Perfil psicológico da pessoa infiel, em 5 traços amplos

A infidelidade é um tema complexo que envolve diversos aspectos psicológicos e emocionais. O perfil psicológico da pessoa infiel pode variar de acordo com cada indivíduo, mas alguns traços amplos podem ser identificados. Em geral, a pessoa infiel pode apresentar baixa autoestima, dificuldade em lidar com a intimidade emocional, busca por novas experiências e emoções, falta de comprometimento e impulsividade. Esses traços podem contribuir para a tomada de decisões que levam à infidelidade e para a dificuldade em manter relacionamentos saudáveis e duradouros. É importante ressaltar que cada caso é único e que a infidelidade pode ser motivada por uma variedade de fatores individuais e relacionais.

Características observadas em indivíduos que não são fiéis em seus relacionamentos amorosos.

O perfil psicológico da pessoa infiel pode ser observado por meio de cinco traços amplos. Em primeiro lugar, é comum que indivíduos infiéis apresentem baixa autoestima. Isso pode levá-los a buscar validação fora do relacionamento, buscando constantemente a aprovação de outras pessoas.

Além disso, indivíduos infiéis muitas vezes demonstram falta de comprometimento e incapacidade de lidar com conflitos. Eles podem evitar confrontos e buscar conforto em outras relações quando surgem problemas no relacionamento atual.

Outra característica observada em pessoas infiéis é a falta de empatia. Elas podem não se importar com os sentimentos do parceiro traído e focar apenas em suas próprias necessidades e desejos.

Além disso, é comum que indivíduos infiéis apresentem dificuldade em comunicar suas emoções de forma clara e honesta. Isso pode levar a mal-entendidos e conflitos no relacionamento, levando-os a buscar conforto em outras pessoas.

Por fim, é importante ressaltar que a pessoa infiel muitas vezes busca excitação e novidade fora do relacionamento estável. A busca por emoções fortes e aventureiras pode levá-los a trair seus parceiros em busca de satisfação pessoal.

Reações masculinas diante da infidelidade e como lidam com a situação após a traição.

O perfil psicológico da pessoa infiel pode apresentar cinco traços amplos que influenciam suas ações e reações diante da infidelidade. No caso dos homens, as reações costumam variar de acordo com sua personalidade e experiências passadas.

Um dos traços mais comuns em homens infiéis é a negligência emocional, muitas vezes relacionada a dificuldade em lidar com as próprias emoções e necessidades. Isso pode levar a um comportamento impulsivo e desrespeitoso em relação ao parceiro, contribuindo para a infidelidade.

Outro traço importante é a falta de comunicação, que pode resultar em dificuldades para expressar sentimentos e resolver conflitos de forma saudável. Isso pode levar o homem a buscar conforto e atenção fora do relacionamento, aumentando as chances de traição.

A busca por aventura e novidade também pode ser um fator determinante na infidelidade masculina. Homens que buscam constantemente emoções fortes e estimulação podem se sentir tentados a buscar relacionamentos extraconjugais para satisfazer essa necessidade.

A falta de compromisso e a dificuldade em manter um relacionamento estável também são traços comuns em homens infiéis. A incapacidade de se comprometer totalmente com o parceiro pode levar a buscar satisfação fora do relacionamento, sem considerar as consequências emocionais para o outro.

Por fim, a dificuldade em lidar com a culpa pode ser um fator importante na forma como os homens lidam com a situação após a traição. Alguns podem tentar minimizar o impacto de seus atos, enquanto outros podem sentir-se profundamente arrependidos e buscar formas de reparar o dano causado.

Relacionado:  Obsessão por amor? 10 teclas para reconhecer limerência

Diante desses traços amplos, é fundamental considerar que cada indivíduo é único e pode reagir de forma diferente diante da infidelidade. A compreensão desses aspectos psicológicos pode auxiliar na compreensão e no processo de superação da traição, tanto para o homem infiel quanto para o parceiro traído.

Qual o significado de ser uma pessoa infiel e suas consequências?

Quando falamos em infidelidade, estamos nos referindo a uma quebra de confiança e compromisso dentro de um relacionamento. Ser uma pessoa infiel significa agir de forma desonesta e trair a confiança do parceiro, seja emocionalmente ou fisicamente. As consequências desse comportamento podem ser devastadoras para ambas as partes envolvidas.

Perfil psicológico da pessoa infiel

1. Falta de comprometimento: Pessoas infiéis muitas vezes apresentam dificuldade em se comprometer com um relacionamento de forma plena, buscando satisfação fora do vínculo estabelecido.

2. Busca por novidades: A necessidade constante de novidades e emoções fortes pode levar a pessoa infiel a buscar experiências fora do relacionamento, em busca de novas sensações.

3. Problemas de autoestima: A falta de autoestima pode levar a pessoa a buscar validação e reconhecimento em outras relações, buscando preencher um vazio emocional.

4. Falta de empatia: A pessoa infiel muitas vezes não consegue se colocar no lugar do parceiro, ignorando os sentimentos e consequências de suas ações.

5. Medo do compromisso: O medo de se comprometer emocionalmente e lidar com as responsabilidades de um relacionamento pode levar a pessoa infiel a buscar fugas temporárias, sem considerar as consequências a longo prazo.

É importante buscar ajuda profissional para entender as causas desse comportamento e trabalhar na superação desse padrão destrutivo.

Perfil psicológico da pessoa infiel, em 5 traços amplos

Perfil psicológico da pessoa infiel, em 5 traços amplos 1

A pessoa infiel, além de ser geralmente representada em formas de arte que dependem de drama (é um dos personagens favoritos nos anais da literatura, cinema, televisão e todas as artes em que o coração pode lamentar suas tristezas) , existe muito além da ficção e não se limita a alguns casos isolados.

Atualmente, e apesar do fato de a monogamia ser o modelo predominante em boa parte do planeta, a infidelidade está no centro das famílias ocidentais, porque todos os dias há mais casos de casais ou casamentos afetados e que entram crise por causa desse fenômeno.

No entanto, quando falamos de pessoas infiéis, queremos dizer indivíduos que tendem a cometer infidelidades sistematicamente, não como uma exceção, mas como uma regra. A seguir, veremos os padrões de comportamento e o perfil psicológico da pessoa infiel , além de alguns fatores claramente externos que afetam o ambiente em relação ao indivíduo.

Qual é o perfil psicológico da pessoa infiel?

Como vimos, a pessoa infiel é um indivíduo acostumado a ter relacionamentos que violam as regras básicas nas quais o casal se baseia. Agora … o que torna seus relacionamentos tão instáveis ​​e com limites tão difusos? No centro desta questão está a maneira pela qual a pessoa infiel gerencia o apego com os outros .

Um estudo desenvolvido pela Universidade da Flórida determinou que a pessoa infiel tem uma tendência a desenvolver uma forma de apego chamada “apego inseguro”. Essa teoria garante que os relacionamentos primários estabelecidos com pais e cuidadores durante a infância e os primeiros anos de vida tenham uma influência decisiva nos relacionamentos estabelecidos na idade adulta. E parece que todas as suas manifestações estão relacionadas ao perfil da pessoa infiel.

Relacionado:  Como saber quando ir para a terapia de casais? 5 razões convincentes

De acordo com a teoria do apego de John Bowlby (1907-1990), as pessoas que desenvolveram apego inseguro geralmente apresentam na idade adulta as seguintes características, de acordo com o tipo de afeto e os relacionamentos primários sob os quais eles desenvolveram seu apego. Conhecemos três tipos de pessoas infiéis:

1. Apego ansioso

Os adultos que exibem esse tipo de apego são mais sensíveis à rejeição e à ansiedade, apresentam deficiências no controle de seus impulsos e insatisfação constante. Eles também temem ser rejeitados pelo casal, e é por esse motivo que estabelecem relacionamentos de maneira constante e impulsiva, buscando aprovação.

Algumas pesquisas em psicologia indicam que as pessoas infiéis também costumam ser as mais ciumentas , uma questão que revela basicamente um grande complexo de inferioridade e uma fraca auto-estima que precisa ser reafirmada ao gostar de outras pessoas e com muita frequência. Curioso, certo?

2. Evitando o apego

Esses tipos de indivíduos aprenderam a dar menos importância às suas expressões emocionais. Em outras palavras, são pessoas que se mostram mais frias e tendem a permanecer mais distantes, de modo que seus relacionamentos serão menos profundos ou receberão menos carga emocional. Eles constantemente apresentam comportamentos esquivos, altos níveis de hostilidade e agressividade e, por serem infiéis, não terão o mesmo peso emocional que as pessoas comuns. Em suma, aparecerão altas taxas de interações negativas com o casal.

3. Acessório desorganizado

Essas pessoas não estabelecem um relacionamento com segurança e convicção suficientes e tendem a exibir um comportamento imprevisível e mal organizado . Se necessário, eles não são muito compreensivos e será extremamente difícil para eles serem entendidos pelo seu homólogo. As características desse tipo de personalidade em termos de relacionamento emocional contribuirão para a falta de continuidade.

Que outros fatores que levam à infidelidade

Como comentamos anteriormente, o perfil psicológico da pessoa infiel é altamente complexo e não existe uma definição ou causa única que as classifique ou identifique como tal. Além dos três grandes rótulos de Bowlby, existem muitos outros fatores que revelam o perfil psicológico do infiel , que detalharemos abaixo:

1. O risco

Aqueles que tendem a tomar decisões arriscadas ou mostram um senso de aventura mais acentuado são mais propensos a ser infiéis em comparação com as pessoas com mais medo. É muito provável que exista um componente genético envolvido nos comportamentos de risco, uma vez que o mero fato de ser infiel inclui um componente com uma grande possibilidade de falha.

2. O poder

É uma das características mais influentes e definitivas. As pessoas em posição de poder são extremamente propensas a serem infiéis . O poder aumenta a confiança e a auto-estima, o que leva os indivíduos a agir de forma mais assertiva e extrovertida. É mais provável que os poderosos estabeleçam contato visual direto, permaneçam em posições de confiança (linguagem corporal) e se mostrem como um amante em potencial.

Relacionado:  10 dicas para paquerar (e como você nunca deve seduzir)

3. O desejo sexual

O desejo sexual varia de uma pessoa para outra. Os níveis de libido têm um componente genético difícil de controlar. Algumas pessoas têm um alto interesse em sexo, enquanto outras projetam menos interesse pelo assunto. Sendo um componente puramente físico, algumas pessoas são inerentemente mais fáceis de serem motivadas por seu desejo sexual.

Nesse caso em particular, os homens tendem a ter um impulso sexual maior , o que os leva a tomar o bastão da infidelidade puramente sexual e não afetiva.

4. Psicopatia

A sociedade nos ensinou a ver no amor e no romance um vínculo sagrado e eterno entre dois indivíduos. Outras pessoas veem no amor um jogo em que o objetivo é manipular a outra pessoa e ganhar poder sobre o parceiro emocional por meio de chantagem emocional , algo muito típico de indivíduos com alto grau de psicopatia. As pessoas que vêem o amor como um jogo têm muito mais chances de ter múltiplos interesses amorosos; Trapacear e mentir é apenas outra maneira de obter o controle do cônjuge.

  • Você pode estar interessado: ” Perfil psicológico do chantagista emocional, em 5 características e hábitos “

5. O nível econômico

A atratividade de uma pessoa influencia muito a probabilidade de ela ser infiel. A atração se manifesta de maneiras diferentes. É influenciado pela aparência física (é a primeira coisa que os olhos vêem), habilidades sociais (carisma, talento para falar) e recursos tangíveis, como dinheiro. Quanto mais próximos estivermos do que é mais exigido, maior a probabilidade de sermos infiéis.

Aqueles que têm melhor educação, rendas mais altas e carreiras de sucesso têm maior probabilidade de desenvolver um perfil infiel do que os indivíduos com menos poder de compra ou acesso à educação, em parte porque estão mais expostos ao tipo de pessoas que têm mais características consideradas atraentes. forma rasa

Existe uma solução possível?

Temos dois pontos de vista para resolver o conflito . Primeiro, a solução pode ser focada, concentrando o foco no indivíduo com o perfil psicológico infiel que não pode ter um relacionamento estável e o deseja; Você também pode se concentrar no casal, se o pilar do problema tiver mais a ver com fatores externos que influenciam, para que um ou outro seja infiel.

Por outro lado, quando o problema se concentra mais do que tudo na realidade dos dois, deve haver uma predisposição por parte do casal para resolver uma situação de tal gravidade, desde que ambos tenham um desejo sincero de avançar no relacionamento . Em alguns casos, infidelidades recíprocas ocorrem nos momentos em que ambas as partes querem terminar o relacionamento.

Nos dois casos, é necessária a participação de um profissional adequado. Sempre devemos procurar a ajuda de um conselheiro especialista em relacionamentos, já que lidar com esses tipos de problemas por conta própria muitas vezes parece extremamente difícil. A introdução de uma terceira e mais terceira opinião objetiva ajudará conversas mais construtivas.

Da mesma forma, devemos ter em mente que a terapia de casais nem sempre oferece uma solução , muito menos instantânea. A vontade das pessoas afetadas é fundamental se você deseja encontrar uma saída satisfatória.

Deixe um comentário