Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar

O ponto cístico é uma estrutura anatômica localizada na vesícula biliar, sendo considerado um ponto de referência importante em cirurgias biliares. A vesícula biliar é um órgão em forma de pêra localizado abaixo do fígado, responsável por armazenar e concentrar a bile produzida pelo fígado. O ponto cístico é o local onde a artéria cística e o ducto cístico se encontram, formando o ducto colédoco. É fundamental conhecer a anatomia da vesícula biliar e do ponto cístico para realizar procedimentos cirúrgicos de forma segura e eficaz, evitando complicações e lesões acidentais.

Qual a importância do ducto cístico no sistema digestivo?

O ducto cístico é uma parte essencial do sistema digestivo, responsável por transportar a bile da vesícula biliar para o ducto biliar comum. A bile é um líquido produzido pelo fígado que ajuda na digestão de gorduras, emulsificando-as e facilitando a absorção de nutrientes essenciais pelo nosso organismo.

Quando a vesícula biliar se contrai, o ducto cístico se abre e a bile é liberada para auxiliar na digestão dos alimentos. A bile também ajuda a eliminar resíduos e toxinas do corpo, contribuindo para o bom funcionamento do sistema digestivo como um todo.

Portanto, podemos concluir que o ducto cístico desempenha um papel fundamental na digestão e na saúde do nosso organismo, garantindo que as gorduras sejam devidamente processadas e absorvidas. É importante manter a vesícula biliar e seus ductos saudáveis para evitar problemas digestivos e garantir a absorção adequada dos nutrientes essenciais para o nosso corpo.

Qual é o papel fundamental da vesícula biliar no funcionamento do sistema digestivo humano?

A vesícula biliar é um órgão pequeno, em forma de pêra, localizado abaixo do fígado. Sua principal função é armazenar a bile, um líquido produzido pelo fígado que auxilia na digestão de gorduras. Quando o alimento rico em gordura entra no intestino delgado, a vesícula biliar contrai-se e libera a bile no sistema digestivo.

A bile emulsifica as gorduras, quebrando-as em pequenas partículas para facilitar a absorção dos nutrientes pelo organismo. Sem a ação da bile, a digestão das gorduras seria muito mais difícil e menos eficiente. Portanto, a vesícula biliar desempenha um papel fundamental no processo digestivo humano, ajudando a garantir a absorção adequada dos nutrientes essenciais para o corpo.

O ponto cístico é uma condição em que pequenas pedras se formam na vesícula biliar, causando sintomas como dor abdominal, náuseas e vômitos. Em casos mais graves, as pedras podem bloquear o ducto biliar, impedindo a passagem da bile e causando complicações sérias.

Por isso, é importante manter a saúde da vesícula biliar através de uma alimentação equilibrada, rica em fibras e pobre em gorduras saturadas. Além disso, é essencial beber bastante água e praticar atividades físicas regularmente para prevenir problemas na vesícula biliar e garantir o bom funcionamento do sistema digestivo.

Conheça a anatomia da vesícula biliar e sua estrutura interna detalhada de forma simples.

A vesícula biliar é um órgão pequeno em forma de pêra localizado abaixo do fígado. Sua principal função é armazenar e concentrar a bile produzida pelo fígado, que é essencial para a digestão de gorduras. A vesícula biliar é composta por três camadas principais: mucosa, muscular e serosa. A mucosa é a camada interna que produz a bile, a muscular é responsável por contrair e liberar a bile, e a serosa é a camada externa que protege o órgão.

A estrutura interna da vesícula biliar é composta por diversos elementos importantes, como o ducto cístico, que conecta a vesícula biliar ao ducto hepático comum. O ducto cístico é essencial para o fluxo da bile para o intestino delgado, onde ela auxilia na digestão dos alimentos. Além disso, a vesícula biliar também possui um revestimento interno chamado epitélio colunar simples, que ajuda na absorção e liberação da bile.

Relacionado:  Lei de Frank-Starling: Recursos em destaque

É importante conhecer a anatomia da vesícula biliar para entender melhor o seu funcionamento e a importância desse órgão no processo digestivo. Qualquer alteração na estrutura interna da vesícula biliar, como a formação de cálculos biliares, pode causar complicações e impactar a saúde do paciente. Por isso, é fundamental manter a saúde da vesícula biliar e buscar acompanhamento médico em caso de sintomas ou problemas relacionados a este órgão.

A importância da bile para a digestão e absorção dos nutrientes no corpo humano.

O ponto cístico é uma estrutura localizada na vesícula biliar que desempenha um papel fundamental no armazenamento e liberação da bile. A bile é um líquido produzido pelo fígado e armazenado na vesícula biliar, que é essencial para a digestão e absorção dos nutrientes no corpo humano.

A bile é composta por ácidos biliares, colesterol, bilirrubina e sais biliares, e desempenha várias funções importantes no processo digestivo. Ela ajuda na emulsificação das gorduras, facilitando a sua digestão pelas enzimas pancreáticas. Além disso, a bile ajuda na absorção de vitaminas lipossolúveis, como as vitaminas A, D, E e K.

Quando os alimentos chegam ao intestino delgado, a vesícula biliar libera a bile, que é essencial para a digestão adequada dos nutrientes. A bile age como um detergente, quebrando as moléculas de gordura em pedaços menores para que as enzimas digestivas possam agir sobre elas. Dessa forma, a bile facilita a absorção dos nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo.

Portanto, o ponto cístico, localizado na vesícula biliar, desempenha um papel crucial na armazenagem e liberação da bile, que é essencial para a digestão e absorção dos nutrientes no corpo humano. Qualquer problema nessa estrutura pode comprometer a digestão adequada dos alimentos e a absorção dos nutrientes necessários para a saúde do organismo.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar

O ponto cístico , ou o ponto de Murphy, é uma referência abdominal que indica a localização topográfica da vesícula biliar. O ponto está localizado abaixo do flange costal direito, onde a linha clavicular média se une ao flange costal.

É nesse local que a vesícula biliar está normalmente localizada dentro do abdômen. A localização desse ponto é importante quando o médico suspeita de inflamação da vesícula biliar, uma condição conhecida como colecistite aguda.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 1

Por BruceBlaus – Trabalho próprio, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=44926476

A vesícula biliar é um órgão intra-abdominal localizado sob o fígado. Faz parte do sistema digestivo e serve como reservatório da bile. Por sua vez, a bile é um líquido produzido pelo fígado que tem um papel importante na digestão e absorção de gorduras. Contém sais, proteínas, colesterol e água.

A doença mais comum da vesícula biliar é a litíase biliar, que nada mais é do que a formação de pedras ou pedras dentro desse órgão. A presença dessas pedras gera dor e às vezes obstrui a saída da bile.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 2

Por George Chernilevsky – Trabalho próprio, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=44514675

Em qualquer caso, a inflamação das paredes da vesícula biliar pode resultar em colecistite aguda. Quando o ponto cístico é doloroso, existe uma alta probabilidade de que o paciente sofra de colecistite.

Ponto cístico e sinal de Murphy

O ponto cístico é o reflexo da localização da vesícula biliar na parede abdominal de uma pessoa. É usado como referência para saber onde a vesícula biliar está localizada e, portanto, poder examiná-la.

O ponto está no hipocôndrio direito do abdômen. É a interseção entre a linha clavicular média e o flange costal. A linha clavicular média é uma linha imaginária que é desenhada a partir do meio da clavícula e se estende para baixo.

Relacionado:  Quais são as diferenças entre os átrios e os ventrículos?

Esta imagem é a projeção da localização da vesícula biliar na parede abdominal.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 3

De Henry Vandyke Carter – Henry Gray (1918) Anatomia do corpo humano (consulte a seção “Livro” abaixo) Bartleby.com: Anatomia de Gray, Placa 1220, Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/index. php? curid = 564836

Para mostrar o sinal de Murphy, o médico deve localizar o ponto cístico e pressionar suavemente enquanto pede ao paciente que tome uma inspiração forte e sustentada. Esse movimento respiratório faz com que o fígado desça e a vesícula biliar, localizada sob o fígado, toque a mão do médico.

Quando a vesícula biliar inflamada encontra as mãos do examinador, o paciente sente uma forte dor que o faz interromper a inspiração. Quando isso acontece, o sinal de Murphy é considerado positivo. É um sinal específico para colecistite aguda.

O sinal foi descrito pelo eminente cirurgião John Benjamin Murphy (1857-1916), que fez grandes contribuições ao campo da cirurgia abdominal e que o Dr. William Mayo descreveu como o gênio cirúrgico dessa geração.

Quando o sinal de Murphy é positivo, ele tem uma certeza para o diagnóstico de colecistite aguda de 79%. A confirmação da doença é feita por ultrassonografia abdominal, que é o teste recomendado para a avaliação da vesícula biliar.

Importância clínica do ponto cístico

O ponto cístico é uma referência topográfica que informa ao médico onde a vesícula biliar está localizada. A importância de conhecer sua localização é que os sintomas e sinais da doença da vesícula biliar são muito específicos. Tendo essa alta especificidade, é importante colocá-las em evidência para avançar no diagnóstico de doença biliar.

O médico deve conhecer a anatomia da cavidade abdominal e a localização topográfica dos órgãos para realizar as manobras necessárias que aproximam o diagnóstico da patologia biliar.

Embora a colecistite aguda seja a doença mais comum da vesícula biliar, outras condições também podem ser encontradas, incluindo tumores malignos da vesícula biliar.

Ao palpar uma massa firme e grande que não seja dolorosa no ponto cístico, deve-se suspeitar da presença de um tumor maligno e os exames devem ser realizados o mais rápido possível, a fim de fazer um diagnóstico e tratamento oportunos.

Vesícula biliar: Anatomia

A vesícula biliar é um órgão do sistema digestivo que pertence ao sistema biliar. O sistema biliar é uma estrutura complexa de ductos que se originam no fígado e são responsáveis ​​pela formação da bile.

Existe um sistema biliar intra-hepático e extra-hepático. A vesícula biliar faz parte do sistema extra-hepático.

Ele está localizado abaixo do fígado e é fixado a ele por meio de tecido fibroso e gorduroso.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 4

De Biliary_system_new.svg: * Biliary_system.svg: Vishnu2011 trabalho derivado: Vishnu2011 () trabalho derivado: Ortisa () – Biliary_system_new.svg, Domínio público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid? 10811487

A função da vesícula biliar é armazenar e liberar a bile, que é o líquido verde-amarelado produzido pelo fígado para a digestão de gorduras.

A vesícula biliar é ativada com um mecanismo reflexo quando o esvaziamento do estômago no duodeno começa. A ativação consiste em sua contração para a expulsão da bile, que se liga às gorduras nos alimentos e ajuda na absorção e digestão.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 5

Por ilustrador desconhecido – Esta imagem foi divulgada pelo National Cancer Institute, uma agência dos Institutos Nacionais de Saúde, com o ID 1772 (imagem) (próxima)., Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w /index.php?curid=24055052

Quando a bile está muito carregada com sais de colesterol ou quando os movimentos da vesícula biliar são muito lentos, podem ocorrer cálculos biliares ou cálculos biliares. Essas formações permanecem dentro da cavidade da vesícula biliar e são um obstáculo no momento da contração.

Quando a vesícula biliar contrai e há pedras no interior, o paciente apresenta uma dor aguda muito intensa chamada cólica biliar.

Relacionado:  Retículo endoplasmático: características, estrutura e funções

A presença de cálculos da vesícula biliar, bem como a resposta lenta de contração da vesícula biliar são duas das causas que geram, a médio prazo, inflamação da vesícula biliar ou colecistite aguda.

Colecistite aguda

A colecistite aguda é uma inflamação da vesícula biliar. A causa mais frequente de colecistite é a presença de pedras no interior da vesícula biliar e a obstrução do ducto de saída, conhecido como ducto cístico.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 6

Por BruceBlaus – Trabalho próprio, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=44926479

A dor da colecistite é uma das principais razões para consultar a dor abdominal aguda em mulheres jovens e de meia idade. Esta doença ocorre mais frequentemente em mulheres do que em homens.

A colecistite é caracterizada por dor cólica localizada no hipocôndrio direito, abaixo do flange costal. Uma dor semelhante a cólica é aquela que parece subitamente atingir um pico em que a dor se torna muito forte e subsequentemente se acalma até melhorar completamente. Não é uma dor contínua.

Essa dor ocorre com a ingestão de alimentos gordurosos ou ricos em carboidratos, pois são aqueles que estimulam a atividade da vesícula biliar.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 7

Por desconhecido – Esta imagem foi divulgada pelo National Cancer Institute, uma agência dos Institutos Nacionais de Saúde, com o ID 2400 (imagem) (próxima)., Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/ index.php? curid = 10531779

Quando esta doença é diagnosticada, ela deve ser tratada imediatamente através da administração de antibióticos e da realização de um procedimento cirúrgico chamado colecistectomia. A colecistectomia é uma operação abdominal que envolve a remoção da vesícula biliar.

É importante diagnosticar e tratar o paciente com colecistite o mais rápido possível, porque, quando a doença progride, pode haver sérias complicações que colocam em risco a vida da pessoa que sofre com ela.

Diagnóstico

A abordagem diagnóstica da colecistite aguda começa com o interrogatório e a análise dos sintomas que o paciente apresentou nos últimos meses.

Geralmente, são mulheres que se queixam de distúrbios digestivos, como gases, inflamação do abdômen e náusea após a ingestão de alimentos grandes ou com alto teor de gordura.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 8

Junge schlanke Frau hat Bauchschmerzen Fêmea magra jovem tem dor abdominal

A cólica biliar é uma dor específica desta doença que é desencadeada pela ingestão de alimentos. A dor que começa leve, atinge um ponto de intensidade muito forte em poucos minutos. Isso pode melhorar com a administração de medicamentos antiespasmódicos. Esses medicamentos são aqueles que relaxam os músculos da vesícula biliar.

Se os medicamentos não forem administrados, a dor desaparece após alguns minutos e pode ocorrer várias vezes durante o dia.

O diagnóstico de colecistite aguda é estabelecido por meio de exame físico e ultrassonografia abdominal, que é o teste mais específico para o diagnóstico de litíase biliar e colecistite aguda.

Ponto cístico: o que é, importância, anatomia da vesícula biliar 9

Por James Heilman, MD – Trabalho próprio, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=14634889

O ponto cístico de Murphy deve estar localizado dentro do exame físico e o paciente deve realizar a manobra de inspiração forçada para mostrar o sinal de Murphy.

Referências

  1. Musana, K; Yale, SH (2005). John Benjamin Murphy (1857-1916). Medicina clínica e pesquisa. Retirado de: ncbi.nlm.nih.gov
  2. Jones, MW; Deppen, JG. (2019). Fisiologia da vesícula biliar. Ilha do Tesouro (FL). Retirado de: ncbi.nlm.nih.gov
  3. Njeze GE (2013). Cálculos biliares Revista nigeriana de cirurgia: publicação oficial da Sociedade de Pesquisa Cirúrgica da Nigéria. Retirado de: ncbi.nlm.nih.gov
  4. Sanders, G; Kingsnorth, AN (2007). Cálculos biliares Retirado de: ncbi.nlm.nih.gov
  5. Tanaja J, Meer JM. Colelitíase Ilha do Tesouro (FL). Retirado de: ncbi.nlm.nih.gov

Deixe um comentário