Músculos do tronco e suas características (com imagens)

Os músculos do tronco são todas aquelas estruturas musculares que cobrem o tórax e o abdômen, fornecendo proteção e movimento às estruturas toracoabdominais.A maioria desses músculos é plana e larga, cobrindo uma grande quantidade de espaço e apresentando inserções ósseas em mais de dois pontos do esqueleto.

Eles também têm a particularidade de se sobrepor, formando um tipo de tecido, especialmente na parede abdominal anterior, onde há menos suporte ósseo.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 1

Fonte: unsplash.com

Além dos músculos planos e largos que literalmente compõem as paredes toracoabdominais, há também uma série de músculos estreitos e longos, a maioria deles anexados à coluna vertebral ou localizados entre as costelas.

Esses músculos são poderosos e têm múltiplas inserções nas vértebras, sendo responsáveis ​​por manter as costas retas. Além disso, eles permitem movimentos de flexo-extensão e rotação da coluna.

Classificação dos músculos do tronco

Os músculos do tronco podem ser classificados de acordo com suas inserções em:

– Músculos que são inseridos exclusivamente nas estruturas ósseas da região toracoabdominal.

– Músculos em que parte das inserções se localiza na região toracoabdominal e parte em outras regiões anatômicas (membros superiores, inferiores ou pescoço).

Por outro lado, esses músculos podem ser classificados de acordo com o tamanho e o arranjo de suas fibras nos músculos largos e planos, e nos músculos longos e estreitos.

A maioria dos músculos da parede toracoabdominal que fazem parte da parede do tronco pode ser abordada mais ou menos facilmente a partir da superfície, com uma exceção: o diafragma.

O diafragma é um grande músculo plano e largo localizado dentro da cavidade toracoabdominal. De fato, constitui a fronteira física entre o tórax e o abdômen. A função do diafragma é permitir o movimento do peito para respirar, além de separar fisicamente os compartimentos abdominal e torácico.

Músculos que são inseridos exclusivamente nas estruturas ósseas da região toracoabdominal

Estes são os próprios músculos da parede toracoabdominal. Eles estão dispostos em planos superficiais e profundos, tanto na parede posterior (traseira) quanto na parede anterolateral da região toracoabdominal.

Dentre todos os músculos que são inseridos exclusivamente nas estruturas ósseas toracoabdominais, o diafragma merece menção especial, pois é o único que está localizado inteiramente dentro da cavidade toracoabdominal. Além disso, é o músculo responsável pela respiração.

Diafragma

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 2

OpenStax [CC BY 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0)]

É um músculo grande, largo e plano que, como uma cúpula, forma o assoalho do peito e o teto do abdômen. Forma inserções na coluna dorso-lombar, o último arco costal e o esterno.

É um músculo poderoso, responsável pela respiração. Tem a particularidade de ser um músculo involuntário que pode ser controlado.

Diferentemente do coração, que bate sem a vontade do indivíduo, o diafragma exerce sua função (movimentos respiratórios) automaticamente; mas com a diferença de que existe algum controle voluntário sobre ele. Isso o torna um músculo único em todo o organismo.

Relacionado:  Quais são os mecanorreceptores?

Além de sua função respiratória, o diafragma serve como limite anatômico e barreira entre as estruturas do tórax e as do abdômen, ajuda a manter o diferencial de pressão entre os dois compartimentos do tronco e também possui aberturas que permitem a passagem das estruturas correspondentes o tronco em direção ao abdômen.

É, portanto, o músculo mais complexo e importante da região toracoabdominal, pois é responsável pela respiração, uma das funções vitais do organismo.

Músculos da região posterior: plano profundo

Esse grupo inclui todos os músculos eretores da coluna, localizados ao longo de toda a coluna. Cada um deles é magro, de comprimento variável (há curtos e também muito compridos); e geralmente formam múltiplas inserções nos processos vertebrais.

Os músculos eretores da coluna se sobrepõem, assim como os elos de uma corrente, e permitem uma ampla gama de movimentos de flexão e extensão da coluna.

Esses grupos musculares incluem os seguintes músculos:

– Músculos interespinhosos.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 3

– Músculos transversos-espinhosos.

– Músculos intertransversos.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 4

Fonte: ugr.es

Todos correm na direção cefalocaudal e estão localizados na linha média das costas, cobertos por um plano muscular intermediário.

No nível do peito, não há músculos profundos fora da linha mediana, sendo esse espaço ocupado pelas costelas e pelos músculos intercostais.

No abdômen, os músculos oblíquos do abdômen estão ocupando o plano profundo e fora da linha média. Esses músculos grandes, largos e longos “revestem” a parede abdominal, inserindo-os atrás na coluna, acima nos últimos arcos costais e abaixo na pelve.

Os músculos abdominais fazem parte do plano profundo da parede abdominal posterior, pois são cobertos por outros planos musculares. No entanto, na parede anterolateral do abdome, tornam-se superficiais, pois não são cobertos por outras estruturas musculares.

Músculos da região posterior: plano intermediário

O plano intermediário é formado por músculos que recebem inserções na escápula. A partir daí, eles se estendem, seja a outras estruturas ósseas do tórax, ou até o membro superior.

Os músculos que se inserem nas escápulas e nos corpos ou costelas vertebrais são os seguintes:

– principais romboides.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 5

– Romboides menores.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 6

– Serrato anterior.

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 7

Imagem do jogo: sv: Classificação: Chrizz. * compactado com pngcrush [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/)]

Os músculos romboides são inseridos na borda medial da escápula e daí passam para os processos espinhosos dos corpos vertebrais dorsais.

Por outro lado, os serratos se inserem na mesma borda da escápula, mas em um plano mais profundo, passando por baixo dela. Mais adiante, eles são direcionados para a frente na parede anterolateral do tórax para serem inseridos nos arcos costais.

Os músculos que recebem inserções na parede abdominal e no braço são descritos abaixo.

Músculos da região posterior: plano superficial

Este grupo é composto por dois músculos grandes: o trapézio e o dorsal largo.

Relacionado:  O que é a fossa pterigopalatina?

Ambos os músculos ocupam a parte superficial das costas, se sobrepõem e cobrem toda a região posterior do tronco, do sacro à cabeça. 95% de sua extensão está no tronco, embora tenham inserções distais no pescoço (trapézio) e membros superiores (dorsal largo).

Músculos da região intercostal

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 8

São pequenos músculos estreitos e curtos, localizados entre as costelas, inseridos nas costelas superior e inferior de cada uma delas.

Em cada espaço intercostal existem três músculos intercostais, a saber:

– Intercostal externo.

– Intercostal interno.

– intercostal médio.

O músculo intercostal externo é o mais superficial dos três e está localizado em todo o espaço intercostal, assentando os tubérculos costais na junção costocondral.

Por outro lado, o intercostal interno é o mais profundo e localiza aproximadamente os dois terços anteriores do arco costal (não alcança as costas). Suas fibras geralmente se estendem do esterno ao ângulo costal.

Na área onde os vasos intercostais cruzam o intercostal interno, isso apresenta uma cisão em duas barrigas musculares, uma interna (intercostal interna) e outra mais superficial. Este último é conhecido por alguns autores como intercostal médio.

Os músculos intercostais são encontrados na espessura da parede torácica, coberta na região posterior pelos músculos do plano médio e superficial das costas e na região anterior pelos músculos peitorais.

Somente na região lateral eles são facilmente acessíveis, sendo cobertos exclusivamente por tecido celular subcutâneo e pele. Devido a essa particularidade, este é o local de escolha para a colocação de tubos de drenagem torácica.

Tórax

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 9

Fonte: slideshare.com

Os músculos da região anterior são a subclávia (que une a clavícula ao primeiro arco costal) e os peitorais maior e menor.

O peitoral menor pode ser considerado um músculo do tronco, pois vai do processo coracóide da escápula às três primeiras costelas. Está localizado imediatamente à frente deles, formando o plano mais profundo da região peitoral.

Imediatamente acima disso e cobrindo-o na íntegra está o peitoral maior. Como no dorsal e no trapézio, 90% da massa muscular do peitoral maior está cobrindo a parede torácica anterior, embora também seja inserida no úmero.

São músculos poderosos e robustos que não apenas proporcionam mobilidade ao braço, mas também proteção à caixa torácica e apoio às estruturas subjacentes. Isto é especialmente verdade em mulheres, onde a glândula mamária tem uma relação íntima com o peitoral maior através da fáscia clavideltopeitoral.

Abdômen

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 10

Tradução: Chrizz, Wikimedia Commons

Os músculos da região anterolateral do abdômen são, como já indicado acima, os músculos abdominais.

A parede abdominal lateral é composta por três músculos largos, sobrepostos e sobrepostos:

– Maior oblíqua.

– Menor oblíquo.

– abdômen transversal.

O oblíquo maior é o mais superficial dos três e os cobre em sua totalidade. Suas fibras vão de cima para baixo e de fora para dentro.

Imediatamente abaixo deste está o músculo oblíquo menor. Suas fibras vão na direção oposta, de baixo para cima e de trás para frente. Finalmente, no plano mais profundo está o músculo transverso do abdômen, cujas fibras correm perpendicularmente ao eixo principal do corpo.

Relacionado:  Músculos antigravitacionais: tipos, origem e inserção

Os músculos abdominais recebem múltiplas inserções na coluna posterior, os últimos arcos costais (10, 11 e 12) acima e a pelve abaixo. Em direção à parede anterior, a aponeurose de todas elas se condensa para se fundir com a bainha do músculo reto abdominal, localizado único na linha média da parede anterior.

O músculo reto anterior do abdome é largo, plano e espesso. Ocupa a linha mediana e realiza inserções proximais no décimo arco costal e no apêndice xifóide, enquanto suas inserções distais estão localizadas na sínfise púbica.

Na linha média, o reto anterior do abdômen esquerdo e direito se fundem em um espessamento aponeurótico conhecido como linha alba.

Músculos do períneo

Músculos do tronco e suas características (com imagens) 11

Fonte: fitnessyritmos.blogspot.com

São músculos pequenos, curtos e fortes que compõem o assoalho da pelve. Eles são classicamente descritos como uma região separada (períneo), mas funcionalmente constituem o assoalho de toda a cavidade abdominal. Portanto, eles devem ser mencionados ao contar os músculos do tronco.

Esta região inclui os seguintes grupos musculares: plano superficial, plano médio e plano profundo.

Plano de superfície

– Esfíncter externo do ânus.
– Transversal superficial do períneo.
– Ischiocavernoso.
Bulbocavernoso.
– Constritor muscular da vulva.

Plano do meio

– Transverso profundo do períneo.
– esfíncter uretrovaginal.
– Compressor da uretra.

Plano profundo

– Elevador do ânus.
– Isquiococcígeo.
– Pubococcígeo.

Músculos parcialmente inseridos na região toracoabdominal e em outras regiões anatômicas

A maioria desses músculos está localizada na região posterior do tronco, formando o plano muscular intermediário na região dorsal do tórax.

São músculos poderosos, que conectam as extremidades superiores ao tronco, de modo que são inseridos nas estruturas ósseas toracoabdominais e no esqueleto axial.

Esses músculos incluem o seguinte:

– Infraspinatus.

– Supraspinatus.

– Rodada principal.

– Rodada menor.

– Subescapular.

Referências

  1. Gardner-Morse, M., Stokes, IA, & Laible, JP (1995). Papel dos músculos na estabilidade da coluna lombar nos esforços máximos de extensão.Jornal de Pesquisa Ortopédica , 13 (5), 802-808.
  2. Anraku, M. & Shargall, Y. (2009). Condições cirúrgicas do diafragma: anatomia e fisiologia.Clínicas de cirurgia torácica , 19 (4), 419-29.
  3. Issa, FG e Sullivan, CE (1985). Atividade muscular respiratória e movimento toracoabdominal durante episódios agudos de asma durante o sono.American Review of Respiratory Disease , 132 (5), 999-1004.
  4. Sirca, A. e Kostevc, V. (1985). A composição do tipo de fibra dos músculos paravertebrais torácicos e lombares no homem.Journal of anatomy , 141 , 131.
  5. Collis, JL, Kelly, TD, & Wiley, AM (1954). Anatomia da crura do diafragma e cirurgia da hérnia de hiato.Tórax , 9 (3), 175.

Deixe um comentário