Produtos de conveniência: características e exemplos

Os produtos de conveniência são itens de consumo que são comprados com frequência, de forma rápida e sem muita pesquisa ou consideração prévia. Geralmente, esses produtos são de baixo custo, de fácil acesso e atendem a uma necessidade imediata do consumidor. Alguns exemplos comuns de produtos de conveniência incluem alimentos prontos para consumo, bebidas, produtos de higiene pessoal, pilhas, cigarros, entre outros. Esses produtos são geralmente encontrados em mercados, lojas de conveniência, postos de gasolina e outros estabelecimentos comerciais de fácil acesso.

Quais itens são considerados produtos de conveniência?

Os produtos de conveniência são itens que os consumidores compram com frequência, de forma rápida e sem muita reflexão. Eles são geralmente de baixo custo, amplamente disponíveis e de fácil acesso. Alguns exemplos de produtos de conveniência incluem alimentos embalados, bebidas refrigeradas, produtos de higiene pessoal, jornais e revistas, e pilhas.

Esses produtos são comprados com base na necessidade imediata do consumidor e normalmente não exigem muito planejamento ou pesquisa prévia. Eles são projetados para facilitar a vida do consumidor, oferecendo praticidade e rapidez na hora da compra.

Os produtos de conveniência são muitas vezes encontrados em lojas de conveniência, postos de gasolina, máquinas de venda automática e mercearias. Eles são essenciais para o dia a dia e atendem às necessidades básicas dos consumidores de forma rápida e eficiente.

Em resumo, os produtos de conveniência são itens essenciais que os consumidores compram regularmente, sem muita consideração, devido à sua disponibilidade, acessibilidade e baixo custo.

Produtos comercializados em uma loja de conveniência.

As lojas de conveniência são estabelecimentos que oferecem uma variedade de produtos para atender às necessidades imediatas dos consumidores. Essas lojas são conhecidas pela praticidade e rapidez no atendimento, sendo ideais para quem precisa comprar algo rapidamente ou para quem deseja fazer compras de última hora. Produtos de conveniência são caracterizados por sua disponibilidade, facilidade de acesso e diversidade de opções.

Alguns exemplos de produtos comumente encontrados em uma loja de conveniência são: alimentos prontos para consumo, como sanduíches, salgadinhos, chocolates e refrigerantes; produtos de higiene pessoal, como escovas de dente, pasta de dente, papel higiênico e sabonetes; produtos de limpeza, como desinfetantes, detergente e panos de limpeza; bebidas alcoólicas, como cervejas, vinhos e destilados; itens de papelaria, como canetas, cadernos e lápis; e produtos de emergência, como pilhas, carregadores de celular e medicamentos básicos.

Além disso, as lojas de conveniência costumam oferecer serviços adicionais, como caixas eletrônicos, correios, lotéricas e recargas de celular. Essa variedade de produtos e serviços faz com que as lojas de conveniência sejam uma opção prática e conveniente para os consumidores que buscam rapidez e praticidade no seu dia a dia.

Entenda a definição e o significado dos bens de conveniência no contexto econômico.

Os bens de conveniência são produtos que os consumidores compram frequentemente, rapidamente e sem muito esforço. Eles são considerados essenciais para o dia a dia e são geralmente de baixo custo e amplamente disponíveis. Esses bens são geralmente de natureza não durável e são consumidos rapidamente.

Relacionado:  População Estatística: Principais Características e Tipos

Os produtos de conveniência são itens que os consumidores compram regularmente, sem muita reflexão ou pesquisa prévia. Eles são facilmente acessíveis em locais de compra comuns, como supermercados, farmácias e postos de gasolina. Exemplos comuns de bens de conveniência incluem alimentos básicos como pão, leite, ovos e produtos de higiene pessoal como sabonete, pasta de dente e papel higiênico.

Esses produtos são essenciais para o funcionamento diário das pessoas e são comprados de forma rotineira. Eles geralmente têm uma demanda constante e não são muito sensíveis a mudanças de preço. Os consumidores estão dispostos a pagar um preço razoável por esses itens, pois consideram que seu valor supera o custo.

Em resumo, os bens de conveniência são produtos essenciais para o cotidiano das pessoas, que são comprados regularmente, rapidamente e sem muita consideração. Eles são de baixo custo, amplamente disponíveis e têm uma demanda constante no mercado.

Entenda o significado dos artigos de conveniência e sua utilidade no dia a dia.

Os artigos de conveniência são produtos que têm como principal característica a praticidade e facilidade de uso no cotidiano das pessoas. São itens que facilitam a vida diária, economizando tempo e esforço. Esses produtos são projetados para atender às necessidades imediatas e emergenciais dos consumidores, tornando-se essenciais em diversas situações.

Os artigos de conveniência podem ser encontrados em diferentes categorias, como alimentos prontos para consumo, itens de higiene pessoal, utensílios domésticos e produtos eletrônicos. Eles são projetados para serem de fácil acesso e uso, possibilitando que as pessoas os adquiram rapidamente e os utilizem sem complicações.

Um exemplo comum de produto de conveniência são as comidas prontas, como os congelados e enlatados, que podem ser facilmente preparados em poucos minutos, ideal para quem tem pouco tempo para cozinhar. Outro exemplo são os produtos de higiene pessoal em embalagens pequenas, ideais para levar em viagens ou manter na bolsa para emergências.

Em resumo, os artigos de conveniência são itens essenciais no dia a dia das pessoas, pois oferecem praticidade, facilidade e agilidade no cumprimento de tarefas cotidianas. São produtos que facilitam a vida dos consumidores, tornando-se indispensáveis em diversas situações.

Produtos de conveniência: características e exemplos

Os produtos de conveniência são um tipo de mercadoria que é facilmente acessível para os consumidores e não requerem muita comparação entre marcas. Por sua vez, esses tipos de ativos podem ser classificados como ativos circulantes, emergenciais e de impulso.

Bens de consumo são aqueles adquiridos pelo consumidor final diretamente para uso, como roupas, carros, revistas, etc. Esses produtos são classificados em quatro categorias: conveniência, comparação, especialidade e produtos indesejados.

Produtos de conveniência: características e exemplos 1

Após a demanda por esses produtos, surgiram lojas de conveniência. Fonte: pixabay.com

Os produtos de consumo são os mais comercializados, uma vez que são comprados rapidamente no suprimento adequado ao cliente em termos de proximidade e preferências. Geralmente, o uso desses produtos é feito imediatamente, uma vez que são necessários para cobrir a necessidade instantaneamente.

Existem muitos fabricantes desse tipo de elemento, graças à grande utilidade nas operações que os produtos de conveniência geram, independentemente do setor em que se desenvolvem.

Geralmente, é dada prioridade ao volume de vendas com preços baixos sem alta utilidade por unidade, mas alta utilidade, dependendo de todas as unidades vendidas.

Por outro lado, o consumo massivo desse tipo de produto gerou o surgimento de lojas especializadas no comércio desses produtos e de fácil acesso para os consumidores. Nos últimos anos, esses estabelecimentos representaram forte concorrência para empresas tradicionais.

A maioria das pessoas geralmente está muito familiarizada com esses produtos, pois são comprados em massa e regularmente em cada viagem de supermercado, sempre que uma reunião social é apresentada e algo que você deseja compartilhar, quando qualquer móvel é danificado em casa e materiais são necessários para repará-lo, entre outros cenários.

Caracteristicas

Consumo frequente

Os produtos de conveniência geralmente são de consumo frequente, porque costumam ser usados ​​regularmente na vida cotidiana. Portanto, o consumidor tem um conhecimento profundo sobre isso e não se preocupa excessivamente com marcas ou concorrência.

Como os produtos de conveniência são frequentemente usados ​​pelo consumidor em questões básicas e não especializadas (como pasta de dente), os fabricantes desse tipo de mercadoria precisam fazer grandes esforços em publicidade para atrair consumidores e Ganhe sua preferência.

Facilmente acessível

Os produtos de conveniência não representam um grande esforço – nem econômico nem de busca – para o consumidor.

Esse tipo de mercadoria está rapidamente disponível para as pessoas, uma vez que a cadeia de distribuição é ampla e pode ser obtida tanto em grandes cadeias de mercado quanto em pequenos estabelecimentos de varejo, como armazéns.

Pouco utilitário da unidade

Como esses produtos geralmente são vendidos a preços relativamente baratos, eles não geram alta utilidade por unidade, mas esse resultado é compensado pelo grande número de unidades normalmente vendidas.

Baixo envolvimento

O consumidor escolhe qual produto comprar com base simplesmente nos fatores de conveniência – como, por exemplo, onde é o local mais próximo onde ele pode obter o produto – sem considerar a marca ou o preço. Portanto, esses produtos não exigem um alto envolvimento com o cliente.

O envolvimento pode ser entendido como a qualidade e a quantidade de informações que um consumidor precisa para tomar decisões sobre qual das opções escolher entre os produtos disponíveis.

Dessa forma, os produtos de conveniência têm pouco envolvimento em relação aos consumidores, devido aos baixos preços e características semelhantes.

Classificação

Os produtos de conveniência, além de serem uma subdivisão de bens de consumo, também são divididos em três categorias determinadas pelo uso que o consumidor lhes dá:

Bens atuais

São os produtos que são comprados com mais frequência e geralmente são para consumo diário.

Mercadorias de emergência

Sua aquisição depende da existência de uma condição inesperada que requer a compra de um produto específico.

Relacionado:  Campo Semântico de Material Escolar: 15 Palavras Principais

Geralmente, sua compra não é feita antecipadamente, fornecendo situações que a merecem, mas apenas no momento em que a compra do produto é realmente necessária.

Bens de impulso

São produtos cujo consumo não se deve a emergências, mas não é realizado diariamente.

Esses produtos são consumidos pelo simples gosto e desejo dos consumidores e geralmente representam tentações momentâneas, como o desejo de chocolate.

Lojas de conveniência

Dado o consumo em massa de mercadorias de conveniência, surgiram as chamadas lojas de conveniência.

Esses estabelecimentos nada mais são do que lojas dedicadas a fornecer diferentes itens de conveniência em um só lugar. Eles geralmente estão localizados em locais estratégicos, como postos de gasolina, ou são extensas redes com muitas lojas em um território, como Oxxo, Walmart, Carrefour e 7 Eleven, entre outros.

Eles geralmente ficam abertos por mais horas do que as lojas convencionais, como supermercados e armazéns, a fim de atrair clientes e prestar atenção a qualquer necessidade que eles apresentem.

No entanto, o atendimento ao cliente por aproximadamente 18 horas por dia representa custos extras para esses estabelecimentos, o que se reflete em um leve aumento nos preços dos produtos.

Exemplos

Correntes

Produtos de conveniência estão presentes diariamente; por exemplo, quando você compra pão para fazer sanduíches, leite para consumir com cereais, fast food etc.

Os exemplos mencionados correspondem especificamente à divisão de produtos de conveniência comuns. Outros produtos podem ser detergentes para a roupa, produtos de limpeza doméstica, jornais, frutas e fita adesiva, entre outros.

Emergência

Quanto aos produtos de emergência, destacam-se guarda-chuvas, baterias, lanternas, lâmpadas, velas e autopeças, entre outros.

Esses produtos são adquiridos somente quando ocorre uma situação que merece seu uso; Por exemplo, quando é necessário o uso de uma lanterna, as pilhas acabam.

Impulso

Os produtos de impulso são geralmente consumidos com um pouco menos de regularidade do que os bens atuais.

Eles geralmente estão disponíveis tanto em grandes estabelecimentos quanto em pequenas naturezas-mortas, como quiosques, que geralmente são destinados apenas à comercialização desse tipo de mercadoria. Alguns produtos de impulso são doces, biscoitos, revistas, sorvetes e acessórios, entre outros.

Referências

  1. Vera, J. (2010). Diferenças no perfil de envolvimento entre produtos de conveniência e produtos de comparação. Retirado em 9 de março de Scielo: scielo.org
  2. Alcocer, O., Campos, J. (2014). O formato das lojas de conveniência como meio de proximidade de serviços e suprimentos em áreas urbanas. Retirado em 9 de março da Universidade Autônoma do Estado do México: uaemex.mx
  3. Silipigni, Lynn. (2016). Há algo mais importante do que conveniência? Retirado em 9 de março do Online Computer Library Center: oclc.org
  4. Cabrera, O. (2018). Redefinindo a conveniência: necessidade do consumidor. Retirado em 9 de março de La República: larepublica.co
  5. (sf) Análise do produto. Retirado em 9 de março da Universidade Interamericana de Desenvolvimento: unid.edu.mx

Deixe um comentário