Números complexos: propriedades, exemplos, operações

Os números complexos são uma extensão do conjunto dos números reais que incluem uma parte real e uma parte imaginária. Eles são representados na forma a + bi, onde “a” é a parte real, “b” é a parte imaginária e “i” é a unidade imaginária, que satisfaz a propriedade i^2 = -1. Neste artigo, abordaremos as propriedades dos números complexos, exemplos de sua representação e operações como adição, subtração, multiplicação e divisão. Além disso, exploraremos as aplicações dos números complexos em diversas áreas da matemática e da física.

Características fundamentais dos números complexos: o que são e como funcionam.

Números complexos: os números complexos são uma extensão dos números reais, que incluem uma parte real e uma parte imaginária. Eles são representados na forma a + bi, onde “a” é a parte real, “b” é a parte imaginária e “i” é a unidade imaginária, que é a raiz quadrada de -1.

Os números complexos possuem algumas propriedades importantes, como a adição, subtração, multiplicação e divisão. A adição e subtração de números complexos são realizadas separadamente para as partes reais e imaginárias, enquanto a multiplicação é feita utilizando a propriedade distributiva. Já a divisão de números complexos envolve a multiplicação do numerador e denominador pelo conjugado do denominador.

Um exemplo de número complexo seria 3 + 2i, onde 3 é a parte real e 2 é a parte imaginária. Outro exemplo seria -5 – 4i, onde -5 é a parte real e -4 é a parte imaginária. Esses números podem ser somados, subtraídos, multiplicados e divididos de acordo com as propriedades dos números complexos.

As operações com números complexos seguem as mesmas regras que as operações com números reais, com algumas diferenças devido à presença da parte imaginária. É importante lembrar que a unidade imaginária elevada ao quadrado é igual a -1, o que pode ser útil em simplificações de expressões complexas.

Eles possuem propriedades específicas, como adição, subtração, multiplicação e divisão, e seguem as mesmas regras das operações com números reais, com algumas particularidades devido à presença da unidade imaginária.

Operações matemáticas envolvendo números complexos: quais são e como realizá-las?

Números complexos são números que possuem uma parte real e uma parte imaginária, representados na forma a + bi, onde “a” é a parte real, “b” é a parte imaginária e “i” é a unidade imaginária.

As operações matemáticas envolvendo números complexos são a adição, subtração, multiplicação e divisão. Para realizar essas operações, basta aplicar as mesmas regras utilizadas para números reais, mas levando em consideração que a unidade imaginária “i” satisfaz a propriedade i^2 = -1.

Na adição e subtração de números complexos, somamos ou subtraímos as partes reais e imaginárias separadamente. Por exemplo, ao somar os números complexos (3 + 2i) e (1 + 4i), obtemos o resultado (4 + 6i).

Já na multiplicação de números complexos, multiplicamos os termos como se fossem binômios, lembrando que i^2 = -1. Por exemplo, ao multiplicar os números complexos (3 + 2i) e (1 + 4i), obtemos o resultado (-5 + 14i).

Relacionado:  Propriedade associativa: adição, multiplicação, exemplos, exercícios

Por fim, na divisão de números complexos, multiplicamos o numerador e o denominador pela conjugada do denominador, de forma a eliminar a parte imaginária do denominador. Por exemplo, ao dividir os números complexos (3 + 2i) por (1 + 4i), obtemos o resultado (0.7 – 0.8i).

São operações importantes na Matemática e possuem diversas aplicações em áreas como Engenharia, Física e Computação.

Qual é o resultado da multiplicação entre os números complexos z1 e z2?

Números complexos são expressões matemáticas que combinam uma parte real e uma parte imaginária. Eles podem ser representados na forma z = a + bi, onde ‘a’ é a parte real e ‘bi’ é a parte imaginária.

Para multiplicar dois números complexos z1 = a + bi e z2 = c + di, basta usar a propriedade distributiva e as regras de multiplicação de números complexos. O resultado da multiplicação entre z1 e z2 é dado por:

z1 * z2 = (a + bi)(c + di) = ac + adi + bci + bdi^2

Simplificando a expressão, temos:

z1 * z2 = ac + adi + bci + bd(-1) = (ac – bd) + (ad + bc)i

Portanto, o resultado da multiplicação entre os números complexos z1 e z2 é dado por (ac – bd) + (ad + bc)i.

Qual a explicação por trás do valor de i elevado ao quadrado ser -1?

Números complexos são uma extensão dos números reais que incluem a unidade imaginária i, definida como a raiz quadrada de -1. Quando elevamos i ao quadrado, obtemos i2.

Para entender por que i2 é igual a -1, podemos usar a definição de i. Podemos escrever i como i = √(-1). Elevando ambos os lados ao quadrado, obtemos i2 = (√(-1))2.

Lembrando que o quadrado de qualquer raiz quadrada é o número dentro da raiz, obtemos i2 = -1. Portanto, a explicação por trás do valor de i2 ser -1 é a definição da unidade imaginária i como a raiz quadrada de -1.

Números complexos: propriedades, exemplos, operações

Números complexos: propriedades, exemplos, operações

Os números complexos são o conjunto numérico que abrange números reais e todas as raízes dos polinômios, incluindo pares de raízes de números negativos. Essas raízes não existem no conjunto de números reais, mas em números complexos é a solução.

Um número complexo consiste em uma parte real e outra chamada “imaginário”. A parte real é chamada a , por exemplo, e a parte imaginária  ib , com números reais a e b e “i” como a unidade imaginária . Dessa maneira, o número complexo assume a forma:

z = a + ib

Exemplos de números complexos são 2 – 3i, -πi, 1 + (1/2) i. Mas antes de operar com eles, vamos ver onde a unidade imaginária i se origina , considerando esta equação quadrática:

x 2 – 10x + 34 = 0

Em que a = 1, b = -10 ec = 34.

Quando a fórmula de solução é aplicada para determinar a solução, encontramos o seguinte:

Como determinar o valor de √-36? Não há um número real que ao quadrado resulte em uma quantidade negativa. Portanto, conclui-se que essa equação não possui soluções reais.

Relacionado:  Função de injeção: o que é, para que serve e exemplos

No entanto, podemos escrever o seguinte:

√-36 = √-6 2 = √6 2 (-1) = 6√-1

Se definirmos um determinado valor x tal que:

x 2 = -1

Assim:

x = ± √-1

E a equação anterior teria uma solução. Portanto, a unidade imaginária foi definida como:

i = √-1

E assim:

√-36 = 6i

Muitos matemáticos da antiguidade trabalharam para resolver problemas semelhantes, destacando o Renascimento Girolamo Cardano (1501-1576), Nicolo Fontana (1501-1557) e Raffaele Bombelli (1526-1572).

Anos depois, René Descartes (1596-1650) chamou quantidades “imaginárias” como √-36 no exemplo. Por esse motivo, √-1 é conhecida como unidade imaginária .

Propriedades de números complexos

-O conjunto de números complexos é indicado como C e inclui os números reais R e os números imaginários Im. Os conjuntos numéricos são representados em um diagrama de Venn, conforme mostrado na figura a seguir:

– Qualquer número complexo consiste em uma parte real e uma parte imaginária.

-Quando a parte imaginária de um número complexo é 0, é um número real puro.

-Se a parte real de um número complexo é 0, então o número é puro imaginário.

-Dois números complexos são os mesmos, se a respectiva parte real e imaginária forem iguais.

-Com os números complexos são realizadas as operações conhecidas de adição, subtração, multiplicação, produto e aprimoramento, resultando em outro número complexo.

Representação de números complexos

Números complexos podem ser representados de várias maneiras. Aqui estão os principais:

– Forma binômica

É a forma dada no início, onde z é o número complexo, a é a parte real, b é a parte imaginária e i é a unidade imaginária:

z = a + ib

Ou também:

z = x + iy

Uma maneira de representar graficamente o número complexo é através do plano complexo mostrado nesta figura. O eixo imaginário Im é vertical, enquanto o eixo real é horizontal e é denotado como Re.

O número complexo z é representado neste plano como um ponto de coordenada (x, y) ou (a, b), assim como os pontos no plano real.

A distância da origem ao ponto z é o módulo do número complexo, denotado como r , enquanto φ é o ângulo que r forma com o eixo real.

Essa representação está intimamente relacionada à dos vetores no plano real. O valor de r corresponde ao módulo do número complexo.

– Forma polar

A forma polar é para expressar o número complexo, dando os valores de r e φ . Se olharmos para a figura, o valor de r corresponde à hipotenusa de um triângulo retângulo. As pernas são dignos de um e b , ou x e y .

Da forma binomial ou binomial, podemos passar para a forma polar:

r = √x 2 + y 2

O ângulo φ é aquele formado pelo segmento r com o eixo horizontal ou eixo imaginário. É conhecido como um argumento numérico complexo. Desta maneira:

Relacionado:  Quantas arestas possui um prisma pentagonal?

φ = arctg (y / x)

O argumento tem valores infinitos, levando em consideração que cada vez que um turno é girado, que vale 2π radianos, r ocupa a mesma posição novamente. Assim, em geral, o argumento de z, denotado Arg (z), é expresso assim:

Arg (z) = φ + 2kπ

Onde k é um número inteiro e serve para indicar o número de voltas giradas: 2, 3, 4…. O sinal indica a direção da curva, seja no sentido horário ou anti-horário.

E se queremos ir da forma polar para a forma binomial, usamos as razões trigonométricas. A partir da figura anterior, podemos ver que:

x = r cos φ

y = r sin φ

Assim z = r (cos φ + i sen φ)

Que é abreviado assim:

z = r cis φ

Exemplos de números complexos

Os seguintes números complexos são dados na forma binomial:

a) 3 + i

b) 4

d) -6i

E estes em forma de par ordenado:

a) (-5, -3)

b) (0, 9)

c) (7.0)

Finalmente, esse grupo é dado na forma polar ou trigonométrica:

a) √2 cis 45º

b) √3 cis 30º

c) 2 cis 315º

Para que servem?

A utilidade de números complexos vai além da resolução da equação quadrática mostrada no início, uma vez que são essenciais no campo da engenharia e da física, especialmente em:

-O estudo das ondas eletromagnéticas

-Análise de corrente alternada e tensão

-A modelagem de todos os tipos de sinais

Teoria da relatividade, onde o tempo é assumido como uma magnitude imaginária.

Operações com números complexos

Com números complexos, podemos executar todas as operações que são feitas com reais. Alguns são mais fáceis de fazer se os números vierem na forma binomial, como adição e subtração. Por outro lado, multiplicação e divisão são mais simples se forem realizadas com a forma polar.

Vamos ver alguns exemplos:

– Exemplo 1

Adicione z 1 = 2 + 5i e z 2 = -3 -8i

Solução

As partes reais são adicionadas separadamente das partes imaginárias:

z 1 + z 2 = (2 + 5i) + (-3 -8i) = -1 -3i

– exemplo 2

Multiplique z 1 = 4 cis 45º e z 2 = 5 cis 120º

Solução

Pode-se demonstrar que o produto de dois números complexos na forma polar ou trigonométrica é dado por:

z 1 . z 2 = r 1 .r 2 cis (φ 1 + φ 2 )

De acordo com isso:

z 1 . z 2 = (4 × 5) cis (45 + 120) = 20 cis 165º

Inscrição

Uma aplicação simples de números complexos é encontrar todas as raízes de uma equação polinomial como a mostrada no início do artigo.

No caso da equação x 2 – 10x + 34 = 0, aplicando a fórmula de resolução, obtemos:

Portanto, as soluções são:

x 1 = 5 + 3i

x 2 = 5 – 3i

Referências

  1. Earl, R. Números complexos. Recuperado de: maths.ox.ac.uk.
  2. Figuera, J. 2000. Matemática 1st. Diversificado. Edições CO-BO.
  3. Hoffmann, J. 2005. Seleção de tópicos de matemática. Publicações de Monfort.
  4. Jiménez, R. 2008. Álgebra. Prentice Hall.
  5. Wikipedia. Números complexos. Recuperado de: en.wikipedia.org

Deixe um comentário