Porcentagem de energia no México usada no carvão

Segundo o setor elétrico nacional do México, durante 2016 foram gerados 16.389 gigawatts de energia a partir de carvão, o que representou 6,22% da geração bruta do sistema elétrico interconectado durante esse período.

O gás natural representa a maior fonte de energia do México, com 52%, pois é o motor de usinas de ciclo combinado. Eles são seguidos por usinas termelétricas à base de óleo combustível (17%) e usinas hidrelétricas (11%).

Porcentagem de energia no México usada no carvão 1

Atualmente, o México possui três usinas hidrelétricas, que estão resumidas abaixo:

– Usina Termelétrica José López Portillo (Rio Escondido), Estado de Coahuila, com capacidade instalada de 1.200 Megawatts.

– Usina Termelétrica Carbón II, Estado de Coahuila, com capacidade instalada de 1.200 Megawatts.

– Presidente Plutarco Elías chama a Usina Termelétrica (Petacalco), Estado de Guerrero, com capacidade instalada de 2.778.360 Megawatts.

Isso possibilita uma capacidade efetiva de geração de 5.378,36 megawatts, com base no uso de carvão como combustível primário.

Segundo a Comissão Federal de Eletricidade (CFE), no México mais de 16.320 mil toneladas de carvão foram usadas na geração de eletricidade durante 2016.

O uso de combustíveis fósseis gera emissões de gases de efeito estufa e chuva ácida para a atmosfera.

Em particular, as usinas que operam com carvão produzem partículas espessas transportadas pelo ar, que podem conter metais pesados ​​e prejudicar o meio ambiente.

As emissões térmicas e de vapor desse tipo de usina geradora podem alterar o microclima local.

Além disso, eles afetam os ecossistemas fluviais ao seu redor, devido aos derramamentos de água quente que são produzidos como resíduos do processo de geração de eletricidade.

Porcentagem de energia no México usada no carvão 2

Em vista disso, o governo mexicano fez esforços significativos para reduzir o uso desse tipo de energia e dar origem à geração de eletricidade com fontes menos poluentes de suprimentos.

Portanto, em 2016 houve uma queda na geração de eletricidade em mais de 4,98% em relação a 2015.

Os investimentos da Comissão Federal de Eletricidade estão focados na conversão de usinas termelétricas em uma função de ciclo combinado, baseada em gás natural.

Entre 2014 e 2016, sete usinas termelétricas foram convertidas em combustão dupla, para que, além do óleo combustível, possam usar gás natural.

Esses projetos representam cerca de 4.558 MW (17% da capacidade termelétrica total instalada), com um investimento de aproximadamente 2.837 milhões de pesos mexicanos.

As usinas de gás natural de ciclo combinado são muito mais eficientes (eficiência de 50%) em comparação com uma usina termelétrica convencional (eficiência de 30 a 40%).

Isso implica em um aumento significativo da eletricidade gerada, utilizando uma quantidade equivalente de combustível, o que possibilita reduzir os custos associados ao processo de geração e, por sua vez, favorece o cuidado com o meio ambiente.

Além disso, graças à implementação deste tipo de estratégias de substituição de combustíveis e poluentes caros, em 2015 houve uma tendência constante de queda nas tarifas de eletricidade para o consumidor final.

Referências

  1. Caballero, J., Vargas, J., Ohoran, C., Valdez, C. (2008) Fontes de economia de energia: Usinas de Carvão. Chihuahua, México Recuperado de: aeitch2012equipo3.files.wordpress.com
  2. Estatísticas do Setor Eletricidade (2017). Setor Elétrico Nacional, Subsecretaria de Eletricidade. Cidade do México, México. Recuperado de: egob2.energia.gob.mx
  3. Relatório Anual 2015 da Comissão Federal de Eletricidade (2016). Cidade do México, México. Recuperado de: cfe.gob.mx
  4. Lista de Usinas Geradoras no México (2016). Comissão Federal de Eletricidade. Cidade do México, México. Recuperado de: cfe.gob.mx
  5. Wikipedia, A Enciclopédia Livre (2017). Eletricidade no México. Recuperado de: es.wikipedia.or.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies