Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas

Phytolacca é um gênero de plantas que pertence à família Phytolaccaceae, conhecido popularmente como “uva-do-mato” ou “beladona”. São plantas herbáceas, perenes ou anuais, que podem ser encontradas em diversas regiões do mundo, principalmente nas Américas.

As plantas do gênero Phytolacca possuem propriedades medicinais, sendo utilizadas na medicina tradicional para tratar diversas condições de saúde, como inflamações, dores, infecções e problemas de pele. A espécie Phytolacca americana, por exemplo, é conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias e analgésicas.

Além disso, algumas espécies de Phytolacca são utilizadas na fabricação de tinturas e pomadas, sendo também empregadas na indústria farmacêutica. No entanto, é importante ressaltar que algumas espécies de Phytolacca são tóxicas e devem ser utilizadas com cautela e orientação de um profissional da saúde.

Benefícios e indicações da Fitolaca para a saúde e bem-estar do organismo.

A Fitolaca, também conhecida como beladona, é uma planta bastante utilizada na medicina popular devido aos seus diversos benefícios para a saúde e bem-estar do organismo. Suas propriedades medicinais são amplamente reconhecidas e utilizadas em diferentes formas de tratamento.

Entre os principais benefícios da Fitolaca, podemos destacar sua ação anti-inflamatória, analgésica e diurética. Ela é frequentemente utilizada no tratamento de dores musculares, artrite, reumatismo e outras condições inflamatórias. Além disso, a Fitolaca também é indicada para o tratamento de problemas digestivos, como prisão de ventre e má digestão.

As espécies representativas da Fitolaca incluem a Phytolacca americana e a Phytolacca dioica. Ambas possuem propriedades medicinais semelhantes e são amplamente utilizadas na fitoterapia. A Phytolacca americana, por exemplo, é conhecida por sua ação purgativa e expectorante, sendo útil no tratamento de doenças respiratórias.

Seus benefícios vão desde o alívio de dores musculares até a melhoria da digestão. No entanto, é importante ressaltar que seu uso deve ser orientado por um profissional de saúde, pois o consumo em excesso pode causar efeitos colaterais indesejados.

Utilidades da planta tintureira: descubra como ela pode ser aproveitada de diferentes formas.

A planta tintureira, também conhecida como Phytolacca, possui diversas utilidades que vão além de sua função ornamental. Suas folhas, raízes e frutos são utilizados de diferentes formas, seja na medicina, na indústria têxtil ou na culinária.

As folhas da planta tintureira contêm substâncias que possuem propriedades medicinais, sendo utilizadas no tratamento de diversas doenças, como inflamações e infecções. Além disso, a tintura feita a partir das folhas é utilizada na fabricação de tintas naturais, sendo uma alternativa sustentável e ecologicamente correta.

Já as raízes da planta tintureira são ricas em compostos químicos que possuem propriedades corantes, sendo amplamente utilizadas na indústria têxtil para tingir tecidos de forma natural. Esses corantes são mais sustentáveis do que os corantes sintéticos, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Relacionado:  Proteínas estruturais: funções, exemplos e características

Por fim, os frutos da planta tintureira também são aproveitados na culinária, sendo utilizados em receitas tradicionais de algumas regiões. Eles possuem um sabor único e são ricos em nutrientes, contribuindo para uma alimentação saudável e equilibrada.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas

A Phytolacca é um gênero de plantas que engloba diversas espécies, sendo conhecida principalmente por suas propriedades medicinais. Suas características variam de acordo com a espécie, mas geralmente são plantas herbáceas ou arbustivas, com folhas grandes e frutos coloridos.

As principais espécies representativas do gênero Phytolacca são a Phytolacca americana e a Phytolacca dioica, ambas conhecidas por suas propriedades medicinais. A Phytolacca americana, por exemplo, é utilizada no tratamento de problemas respiratórios e reumatismo, enquanto a Phytolacca dioica é conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes.

Suas características únicas e suas propriedades benéficas fazem delas plantas versáteis e importantes para diversos setores da sociedade.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas

Phytolacca é um gênero de plantas que atualmente compreende cerca de 22 espécies. É conhecido como guaba, capim carmim, milho de cachorro, altasara, arbusto, capim-cobra, granilha, capim-cobra, uva americana, espinafre americano, erva de bolacha, uva indiana e sabão .

É uma planta pertencente à família Fitolacáceas. No que diz respeito à sua etimologia, o nome do gênero significa “laca vegetal”, devido à cor carmim que é extraída de seus frutos.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 1

Phytolacca sp. Fonte: pixabay.com

O Phytolacca é um género de plantas de origem sul-americana, que é muito frequentemente na região andina. Eles podem ser obtidos em pastagens abandonadas, em estradas, ao longo de estradas ou em terrenos baldios.

Nos tempos pré-colombianos, essa planta era usada pelos aborígines como uma espécie de vômito e os caules jovens eram comestíveis. Além disso, os frutos de certas espécies de Phytolacca são usados ​​para tingir tecidos e lã.

Quanto ao seu uso medicinal, todas as espécies deste gênero são utilizadas da mesma maneira e são consideradas com as mesmas propriedades. É usado como anti-inflamatório, vermífugo, depurativo e emético.

Caracteristicas

Grass

As plantas de Phytolacca são ervas perenes e em forma de arbusto. Eles podem medir até um metro e meio de altura e não apresentam pubescência.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 2

Planta Phytolacca sp. Fonte: pixabay.com

Raiz

Eles têm uma raiz napiforme que pode medir cerca de 1 m de comprimento, sendo espessa e carnuda.

Caule

O caule dessas plantas é violeta, oco, ereto, liso e ramificado no estrato superior.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 3

Caule violeta de erva carmim

Folhas

Tem folhas verde-escuras, alternadas, com uma borda inteira e oval-lanceoladas ou oblongas. O ápice é afiado e tem uma base estreita. As folhas podem medir cerca de 13 cm de comprimento por 7 cm de largura.

Relacionado:  Tropomiosina: características, estrutura e funções

Flores

As flores são brancas rosadas. Não tem pétalas, mas sépalas pétaloides. Essas flores são agrupadas em cachos nas axilas da planta, sendo curtas e grossas. Desta forma, cada flor tem uma bractéola.

Frutas

O fruto dessas plantas é uma baga. Globicamente, mede até cerca de 7 mm de diâmetro e possui algumas costelas finas. Parece achatado e parece amoras. Sua cor é roxa e fica quase preta quando amadurece.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 4

Fruto de Phytolacca sp. Fonte: pixabay.com

Taxonomia

Sua classificação taxonômica é a seguinte:

-Reino: Plantae

-Filo: Tracheophyta

-Classe: Magnoliopsida

-Ordem: Caryophyllales

-Família: Phytolaccaceae

-Gênero: Phytolacca L. (1753).

Habitat

As plantas pertencentes a esse gênero são desenvolvidas em locais com grande quantidade de matéria orgânica, em climas temperados e médios, mesmo acima de 2000 metros acima do nível do mar.

Eles estão distribuídos por toda a região andina da América, em climas tropicais e subtropicais. No entanto, eles também estão localizados em outros países do mundo. É fácil encontrá-los em estradas, cercados, cercados ou estradas.

Importância ecológica

Recentemente, a importância das plantas deste gênero tem sido reconhecida por sua ação bioacumulativa de metais pesados, como o cádmio, que geralmente se acumula em maiores quantidades nas raízes em relação a outras partes da planta.

Da mesma forma, foi determinada a fitoacumulação de manganês em solos que contêm grandes quantidades desse elemento, ou onde é acumulado por experimentos em estufas. Nesse caso, são as folhas e o caule que mais bioacumulam esse elemento.

Esse efeito ambiental benéfico permite que as plantas do gênero Phytolacca sejam levadas em consideração , pois são espécies promissoras na desintoxicação de ambientes contaminados com esses metais.

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 5

Fruta na formação da erva carmim. Fonte: pixabay.com

Utilizações medicinais

As ervas de Phytolacca têm um uso importante na medicina tradicional, porque contêm alguns produtos químicos, como saponinas, fitolaquina, resina, taninos e glicosídeos.

Esta planta, em geral, é usada como medicamento na medicina tradicional. Para isso, são utilizadas suas raízes, frutos ou toda a sua estrutura aérea.

Enquanto, pela Comissão de Revisão de Produtos Farmacêuticos da Colômbia, é considerado um medicamento para o qual sua raiz é usada.

No que diz respeito à maneira popular pela qual deve ser preparada para consumo, destacam-se os cataplasmas, infusões, decocções, pós e compressas que podem ser aplicados diretamente nas condições da pele.

Em geral, seu uso é recomendado como anti-séptico, cicatrizante e anti-inflamatório.A raiz pode ser usada como um vermífugo e é recomendada contra sarna. Por sua vez, o pó da raiz é usado para curar feridas na pele.

Relacionado:  Tarântula: características, habitat, espécies, comportamento

Phytolacca: características, usos medicinais, espécies representativas 6

Phytolacca em apresentação medicinal. Fonte: pixabay.com

Modo de uso ou preparação

seu uso como infusão é recomendado para purificar o estômago e como um vermífugo; De fato, é recomendado no tratamento contra tênias e, para isso, é útil a infusão de partes como o caule e as folhas, além da raiz. Além disso, o uso de seus frutos é recomendado como catártico e emético.

A decocção das folhas é usada para realizar banhos durante a cura de doenças de pele causadas por parasitas, bem como para úlceras diabéticas, para aliviar varizes das pernas, desinflar ou tratar amigdalite, hemorróidas, caxumba, mastite e para reduzir o tamanho ou perder peso.

Por outro lado, a maceração das folhas é preparada em álcool e usada no tratamento de reumatismo. O suco de seus frutos é considerado um laxante.

Recomenda-se, para uso externo, 50 g de raiz por litro de água. Sabe-se que, devido ao seu conteúdo em saponina, seu uso excessivo pode se tornar tóxico, causar diarréia grave com ejeção de sangue e irritar as mucosas, portanto, apesar de seus benefícios, o uso oral é contra-indicado.

Espécies representativas

Algumas das espécies representativas desse gênero são as seguintes: P. bogotensis (amplamente utilizado na Colômbia e em outros países como planta medicinal), P. icosandra, P. rugosa, P. sanguinea, P. rivinioides .

Entre a maioria das espécies herbáceas desse gênero, destaca-se o hábito arbóreo e a beleza única: Phytolacca dioica.

É uma árvore de até 30 m, com tronco liso e esbranquiçado, com ramos suculentos e folhas verdes escuras alternadas e com pecíolos avermelhados. Esta espécie cresce entre 1700 e 2400 metros acima do nível do mar e é distribuída dos Andes colombianos para a Argentina.

Referências

  1. Catálogo de Vida: Lista de Verificação Anual 2019. Gênero Phytolacca . Retirado de: catalogueoflife.org
  2. Fonnegra Gómez, R. Jiménez, SL 2007. Plantas medicinais aprovadas na Colômbia. 2nd ed. Universidade editorial de Antioquia. 353 p. Extraído de books.google.co.ve
  3. Vargas, GT 2002. Guia ilustrado das plantas das montanhas Quindío e dos Andes centrais. Universidade editorial de Caldas. 805 p. Retirado de: books.google.co.ve
  4. Fu, X., Dou Ch., Chen, Y., Chen X., Shi, J., Yu, M., Xu, J. 2011. Distribuição subcelular e formas químicas de cádmio em Phytolacca americana L. Journal of Hazardous Materials . 186 (1): 103-107.
  5. Xue, SG, Chen, YX, Reeves, RD, Baker, A., Lin, Q., Fernando, D. 2004. Captação e acúmulo de manganês pela planta de hiperacumulador Phytolacca acinosa Roxb. (Phytolaccaceae). Poluição Ambiental 131 (3): 393-399.

Deixe um comentário