Linguagem técnica: características e exemplos

A linguagem técnica é um tipo de linguagem específica utilizada em determinadas áreas do conhecimento, como nas ciências, tecnologia, medicina, entre outras. Caracteriza-se por ser precisa, objetiva e formal, com o objetivo de transmitir informações de forma clara e concisa entre profissionais da mesma área. Neste contexto, a linguagem técnica utiliza termos técnicos e especializados, evitando ambiguidades e interpretações equivocadas. Alguns exemplos de linguagem técnica incluem termos como “DNA”, “algoritmo”, “hipótese nula” e “fóton”.

Entendendo a técnica de linguagem: seu papel na comunicação e expressão verbal.

A linguagem técnica desempenha um papel fundamental na comunicação e expressão verbal, sendo essencial em diversas áreas profissionais e acadêmicas. Ela se caracteriza pelo uso de termos específicos, que possuem significados bem definidos dentro de um determinado contexto, facilitando a comunicação entre especialistas e garantindo a precisão nas informações transmitidas.

Quando utilizada corretamente, a linguagem técnica contribui para a clareza e objetividade das mensagens, evitando possíveis interpretações equivocadas. Além disso, ela permite uma comunicação mais eficiente entre profissionais da mesma área, tornando mais fácil a troca de conhecimentos e experiências.

É importante ressaltar que a linguagem técnica não se restringe apenas a termos complexos e específicos, mas também engloba a forma como esses termos são organizados e articulados em um discurso. Por isso, é essencial dominar não apenas o vocabulário técnico, mas também as estruturas e convenções linguísticas próprias de cada área.

Alguns exemplos de áreas que fazem uso constante da linguagem técnica são a medicina, a engenharia, a informática e a química. Nestes campos, termos como “diagnóstico diferencial”, “cálculo estrutural”, “algoritmo” e “reação química” são amplamente utilizados para descrever conceitos e processos específicos.

Em resumo, a linguagem técnica desempenha um papel fundamental na comunicação e expressão verbal, sendo essencial para a transmissão de informações precisas e claras em diferentes contextos. Dominar essa técnica é fundamental para quem deseja se destacar em sua área de atuação e estabelecer uma comunicação eficiente com seus pares.

Significado e uso das terminologias técnicas: compreenda o papel das palavras específicas na comunicação.

A linguagem técnica é caracterizada pelo uso de termos específicos e especializados em determinadas áreas de conhecimento. Essas palavras-chave desempenham um papel fundamental na comunicação entre profissionais, permitindo uma compreensão precisa e eficiente de conceitos complexos.

Quando se trabalha com linguagem técnica, é essencial entender o significado e o uso correto das terminologias específicas. Essas palavras-chave são selecionadas com base em sua precisão e clareza, garantindo que a mensagem seja transmitida de forma adequada e sem ambiguidades.

Por exemplo, na área da informática, termos como algoritmo, programação orientada a objetos e linguagem de programação são essenciais para a comunicação entre desenvolvedores de software. Cada termo possui um significado específico e é utilizado de forma precisa para descrever processos e técnicas relacionadas à programação de computadores.

Da mesma forma, em áreas como medicina, engenharia e direito, palavras-chave específicas são utilizadas para descrever procedimentos, conceitos e regulamentações. O uso correto dessas terminologias técnicas é fundamental para garantir a precisão e a eficácia da comunicação entre profissionais dessas áreas.

Em resumo, o significado e o uso das terminologias técnicas são essenciais para a comunicação eficaz e precisa em diversas áreas de conhecimento. Ao compreender o papel das palavras específicas, é possível garantir que a mensagem seja transmitida de forma clara e sem ambiguidades, facilitando a troca de informações entre profissionais especializados.

Relacionado:  Dámaso Alonso: biografia, estilo e obras

Conhecendo os diferentes tipos de linguagem e suas particularidades.

Quando falamos em linguagem, é importante entender que existem diferentes tipos, cada um com suas particularidades e características específicas. Um desses tipos é a linguagem técnica, que é utilizada em áreas específicas do conhecimento para se comunicar de forma precisa e objetiva.

A linguagem técnica é caracterizada pelo uso de termos especializados e específicos de determinada área de conhecimento, tornando a comunicação mais eficiente entre profissionais da mesma área. Diferentemente da linguagem coloquial, que é mais informal e utilizada no dia a dia, a linguagem técnica requer um conhecimento prévio do vocabulário específico da área em questão.

Um exemplo de linguagem técnica é a utilizada na área da medicina, que possui termos específicos para descrever doenças, procedimentos e medicamentos. Outro exemplo é a linguagem utilizada na área da informática, que possui termos técnicos para descrever hardware, software e programação.

É importante ressaltar que o uso da linguagem técnica pode gerar dificuldades de compreensão para pessoas que não são da área, por isso é essencial adaptar a linguagem de acordo com o público alvo. Porém, para profissionais da área, a linguagem técnica é fundamental para uma comunicação eficaz e precisa.

Portanto, conhecer os diferentes tipos de linguagem, incluindo a linguagem técnica, é essencial para se comunicar de forma adequada em diferentes contextos e situações. A linguagem técnica, com suas características específicas e vocabulário especializado, desempenha um papel fundamental em áreas do conhecimento que requerem precisão e clareza na comunicação.

Diferença entre linguagem técnica e científica: entenda as nuances entre termos específicos e precisos.

A linguagem técnica e científica são formas de comunicação que possuem características específicas e precisas, mas muitas vezes são confundidas. É importante compreender as nuances entre esses termos para utilizá-los de forma correta e eficiente.

A linguagem técnica é utilizada em diversas áreas do conhecimento, como engenharia, informática, medicina, entre outras. Ela é caracterizada por ser específica e direta, utilizando termos técnicos e jargões próprios da área. Além disso, a linguagem técnica é objetiva e concisa, buscando transmitir informações de forma clara e precisa.

Por outro lado, a linguagem científica é utilizada no meio acadêmico e científico para descrever estudos, pesquisas e descobertas. Ela também é precisa e detalhada, mas se diferencia da linguagem técnica por ser mais abrangente e teórica. A linguagem científica busca embasar suas afirmações em evidências e dados empíricos.

Para exemplificar, na área da informática, a linguagem técnica pode incluir termos como algoritmo, programação e código fonte, enquanto na área da medicina, termos como diagnóstico, tratamento e prognóstico são comuns. Já na linguagem científica, termos como hipótese, metodologia e resultados são utilizados para descrever estudos e pesquisas.

Portanto, é essencial compreender as diferenças entre linguagem técnica e científica para utilizar termos específicos e precisos de acordo com o contexto e a finalidade da comunicação. Ambas as formas de linguagem são importantes para transmitir conhecimento e informações de forma clara e eficaz.

Linguagem técnica: características e exemplos

A linguagem técnica é um tipo de meios de comunicação pertencentes a comércios, profissões ou áreas específicas do conhecimento humano. Embora não seja estranho à linguagem da comunidade em geral, seu uso e gerenciamento adequados são conhecidos apenas por aqueles que estão envolvidos em atividades relacionadas a esse conhecimento.

Dentro desta definição, são abrangidas áreas muito variadas e também muito amplas. Isso traz como primeira consequência que o fato de lidar com uma linguagem técnica específica não garante o domínio de outras pessoas. Uma segunda consequência é a necessidade de treinamento específico em cada um desses idiomas.

Linguagem técnica: características e exemplos 1

A linguagem técnica é usada principalmente por profissionais de diferentes setores e áreas do conhecimento

Às vezes, erroneamente, considera-se que a linguagem técnica é a mesma que a linguagem científica . Essa concepção não leva em consideração o fato de existirem atividades como administração, música e finanças, entre outras, que, sem serem estritamente científicas, têm sua linguagem especializada.

Desde o século XVIII, a linguagem técnica mantém um constante desenvolvimento junto com o avanço do conhecimento humano. No início daquele século, palavras como termômetro, telescópio e barômetro apareceram. Desde o século XX, o número de novas palavras apareceu tornou difícil atualizar os dicionários técnicos.

Caracteristicas

Crescimento exponencial

De acordo com o histórico, o desenvolvimento da linguagem técnica tende a aumentar a cada ano. Áreas como eletrônica, computação e eletrônica, entre outras, fornecem quantidades consideráveis ​​de novas expressões a cada ano.

Muitos desses novos termos, inclusive, são incorporados ao idioma comum devido à especificidade do significado.

Objetivo específico

A linguagem técnica ou a linguagem da especialização é uma variedade especializada. Seu objetivo é específico. E serve como um instrumento de comunicação entre especialistas de assuntos muito particulares.

Coerência, coesão e adequação

Primeiro, a coerência consiste em dedicação monoteática. A linguagem técnica se concentra em um tópico específico e todas as idéias servem ao propósito de criar uma idéia global.

Por outro lado, a coesão garante que as várias idéias construídas sejam seqüenciais e conectadas umas às outras. Finalmente, o conteúdo é adequado para leitores especializados.

Caráter inequívoco

A linguagem técnica tem como característica principal sua singularidade. Isso significa que seus termos têm apenas um significado ou significado. Consequentemente, não há possibilidade de interpretação devido a polissemia, sinonímia ou conotação.

O significado das palavras é denotativo (referência estrita ao objeto). A linguagem é objetiva e não há equivalências laterais para fins estéticos ou expressivos. Também não há contextualidade. O termo sempre apresenta o mesmo significado em qualquer contexto em que é usado.

Contextos formais

A linguagem técnica é projetada para ser usada em contextos formais. Suas características favorecem o caráter impessoal e as comunicações não afetivas.

Valores estéticos e expressivos estão subordinados ao objetivo e eficácia. Dessa forma, o uso da linguagem para expressar ordem, clareza e concisão é privilegiado.

As idéias são expressas com menos envolvimento afetivo. Esse recurso distintivo da linguagem técnica limita sua utilidade como linguagem cotidiana. Tampouco é útil para transmitir estados emocionais ou cargas sensoriais.

Priorização da fala escrita

Embora também possa ser usada no discurso oral (aulas, palestras, palestras e outras), a linguagem técnica funciona com mais eficiência no modo escrito.

Nas ocasiões em que é usado oralmente, é gerada a tendência de concluir as idéias com a linguagem de uso comum. Isso limita ou neutraliza sua rigidez semântica.

A versão escrita da linguagem técnica permite o uso de terminologia especializada no sentido que lhe corresponde. Textos legais, cartas comerciais, folhas de especificações técnicas têm seu próprio formato que o distingue.

Relacionado:  Tradição Oral: Características, Tipos

Em todos eles, a terminologia é usada com o menor suporte possível da terminologia cotidiana e permitindo que os termos técnicos se expliquem.

Exemplos

Música

“Uma escala é um grupo de tons (graus de escala) organizados em ordem crescente. Esses tons cobrem uma oitava. As escalas diatônicas são escalas que incluem etapas médias e inteiras. A primeira e a última nota é o tônico. É a nota mais ‘estável’, ou melhor, a mais fácil de encontrar.

Por esse motivo, as melodias diatônicas frequentemente terminam na nota diatônica. As outras notas da escala também têm nomes. A segunda nota é a supertonica. O terceiro é terminado, a meio caminho entre o tônico e o dominante. A quarta nota é a subdominante. A quinta nota é a dominante … ”

Computação e eletrônica

“A indutância é um parâmetro fundamental nos circuitos elétricos e eletrônicos. Como resistência e capacitância, é uma medida elétrica básica que afeta todos os circuitos em algum grau.

A indutância é usada em muitas áreas de sistemas e circuitos elétricos e eletrônicos. Os componentes podem ter várias formas e podem ser chamados por vários nomes: bobinas, indutores, bobinas, transformadores etc.

Cada uma delas também pode ter uma variedade de variantes diferentes: com e sem núcleos e os materiais do núcleo podem ser de tipos diferentes.Compreender a indutância e as diferentes formas e formatos de indutores e transformadores ajuda a entender o que acontece dentro dos circuitos elétricos e eletrônicos. ”

Comércio internacional

“O certificado de origem é um documento emitido por um exportador que confirma e certifica o país de origem de seus produtos. O certificado de origem pode ser um extrato adicionado à fatura comercial que suporta a inclusão do país de origem por item de linha.

Como alternativa, pode ser uma carta ou formulário separado que incorpore uma declaração indicando que o país de origem é o da fatura comercial, certifica que o documento é verdadeiro e correto e, em seguida, assinado pelo funcionário do exportador. ”

Finanças

“Usando dados de vendas detalhados de mais de dois milhões de transações no mercado de varejo online da Índia, onde as promoções de preços são muito comuns, documentamos dois tipos de comportamento estratégico do cliente que não foram considerados em pesquisas anteriores.

Primeiro, os clientes que monitoram os preços dos produtos após a compra podem iniciar retornos oportunistas devido à queda dos preços. Segundo, os clientes que antecipam um retorno futuro podem escolher estrategicamente um método de pagamento que facilite a devolução do produto. ”

Referências

  1. Madrigal López, D. (2002). Comunicação administrativa San José da Costa Rica: Distância editorial da Universidade Estadual da EUNED.
  2. Santamaría Pérez, I. (2007). Gírias e jargões. Alicante: Liceus, Serviços de gestão e comunicação, SL
  3. Castelo de Pereira, I. (s / f). Sobre a linguagem técnico-científica. Suas características e classificação. Retirado de files.sld.cu .
  4. Pérez Gutiérrez, M. (1985). Dicionário de música e músicos. Madri: edições AKAL.
  5. González Gallego, RE (2007). Computador e dicionário eletrônico. Cidade do México: Sistema de treinamento contínuo.
  6. Salinas Coronado, G. (2009). Dicionário de Comércio Internacional, Termos Marítimos, Alfândega. Lima: Lulu Press, Inc.
  7. De Lorenzo, J., De Murga, G. e Ferreiro, M. (1864). Madri: Estabelecimento tipográfico de T. Fortanet.

Deixe um comentário