  • Febre alta
  • Dor de cabeça severa
  • Convulsões
  • Sonolência
  • Dificuldade de concentração
  • Sensibilidade à luz
  • Náusea ou vômito
  • Rigidez no pescoço.

Osteomielite

É uma infecção que ocorre ao nível dos ossos. Ocorre quando as bactérias atingem o osso através do sangue ou tecido circundante. Nos adultos, geralmente afeta a coluna, enquanto nas crianças afeta os ossos longos da perna e do braço.

Sintomas

  • Febre alta
  • Mudanças de humor: pode haver letargia e irritabilidade.
  • Dor local
  • Edema, calor e vermelhidão na área afetada.

Tratamento

O tratamento a seguir antes das patologias causadas por agentes bacterianos é sempre o uso de antibióticos. Obviamente, o médico deve realizar os testes relevantes para determinar exatamente quais bactérias estão causando a infecção.

Feito isso, você deve fazer um estudo de suscetibilidade e resistência ao agente bacteriano para estabelecer o melhor antibiótico para o tratamento da patologia. Antibióticos geralmente são administrados por via intravenosa, especialmente quando a infecção apresenta risco de vida.

Referências

  1. Dworkin, M., Falkow, S., Rosenberg, E., Heinz, K. e Stackebrandt, E. Os Procariontes: Um manual sobre as bactérias da biologia.
  2. Goenaga, M., Alberdi, F., Carrera, J., Millet, M. e Garde C. (2003) Bacteremia por Leuconostoc spp. em um paciente com síndrome de pseudoestrução intestinal. Anais de medicina interna. 20 (1).
  3. Goldman, E. e Lorrence, H. Manual prático de microbiologia. Grupo Taylor & Francis
  4. Hemme, D. e Foucaud, C. (2004). Leuconostoc, características, uso em tecnologia de laticínios e perspectivas em alimentos funcionais. Retirado de: agris.fao.org

Deixe um comentário