O que a ciência da computação estuda?

O computador é uma ciência moderna que estuda os métodos, processos e tecnologia para processar, transmitir ou armazenar dados de forma digital. Com o grande avanço da tecnologia a partir da segunda metade do século XX, essa disciplina ganhava importância nas atividades produtivas, além de aumentar sua especificidade.

O desenvolvimento de computadores, circuitos fechados, robôs, máquinas, telefones celulares e o surgimento da Internet tornam a ciência da computação uma das ciências que mais crescem nas últimas décadas.

O que a ciência da computação estuda? 1

A etimologia da palavra computador tem várias origens possíveis. Surgiu principalmente como um acrônimo para as palavras informação e automático (informação automática).

Em 1957, foi Karl Steinbuch, que incluiu esse termo em um documento chamado Informatik: Automatische Informationsverarbeitung .Enquanto em 1962, o engenheiro francês Philippe Dreyfus nomeou sua empresa como Société d’Informatique Appliquée. No entanto, o russo Alexander Ivanovich Mikhailov foi o primeiro a usar esse termo como “estudo, organização e disseminação de informações científicas”.

Entre seu vasto campo de aplicação, essa ciência se dedica ao estudo do processamento automático de informações usando dispositivos eletrônicos e sistemas de computador, que podem ser usados ​​para diferentes fins.

O que a ciência da computação estuda? Aplicações

O campo de aplicação da tecnologia da informação expandiu seu espectro com o desenvolvimento tecnológico no último meio século, principalmente devido ao impulso dos computadores e da Internet.

Entre suas principais tarefas estão design, desenvolvimento, planejamento de circuito fechado, preparação de documentos, monitoramento e controle de processos.

Também é responsável pela criação de robôs industriais, bem como pelas tarefas relacionadas ao vasto campo das telecomunicações e à criação de jogos, aplicativos e ferramentas para dispositivos móveis.

Conformação de Tecnologia da Informação

A ciência da computação é uma ciência na qual convergem o conhecimento e o conhecimento de diferentes disciplinas, começando pela matemática e pela física, mas também pela computação, programação e design, entre outros.

Relacionado:  Quais são os limites éticos da pesquisa?

Essa união sinérgica entre diferentes ramos do conhecimento é complementada na ciência da computação com as noções de hardware, software, telecomunicações, internet e eletrônica.

História

O que a ciência da computação estuda? 2

Primeiro computador

A história da ciência da computação começou muito antes da disciplina que leva seu nome. Ele acompanhou a humanidade quase de suas origens, embora sem ser reconhecida como uma ciência.

Desde a criação do ábaco chinês, registrado no ano 3000 aC e considerado o primeiro dispositivo de cálculo da humanidade, pode-se falar em ciência da computação.

Esta tabela dividida em colunas, permitiu através dos movimentos de suas unidades realizar operações matemáticas como adição e subtração. Poderia haver o ponto de partida desta ciência.

Mas a evolução da ciência da computação apenas começara com o ábaco. No século XVII, Blaise Pascal, um dos cientistas franceses mais reconhecidos de sua época, criou a máquina de calcular e deu mais um passo evolutivo.

Este dispositivo serviu apenas para acréscimos e subtrações, mas foi a base para o alemão Leibniz, quase 100 anos depois, no século XVIII, desenvolverá um dispositivo semelhante, mas com multiplicações e divisões.

Essas três criações foram os primeiros processos de computador registrados. Tivemos que esperar quase 200 anos para que essa disciplina ganhasse relevância e se tornasse uma ciência.

Nas primeiras décadas do século XX, o desenvolvimento da eletrônica foi o impulso final da computação moderna. A partir daí, esse ramo da ciência começa a resolver problemas técnicos decorrentes de novas tecnologias.

Nessa época, houve a mudança dos sistemas baseados em engrenagens e barras para os novos processos de impulsos elétricos, catalogados por 1 quando a corrente passa e por 0 quando não, o que revolucionou essa disciplina.

O passo final foi dado durante a Segunda Guerra Mundial com a criação do primeiro computador, o Mark I, que abriu um novo campo de desenvolvimento que ainda está em expansão.

Relacionado:  O ciclo do hidrogênio e suas fases mais importantes

Noções básicas de computador

A ciência da computação, entendida como o processamento automático de informações por meio de dispositivos eletrônicos e sistemas de computadores, deve ter algumas capacidades para se desenvolver.

Três operações centrais são fundamentais: entrada, que se refere à coleta de informações; o processamento dessa mesma informação e a saída, que é a possibilidade de transmitir resultados.

O conjunto desses recursos de dispositivos eletrônicos e sistemas de computador é conhecido como algoritmo, que é o conjunto ordenado de operações sistemáticas para realizar um cálculo e encontrar uma solução.

Por meio desses processos, a informática desenvolveu vários tipos de dispositivos que começaram a facilitar as tarefas da humanidade em todos os tipos de atividades.

Embora sua área de aplicação não tenha limites estritos, é usada principalmente em processos industriais, gerenciamento de negócios, armazenamento de informações, controle de processos, comunicações, transporte, medicina e educação.

Gerações

Na ciência da computação e na computação, podemos falar de cinco gerações de processadores que marcaram a história moderna desde o seu surgimento em 1940 até o presente.

Primeira geração

A primeira geração teve seu desenvolvimento entre 1940 e 1952, quando os computadores foram construídos e operados com válvulas. Sua evolução e utilidade foram principalmente em um campo científico-militar.

Esses dispositivos possuíam circuitos mecânicos, cujos valores foram modificados para serem programados de acordo com as finalidades necessárias.

Segunda geração

A segunda geração foi desenvolvida entre 1952 e 1964, com o aparecimento de transistores que substituíram as válvulas antigas. Foi assim que surgiram os dispositivos comerciais, que desfrutavam de programação prévia.

Outro fato central desse estágio é o surgimento dos primeiros códigos e linguagens de programação, Cobol e Fortran. Aqueles que anos depois foram seguidos por novos.

Relacionado:  Os 20 alquimistas mais famosos da história

Terceira geração

A terceira geração teve um período de desenvolvimento um pouco menor do que seus antecessores; durou entre 1964 e 1971 quando os circuitos integrados apareceram.

A redução de custos na produção dos dispositivos, o aumento da capacidade de armazenamento e a redução no tamanho físico marcaram esse estágio.

Além disso, graças ao desenvolvimento de linguagens de programação, que ganharam especificidade e habilidades, os primeiros programas utilitários começaram a florescer.

4ª geração

A quarta geração foi produzida a partir de 1971 e durou uma década, até 1981, com componentes eletrônicos como os principais protagonistas da evolução.

Assim, os primeiros microprocessadores começaram a aparecer no mundo dos computadores, que incluíam todos os elementos básicos dos computadores antigos em um único circuito integrado.

Quinta geração

Finalmente, a quinta geração começou em 1981 e se estende até o presente, em que a tecnologia invade todos os aspectos das sociedades modernas.

O principal desenvolvimento dessa fase evolutiva da ciência da computação foram os computadores pessoais (PC), que levaram a um vasto grupo de tecnologias associadas que hoje governam o mundo.

Referências

  1. Inform ática, informação e comunicação , Documentação social: Journal of Social e Tecnologia Aplicada’ de 1999.
  2. Tratamento (Automático) da Informação, Diego Dikygs, site digital Noções de Informática, 2011.
  3. História da Computação n , Patricio Villalva.
  4. Revista revista Horizon Informar para tica educacional , Buenos Aires, 1999.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies