Louis Zamperini: Biografia

Louis Zamperini (1917-2014) foi um herói americano da Segunda Guerra Mundial e um atleta olímpico de seu país. Ele se destacou por ter participado das Olimpíadas de Berlim, na Alemanha de Hitler, antes de lutar na Segunda Guerra Mundial por seu país e ser capturado pelos japoneses como prisioneiro de guerra.

Ele era originalmente um jovem problemático, até se dedicar a correr quando estava no ensino médio, qualificado para as Olimpíadas de Berlim. Em 1914, ele se juntou ao exército como tenente e lutou na guerra do Pacífico na brigada de bombardeiros da Força Aérea da América do Norte.

Louis Zamperini: Biografia 1

Por Floatjon [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], do Wikimedia Commons

Após a guerra, ele teve dificuldade em superar o que vivia como prisioneiro do Japão, pois foi severamente torturado por forças asiáticas. No entanto, algum tempo depois, ele se tornou um evangelista cristão.

O trabalho que ele fez para ajudar os jovens após a guerra é continuado hoje por sua família, quatro anos após sua morte.

Biografia

Primeiros anos

Louis Silvie Zamperini nasceu na cidade de Olean, Nova York, em 26 de janeiro de 1917. Seus pais eram imigrantes italianos, devotos fiéis da religião católica. Ele e seus irmãos foram criados em um ambiente caseiro, muito ligado às crenças religiosas.

Quando ele tinha apenas dois anos de idade, sua família se mudou para Torrance, uma região do estado da Califórnia, onde estudou durante toda a sua juventude. No entanto, quando sua família se mudou para a região, eles ainda não falavam inglês, o que complicou seu período de adaptação durante a infância.

Na adolescência, ele foi pego pelas forças policiais locais tentando roubar cerveja de uma loja do condado. Sendo menor de idade, os policiais o levaram para casa para que seus pais cuidassem de seu comportamento.

Sendo de origem italiana, Zamperini teve problemas com bandidos durante a infância. Seu pai o ensinou a lutar boxe quando chegou à adolescência, uma habilidade que aprendeu facilmente.

Iniciação como atleta

O grande problema que Zamperini teve durante a juventude foi seu comportamento. No entanto, seu irmão o ajudou inscrevendo-o nas atividades atléticas de sua escola. Pete Zamperini, seu irmão mais velho, era um dos nomes mais reconhecidos em sua instituição, destacando-se como corredor da equipe da escola.

Relacionado:  Bandeira de Angola: História e Significado

Louis percebeu que ele também era muito bom em correr, embora fosse um jovem que costumava fumar e beber constantemente. Seu irmão lhe disse que ele deveria parar de fazê-lo se quisesse ser bem-sucedido como corredor, então decidiu melhorar seus hábitos de saúde.

Ele se tornou um fã de corridas de velocidade graças ao seu sucesso e seus colegas de escola começaram a reconhecê-lo. Ele era um corredor tão rápido que quebrou um recorde mundial entre os corredores interescolásticos, o que o fez receber uma bolsa de estudos para estudar na Universidade do Sul da Califórnia.

Jogos Olímpicos

Pouco depois, ele decidiu tentar a sorte e tentar se qualificar para as Olimpíadas de Berlim. A passagem de trem era gratuita, pois seu pai trabalhava para uma das empresas encarregadas das ferrovias. Além disso, os habitantes de sua cidade o ajudaram a arrecadar dinheiro para ficar enquanto os testes eram realizados.

Seu forte tinha 1.500 metros, mas a quantidade de grandes atletas que estavam nessa categoria impossibilitava a qualificação.

Ele tentou correr nos 5.000 metros. Naquele ano, houve uma forte onda de calor e muitos dos favoritos entraram em colapso durante os testes. Zamperini não; Ele chegou ao fim e se qualificou, com 19 anos de idade, para as Olimpíadas de Berlim (a pessoa mais jovem a fazê-lo, até hoje).

Embora sua estada nas Olimpíadas não tenha sido muito proveitosa, ele conseguiu terminar uma das voltas em apenas 56 segundos. Isso, mesmo para os padrões da época, era muito rápido. O anfitrião das Olimpíadas, Adolf Hitler, insistiu em conhecer o jovem. Zamperini, 19 anos, apertou a mão de Hitler e recebeu elogios do austríaco por seu “final rápido”.

Atletismo universitário

Foi durante seu tempo como corredor de universidade após as Olimpíadas de Berlim, quando ele obteve o ápice de “Torrance Tornado”. Após o fim das Olimpíadas, ele se matriculou na Universidade da Carolina do Sul.

Ele quebrou o recorde de correr uma milha em pouco mais de quatro minutos, que permaneceu em vigor por 15 anos. O recorde foi muito mais impressionante, porque vários competidores tentaram fazê-lo cair durante a corrida, mas o esforço de Zamperini foi implacável.

Segunda Guerra Mundial

Em 1940, o objetivo de Zamperini era competir novamente pelo ouro nas Olimpíadas. No entanto, estes foram cancelados após o início da Segunda Guerra Mundial. O jovem se alistou na Força Aérea do Exército dos Estados Unidos e recebeu o posto oficial de “Segundo Tenente”.

Relacionado:  Cultura e sociedade: que relação existe?

Ele voou principalmente em aviões bombardeiros B-24. Ele foi originalmente designado para um avião na ilha de Funafuti, mas depois de uma missão na qual sua aeronave sofreu grandes danos, ele foi transferido para o Havaí.

Lá, ele se tornou parte de uma equipe que também tinha membros de sua antiga equipe Funafuti. Eles foram designados para uma missão de resgate, na qual seu novo B-24 (chamado The Green Hornet) sofreu danos durante o voo e foi forçado a entreter-se com entusiasmo.

O pouso forçado fez com que muitos membros da tripulação do avião morressem. Zamperini sobreviveu com dois de seus companheiros: Russell Allen e Francis McNamara. Eles estavam sozinhos no oceano, sem ninguém para ajudá-los.

Vida no oceano

Os três aviadores ficaram sem água ou comida, presos em um pequeno barco no meio do Oceano Pacífico. Eles sobreviveram da única maneira que puderam: pegar peixe (que comeu cru) e coletar água da chuva para beber.

As únicas reservas de comida que tinham era uma pequena quantidade de chocolate. No entanto, McNamara entrou em pânico durante seu tempo no mar e comeu toda a reserva.

Os três sobreviventes recuperaram a esperança quando um avião de busca voou sobre eles, procurando vestígios de seu B-24. Eles tentaram chamar sua atenção do mar, mas falharam e o avião demorou muito.

Eles estavam sujeitos a ataques de tubarões e falta de comida. Às vezes, eles matavam pássaros e gaivotas para comê-los, usando algumas de suas partes como isca para pescar. Além disso, um avião japonês os disparou do ar, danificando sua barcaça flutuante, mas sem atingir nenhum dos aviadores.

Quando eles tinham pouco mais de um mês no mar, McNamara morreu. Isso deixou Zamperini e Allen sozinhos no oceano.

Catch

Em 15 de julho de 1943, os dois pilotos chegaram em terra, onde foram capturados pela Marinha do Japão. Ambos os sobreviventes estavam em um estado de saúde bastante precário, como resultado de vários ataques e falta de comida durante seu tempo no oceano.

Phillips e Zamperini foram tratados clinicamente antes de serem transferidos para um dos campos de prisioneiros de guerra japoneses. Lá, eles foram maltratados pelos guardas durante o resto da guerra.

Relacionado:  Comida típica de Cali: os 5 pratos mais destacados

Durante seu tempo como prisioneiro de guerra, Zamperini estava à beira da desnutrição. Os guardas do campo prisional o trataram pior do que o resto, porque ele era um atleta olímpico. Ele limpava latrinas, trabalhava com carvão e estava sujeito a espancamentos repetidas vezes, quase diariamente.

O clima frio e a falta de comida o levaram a desenvolver uma doença chamada beribéri, uma aflição mortal que o corpo se desenvolve como resultado da falta de vitaminas. Esta doença o colocou de volta à beira da morte.

Em 6 de agosto de 1945, os Estados Unidos atacaram Hiroshima com a primeira bomba atômica usada na guerra. Um mês depois, o Japão se rendeu e as tropas aéreas dos EUA trouxeram comida para os campos de prisioneiros no Japão.

Vida depois da guerra

Zamperini foi libertado em 5 de setembro de 1945. Sua família já havia recebido notícias de sua morte, porque após a perda de seu B-24, ele e seus companheiros foram considerados mortos. Ele chegou em casa em outubro de 1945, para a surpresa de todos os seus amigos e familiares.

No entanto, traumas de guerra fizeram com que ele se tornasse alcoólatra e ele estava prestes a se divorciar de sua esposa. Isso mudou depois de ouvir um discurso de Billy Graham em 1949, um evangelista americano.

Zamperini tornou-se evangelista, iniciou seu processo de recuperação e fundou um acampamento para crianças com problemas comportamentais. Ele foi ao Japão visitar seus ex-torturadores, a quem se perdoou.

Ele voltou ao Japão em 1998 para carregar a tocha dos Jogos de Inverno de Nagano e tentou perdoar seu inimigo de guerra, Mutsuhiro Watanabe, que se recusou a recebê-lo.

Ele escreveu duas autobiografias e fez um filme contando sua história, chamado “Ininterrupto”. Ele morreu de pneumonia em 2 de julho de 2014, aos 97 anos de idade.

Referências

  1. Ininterrupto: Louis Zamperini, site da Louis Zamperini, (sd). Retirado de louiszamperini.net
  2. Biografia de Louis Zamperini, site de Louis Zamperini, (s). Retirado de louiszamperini.net
  3. Louis Zamperini: A história de um verdadeiro herói americano, The Unwritten Record National Archives, 2014. Extraído de archives.gov
  4. Louis Zamperini, Banco de Dados da Segunda Guerra Mundial, (sd). Retirado de ww2db.com
  5. Biografia de Louis Zamperini, site de biografia, 2014. Extraído de biography.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies