O que é carrancismo?

O carrancismo foi um movimento cultural e artístico brasileiro surgido na década de 1920, em contraposição ao modernismo. Defendia a valorização da cultura popular e regional, buscando resgatar as tradições e o folclore brasileiro. Os carrancistas eram conhecidos por sua postura conservadora e nacionalista, rejeitando as influências estrangeiras e defendendo a identidade cultural brasileira. Suas principais manifestações artísticas eram a literatura, a música, o teatro e as artes plásticas. Embora tenha tido um impacto significativo na época, o carrancismo acabou perdendo força com o tempo, sendo superado pelo modernismo e outras correntes artísticas.

Qual é a definição de alguém carrancudo e mal-humorado?

O carrancismo é um termo utilizado para descrever o comportamento de pessoas carrancudas e mal-humoradas. Alguém carrancudo é aquela pessoa que está constantemente de mau humor, irritada, e que demonstra pouca ou nenhuma disposição para interagir de forma positiva com os outros.

Essas pessoas tendem a expressar sua insatisfação e irritação através de expressões faciais fechadas, gestos bruscos e palavras ríspidas. Elas geralmente têm dificuldade em lidar com situações cotidianas de forma tranquila e costumam contagiar o ambiente com sua negatividade.

O carrancismo pode ser causado por diversos fatores, como estresse, problemas pessoais, frustrações constantes, entre outros. No entanto, é importante ressaltar que o comportamento carrancudo não é saudável e pode afetar tanto a pessoa que o demonstra quanto aqueles ao seu redor.

Portanto, é fundamental buscar ajuda e tentar mudar essa postura negativa, seja através de terapia, práticas de relaxamento, atividades que tragam prazer, entre outras estratégias. Afinal, a vida é muito curta para ser vivida com carrancas no rosto e no coração.

O que é carrancismo?

O que é carrancismo?

O carrancismo é um movimento político-social liderado por Venustiano Carranza (1859 – 1920), apoiado por um grande segmento de diferentes classes sociais como camponeses, burgueses, trabalhadores, proprietários de terras, entre outros.

Relacionado:  A Organização Econômica Maia

Como característica de muitos movimentos sociais de luta, o Carrancismo foi motivado pela difícil situação da Revolução Mexicana e pela desigualdade social ocorrida naquele período. Sua principal ideologia era derrubar o governo do presidente mexicano Victoriano Huerta.

Carranza chegou a assumir a presidência do Estado mexicano, no entanto, teve alguns problemas com grandes líderes da revolução, como Emiliano Zapata e Francisco Villa.

De onde vem o carrancismo?

Para conhecer as origens do Carrancismo, é importante falar sobre sua figura principal, Venustiano Carranza.

Carranza era um político, militar e empresário mexicano, nascido em 29 de dezembro de 1859 em Cuatro Ciénegas, Coahuila. Desde tenra idade, ele demonstrou interesse em assuntos políticos, por isso não é de surpreender que ele tenha decidido ir para esse ramo de estudos.

Sua primeira imersão na política foi quando foi eleito presidente municipal de Cuatro Ciénagas com José María Garza Galán, governador de sua cidade natal.

Anos depois, em 1908, ele era governador de Coahuila, nomeado por Francisco I. Madero, que mais tarde o nomeou “Secretário de Guerra e Marinha” de seu gabinete provisório em Ciudad de Juárez.

No episódio histórico conhecido como “La Decena Trágica”, o então presidente do México, Victoriano Huerta, assassinou Francisco Ignacio Madero (um revolucionário assassinado durante o regime “huertista”).

Ele então eliminou a liberdade de imprensa, a perseguição a movimentos sociais como os dos trabalhadores e contou com o apoio dos grupos mexicanos mais conservadores.

Em 1914, Victoriano Carranza, juntamente com Francisco Villa e Emiliano Zapata, conseguiu derrubar o governo Huerta no evento conhecido como “O Plano de Guadalupe”.

Algum tempo depois, Carranza assumiu a presidência para garantir que os pedidos do povo por seus direitos fossem atendidos (desde a distribuição agrária, políticas trabalhistas e sistema educacional).

Relacionado:  Idade do Bronze: características, períodos, ferramentas e invenções

As pessoas que seguiram os ideais de Carranza eram conhecidas como “carrancistas”, cujo principal ideal era representar “legalidade política”.

Muitos apoiaram as mudanças constitucionais do governo carrancista, mas o revolucionário teve problemas com seus camaradas em luta, o que lhe custou muito.

O fim do movimento carrancista

Zapata e Villa sentiram que as ações de Carranza não estavam tão comprometidas com a luta da época.

Portanto, eles decidiram se revoltar contra ele no chamado “Plano de Ayala”, um documento escrito por Emiliano Zapata e lido na convenção de Aguascalientes. Mais tarde, o exército de Carranza foi acusado de assassinar Emiliano Zapata.

Para o ano de 1920, foram realizadas as novas eleições presidenciais e é quando Álvaro Obregón se revela e Carranza é forçado a fugir do país para Veracruz, mas durante sua jornada ele foi assassinado pelas tropas do general Rodolfo Herrero, em 21 de maio, 1920

Com a morte desse líder revolucionário, muitos dos ideais de luta da Revolução Mexicana também morreram.

Referências

  1. Beltrán, Evert. (2010). O papel do carrancismo na revolução. Recuperado em 12 de setembro de 2017, de: old.laizquierdasocialista.org
  2. Venustiano Carranza. Recuperado em 12 de setembro de 2017, em wikipedia.org
  3. Gonzáles, Anibal. (2017). Plano Ayala. Recuperado em 12 de setembro de 2017, de historiacultural.com
  4.  Katz, Friedrich. A guerra secreta no México. Chicago: University of Chicago Press, 1981, p. 293
  5. Richmond, Douglas. “Venustiano Carranza” na Enciclopédia do México, vol. 1. 199. Chicago: Fitzroy Dearborn 1997.
  6. Paterson, Thomas; Clifford, J. Garry; Brigham, Robert; Donoghue, Michael; Hagan, Kenneth (2010). Relações Exteriores Americanas, Volume 1: 1920, p. 265, Cengage Learning, EUA.

Deixe um comentário