Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo

Minha namorada me deixou , posso superar isso? Uma pausa de amor é uma das situações mais complicadas de administrar e franca. Nesses momentos, os sentimentos de tristeza surgem com muita facilidade e o bem-estar se torna uma tarefa muito complexa.

Da mesma forma, quando a decisão de encerrar o relacionamento é realizada apenas e exclusivamente por um membro do casal, a situação emocional da outra pessoa pode ser ainda mais delicada.

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 1

Este fato é explicado por duas razões principais. Em primeiro lugar, diferentemente da pessoa que realiza o rompimento, o membro do casal “a quem eles deixaram” geralmente não apresenta nenhum tipo de desejo ou interesse pelo qual o relacionamento termina.

Por outro lado, quando alguém é deixado pelo parceiro, geralmente é comum desenvolver sentimentos de culpa. O pensamento geralmente se concentra nos aspectos negativos e na análise das coisas que motivaram o casal a decidir terminar o relacionamento.

Nesse sentido, a auto-estima da pessoa que resta pode ser questionada, fato que pode levar a distúrbios psicológicos e emocionais significativos.Por esse motivo, é especialmente importante saber administrar adequadamente nesses momentos e agir da maneira mais saudável possível.

Abaixo estão 10 dicas que podem ser úteis para atingir esses objetivos e que podem ajudar a superar o rompimento.

Dicas para progredir se sua namorada o deixou

1- Aceite o intervalo

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 2

O primeiro passo a ser tomado para superar uma ruptura devido à decisão do outro membro do casal é aceitar que o relacionamento acabou.

É comum que pensamentos e sentimentos de negação apareçam nos primeiros momentos. Esse fato é altamente prevalente pela simples razão de que a pessoa não deseja que o relacionamento termine.

Assim, como em muitos outros aspectos da vida, a primeira reação é geralmente caracterizada por rejeitar uma realidade que não é desejada e que não permite que as necessidades pessoais sejam atendidas.

No entanto, prolongar a negação pode ser altamente complexo. Antes de uma ruptura sentimental, é essencial que a pessoa desenvolva um processo de luto saudável e adaptado, e isso não poderá ser alcançado se a primeira fase da negação não for superada.

2- Distribuir a culpa

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 3

Outro elemento importante a considerar nos momentos iniciais do rompimento é avaliar e distribuir a falha de maneira razoável e equitativa.Em geral, quando alguém te deixa, o sentimento de culpa tende a se concentrar única e exclusivamente em si mesmo.

Relacionado:  100 perguntas pessoais para conhecer alguém

É comum que, nesse tipo de situação, a pessoa desenvolva pensamentos sobre o que fez de errado e as razões pelas quais seu parceiro não a ama mais.

No entanto, focar a atenção e analisar a situação dessa maneira é muito perigoso. De fato, é um procedimento altamente autodestrutivo que pode causar danos ao longo do tempo.

E quando alguém assume a responsabilidade por decisões externas, ele põe em jogo uma boa parte de sua auto-estima e estado emocional.

A falha sobre o que aconteceu deve ser analisada de maneira calma e racional, sem deixar que os sentimentos desenvolvidos assumam o controle completo do processo.

3- Realize o processo de luto

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 4

Além da aceitação da ruptura e da distribuição eqüitativa de responsabilidades, toda separação sentimental requer a elaboração de um processo de luto.

Nesse sentido, se seu parceiro acabou de deixar você, você não pode fingir superá-lo de um dia para outro e que os sentimentos de tristeza que você experimenta desaparecem imediatamente.

De fato, essa é uma prática comum quando o colapso emocional é acompanhado por sentimentos de raiva, raiva ou ódio contra o ex-parceiro. No entanto, esse tipo de resposta emocional geralmente se volta contra.

As pessoas que tentam convencer-se a superar o rompimento com facilidade estão evitando o processo de luto e, portanto, não estão perdendo.

Portanto, se você sentir um grande turbilhão de sentimentos, não se preocupe. Essa resposta é normal e até benéfica. Agora, o seu eu precisa passar por momentos difíceis para que o seu eu do futuro possa superar completamente a ruptura.

4- Não esconda suas emoções

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 5

Uma reação típica que se desenvolve em rupturas sentimentais, especialmente quando quem toma a decisão de terminar o relacionamento é o outro membro do casal, é tentar evitar emoções.

Muitas pessoas acreditam que ignorar os sentimentos de tristeza e pensar que tudo está indo bem é a maneira mais rápida de superar a perda e começar uma nova vida.

No entanto, o funcionamento psicológico das pessoas é muito complexo para encontrar soluções tão simples a situações delicadas quanto as quebras sentimentais.

De fato, mascarar emoções é uma prática que inibe o processo de luto e, portanto, evita superar a perda que ocorreu.

Portanto, é conveniente que, nos momentos em que você precise, preste atenção e expresse as emoções e sentimentos que está experimentando.

Relacionado:  30 Defeitos de uma pessoa e sua definição

Isso não significa que as emoções devem ser liberadas sem nenhum tipo de filtro e permitir que elas assumam completamente o estado psicológico e funcional, mas envolve a busca de situações e momentos específicos nos quais a tensão acumulada pode ser liberada. .

5- Detecte seus pensamentos

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 6

Passados ​​os primeiros momentos do intervalo, onde tudo é emocionalmente muito intenso e incontrolável, geralmente aparece um estágio de maior calma.

No entanto, este estágio em que você pode não chorar tanto e o desespero diminuiu é altamente importante. Nesse momento, a tristeza geralmente se intensifica e os sentimentos de culpa podem assumir o controle, por isso é importante fazer algum trabalho psicológico.

Você precisa deixar claro que seu humor e emoções são modulados principalmente por seus pensamentos. Nesse sentido, é conveniente que você não permita que seus pensamentos apareçam constantemente de maneira automática e incontrolável, e gaste algum tempo detectando e analisando o que pensa.

6- Analise e modifique seus pensamentos

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 7

Depois de detectar os pensamentos principais, você perceberá que a maioria deles está centrada no intervalo. Além disso, você notará que boa parte de seus pensamentos tem um caráter negativo.

Embora ter pensamentos negativos após um rompimento seja inevitável, é importante que sejam tão sãos e razoáveis ​​quanto possível.Nesse sentido, geralmente é benéfico analisar em detalhes o que é pensado para evitar pensamentos extremistas e irracionais.

Desenvolver uma certa distância entre o que você sente e o que você pensa é geralmente muito útil. Uma coisa são os sentimentos de tristeza e outra é a análise da situação.

O estado emocional não deve governar completamente as opiniões e pensamentos sobre o rompimento.

7- Procure apoio

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 8

Executar o ponto anterior pode ser uma tarefa muito complexa. Às vezes, quando se sente melhor, geralmente é mais fácil analisar os fatos de maneira razoável, mas quando o estado emocional é intenso, geralmente é mais complexo.

Da mesma forma, diante de um estado emocional neutro, um único pensamento negativo sobre a ruptura pode levar imediatamente a um acompanhamento de emoções negativas e a uma visão catastrófica sobre o que aconteceu.

Por esse motivo, é essencial procurar apoio. Ter pessoas ao seu redor para acompanhá-lo durante o processo de luto ajuda a eliminar uma grande dose de culpa, ter uma visão mais calma do intervalo e até experimentar emoções positivas.

Relacionado:  Como conquistar uma mulher: 13 dicas que funcionam

8- Evite abrigos emocionais

Em contraste com o ponto anterior, muitas vezes é altamente nocivo procurar itens para se refugiar após o intervalo. Há pessoas que naquele momento se concentram apenas no trabalho ou em outras atividades.

No entanto, nesses casos, o comportamento busca apenas um único objetivo: evitar o processo de luto e a experimentação de sentimentos e emoções negativas.

Por esse motivo, é desaconselhável refugiar-se no trabalho ou em outros aspectos da vida. O intervalo deve ser elaborado e, para isso, é necessário permitir que a tristeza apareça.

9- Procure por distrações

Minha namorada me deixou: 10 dicas essenciais para superá-lo 9

Embora não seja bom se refugiar em atividades para evitar pensar e se separar, é muito benéfico encontrar distrações.

Ter certas atividades durante o dia que permitem experimentar sensações positivas é uma das principais fontes de energia para superar o intervalo.

10- Procure alternativas

Finalmente, para superar uma pausa, os aspectos mais práticos devem ser levados em consideração. Quando você tem um relacionamento, passa boa parte do tempo fazendo as coisas com seu parceiro.

Essa situação muda completamente quando o relacionamento termina, por isso é vital encontrar elementos que possam substituir as atividades que você realizou com seu parceiro.

Ficar mais com os amigos, realizar mais atividades com membros da família ou iniciar novas atividades esportivas ou de lazer geralmente são úteis.

Referências

  1. Castelló Blasco, J. (2000). Análise do conceito “Dependência Emocional”. I Congresso Virtual de Psiquiatria.
  2. Carnwath T. Miller D. Terapias Cognitvas. In: Carnwath T. Miller D. Psicoterapia comportamental na atenção primária: manual prático. 1ª Edição Martínez Roca. Barcelona, ​​1989.
  3. Cubas Ferreyra, D., Espinoza Rueckner, G., Galli Cambiaso, A. e Terrones Paredes, M. (2004). Intervenção cognitivo-comportamental em um grupo de pacientes do sexo feminino com dependência afetiva. Jornal de Psiquiatria e Saúde Mental Hermilio Valdizan (Vol. 2, 81-90).
  4. Elisardo Becoña et al. Guias de tratamento e diretrizes para a prática psicológica clínica: uma visão da clínica. Papéis do psicólogo. Madri, 2004.
  5. Vallejo J. Classificação de transtornos afetivos. In: Vallejo J, Spent C. Distúrbios afetivos: ansiedade e depressão. 2ª Edição. Masson Barcelona, ​​2000.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies