Organizações sindicais e camponesas: causas, consequências

As organizações sindicais e camponesas no México , como no resto do mundo, surgiram da necessidade de unir um grupo de trabalhadores pertencentes ao mesmo setor trabalhista. Isso aconteceu para que eles pudessem defender suas necessidades perante seus empregadores e perante o governo.

Há pouca informação relacionada à data e às causas particulares que motivaram o surgimento de organizações sindicais e camponesas no país mexicano; no entanto, vários autores concordam que o início desse movimento no México ocorreu no final do século XIX.

Organizações sindicais e camponesas: causas, consequências 1

Fonte: en.wikipedia.org

A criação de tais organizações continuou no decorrer do século XX. Dessa forma, surgiu a Confederação Nacional dos Camponeses (CNC), considerada a organização camponesa mais importante do país, e a Confederação dos Trabalhadores Mexicanos (CTM), listada como a organização sindical mais poderosa.

Apesar da importância desse tipo de agrupamento, eles não foram totalmente eficazes porque, geralmente, alguns dos membros pertencentes à organização observam apenas seus interesses pessoais e não para o bem comum.

Origem

Emergência e características das organizações sindicais

As organizações sindicais surgem no mundo para que os trabalhadores possam se aliar na defesa de seus interesses perante os empregadores e perante o governo que lidera a nação. Eles são caracterizados por agrupar um grupo de trabalhadores que pertencem à mesma área de trabalho em um grupo com idéias semelhantes.

Existem alguns mecanismos que podem ser usados ​​pelas organizações sindicais para empregadores ou governos de plantão, para atender às suas demandas. Alguns deles são: greves setoriais, protestos gerais, negociação coletiva e diálogo social.

As organizações sindicais surgiram em meados do século XIX no mundo, depois que grupos pertencentes a diferentes áreas trabalhistas ou trabalhistas começaram a se aliar para impor as demandas que tinham.

Os primeiros países que viram o surgimento de tais movimentos foram Portugal, Bélgica e Alemanha. Alguns anos depois, organizações sindicais começaram a surgir em diferentes países do mundo; entre eles o México, localizado no norte da América Latina.

No início do século 20, os sindicatos do México concordaram em aumentar os salários, que não excederam os aumentos de produtividade. Essa decisão foi tomada para facilitar o crescimento econômico durante o período pós-guerra e contribuiu para a redução do efeito inflacionário do país.

Causas

Formação de movimentos sociais

As condições de trabalho no país latino-americano fizeram com que os trabalhadores se unissem em diferentes organizações, o que lhes permitiu alcançar seus objetivos. Os trabalhadores se consideravam economicamente desfavorecidos, o que fez com que o movimento sindical ganhasse força rapidamente.

Há pouca informação correspondente à data exata em que organizações sindicais e camponesas surgiram no México; No entanto, o surgimento desse tipo de movimento no país latino-americano ocorreu entre o final do século XIX e o início do século XX.

As organizações de camponeses e trabalhadores nasceram no México como forma de verificar se as melhorias nas condições de trabalho e vida dos setores agrícola e trabalhista foram cumpridas; essas condições foram contempladas na Constituição de 1917.

Aproximadamente entre as décadas de 1920 e 1930, surgiram várias organizações camponesas de trabalhadores, sendo a Confederação Nacional dos Camponeses (CNC) a mais importante.

Além disso, a Confederação dos Trabalhadores Mexicanos (CTM), considerada a organização sindical mais influente da América Central.

Muitas dessas organizações procuraram resolver suas demandas através da luta pela democracia. Os princípios desse sistema político são geralmente aplicados nas organizações sindicais mexicanas.

Confederação Regional Mexicana de Trabalhadores ( CROM )

A Confederação Regional Obrera Mexicana (CROM) é considerada a primeira organização de trabalhadores que surgiu no México e incluiu trabalhadores em todo o país. Foi fundada em maio de 1918.

Essa confederação nasceu da necessidade de criar uma organização que representasse o maior número de sindicatos existentes naquela época no país da América Central.

Essa organização também teve como objetivo executar ações políticas. Como resultado, foi formado um partido político estruturado principalmente por membros dos sindicatos pertencentes ao CROM.

Confederação dos Trabalhadores Mexicanos ( CTM )

Fundada em fevereiro de 1936, a Confederação dos Trabalhadores Mexicanos (CTM) é considerada o centro sindical mais poderoso do México e foi precedida pela Confederação Regional dos Trabalhadores do México (CROM).

Esta confederação agrupa a grande maioria dos sindicatos que existem no México. Abriga aproximadamente 11.000 organizações sindicais.

Confederação Nacional dos Camponeses (CNC)

A Confederação Nacional dos Camponeses (CNC) nasceu como uma organização formada por trabalhadores encarregados de diferentes áreas, principalmente relacionadas à produção agrícola no México. Foi fundada em agosto de 1938.

Nos primeiros anos após a sua formação, essa organização foi a única que representou os trabalhadores do setor camponês no México.

Consequências

Dificuldade em influenciar políticas públicas

A evolução das condições políticas do México ao longo dos anos e as reformas realizadas em questões agrárias fizeram com que as organizações camponesas perdessem sua capacidade de influenciar as políticas públicas do país.

Por esse motivo, eles se tornaram dependentes do Estado através dos programas sociais que os governos implementam.

Também surgiram outras razões históricas que causaram dificuldades a essas organizações em influenciar as políticas públicas do país latino-americano.

A mudança nas condições do campo é considerada um dos principais problemas, pois, como conseqüência deles, a produção e o número de camponeses em atividade diminuíram.

Por outro lado, a falta de um forte vínculo ideológico com a organização camponesa faz com que as pessoas que participam dessas organizações o façam constantemente com base em seus problemas imediatos e não para o bem comum. Tal situação gera uma falta de comprometimento que afeta a estabilidade das organizações.

Perda de apoio estatal

A incapacidade das organizações camponesas de influenciar as políticas públicas também se deve à diminuição da participação dos agricultores no Produto Interno Bruto (PIB). Essa situação levou o Estado a abandonar algumas alianças com os camponeses no final do século XX.

Por outro lado, o funcionamento interno dos sindicatos no México não era visível para seus membros, até que em 2012 uma série de reformas trabalhistas foi implementada no país da América do Norte.

Essa modificação tornou os sindicatos da nação mais responsáveis ​​perante as pessoas que representavam e mais abertos em relação à tomada de decisões.

Referências

  1. México, Portal Solidarity Center, (sd). Retirado de solidaritycenter.org
  2. Confederação dos Trabalhadores Mexicanos, Wikipedia em inglês, (nd). Retirado de wikipedia.org
  3. Um olhar sobre os sindicatos no México, Grupo Portal Tecma, (s). Retirado de tecma.com
  4. As organizações “camponesas” e a transição política no México, Portal Observatoire des Amériques, (2007). Retirado de ieim.uqam.ca
  5. O exército e as organizações sindicais e camponesas, Monografias de Portal, (sd). Retirado de monografias.com
  6. Organizações sindicais e camponesas, Autor Gutierrez, J., Portal Blogger, (s). Retirado de gutierrezpinachojesus.blogspot.com
  7. As organizações sindicais, Portal Sitovur, (sd). Retirado de sitovur.webcindario.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies