Michael Faraday: biografia deste físico britânico

Michael Faraday foi um renomado físico britânico do século XIX, conhecido por suas contribuições significativas para a eletricidade e o magnetismo. Nascido em 1791 em Londres, Faraday era autodidata e começou sua carreira como aprendiz de encadernador. No entanto, seu interesse pela ciência o levou a se tornar assistente de Humphry Davy, um dos maiores cientistas da época. Faraday fez importantes descobertas, como a indução eletromagnética e a eletrólise, que revolucionaram a física e a química. Sua dedicação e genialidade fizeram dele um dos maiores cientistas de sua época e seu legado perdura até os dias de hoje.

O experimento mais célebre de Michael Faraday e sua relevância na ciência moderna.

Michael Faraday foi um físico britânico que fez contribuições significativas para a ciência, sendo especialmente conhecido pelo seu experimento mais célebre: a descoberta da indução eletromagnética. Em 1831, Faraday realizou um experimento no qual demonstrou que um campo magnético variável pode gerar uma corrente elétrica em um circuito. Este experimento foi fundamental para o desenvolvimento da teoria eletromagnética e teve grande relevância na ciência moderna.

Faraday mostrou que a variação de um campo magnético pode induzir uma corrente elétrica em um condutor, estabelecendo assim a base para o funcionamento dos geradores e transformadores elétricos. Sua descoberta foi essencial para o desenvolvimento da eletricidade e da tecnologia moderna, incluindo a geração de energia elétrica em larga escala.

Além disso, o experimento de Faraday foi um marco na compreensão da relação entre eletricidade e magnetismo, levando ao desenvolvimento da teoria eletromagnética de Maxwell. As equações de Maxwell unificaram os fenômenos elétricos e magnéticos em um único conjunto de leis, revolucionando a física e abrindo caminho para inúmeras aplicações práticas.

Assim, o experimento mais célebre de Michael Faraday não apenas contribuiu para o avanço da ciência, mas também teve um impacto duradouro na tecnologia e na sociedade. Sua descoberta da indução eletromagnética é um exemplo do poder da experimentação e da curiosidade científica, que continuam a impulsionar a inovação e o progresso na ciência moderna.

As invenções de Michael Faraday: descubra suas contribuições científicas e tecnológicas revolucionárias.

Michael Faraday foi um físico britânico que fez inúmeras descobertas e invenções que revolucionaram a ciência e a tecnologia. Nascido em 1791, Faraday começou sua carreira como aprendiz de encadernador, mas seu interesse pela ciência o levou a se tornar um dos mais renomados cientistas de seu tempo.

Uma das invenções mais importantes de Faraday foi o motor elétrico, que foi fundamental para o desenvolvimento da eletricidade. Seu trabalho com magnetismo também resultou na descoberta da indução eletromagnética, que é a base para o funcionamento dos geradores elétricos.

Além disso, Faraday foi responsável por descobertas importantes no campo da eletroquímica, como a primeira lei da eletrólise e a descoberta do benzeno. Suas contribuições foram essenciais para o avanço da química e da física.

Relacionado:  Louis Althusser: biografia deste filósofo estruturalista

Faraday também inventou o primeiro transformador eletromagnético, que é utilizado até hoje em diversas aplicações. Sua pesquisa sobre o eletromagnetismo abriu caminho para o desenvolvimento de tecnologias como o rádio e a televisão.

Seu legado continua vivo até os dias de hoje, sendo uma fonte de inspiração para cientistas e inventores em todo o mundo.

Qual físico inglês demonstrou as propriedades magnéticas?

O físico inglês que demonstrou as propriedades magnéticas foi Michael Faraday. Ele foi um renomado cientista britânico do século XIX, conhecido por suas contribuições significativas no campo da eletricidade e do magnetismo.

A descoberta do eletromagnetismo por Michael Faraday e sua contribuição científica revolucionária.

Michael Faraday, um físico britânico nascido em 1791, é conhecido por suas contribuições revolucionárias no campo do eletromagnetismo. Em meados do século XIX, Faraday realizou uma série de experimentos que levaram à descoberta das leis do eletromagnetismo, mudando para sempre nossa compreensão da relação entre eletricidade e magnetismo.

Um dos experimentos mais famosos de Faraday foi a descoberta da indução eletromagnética, onde ele demonstrou que um campo magnético em movimento pode gerar uma corrente elétrica em um circuito. Essa descoberta foi fundamental para o desenvolvimento de geradores elétricos e transformadores, que são essenciais para a geração e distribuição de eletricidade até os dias de hoje.

Além disso, Faraday formulou as leis da eletrólise, estabelecendo a base teórica para a separação de substâncias por meio da passagem de corrente elétrica. Suas contribuições no campo da eletroquímica também tiveram um impacto significativo na ciência e na tecnologia.

Por sua genialidade e dedicação à pesquisa científica, Michael Faraday é considerado um dos maiores físicos experimentais da história. Sua descoberta do eletromagnetismo e suas contribuições para a ciência revolucionaram nossa compreensão do mundo natural e pavimentaram o caminho para inúmeras inovações tecnológicas.

Michael Faraday: biografia deste físico britânico

Michael Faraday: biografia deste físico britânico 1

Hoje, grande parte do mundo moderno funciona principalmente graças ao uso de eletricidade. O uso desse tipo de energia não é, portanto, exatamente desconhecido para nós.

Mas, para usar lâmpadas, computadores, equipamentos de suporte à vida ou baterias recarregáveis, uma quantidade significativa de descobertas teve que ser feita primeiro. E embora alguns deles datem de antes de Cristo, principalmente como gerar e aplicar eletricidade tem sido algo que foi pesquisado e descoberto durante a Era Moderna.

Uma das grandes personalidades pioneiras, graças à qual foi possível desenvolver estudos sobre eletricidade e eletromagnetismo, foi Michael Faraday. Foi o principal descobridor da indução eletromagnética e eletrólise, cuja aplicação prática tornou possível um desenvolvimento tecnológico muito importante. A história deste pesquisador é, portanto, de grande interesse, motivo pelo qual neste artigo veremos uma biografia de Michael Faraday .

A vida de Michael Faraday: uma breve biografia

O nascimento de Michael Faraday ocorreu em 22 de setembro de 1791, na vila de Newington Butt (que hoje não é uma vila, mas um dos bairros de Londres) na região inglesa de Surrey. Era o terceiro de quatro irmãos, filhos do ferreiro dos estábulos James Faraday e Margaret Hastwell.

Relacionado:  Carl Gustav Jung: biografia e trabalho de um psicólogo espiritual

A família Faraday, classe trabalhadora e camponesa, tinha muito poucos recursos e só podia oferecer aos filhos uma educação básica. Inicialmente ele frequentava a escola, mas mais tarde sua família decidiu tirá-lo e estudá-lo em casa.

Também era comum que as crianças tivessem que contribuir financeiramente para sustentar a família, algo que levou Michael Faraday a distribuir jornais desde a infância. Também em grande parte devido às crenças da família, uma grande convicção religiosa nasceu nele, e ele se tornou parte da igreja sandemaniana . Essa fé seria uma fonte de paz e força para o cientista ao longo de sua vida.

  • Você pode estar interessado: ” Estimulação elétrica transcraniana: definição e aplicações “

Juventude e primeiros empregos

Em 1805, aos quatorze anos de idade, o jovem Faraday iniciou um período de aprendizado no comércio de encadernadores com uma estante para a qual ele já havia conduzido várias tarefas, George Riebau. Durante esse período, que duraria sete anos, seu trabalho permitiu que ele tivesse contato profundo com um grande número de obras literárias. Ele também começou a cultivar uma certa predileção por fenômenos elétricos, depois de ler vários artigos e trabalhos de química e eletricidade.

Também quando cresceu, ele também demonstrava interesse científico (ao mesmo tempo em que desencantava o mundo comercial) e, graças a seu irmão, começou a frequentar e fazer parte da Sociedade Filosófica da cidade, governada por John Tatum.

Seu contato com esse grupo permitiu-lhe começar a conhecer o trabalho do químico Humphry Davy, que realizaria uma série de conferências no local. Um dos membros do grupo conseguiu ingressos para ele, com os quais ele conseguiu participar das conferências oferecidas pelo químico na Royal Institution . Neles, ele fez um grande número de anotações a ponto de poder fazer um pequeno roteiro. Faraday decidiu enviar uma cópia para Davy e pedir que ele trabalhasse como seu assistente, para se dedicar à ciência.

Início do seu aprendizado em ciências

Humphrey Davy recebeu o pedido e, como havia uma vaga e sofrera um pequeno acidente que o deixara temporariamente cego, ele aceitou Faraday primeiro como secretária. Quando seu ex-assistente teve que ser demitido, ele também ofereceu o cargo a Michael Faraday, que se tornou seu assistente em 1813.

Embora a esposa do químico sempre lhe mostrasse profundo desprezo e o tratasse como um criado, Humphry se tornaria seu protetor e professor e, junto com ele, Faraday poderia viajar (apesar do conflito da época), trabalhar e investigar aspectos como a composição do diamante ou testemunhar a descoberta do benzeno.

Relacionado:  Iván Pávlov: biografia deste referente do behaviorismo

Ele também estabeleceria vários contatos e aprenderia fundamentalmente sobre química. Nesse sentido, destacou-se algo que pouco depois de retornar dessas viagens, Faraday poderia começar a oferecer treinamento a esse respeito. Em 1815, ele publicou Analysis of Caustic Lime of Tuscany , seu primeiro trabalho, além de inúmeros artigos.

Grandes descobertas

Posteriormente, ele foi convidado a produzir artigos de opinião sobre as contribuições científicas de vários autores, algo que o faria recriar seus experimentos e conhecer os autores originais.

É nesse contexto que Faraday começa a fazer importantes descobertas: em 1821, ele descobriu como aplicar o conhecimento existente sobre eletromagnetismo em um primeiro rotor eletromagnético . Nesse mesmo ano, casou-se com uma jovem que conheceu em sua igreja, Sarah Barnard, e após seu sucesso anterior, começou a se concentrar e a fazer publicações sobre eletricidade e magnetismo.

Em 1824, ele foi nomeado membro da Royal Society e, um ano depois, foi nomeado diretor do laboratório da Royal Society que seu mentor estava usando no momento em que o conheceu. Ele começou a dar palestras e conferências tanto no Natal (as Royal Institution Christmas Lectures) quanto semanalmente (Friday Evening Discourses).

Em 1831, ele fez outra de suas grandes descobertas, a indução eletromagnética. Durante 1832, ele descobriu, ou melhor, demonstrou empiricamente a existência de eletrólise . Também naquela época, especificamente em 1836, ele desenvolveu a Gaiola de Faraday para gerar uma área eletromagneticamente protegida para impedir que a eletricidade externa chegasse ao interior. Ele recebeu diversos prêmios e honrarias, incluindo alguns que foram rejeitados, como a presidência da Royal Society ou o título de cavalheiro.

Outra investigação dele, desta vez ligada ao estudo da força da luz , deu origem ao conhecido efeito Faraday. Esse efeito propõe que a ação de um campo magnético possa afetar a polarização da luz, algo que corresponde à sua ideia de que luz, eletricidade e magnetismo estão relacionados.

Últimos anos e morte

A década de 1860 seria a que começaria a marcar o declínio desse grande autor. Já em 1839, ele havia sofrido problemas e um colapso nervoso, e pouco a pouco começou a manifestar sintomas no nível neuropsiquiátrico . Ele morreu em sua casa em Hampton Court aos 75 anos, em 25 de agosto de 1867.

Seu legado é enorme: sua pesquisa melhorou bastante o conhecimento dos fenômenos eletromagnéticos e inspirou autores como Maxwell ou Thomas Edison. Motores elétricos ou mesmo a lâmpada dificilmente poderiam ter sido construídos sem o trabalho deles.

Referências bibliográficas:

  • Baggott, J. (1991). «O mito de Michael Faraday: Michael Faraday não foi apenas um dos maiores experimentadores da Grã-Bretanha. Um olhar mais atento ao homem e ao seu trabalho revela que ele também era um teórico inteligente ». New Scientist

Deixe um comentário