Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los?

Problemas de comportamento em crianças são uma questão comum e desafiadora enfrentada por educadores e pais em todo o mundo. Esses problemas podem variar desde desobediência e agressão até falta de concentração e impulsividade, afetando não apenas o desempenho acadêmico da criança, mas também o ambiente de aprendizado de toda a sala de aula.

Tratar esses problemas requer uma abordagem cuidadosa e individualizada, levando em consideração a personalidade e as necessidades específicas de cada criança. Estratégias como estabelecer limites claros, reforçar comportamentos positivos, fornecer apoio emocional e buscar a ajuda de profissionais especializados, como psicólogos e terapeutas, podem ser eficazes na gestão e resolução desses problemas.

É importante ressaltar que a colaboração entre pais, educadores e profissionais de saúde é fundamental para garantir o bem-estar e o desenvolvimento saudável das crianças. Ao reconhecer e abordar precocemente os problemas de comportamento, é possível criar um ambiente de aprendizado mais positivo e acolhedor para todos os envolvidos.

Estratégias para lidar com alunos desafiadores e seus problemas de comportamento na escola.

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula são desafios comuns enfrentados por professores e educadores. Lidar com alunos desafiadores requer estratégias específicas para garantir um ambiente de aprendizagem seguro e produtivo. Aqui estão algumas estratégias que podem ser úteis:

1. Estabeleça limites claros e consistentes. É importante que os alunos saibam quais são as regras e consequências em sala de aula. Consistência é fundamental para garantir que os limites sejam respeitados.

2. Reconheça e recompense o bom comportamento. Reforçar positivamente as atitudes e ações dos alunos pode incentivá-los a se comportarem de forma adequada. Reconhecimento do bom comportamento é essencial.

3. Identifique as causas dos problemas de comportamento. Muitas vezes, os alunos agem de forma desafiadora devido a questões emocionais, familiares ou de saúde. Identificar as causas subjacentes é o primeiro passo para lidar com o comportamento.

4. Ofereça apoio e recursos adicionais. Alunos com problemas de comportamento podem se beneficiar de suporte adicional, como aconselhamento, orientação ou intervenções específicas. Apoio adequado pode fazer a diferença na vida dos alunos.

5. Colabore com os pais e responsáveis. A parceria entre escola e família é fundamental para lidar com problemas de comportamento. Manter uma comunicação aberta e estabelecer um plano de ação conjunto pode ser eficaz na abordagem dos desafios.

Lidar com alunos desafiadores e seus problemas de comportamento na escola requer paciência, empatia e estratégias eficazes. Ao implementar essas estratégias de forma consistente e colaborativa, é possível criar um ambiente de aprendizagem positivo e acolhedor para todos os alunos.

Estratégias para lidar com comportamentos de crianças na escola de forma eficaz.

Problemas de comportamento em crianças podem ser desafiadores para professores e educadores lidarem em sala de aula. É importante ter estratégias eficazes para lidar com esses comportamentos, a fim de garantir um ambiente de aprendizado positivo para todos os alunos.

Uma das estratégias mais importantes é estabelecer regras claras e consistentes na sala de aula. As crianças precisam saber o que é esperado delas e quais são as consequências de comportamentos inadequados. Além disso, é essencial manter a calma e a paciência ao lidar com essas situações, para não aumentar a tensão no ambiente.

Outra estratégia eficaz é reforçar comportamentos positivos. Elogiar e recompensar as crianças quando se comportam adequadamente pode encorajar a repetição desses comportamentos. Também é importante identificar e abordar as causas subjacentes dos comportamentos problemáticos, como problemas familiares, dificuldades de aprendizado ou questões emocionais.

Além disso, é fundamental envolver os pais no processo. Comunicar-se regularmente com os responsáveis pelas crianças pode ajudar a identificar padrões de comportamento e colaborar na busca de soluções. Trabalhar em parceria com os pais pode ser fundamental para promover mudanças positivas no comportamento das crianças.

Em resumo, lidar com problemas de comportamento em crianças na escola requer um conjunto de estratégias eficazes, incluindo a definição de regras claras, o reforço de comportamentos positivos, a identificação das causas subjacentes e o envolvimento dos pais. Ao adotar essas abordagens, os educadores podem criar um ambiente de aprendizado mais positivo e produtivo para todas as crianças.

Como melhorar o comportamento dos alunos em sala de aula de forma eficaz.

Os problemas de comportamento em crianças em salas de aula podem ser desafiadores para os professores e para o ambiente de aprendizagem como um todo. É importante abordar essas questões de maneira eficaz para garantir um ambiente de ensino adequado e produtivo para todos os alunos.

Uma das maneiras de melhorar o comportamento dos alunos em sala de aula é estabelecer regras claras e consistentes. Os alunos precisam saber quais são as expectativas em relação ao seu comportamento e quais serão as consequências caso não as cumpram. É importante que as regras sejam comunicadas de forma clara e que sejam aplicadas de maneira consistente.

Além disso, é importante estimular um ambiente de respeito e empatia na sala de aula. Os alunos devem ser incentivados a respeitar uns aos outros e a se colocar no lugar do outro. Atividades que promovam a colaboração e a compreensão mútua podem ajudar a melhorar o comportamento dos alunos.

Relacionado:  Conteúdo processual: características e exemplos

Outra estratégia eficaz é reconhecer e recompensar comportamentos positivos. Os alunos devem ser elogiados quando apresentarem um bom comportamento e receber recompensas por suas atitudes positivas. Isso ajuda a reforçar os comportamentos desejados e a incentivar os alunos a se comportarem de maneira adequada.

Por fim, é importante envolver os pais e responsáveis no processo de melhoramento do comportamento dos alunos. Os pais podem fornecer informações valiosas sobre o comportamento de seus filhos e colaborar com os professores na implementação de estratégias para lidar com eventuais problemas de comportamento.

Ao adotar essas estratégias de forma consistente e colaborativa, os professores podem melhorar o comportamento dos alunos em sala de aula e criar um ambiente de aprendizagem positivo e produtivo para todos.

Soluções eficazes para lidar com a indisciplina em ambiente escolar e promover a aprendizagem.

A indisciplina em ambiente escolar é um problema frequente que pode prejudicar o processo de aprendizagem dos alunos. É fundamental que os professores estejam preparados para lidar com essas situações de forma eficaz, a fim de promover um ambiente de ensino saudável e produtivo. Existem várias estratégias que podem ser adotadas para tratar a indisciplina e incentivar o bom comportamento dos alunos.

Uma das soluções eficazes para lidar com a indisciplina em sala de aula é estabelecer regras claras e consistentes. Os alunos precisam saber quais são as expectativas em relação ao seu comportamento e quais serão as consequências caso não as cumpram. Além disso, é importante que os professores sejam firmes, mas também justos ao aplicar as regras, para que os alunos sintam que estão sendo tratados de forma igualitária.

Outra estratégia importante é promover a comunicação e o diálogo com os alunos. Muitas vezes, a indisciplina pode ser causada por problemas pessoais ou dificuldades de aprendizagem, e é essencial que os professores estejam atentos a essas questões e ofereçam apoio quando necessário. O estabelecimento de um canal aberto de comunicação pode ajudar a identificar as causas do comportamento indisciplinado e encontrar soluções adequadas.

Além disso, é fundamental que os professores busquem alternativas positivas para lidar com a indisciplina, como o reforço positivo e o incentivo ao bom comportamento. Reconhecer e elogiar os alunos quando agirem de acordo com as regras estabelecidas pode ajudar a criar um ambiente mais harmonioso e promover a aprendizagem de forma mais eficaz.

Em resumo, para lidar com a indisciplina em ambiente escolar e promover a aprendizagem, é essencial estabelecer regras claras, promover a comunicação e o diálogo, e buscar alternativas positivas para incentivar o bom comportamento dos alunos. Com essas estratégias em prática, os professores podem criar um ambiente de ensino mais acolhedor e produtivo, contribuindo para o desenvolvimento acadêmico e pessoal dos estudantes.

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los?

Os problemas de comportamento na sala de aula de crianças do ensino fundamental, pré-escola e geralmente na infância são devidos, em muitos casos, as crianças recebem mais atenção – e mais reforzamiento- quando eles se comportassem mal quando eles agem de forma adequada .

Para que um tratamento psicoeducacional em crianças e adolescentes seja bem-sucedido, os pais devem estar totalmente envolvidos na modificação desses comportamentos, uma vez que as crianças agem de acordo com o contexto em que se encontram.

Os problemas de comportamento mais comuns em crianças

1-Tantrums

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los? 1

Este é um problema muito comum em crianças, que você provavelmente já experimentou em várias ocasiões.

Os pirulitos das crianças, os choros excessivos e repentinos, constituem uma fonte de desconforto para os pais e, em muitos casos, as crianças conseguem fazer o que querem agindo dessa maneira.

É considerado normal quando se manifesta entre 2 e 3 anos, sendo menos frequente em idades mais avançadas.

É ainda mais irritante para os pais quando as birras ocorrem em lugares lotados – como um restaurante, um shopping, um supermercado etc. -, uma vez que eles incomodam as pessoas.

Nessas ocasiões, os pais têm muito mais probabilidade de ceder aos pedidos das crianças para evitar uma birra ainda maior, deixando-as em evidência pública.

Como consertá-los?

Se você deseja reduzir o número de birras, siga as instruções abaixo para modificar o comportamento do seu filho.

Técnica de extinção

Primeiro de tudo, você deve saber que a coisa mais recomendável nesses casos é desviar a atenção do seu filho.

Isso é chamado de “técnica de extinção”, pois o objetivo é extinguir ou eliminar certos comportamentos da criança.Para executar essa técnica, você deve estar disposto a suportar um primeiro momento de birras ainda maiores.

Pense que seu filho está acostumado a ter o seu próprio após alguns minutos; portanto, se você estiver horas sem prestar atenção nele, ele terá a chamada “explosão de extinção”.

Explique as consequências

Também é importante que você comece explicando claramente ao seu filho o que vai acontecer a partir de agora, o que seria algo assim (caso ele tenha 6 anos de idade):

Bem, você tem 6 anos e é um menino grande, então a partir de agora não vou ajudá-lo quando você gritar, chorar ou chutar. Se você quer algo, precisa pedir e falar como uma criança de 6 anos. ”

Se a criança estiver atenta e tiver ouvido sua explicação, ela será capaz de entendê-la. Portanto, não repita as instruções repetidas vezes – pois assim você prestaria atenção.

A princípio, a criança pode pensar que você cederá em algum momento e que acabará ficando sem paciência, como aconteceu em outras ocasiões.Portanto, para você levar suas instruções a sério, é importante que você mostre que isso não acontecerá, que você não prestará atenção a ele, por mais que ele grite.

Se suas birras ocorrerem na rua, a caminho da escola, simplesmente as pegue pela mão e acompanhe-as até o centro, sem reagir à atitude delas.

Não grite ou perca o controle da situação. Mantenha a calma e seja consistente com a explicação que deu ao seu filho.No momento em que você se acalma e começa a conversar de maneira calma, atenda e reforce esse comportamento.

2-Agressão e comportamentos desafiadores

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los? 2

As crianças que apresentam comportamentos agressivos geralmente causam muito desconforto aos pais, pois percebem que não podem dominar seus filhos e controlar seu comportamento.

Como afirma Javier Urra, autor do livro ” O Pequeno Ditador “, são crianças que “não toleram falhas, não aceitam frustração. Eles culpam os outros pelas consequências de suas ações ”etc.

Gradualmente, essas crianças assumem o controle das pessoas ao seu redor, fazendo o que querem e com a garantia de que seus pais não se oporão a elas.Como você pode ver, é um problema que está piorando com o tempo e, portanto, deve começar a ser tratado o mais rápido possível.

Como evitar comportamentos desafiadores?

Quanto mais jovem a criança, mais moldável e mais fácil será acabar com esse problema.Portanto, se seu filho tem uma atitude agressiva, como a que estamos descrevendo, você deve executar os seguintes métodos:

  • Aprenda a dizer não. Mesmo que isso o ameace, ofenda ou ofenda, você deve manter sua postura e fazer com que pareça que não desistirá se agir dessa maneira. Seja firme e não o deixe
    escapar com esse comportamento.
  • Nunca use punição física . Esse tipo de punição geralmente não funciona e a única coisa que causa isso é frustrar e usar a violência contra outras pessoas ou objetos.
  • Procure figuras violentas ao seu redor: as crianças são muito vulneráveis ​​ao contexto em que se encontram. Muitas vezes, as crianças que mostram comportamento agressivo têm amigos que se comportam da mesma maneira.

O aconselhável é que você tenha um controle das crianças com quem seu filho está relacionado e faça com que ele gaste menos tempo com eles, se necessário.

Aqui você também deve enfatizar as séries, filmes ou videogames pelos quais seu filho mostra interesse. A mídia pode aumentar o comportamento violento.

Problemas de controle de 3-esfíncter

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los? 3

A aquisição do controle esfincteriano ocorre em diferentes idades, dependendo da criança em questão.Normalmente, essas idades variam entre 2 e 6 anos, produzindo primeiro o controle do cocô e depois o da urina.

Às vezes, as crianças controlam o xixi durante o dia, mas têm problemas de retenção durante a noite, até uma idade mais avançada.Se seu filho tiver dificuldades em relação ao controle do esfíncter, a primeira coisa que você deve fazer é consultar um médico especialista que elimine problemas fisiológicos.

Como resolver isso?

É um erro comum tentar iniciar uma terapia psicológica sem antes ir ao médico.Se forem excluídos problemas médicos, vários métodos diferentes podem ser iniciados:

  • Modifique os hábitos diurnos e noturnos.Se seu filho não puder controlar o xixi à noite, você poderá alterar algumas rotinas, como impedir que ele beba demais do jantar ou acordá-lo no momento em que o episódio de incontinência geralmente ocorre.

Se você acordar entre 10 e 15 minutos antes de fazer xixi na cama, pode ir ao banheiro e impedir que isso aconteça.

  • Técnica de sobrecorreção através da prática positiva.É uma técnica na qual a criança é ensinada a reparar os danos causados ​​por uma ação inadequada. Nesse caso, após o episódio de incontinência, a criança é instruída a trocar os lençóis, limpar e trocar o pijama.

  • Técnica Pipi-stop. Embora apresente mais dificuldades, uma vez que é necessário instalar uma máquina em casa, sua eficácia é amplamente demonstrada. Essa técnica consiste
    em emitir um alarme quando for detectado que a criança está molhando a cama.

Portanto, a criança acorda e pode interromper o episódio e evitar a ocorrência de incontinência. Recomendamos esse método se seu filho apresentar incontinência freqüentemente (consultando um especialista).

4-Baixa motivação antes do estudo

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los? 4

Certamente você sentiu frustração com seu filho, porque ele não passou tanto tempo estudando quanto você gostaria.

Relacionado:  O que é o Transtorno Negativista Desafiador?

Hoje, muitos pais têm o mesmo sentimento, pois vivemos em uma sociedade altamente competitiva que atribui grande importância aos resultados acadêmicos – às custas do esforço.

Outro problema frequente é pensar que as crianças não devem ser recompensadas por cumprirem seu dever, uma vez que é considerada uma forma de “chantagem”.

No entanto, lembre-se de que as crianças ainda não entendem a importância do estudo, portanto não serão motivadas se não receberem prêmios ou recompensas a curto prazo.

Como melhorar a motivação?

Se você deseja aumentar a motivação do seu filho para o estudo, estabeleça com ele uma série de recompensas diárias, semanais e trimestrais.

Por exemplo: “Se você dedicar 2 horas por dia às tarefas da escola, poderá escolher entre:

  • Saia com a bicicleta por 45 minutos.
  • Assista 30 minutos na televisão.
  • Brinque com o computador 30 minutos.
  • Escolha o jantar.

Como você pode ver neste exemplo, vários prêmios são oferecidos, para evitar saciedade.Também é importante que o tempo da atividade seja previamente estabelecido, para que não haja confusão ou conflito ao interromper o prêmio.

Você também pode fazer prêmios trimestrais, nos quais você pode oferecer excursões a seus filhos, visitas a um parque de diversões, viagens de fim de semana etc.O importante aqui é que você se adapte aos interesses deles e procure maneiras de fortalecer seus esforços no estudo.

Dessa maneira, como adultos, trabalhamos para conseguir um reforço econômico – salário – para as crianças trabalharem para alcançar o que lhes interessa.

5-Timidez e insegurança

Problemas de comportamento em crianças e salas de aula Como tratá-los? 5

A timidez nas crianças não causa tanta preocupação para os pais quanto os problemas que descrevemos acima, pois eles não alteram a dinâmica da família e geralmente não são causa de conflito.

De fato, muitas crianças são classificadas como tímidas desde a infância e nenhuma atenção foi dada a esse problema.

Atualmente, o interesse por esse tipo de criança está aumentando, pois está demonstrado que crianças com habilidades sociais adequadas terão melhor desenvolvimento acadêmico, social e familiar.

Como consertar isso?

Aqui estão algumas dicas específicas para você aplicar se seu filho é especialmente tímido e você acha que pode criar problemas de relacionamento com outras pessoas:

  • Diga a ele como se comportar com os outros.Use instruções específicas, como “diga olá para essas crianças e pergunte se você pode brincar com elas”, em vez de dar instruções gerais e inespecíficas.

  • Comporte-se como um modelo.Se você deseja que seu filho se comporte mais abertamente com os outros, aja da mesma maneira quando estiver à frente.

Diga olá para as pessoas nos estabelecimentos que você frequenta, mantenha pequenas conversas com vizinhos e conhecidos, etc. Isso ajudará seu filho a ter
um bom modelo de referência para imitar.

  • Não o compare com outras crianças . As comparações podem fazer com que seu filho se sinta inferior, por isso é desencorajado dizer coisas como: “Veja como essa criança se comporta “.

Se o que você deseja é imitar o comportamento de outras crianças mais sociais, tente elogiá-las dizendo: “Que bom, quão gentil é a criança que veio nos receber”.Dessa forma, você não está dizendo a seu filho o quão ruim isso está relacionado, mas o quão bem alguém o faz.

  • Reforce os avanços que mostra, mesmo que sejam pequenos.Esse problema de timidez requer tempo e dedicação para você notar efeitos importantes.

No início, incentive-o a realizar comportamentos simples, como despedir-se dos outros com a mão ou dizer olá quando chegar a um site dizendo bom dia.

Reforce esses comportamentos dizendo a ele o quão bem ele fez isso e não o pressione quando você perceber que ele se sente desconfortável em alguma situação.Gradualmente, você pode ser mais exigente com os comportamentos solicitados, como pedir a ele que peça o garçom diretamente ao garçom.

Lembre-se de que é muito importante que você dê a devida atenção a seus filhos e ao comportamento que eles apresentam, pois, quanto mais cedo o problema for detectado , mais fácil será remediá-lo.

E você, que outros problemas de comportamento você vê em seus filhos?

Referências

  1. Caraveo-Anduaga, JJ, Colmenares-Bermúdez, E., e Martínez-Vélez, NA (2002). Sintomas, percepção e demanda por cuidados de saúde mental em crianças e adolescentes na Cidade do México. Saúde pública do México, 44 ​​(6), 492-498.
  2. Eastman, M. & Rozen, SC (2000). Raiva e birras: dicas para alcançar a harmonia da família.
  3. Fernández, LR e Armentia, SLL (2006). Enurese noturna Nefrologia Pediátrica, V Garcia Nieto, F. Santos Rodríguez, B Rodríguez-Iturbe, 2ª ed. Medical Classroom, 619-29.
  4. Juan Urra O pequeno ditador. Quando os pais são as vítimas.
  5. Olivares, J., Rosa, AI, Piqueras, JA, Sánchez-Meca, J. Méndez, X. & García-López, LJ (2002). Timidez e fobia social em crianças e adolescentes: um campo emergente. Behavioral Psychology, 523-542.
  6. Pernasa, PD, e de Lunab, CB (2005). Birras na infância: o que são e como aconselhar os pais. Revista de cuidados primários pediátricos , 7 (25).

Deixe um comentário