Pensamento convergente: características, vantagens e exemplos

O pensamento convergente é um termo criado por Joy Paul Guilford em oposição ao pensamento divergente. Refere-se à capacidade de responder corretamente a perguntas que não exigem uma grande capacidade criativa, como testes padronizados, exames ou testes similares.

Diferentemente do pensamento divergente, convergente é a capacidade de encontrar respostas únicas, racionais e estabelecidas para um problema. Ele não se concentra em possibilidades ou criatividade, mas em alcançar a solução mais adequada de maneira rápida, lógica e precisa, usando todas as informações possíveis para isso.

Pensamento convergente: características, vantagens e exemplos 1

Fonte: pixabay.com

O pensamento convergente é especialmente útil em situações em que é possível encontrar uma única resposta correta, que pode ser alcançada por meio de um processo de tomada de decisão ou simplesmente pela aplicação da lógica. Por suas características, suas respostas são definitivas e não apresentam ambiguidade.

Por outro lado, o pensamento convergente também está intimamente relacionado ao conhecimento existente, pois a maneira de aplicá-lo está relacionada ao uso de dados de maneira padronizada. Assim, ferramentas de pensamento crítico como probabilidades, informações lógicas e estatísticas são usadas neste processo.

Características do pensamento convergente

É baseado na lógica

O pensamento convergente, diferentemente de outros processos com os quais geralmente está relacionado, baseia-se em encontrar a melhor resposta ou solução possível em uma determinada situação. Para fazer isso, tente seguir um processo racional pelo qual você examina as diferentes alternativas existentes e escolhe a mais útil a qualquer momento.

Assim, embora o pensamento divergente e lateral use amplamente a intuição e a criatividade, o convergente se baseia inteiramente em lógica, estatística, reflexão e pensamento crítico. O processo geralmente é consciente e deliberado, com a pessoa buscando uma solução da maneira mais objetiva possível.

Quando o pensamento convergente é usado, diferentes critérios racionais são aplicados para avaliar, filtrar, selecionar e refinar as opções disponíveis. Idealmente, a solução que é objetivamente melhor é escolhida, embora em muitos casos isso não seja possível.

Tente chegar a conclusões inequívocas

Devido à maneira como funciona, quando uma pessoa usa o pensamento convergente, suas conclusões foram alcançadas após um processo deliberado, formal e racional. Portanto, se realizado corretamente, o resultado do processo será inegável, ao contrário do que acontece com outras formas de pensamento.

No entanto, nem sempre é possível chegar a conclusões infalíveis usando o pensamento convergente. Se, por exemplo, as informações iniciais forem falsas ou incompletas ou a situação for flexível e, portanto, não houver uma resposta adequada adequada, o resultado do processo pode não ser o mais apropriado.

Por outro lado, quando aplicado a situações complexas com mais de uma resposta, o pensamento convergente tenta encontrar a solução mais adequada, mesmo que não seja a única possível.

Portanto, esse processo de pensamento é especialmente útil para resolver problemas lógicos, fechados e concretos, como um teste padronizado.

Serve para tomar decisões

O pensamento divergente pode ser usado para explorar novas alternativas, propor soluções criativas para um problema e, em geral, observar diferentes áreas da realidade.

Pelo contrário, o convergente examina todas as possibilidades existentes em uma situação específica e tenta tomar uma decisão sobre qual é a melhor possível.

Assim, o pensamento convergente é uma das melhores ferramentas que existem ao escolher um curso de ação, escolher a resposta certa para uma pergunta ou problema e, em geral, encontrar uma solução para uma determinada situação. Quanto mais dados a pessoa tiver sobre o que deseja resolver, mais útil será essa ferramenta.

Está muito presente na educação

O pensamento convergente é uma das habilidades mais incentivadas no sistema educacional atual. Devido à maneira como as informações são apresentadas às crianças e aos jovens e à maneira como elas são examinadas, os alunos precisam aprender a tomar decisões concretas usando o pensamento e a lógica críticos.

Por exemplo, em um teste de tipo de teste, o aluno terá que examinar todas as informações que possui sobre um assunto para escolher a única resposta correta dentre todas as opções apresentadas a ele. Em um teste de desenvolvimento, essa ferramenta também será muito útil, por exemplo, ao selecionar o que é importante falar.

De fato, muitas vozes críticas com o sistema educacional atual apontam a importância de se concentrar também no pensamento divergente ou lateral. Caso contrário, quando terminarem os estudos, os jovens estarão preparados apenas para resolver problemas e realizar tarefas mecânicas, mas não para inovar ou usar sua criatividade.

Existem diferenças inatas em relação a essa capacidade

Ao contrário do que acontece com o pensamento divergente, não foram encontrados fatores cognitivos ou de personalidade que prevejam a capacidade de uma pessoa de usar o raciocínio convergente. No entanto, estudos diferentes mostram que nem todos os indivíduos podem usá-lo com a mesma eficácia de maneira inata.

Assim, enquanto algumas pessoas conseguem encontrar soluções e examinar todas as alternativas de uma situação com facilidade, outras precisam treinar essa capacidade para obter bons resultados usando-a. Essas diferenças, no entanto, não parecem estar relacionadas à inteligência, embora prevejam maior sucesso acadêmico.

Vantagens

Ajude a tomar decisões

A maioria dos aspectos de nossas vidas é muito complexa, com muitas variáveis ​​que influenciam seu desenvolvimento e um grande número de opções possíveis ao agir. Portanto, é essencial ter algum tipo de ferramenta que nos ajude a escolher o que queremos fazer o tempo todo.

O desenvolvimento de boas habilidades de pensamento convergente pode nos ajudar precisamente nisso. As pessoas que usam essa capacidade são capazes de agir com mais confiança e determinação, pois examinaram o que farão e perceberam que é a melhor alternativa.

Promove lógica e pensamento crítico

Embora o pensamento divergente por si só seja apenas uma ferramenta usada para tomar decisões, o próprio processo pelo qual ele é realizado pode ser usado para desenvolver outras habilidades cognitivas igualmente importantes. Entre tudo o que incentiva, os mais importantes são o raciocínio lógico e crítico.

Ambas as habilidades são fundamentais tanto no nosso dia a dia quanto em aspectos mais especializados, incluindo o trabalho. Isso ocorre porque, sem eles, não somos capazes de distinguir o que é verdadeiro do que não é, por isso tendemos a agir de maneiras que não são muito eficazes e acreditamos em mentiras que podem ser prejudiciais.

Desvantagens

Pode limitar a criatividade

O pensamento convergente se concentra nas informações que já estão disponíveis, nos dados puros e no que já sabemos. Isso pode ser muito útil em determinadas situações; Mas naqueles que exigem o uso da intuição e da criatividade, esse processo de raciocínio pode até ser prejudicial.

Uma pessoa que está muito acostumada a usar apenas lógica e pensamento crítico pode encontrar muitos problemas em áreas em que precisa raciocinar com menos rigidez. Isso pode ser um impedimento em áreas como empreendedorismo, relacionamento pessoal ou trabalho.

O humor piora

Durante décadas, sabe-se que nosso humor tem uma grande influência na maneira como pensamos. No entanto, foi recentemente descoberto que nossos processos cognitivos também podem influenciar significativamente nossas emoções, tanto a curto quanto a longo prazo.

Por razões ainda desconhecidas, parece que quando usamos o pensamento convergente nosso humor piora. Assim, usando excessivamente a lógica e o pensamento crítico, tendemos a nos sentir tristes, nervosos ou irritados. Em casos muito extremos, essa capacidade pode causar o aparecimento de sintomas de ansiedade.

Exemplos de pensamento convergente

O pensamento convergente pode ser usado em um grande número de situações diferentes. Abaixo, veremos vários dos exemplos mais comuns em que esse processo cognitivo é aplicado.

– Em uma reunião de uma empresa, os líderes precisam ouvir todas as idéias existentes sobre como resolver um problema, analisá-las e escolher a opção que acham que funcionará melhor.

– Em um teste de tipo de teste da universidade, o aluno deve refletir sobre todas as opções possíveis apresentadas a ele, refletir sobre o que estudou sobre o assunto e escolher a resposta que considera correta.

– Uma pessoa a quem foram oferecidos dois empregos diferentes terá que examinar os prós e contras de cada um, pensar no impacto que ambas as alternativas terão em sua vida e escolher a opção que mais lhe convém naquele momento.

– Alguém que está planejando uma viagem terá que investigar as diferentes opções de acomodação e transporte e escolher as melhores com base em fatores como seu orçamento ou o conforto de cada uma.

Referências

  1. “Pensamento convergente” em: Creative Education Foundation. Retirado em: 26 de abril de 2019 da Creative Education Foundation: creativeeducationfoundation.org.
  2. “Pensamento convergente vs. Pensamento divergente: por que o planejamento nem sempre é a coisa certa a fazer ”in: Wrike. Retirado em: 26 de abril de 2019 de Wrike: wrike.com.
  3. “Geração de ideias: divergente vs. Pensamento convergente ”em: Inteligência. Retirado em: 26 de abril de 2019 de Cleverism: cleverism.com.
  4. “3 modos de pensar: pensamento lateral, divergente e convergente” em: Ensinar o pensamento. Retirado em: 26 de abril de 2019 de Teach Thought: teachthought.com.
  5. “Pensamento convergente” em: Wikipedia. Retirado em: 26 de abril de 2019 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies