Lócus de controle: interno, externo, estresse e auto-estima

Lócus de controle: interno, externo, estresse e auto-estima

lugar do controle  é um elemento da psicologia humana que determina em que medida acreditamos ter controle sobre os resultados que obtemos em nossa vida. Dessa maneira, o locus pode variar em um espectro que vai de “interno” (se acharmos que somos responsáveis ​​por absolutamente tudo o que acontece) a “externo” (se atribuirmos nossos resultados a causas externas).

O lócus de controle tem sido associado a um grande número de fenômenos psicológicos diferentes, e as diferenças individuais nessa área têm uma grande influência em nossas vidas. Por exemplo, pessoas com um lócus de controle interno tendem a ter maior motivação, auto-estima e capacidade de resolução de problemas.

A descoberta do local de controle e suas implicações gerou uma grande quantidade de pesquisas, uma vez que acreditar que temos controle sobre nossas próprias vidas é muito útil em muitas áreas. Assim, estudos sobre esse fenômeno têm sido realizados em áreas como psicologia educacional, clínica ou de saúde.

Hoje, o lócus de controle é considerado uma das quatro dimensões das autoavaliações básicas; isto é, um dos principais elementos pelos quais nos julgamos. Esse fenômeno geralmente está relacionado a outros, como satisfação no trabalho, boa auto-estima ou presença de doenças mentais, como depressão ou ansiedade.

Local Interno de controle

O termo “locus interno de controle” refere-se à crença de alguns indivíduos de que o que acontece em suas vidas está sob seu controle ou influência. À primeira vista, isso pode parecer trivial, mas, na realidade, causa uma série de efeitos que quase mudam completamente a experiência de vida da pessoa.

Por exemplo, hoje sabemos que pessoas com um lócus de controle interno tendem a assumir a responsabilidade por suas ações, de modo que, se os resultados que estão alcançando não são o que desejam, geralmente mudam a maneira como agem. Da mesma forma, eles também têm um maior senso de auto-eficácia e são mais confiantes em suas próprias habilidades.

Normalmente, indivíduos com um lócus de controle interno são influenciados em menor grau pelas opiniões de outros e tomam decisões com base em suas próprias crenças e modos de pensar. Isso os faz trabalhar melhor sozinhos e os faz sentir-se mais confiantes quando precisam enfrentar algum tipo de desafio.

Resultados

Por outro lado, uma pessoa com um lócus de controle interno não procurará desculpas para explicar por que não conseguiu alcançar os resultados que deseja, mas estará ciente de quais foram seus erros e tentará corrigi-los. Como conseqüência, esses indivíduos geralmente trabalham mais para atingir seus objetivos e tendem a ir além do resto.

Relacionado:  Memória emocional: características, processo e como funciona

Todas essas características fazem com que pessoas com um lócus de controle fundamentalmente interno alcancem melhores resultados do que outros em muitas áreas diferentes da vida.

Os estudos mostram que eles têm uma saúde física e mental mais forte, geralmente são mais felizes e independentes, e são mais bem-sucedidos em áreas como trabalho, relacionamentos íntimos ou satisfação pessoal.

Lócus de controle externo

Do outro lado do espectro, podemos encontrar pessoas com um locus externo de controle. Sua principal característica é que eles acreditam que o que lhes acontece na vida é causado por fatores externos e que estão além de seu controle, o que lhes traz uma série de consequências muito negativas e limitantes.

Independentemente de o que lhes acontecer ser positivo ou negativo, as pessoas com um lócus de controle externo tenderão a culpar seus resultados por forças externas e incontroláveis, como sorte, universo, opressão de outros ou circunstâncias como etnia ou religião. Local de nascimento.

Auto estima

Esses indivíduos geralmente têm uma baixa auto-estima, pois mesmo quando alcançam algum tipo de sucesso, acham que isso se deve simplesmente à sorte ou à ajuda de outras pessoas. Como conseqüência, eles pensam que não têm poder para mudar a situação em que se encontram, o que os leva a não se esforçarem e frequentemente ficarem presos.

Entre outras coisas, o lócus de controle externo causa fenômenos como falta de motivação, má atitude, dificuldade de concentração ou até desamparo aprendido. Externamente, as pessoas que se enquadram nessa categoria tendem a ter problemas de saúde física e mental, além de experimentar dificuldades em praticamente todas as áreas de suas vidas.

Finalmente, uma das conseqüências mais graves de se ter um lócus de controle externo é a dificuldade que isso implica quando se trata de mudar situações indesejadas na vida de alguém.

Avaliação do locus de controle

O lócus de controle é um fenômeno bem conhecido na psicologia moderna e seus efeitos são de grande importância em diferentes áreas. Portanto, existem inúmeras ferramentas que servem para determinar qual estilo de lugar de controle uma pessoa possui.

Relacionado:  Os 70 cientistas mais famosos e importantes da história

Geralmente, esse aspecto da psicologia individual é avaliado através do uso de testes e questionários especialmente projetados. Alguns dos mais famosos são a escala de escolha forçada de 13 itens de Rotter e a escala de 23 itens de Bialer. No entanto, o local de controle de uma pessoa também pode ser determinado clinicamente.

Assim, em um contexto terapêutico, pode-se descobrir se o local de controle de um indivíduo é interno ou externo, dependendo de sua maneira de agir, de suas crenças, de seus pensamentos e de suas emoções. Felizmente, diferentes formas de terapia também permitem que ela seja modificada, se necessário.

Lócus de controle e auto-estima

As pesquisas mais recentes sobre esse tópico descobriram que a natureza do lugar de controle de um indivíduo está intimamente relacionada à força de sua auto-estima. Assim, aqueles que acreditam que o que lhes acontece depende de si mesmos tendem a se ver com melhores olhos do que aqueles que pensam que não podem controlar o que lhes acontece.

Por que isso acontece? Verificou-se que aqueles com um lócus de controle principalmente externo tendem a valorizar absolutamente todas as suas experiências.

Quando algo lhes acontece que eles não querem, eles se sentem incapazes de impedir que isso aconteça novamente no futuro; E quando conseguem algo de bom, pensam que isso só lhes aconteceu por acaso ou por sorte.

Por outro lado, pessoas com um lócus de controle externo tendem a assumir a responsabilidade por tudo o que lhes acontece. Assim, se cometerem um erro, procurarão maneiras de impedir que a mesma coisa aconteça novamente no futuro; e quando alcançam um resultado positivo em sua própria vida, são capazes de se felicitar por isso, de modo que sua auto-estima seja reforçada.

Lócus de controle e estresse

Há alguma controvérsia sobre a relação entre o local de controle de uma pessoa e seus níveis de estresse. Alguns pesquisadores pensam que acreditar que não temos controle sobre o que acontece em nossas vidas aumenta significativamente esse tipo de desconforto, enquanto outros pensam exatamente o contrário.

A primeira hipótese é baseada na idéia de que o estresse ocorre quando sentimos que não podemos fazer nada para modificar as circunstâncias em que nos encontramos e elas são negativas. Se isso fosse verdade, as pessoas com um lócus de controle externo deveriam experimentar níveis mais altos de estresse do que aqueles que pensam que mudar sua situação depende inteiramente deles.

Relacionado:  10 tecnologias do futuro que serão revolucionárias

Por outro lado, alguns pesquisadores acreditam que assumir a responsabilidade por tudo o que acontece em nossas vidas também pode gerar níveis mais altos de estresse. Isso ocorre porque nem tudo o que acontece conosco é facilmente modificável, mas as pessoas com um lócus de controle interno se culpariam quando não conseguissem exatamente o que queriam.

Atualmente, o consenso é que os níveis mais baixos de estresse são alcançados quando a pessoa está ciente de que possui uma grande capacidade de modificar as circunstâncias em que se encontra, mas, ao mesmo tempo, sabe que seu poder nesse sentido tem certos limites. Dessa maneira, o indivíduo é capaz de agir e elevar sua auto-estima sem precisar ser martirizado quando algo não corre bem.

Lócus de controle e depressão

A depressão é um fenômeno intimamente relacionado ao locus externo de controle. Acreditar que não temos controle sobre o que acontece em nossas próprias vidas pode dar origem ao que é conhecido como “desamparo aprendido”, um estado em que a pessoa para de tentar mudar sua situação e se resigna a viver com desconforto. permanente.

O desamparo aprendido é uma das causas mais importantes para a depressão, e resolvê-lo é um dos primeiros objetivos que os terapeutas estabelecem quando tratam um paciente com essa patologia. Na prática, isso envolve promover uma mudança de crenças e incentivar o indivíduo a tomar medidas para modificar o que depende dele.

Referências

  1. “Qual é o lugar de controle na psicologia?” em: A mente é maravilhosa. Retirado em: 20 de abril de 2020 de La Mente es Maravillosa: lamenteesmaravillosa.com.
  2. “Lócus de controle e sua vida” em: VeryWell Mind. Retirado em: 20 de abril de 2020 de VeryWell Mind: verywellmind.com.
  3. “Lócus de controle” em: Psychology Today. Retirado em: 20 de abril de 2020 de Psychology Today: psychologytoday.com.
  4. “Lócus de Controle: Definição e Exemplos de Internos e Externos” em: Estudo. Retirado em: 20 de abril de 2020 do estudo: study.com.
  5. “Lócus de controle” em: Wikipedia. Retirado em: 20 de abril de 2020 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies