Os 18 tipos mais comuns de discriminação

Existem muitos tipos de discriminação , entre os mais comuns estão o racismo, a xenofobia, a homofobia ou as diferentes formas de machismo.Discriminação é o ato de fazer uma distinção entre seres humanos ou grupos sociais, seja por ação ou omissão, com um sentido depreciativo, exclusivo ou negativo que leva à desigualdade de oportunidades. É um ato de abuso e injustiça que viola o direito à igualdade.

É a expressão comportamental de um preconceito e é dada principalmente pela intolerância e rejeição de certas pessoas à diversidade. Somos todos diferentes, mas somos todos seres humanos que nascem livres e iguais em dignidade e direitos e, portanto, com as mesmas oportunidades.

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 1

Para salvaguardar essa igualdade, liberdade e dignidade das pessoas, foi criada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, um documento histórico preparado e endossado por todas as regiões do mundo, proclamado em 1948 pela Assembléia Geral das Nações Unidas. Este documento fala que a “família humana” é o dever de cada nação para impor e defender qualquer indivíduo que sinta que esses direitos sejam violados.

O homem (entendido como toda a raça humana) é um ser social que requer interação com outros seres humanos para se tornar uma sociedade; mas, ao mesmo tempo, tem uma individualidade que a distingue dos outros e a torna um ser único e irrepetível. Definir essas características individuais como diferenças que as colocam acima ou abaixo de outras é discriminar.

Muitas vezes, o ato de discriminar é dado por um etnocentrismo excessivo, que é o ato de ver e analisar o mundo de acordo com os parâmetros da própria cultura e, portanto, considerar como inferior tudo o que é diferente da própria.

Os tipos mais frequentes de discriminação

Existem muitos tipos de discriminação. Embora alguns possam parecer semelhantes, eles têm suas diferenças. Muitas vezes, vários tipos de discriminação se sobrepõem ao fazer um julgamento de valor em relação a uma pessoa ou grupo de pessoas.

1- Racismo

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 2

Considera alguns grupos humanos inferiores a outros por causa de sua origem étnica. O caso mais comum é o racismo contra a raça negra, mas também se estende a outras raças, como indígenas, asiáticos etc.

Exemplo:

O apartheid é provavelmente um dos casos mais chocantes de racismo da história. A palavra “Apartheid” significa separação na língua africana e constituiu a separação por raça de pessoas em áreas residenciais, escolas ou áreas de recreação.

Esse fenômeno de discriminação chegou ao ponto de conceder poder apenas aos brancos, proibindo-os de fazer sexo com uma pessoa de cor (Ocaña, 2003).

2- Discriminação com base na nacionalidade ou origem étnica

Mais comumente chamada xenofobia, nada mais é do que rejeição ou hostilidade no exterior pelo simples fato de ser, além da raça ou cor da pele.

Essa hostilidade geralmente causa julgamentos generalizados de valor contra um gentilicio como: “todos os galegos são grosseiros”, “todos os colombianos são traficantes de drogas” etc. Isso também se aplica a grupos étnicos, comunidades indígenas e / ou povos nativos.

3- Discriminação baseada na orientação sexual

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 3

Homofobia é um termo que explica a aversão aos homossexuais, sejam homens ou mulheres, e ultimamente também inclui transexuais, bissexuais, metrossexuais e qualquer pessoa que tenha atitudes ou maneiras que, segundo o discriminador, não sejam consistentes com o sexo. .

Exemplo:

Um caso exemplar de xenofobia foi o vivido durante a Segunda Guerra Mundial, sob a direção de Adolph Hitler. Ele defendeu a pureza da “raça alemã” ou “ariano superior”.

Para Hitler, a raça ariana deve ser a única a tomar o poder do mundo, sujeitando grupos étnicos como ciganos, crianças afro-alemãs e judeus, sendo este o mais afetado (Museu, 2017) .

4- Discriminação de gênero

É a rejeição de uma pessoa, simplesmente porque são homens ou mulheres, embora essa atitude esteja principalmente associada à rejeição de mulheres, porque são consideradas fracas ou inferiores aos homens.

Essa hostilidade se origina principalmente da cultura patriarcal e machista da maioria das sociedades ocidentais que, durante séculos, colocou as mulheres em um papel secundário e basicamente reprodutivo.

É uma das discriminações contra as quais se luta incansavelmente em todo o mundo, com mudanças muito sutis, mas encorajadoras.

Exemplo:

Uma das histórias mais chocantes relacionadas à discriminação com base na orientação sexual é a de Harvey Milk, o primeiro oficial do estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Milk foi morto por um veterano do Vietnã chamado Dan White, que considerou o comportamento sem escrúpulos. White argumentou que Milk representava uma ruptura nos valores tradicionais da sociedade americana (Biography.com, 2016).

5- Discriminação das mulheres no trabalho

As mulheres foram discriminadas simplesmente porque eram mulheres há séculos. Mas desde as últimas décadas, quando o sexo feminino começou a deixar suas casas para entrar no campo do trabalho formal, trouxe outro tipo de discriminação mais particular.

Ou seja, a exclusão já generalizada de mulheres foi transferida para o local de trabalho, concedendo posições de nível inferior ao dos homens ou, em qualquer caso, as mesmas posições com salários mais baixos.

As mulheres têm menos oportunidades de conseguir emprego, especialmente em posições médias e altas.

Exemplo:

A história da humanidade está cheia de exemplos de discriminação de gênero. Provavelmente uma das mais impressionantes é a proibição que existia até 2005, quando o Kuwait se tornou o último país do mundo a dar às mulheres o direito de votar (López, 2006).

Exemplo:

O melhor exemplo de discriminação contra as mulheres no trabalho é a diferença de salário que ainda prevalece entre homens e mulheres.

Em países como a Colômbia, as mulheres ganham 25% menos que os homens por fazer exatamente o mesmo trabalho.

Você também pode ver como as mulheres são promovidas em seus empregos em menor grau que os homens, apesar de manterem as mesmas posições há mais tempo (El Tiempo, 2017).

6- Discriminação na maternidade

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 4

A principal razão pela qual em algumas empresas eles evitam contratar mulheres e preferem ocupar esses cargos com homens é por causa da maravilhosa capacidade das mulheres de trazer vida ao mundo.

Considera-se que isso pode levar a um maior absentismo e a uma diminuição da capacidade de trabalho, o que resulta em uma redução na produção.

Além disso, a maioria dos países possui leis que concedem licenças às mães após o parto, causando absentismo que deve ser coberto, causando despesas salariais mais altas.

7- Discriminação etária

O indivíduo é discriminado ou estereotipado com base em sua idade, sejam adultos mais velhos, crianças ou adolescentes.

Nas sociedades ocidentais, existe um culto exacerbado da juventude, desprezando ou minimizando os idosos, sem considerar que a experiência dos anos é uma capital inestimável.

Na maioria dos casos de discriminação contra idosos, geralmente é o caso de outro tipo de discriminação, que é a discriminação no trabalho.

Exemplo:

Um dos casos mais comuns de discriminação de idade é que os médicos devem sofrer com os pacientes quando sentem que não têm experiência suficiente devido à sua “tenra idade”.

Na Espanha, estima-se que quase 50% dos médicos sofram anualmente alguma forma de discriminação, assédio ou maus-tratos por seus pacientes e colegas devido à idade. Esse fenômeno é mais comum contra mulheres jovens (Infosalus, 2017).

8- Discriminação trabalhista

Mesmo nas sociedades que geralmente proclamam e praticam oportunidades iguais, os membros de grupos discriminados estão longe de usufruir de condições iguais no local de trabalho.

Dentro desta área, muitos tipos de discriminação são praticados, fazendo um tipo de representação na escala da situação geral da sociedade.

Assim, pode ser encontrada discriminação baseada em raça, sexo (veja Discriminação contra as mulheres no trabalho) e idade: as pessoas com mais de 50 anos são consideradas velhas e reduzem suas chances de conseguir um emprego.

A tendência atual é contratar jovens que podem ser “moldados” para se adequarem e exigirem empresas.

No entanto, há também discriminação contra jovens que, sem experiência, se encontram em um beco sem saída: eles solicitam experiência prévia, mas como podem ser adquiridos se não forem contratados?

Exemplo:

Fatores como raça, idade, sexo ou aparência física são alguns dos exemplos mais claros de discriminação no local de trabalho que a maioria das pessoas no mundo sofre pelo menos uma vez na vida.

9- Discriminação salarial

As empresas acreditam que uma pessoa não deve ganhar o mesmo que outra, fazendo o mesmo trabalho, devido ao seu status de mulher, raça, etc. embora ambos tenham a mesma capacidade física ou intelectual para realizá-lo e, por esse motivo, duas pessoas com a mesma posição podem receber salários diferentes.

Exemplo:

Conforme mencionado no número cinco, um dos casos mais frequentes de discriminação salarial está relacionado à condição de gênero das pessoas.

Na maioria dos países do mundo, as mulheres recebem salários consideravelmente mais baixos que os homens por realizarem as mesmas tarefas.

10- Discriminação pela aparência física

Obesos, albinos, pessoas com marcas ou cicatrizes, tatuagens ou piercings na pele, etc. Eles geralmente são rejeitados a priori.

Exemplo:

Pessoas com tatuagens visíveis tendem a ser as mais discriminadas no local de trabalho devido à sua aparência física.

Alguns exemplos desse tipo de discriminação são evidentes quando solicitam que um indivíduo cubra suas tatuagens para realizar algum tipo de trabalho, pois são considerados indecentes (Debate, 2017).

11- Discriminação por deficiência ou doença

O século XX trouxe consigo uma forma moderna de discriminação de doenças: o HIV / AIDS relegou as pessoas que sofrem dessa doença a um canto. A princípio, foi devido a desinformação e ignorância, depois por simples desconfiança.

Pessoas com outras doenças, como síndrome de Down, autismo, síndrome de Asperger, paralisia cerebral ou deficiência física, continuam a ser marginalizadas.

Exemplo:

Segundo a Organização Mundial da Saúde, um dos grupos mais marginalizados do mundo é o das pessoas com deficiência. Os deficientes são considerados limitados principalmente pela sociedade e não por seus corpos.

Isso pode ser visto claramente nas estatísticas fornecidas pela OMS em setembro de 2013, onde as pessoas com deficiência apresentam os maiores índices de desemprego e pobreza (OMS, 2013).

12- Discriminação religiosa

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 5

Ao longo da história, foi visto como, em nome de Deus, as mais sangrentas batalhas foram travadas.

Isso acontece hoje com tanto ou mais vigor do que antes, onde uma pessoa pode ser rejeitada e até estigmatizada por suas crenças e costumes religiosos que dela derivam.

Exemplo:

Um dos melhores exemplos de discriminação baseada em causas religiosas é a proibição do casamento entre pessoas de diferentes religiões.

Essa situação pode ser vista sem rodeios entre as religiões judaica, muçulmana e hindu (Astorga, 2017).

13- Discriminação ideológica

Talvez seja, junto com a discriminação religiosa, a forma de discriminação mais difundida e prejudicial atualmente.

Tem a ver com a rejeição de pessoas ou grupos de pessoas pelo simples fato de pensar de forma diferente, de ter posições políticas ou convicções filosóficas diferentes ou adversas às do outro.

Exemplo:

O nazismo é provavelmente um dos melhores exemplos de discriminação ideológica que ocorreu ao longo da história da humanidade.

Todas as instituições foram submetidas a um único conjunto de crenças, ensinado de maneira uniforme a crianças e estudantes. Qualquer outro modelo ideológico foi anulado, mesmo através da violência.

14- Discriminação linguística

Um indivíduo ou grupo social é rejeitado por seu idioma, sotaque ou dialeto. É comum que um estrangeiro seja ridicularizado por sua pronúncia.

No local de trabalho, um empregador não pode basear sua decisão de não contratar uma pessoa por seu sotaque estrangeiro, a menos que interfira no desempenho de sua posição.

Exemplo:

Alguns locais de trabalho, onde pessoas de várias nacionalidades convergem, proíbem o uso de idiomas diferentes dos da organização.

Essa discriminação geralmente é aplicada por empresas que desejam se livrar de funcionários de diferentes nacionalidades, como latinos, chineses ou indianos (Guerin, 2017).

15- Discriminação cultural

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 6

Geralmente ocorre em conjunto com a discriminação racial ou étnica, causada pelo etnocentrismo.

Sua expressão mais comum é a rejeição de comunidades indígenas, que se tornam grupos minoritários. O vestuário, a linguagem e as práticas ancestrais que não podem ser entendidas ou respeitadas como parte de sua cultura ancestral.

Exemplo:

Uma das comunidades mais ricas e discriminadas culturalmente do mundo são os ciganos ou ciganos. Em países como a Espanha, numerosos casos de discriminação contra ciganos são relatados anualmente.

Estima-se que, dos casos relatados, 35% ocorram em redes sociais e mídias.

Por outro lado, estima-se que 75% dos ciganos na Espanha vivam abaixo da linha da pobreza e tenham menos oportunidades do que os outros habitantes do país (Telesur, 2015).

16- Discriminação econômica

Faz uma diferenciação entre as pessoas pela quantidade de dinheiro ou bens que elas possuem. Isso geralmente resulta em discriminação por classe social.

Exemplo:

No México, a discriminação econômica é um fator óbvio de divisão social. 60% dos mexicanos acreditam que a diferença econômica é a principal causa de discriminação no país (Icaza, 2015).

17- Discriminação por classe social

Marginalize certos indivíduos dos benefícios que eles poderiam ter na sociedade. A discriminação econômica e social é dada pela desigualdade de renda ou pelas oportunidades de educação. A forma mais denegrente de discriminação por esses motivos é a escravidão.

Exemplo:

Um exemplo de segregação por classe social pode ser visto na Catalunha, onde as classes mais altas são vítimas do fenômeno da segregação econômica de maneira mais forte que as classes mais baixas.

Nesse sentido, o acesso a determinados bairros é proibido e certos direitos, como o acesso às escolas, são limitados (La Vanguardia, 2014).

18- Discriminação na socialização escolar

Os 18 tipos mais comuns de discriminação 7

Sendo a escola a sementeira dos adultos do futuro, preocupa-se que, nos últimos tempos, a educação não seja capaz de contribuir para superar as desigualdades ou reduzir a brecha social.

A discriminação nas escolas está em ascensão, algo que ultimamente tem sido chamado de ” bullying ” e tem a ver com o abuso físico ou psicológico de que algumas crianças são vítimas na escola por seus colegas porque são “Diferente” do que a sociedade escolar considera aceito, interessante ou divertido.

Exemplo:

Existem inúmeros casos e exemplos de bullying no mundo. Provavelmente, uma das mais representativas foi a de Anne D., uma adolescente de 15 anos de Ohio que se suicidou após ser vítima de bullying por seus colegas de classe (20 minutos, 2015).

19- Discriminação lateral

É a discriminação que existe entre destros e canhotos. Durante séculos, os canhotos foram vistos com raridade e receberam características demoníacas.

Exemplo:

Um exemplo de discriminação de lateralidade é quando o professor obriga os alunos a escrever com a mão direita.

Isso é visto hoje em países como o México, onde várias pessoas defendem reformas na constituição que sancionam a discriminação por lateralidade (Olguín, 2016).

Referências

  1. A Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948). Recuperado de un.org.
  2. Tenjo Jaime e Herrera Paula (2009) Dois ensaios sobre discriminação: discriminação salarial e discriminação no acesso ao emprego por etnia e gênero. Departamento de Economia, Pontificia Universidad Javeriana. Bogotá Colômbia.
  3. Tomei Manuela (2003). Análise dos conceitos de discriminação e igualdade no trabalho. International Labor Review Vol 122. Recuperado de onlinelibrary.wiley.com.
  4. Actis Eugenio e Atucha Ana J (2003). Diferenças salariais: diferenças de discriminação ou produtividade. Recuperado de nulan.mdp.edu.ar.
  5. White G. Rosa (2006). Equidade e inclusão social: um dos desafios da educação e da escola hoje. Rede Ibero-Americana de Pesquisa sobre Mudança e Eficiência Escolar (RINACE). Recuperado de repository.uam.es.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies