Occipital: características, funções, malformações

O occipital é o termo científico que descreve uma parte anatômica da cabeça. Está localizado na parte inferior do crânio, especificamente na área inferior da parte de trás da cabeça. O termo occipital deriva da combinação de duas palavras latinas ( occĭput ou occipitĭum) .

Também é conhecida como protuberância occipital externa, porque em certos pacientes essa área pode ser mais volumosa do que em outras. É o caso de pacientes nascidos com síndrome de Edward (trisonomia 18) ou com síndrome de trisonomia 9.

Occipital: características, funções, malformações 1

Tipos de occipital (normal, plano e protuberante). Fonte: (Centros de Controle e Prevenção de Doenças), (Centro Nacional de Defeitos Congênitos e Deficiências do Desenvolvimento). Imagem Editada

Em ambas as alterações, são observadas malformações craniofaciais importantes que afetam o occipital. A microcefalia (crânio pequeno) geralmente é observada com um occipital excelente, além de outras malformações que acompanham essas síndromes.Em outros casos de malformações congênitas, pode ocorrer o contrário, observando um occipital achatado.

Na neonatologia, a medida do perímetro da cabeça é um fato importante como avaliação geral do estado físico do recém-nascido.

A medição da circunferência da cabeça (circunferência) é feita passando uma fita métrica ao redor da cabeça, ou seja, a fita deve ser colocada sobre o occipital em direção à frente da cabeça, especificamente no arco superciliar (acima das sobrancelhas).Enquanto isso, o comprimento da cabeça é medido colocando a fita métrica horizontalmente da testa ao occipital.

Caracteristicas

Na gíria popular, o occipital é chamado colodrillo. Se você procurar no dicionário a palavra colodrillo significa: “parte de trás da cabeça”.

Anatomia

O osso encontrado no occipital é chamado occipital. Este é um osso plano e não emparelhado. Une a coluna através da primeira vértebra cervical, chamada atlas e com a qual forma a articulação atlantooccipital.

Esse osso também possui um orifício occipital chamado forame magno , onde passa pela medula espinhal para alcançar o cérebro.

O occipital possui quatro partes: processo basilar, 2 massas laterais e a escala.O processo basilar une fibrocartilagens aos ossos temporais e esfenóides.As duas massas laterais estão intimamente relacionadas à primeira vértebra (atlas) e aos ossos temporais.Enquanto, a escala occipital tem comunicação com os ossos parietais. No centro está a protuberância occipital externa.

Em um indivíduo normal, a forma do occipital não é tão volumosa nem achatada. Quando existem malformações congênitas, a forma do occipital pode ser alterada (occipital protuberante ou achatado).

Occipital: características, funções, malformações 2

Fonte: Francois R. (2005). Tratado de Osteopatia Craniana. Articulação temporomandibular. Análise e tratamento ortodôntico. 2ª edição. Editora Panamericana. Madrid Espanha. Disponível em: books.google.co.ve

Occipital e parto

Os obstetras estão muito interessados ​​na posição e tamanho da cabeça do bebê ao nascer. Quando o recém-nascido vem da cabeça, as posições podem ser: occipital, facial ou frontal. Embora também possa vir do ombro ou das nádegas, é menos frequente.

O obstetra deve saber se o perímetro da cabeça é capaz de passar pela pélvis da mãe. Embora os ossos cranianos do bebê possam ser ajustados para atravessar o canal do parto, às vezes uma cabeça muito grande pode merecer uma cesariana.

Sob condições normais, o occipital do bebê repousa na sínfise púbica da mãe e, subsequentemente, na contração uterina subsequente, a cabeça é estendida para sair.

Quando a mãe exerce muita força durante o parto, a cabeça do bebê pode ser temporariamente deformada. O uso de pinças também pode afetar a esse respeito.

Funções

O occipital suporta o resto dos ossos do crânio e articula-se com a coluna vertebral. Juntamente com o restante dos ossos do crânio, sua função é proteger o cérebro.

Em acidentes com politrauma, o occipital pode ser afetado. Um trauma nesse nível pode causar fratura da base do crânio, sendo um trauma bastante frequente e geralmente grave.

Esse trauma não apenas leva à fratura dos ossos na área, mas também produz um importante hematoma intracraniano, que pode levar à morte.

Malformações congênitas que afetam a forma do occipital

– Occiput eminente

Em algumas malformações congênitas, podem ser observadas irregularidades no formato da cabeça do indivíduo. No caso de bebês nascidos com síndrome da trisonomia 18 (síndrome de Edwards) e trisonomia 9, são observados pequenos crânios com um occipital excelente.

Outras malformações podem envolver craniossinostose, o que sugere que as suturas entre as placas ósseas foram fechadas prematuramente, limitando o crescimento do crânio nessa área.

Isso resulta em uma variedade de malformações que, de acordo com o tamanho e a forma da cabeça como um todo, recebem um nome.

Na maioria desses casos, é visualizado um crânio maior ou menor que o normal, com o occipital proeminente.Entre as malformações que resultam em um occipital excepcional estão:

Escafocefalia

Ocorre devido a uma sinostose sagital, ou seja, o fechamento prematuro da sutura sagital ocorre da fontanela ao pescoço. Isso produz uma cabeça alongada e estreita. Pode haver inchaços no nível frontal ou occipital. Essa anomalia é bastante comum e não melhora espontaneamente.

Dolichocephaly

Nesse caso, a cabeça é alongada e estreita. Ocorre em bebês prematuros de baixo peso. É uma malformação postural devido à imaturidade do músculo cervical. É muito semelhante à escafocefalia, mas diferem na medida em que não há fechamento prematuro da sutura sagital e, portanto, corrige espontaneamente.

Encefalocele occipital com saco inteiro

Quando durante a gravidez o tubo neural não se dobra e não fecha para formar o cérebro, sai aproveitando qualquer abertura do crânio. Essa malformação causa a formação de uma protuberância em forma de saco que contém o cérebro.

O inchaço pode ocorrer em qualquer lugar, mas o mais comum é na parte de trás e na parte inferior da cabeça, no nível do occipital.

Macrocefalia

Uma malformação frequente em certos bebês é um aumento exagerado na circunferência da cabeça, ou seja, no tamanho da cabeça. Geralmente é causado por um aumento na pressão intracraniana.

Em algumas síndromes, o paciente pode apresentar macrocefalia juntamente com occipital proeminente, entre outras anormalidades. Um exemplo claro é dado em indivíduos com síndrome acrocallous.

Hidrocefalia

Nesse caso, há um aumento no tamanho da cabeça devido ao acúmulo de líquido cefalorraquidiano. A causa mais frequente é obstrutiva. Algumas síndromes congênitas se apresentam com hidrocefalia e um occipital proeminente, como é o caso da doença de Dandy-Walker.

– Occipital plano

Existem outras malformações no nível da cabeça que seguem com um occipital completamente plano. Por exemplo, acrocefalia, turbicefalia, braquicefalia, entre outros.

Acrocefalia

É uma deformação caracterizada por um crânio em forma de cone, ou seja, o crânio tem uma altura exagerada, com um occipital plano. Essa deformidade é causada pelo fechamento precoce das suturas cranianas.

Turricefalia

É uma deformação caracterizada por um crânio em forma de torre (crânio com grande altura e occipital plano). Essa deformidade é causada pelo fechamento precoce das suturas coronal e lambdoide.

Braquicefalia

Originado por uma sinostose bicoronal, ou seja, fechamento prematuro das suturas coronais em ambos os lados da cabeça. O que resulta em uma cabeça larga e curta. O occipital é achatado.

Plagiocefalia posicional

Também é chamada de síndrome da cabeça achatada, geralmente ocorre em bebês prematuros que passam longos períodos de tempo em uma posição. Isso causa o achatamento da cabeça, uma vez que o crânio de bebês prematuros ainda é muito macio.

Os tipos de plagiocefalia podem ser occipital (occipital achatado), frontal (frontal achatado) ou mista.

Também pode ocorrer antes do nascimento por pressão da cabeça da barriga contra a pelve ou torcicolo da mãe.

Neste último caso, o bebê tem dificuldade em mover a cabeça e isso faz com que ela permaneça em uma única posição, geralmente nas costas, causando a síndrome da cabeça chata (occipital plano total ou parcial).

Plagiocefalia sinostótica

O débito ocorre no fechamento precoce das suturas cranianas. Se a sutura afetada é a coronal, é chamada de plagiocefalia anterior ou coronal . E se a sutura afetada é a lambdoide, é denominada craniossinostose lambdoide.

Síndrome de Gómez-López-Hernández

Essa síndrome também é chamada de displasia cerebelo -trigeminal-dérmica. É caracterizada por apresentar sinapse romboencefálica, alopecia e anestesia trigeminal.

Galvez e colegas analisaram um caso clínico cuja ressonância magnética cerebral revelou hidrocefalia grave, forma turréfica do crânio, fusão dos hemisférios cerebelares, occipital plano e ausência de vermis anterior e posterior.

Síndrome de Apert

Também chamado de acrocefalia-sindactilia. É uma síndrome congênita hereditária. É caracterizada pela fusão de certos ossos no crânio, mãos e pés. Isso resulta em malformações craniofaciais importantes, além de mãos e pés.

Em relação às malformações cranianas, são caracterizadas por acrocefalia, diminuição do diâmetro ântero-posterior do crânio, exoftalmia (olhos salientes), frente proeminente com occipital e face achatada.

Referências

  1. Virgili J, Cabal A. Síndrome de Dandy-Walker. Atenção primária . 2010. 42 (1): 50-51. Disponível em: elsevier.es
  2. Gálvez C, Huete I, Hernández M. Hidrocefalia congênita: síndrome de Gómez-López-Hernández, uma síndrome subdiagnosticada. Caso clínico. chil Pediatr . 2018; 89 (1): 92-97. Disponível em: scielo.org
  3. Vargas Sanabria Maikel. Anatomia e exame físico da coluna cervical e torácica. perna. Costa Rica , 2012; 29 (2): 77-92. Disponível em: scielo.org
  4. Suárez F, Zarante I, Prieto J. (2007). Atlas de semiologia médica e genética. Editorial Pontificia Universidad Javeriana. Disponível em: books.google.co.ve
  5. Villarroel A, Hochstatter E, claustro R. Apert, síndrome (acrocefalosindactilia). Gac Med Bol. 2007; 30 (1): 58-62. Disponível em: scielo.org.
  6. Pandey S, Pandey K. (2011). Diagnóstico em ortopedia clínica. Terceira edição Editorial Jaypee Highlights Medical Publisher, INC Panamá. Disponível em: google.co.ve
  7. Niswander K. (1987). Obstetrícia, Prática Clínica. Reverté Editorial. Disponível em: books.google.co.ve
  8. Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Centro Nacional de Defeitos Congênitos e Deficiências do Desenvolvimento do CDC. Defeitos congênitos 2016. Disponível em: cdc.gov.
  9. «Occiput.» Wikipedia, A Enciclopédia Livre . 10 de outubro de 2018 01:42 UTC. wikipedia.org
  10. François R. (2005). Tratado de Osteopatia Craniana. Articulação temporomandibular. Análise e tratamento ortodôntico. 2 Edition. Editora Panamericana. Madrid Espanha. Disponível em: books.google.co.ve

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies