O que é um aviso literário?

Um aviso literário é um tipo de prefácio prefácio cujo objetivo é esclarecer, justificar, explicar ou impedir o leitor sobre qualquer questão específica da obra literária à qual precede.

Esse tipo de texto preliminar geralmente é usado quando uma edição anterior é modificada, quando uma nova impressão aparece ou quando o trabalho é objeto de opiniões controversas ou controversas.

O que é um aviso literário? 1

Os exemplos mais típicos são aqueles de obras que sofreram censura por motivos políticos, religiosos ou outros.

Quem escreve o aviso literário?

As advertências literárias podem ser escritas pelos autores da obra, pela editora ou por uma terceira pessoa respeitável, que também pode ter algum relacionamento com o autor e que, geralmente, pretende fazer uma avaliação do referido trabalho.

A linguagem é sempre simples e clara, a fim de alcançar e influenciar o maior número possível de leitores.

Embora os estilos de sua escrita tenham variado ao longo da história, os propósitos permanecem os mesmos.

O aviso literário dos autores

Geralmente, os autores escrevem seus avisos literários para:

-Evitar possíveis objeções ou reservas do leitor em relação ao conteúdo da obra ou seu idioma

-Responder às críticas feitas às edições anteriores

Defender, retirar ou refutar posições e idéias que foram sustentadas no trabalho e que são o eixo das controvérsias.

Nesses casos, o autor leva em conta os pontos controversos e expõe, em um estilo igualmente literário, as razões pelas quais considera que a leitura de seu livro será valiosa.

O aviso literário dos editores

Na maioria dos casos, as advertências literárias dos editores são geralmente textos bastante explicativos e menos literários.

Eles geralmente se limitam a explicar a edição em questão e suas diferenças com as anteriores, fornecendo dados biográficos do autor ou defendendo as decisões das mudanças e do que foi preservado.

O aviso literário de terceiros

Terceiros geralmente são pessoas que gozam de alguma popularidade no assunto sobre o qual o leitor deseja ser avisado, ou alguém que conhece muito bem o trabalho ou o autor.

Ele tenta modificar a disposição do leitor em relação aos preconceitos ou erros daqueles que tentam alertá-lo, para que ele não apenas apresente evidências favoráveis ​​ao trabalho, mas, se for o caso, tenta desarmar os argumentos contra ele.

Nesses casos, a linguagem utilizada também costuma ser literária, mesmo quando se propõe discutir.

Como destaca Jorge Luis Borges, esse tipo de “prólogo tolera a confiança”.

Referências

  1. Ramos, E. Á. O PREFÁCIO LITERÁRIO DO SÉCULO XX E AS RETÓRICAS CLÁSSICAS: DAS PARTES DE ORAÇÃO ATÉ OS TÓPICOS MAIS COMUNS. Revista eletrônica de estudos hispânicos, 61.
  2. Wellek, R., Dámaso, G., e José María, W. (1966).Teoria literária . Gredos
  3. Malik, K. (2010).De Fatwa à Jihad: o caso Rushdie e suas consequências . Pub da casa de Melville.
  4. BORGES, Jorge Luis, Obras Completas, Vol. IV, Barcelona, ​​Círculo de Leitores, 1992, p. 15

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies