Sais orgânicos: propriedades, usos e exemplos

Os sais orgânicos são compostos químicos formados a partir da ligação de íons metálicos com moléculas orgânicas. Eles possuem propriedades únicas que os tornam muito importantes na indústria química, farmacêutica e agrícola. Além disso, os sais orgânicos são amplamente utilizados como aditivos alimentares, conservantes, medicamentos, fertilizantes e em muitos outros produtos. Neste artigo, vamos explorar as propriedades, usos e exemplos mais comuns de sais orgânicos.

Aplicações dos sais orgânicos em diversos setores da indústria e agricultura.

Os sais orgânicos são compostos que possuem diversas aplicações em diferentes setores da indústria e agricultura. Suas propriedades únicas permitem que sejam utilizados de maneira eficiente em várias atividades, proporcionando benefícios significativos.

Na indústria alimentícia, os sais orgânicos são utilizados como conservantes naturais, garantindo a durabilidade dos alimentos sem a necessidade de aditivos químicos. Além disso, eles também são empregados na produção de aromatizantes e corantes naturais, conferindo sabor e cor aos produtos de forma saudável e sustentável.

Na agricultura, os sais orgânicos são utilizados como fertilizantes, fornecendo os nutrientes necessários para o crescimento saudável das plantas. Eles também atuam como condicionadores de solo, melhorando sua estrutura e promovendo a retenção de água e nutrientes, o que resulta em cultivos mais produtivos e sustentáveis.

Além disso, os sais orgânicos também são empregados na indústria farmacêutica, na fabricação de produtos de limpeza e higiene pessoal, e até mesmo na produção de bioplásticos. Sua versatilidade e eficácia fazem deles uma escolha cada vez mais popular em diversos segmentos da indústria e agricultura.

Em resumo, os sais orgânicos desempenham um papel fundamental na moderna sociedade, contribuindo para a produção de alimentos saudáveis, a proteção do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável. Sua utilização em diferentes setores é essencial para garantir a qualidade e a eficiência dos produtos e processos, tornando-os indispensáveis para o progresso e o bem-estar da sociedade.

Entenda sobre sais com 5 exemplos práticos para facilitar o aprendizado.

Os sais são compostos formados pela ligação de um metal com um não-metal. Eles são amplamente utilizados na indústria, na agricultura e até mesmo na culinária. Existem diferentes tipos de sais, sendo os orgânicos um dos mais comuns. Neste artigo, vamos falar sobre as propriedades, usos e exemplos de sais orgânicos.

Os sais orgânicos são compostos que contêm um íon orgânico em sua estrutura. Eles são amplamente utilizados na indústria farmacêutica, na produção de alimentos e até mesmo na fabricação de cosméticos. Sua estrutura molecular permite que sejam facilmente absorvidos pelo organismo, tornando-os ideais para diversas aplicações.

Propriedades dos sais orgânicos: os sais orgânicos possuem uma estrutura molecular mais complexa do que os sais inorgânicos. Eles são solúveis em água e apresentam um sabor característico. Além disso, muitos sais orgânicos possuem propriedades medicinais, sendo utilizados no tratamento de diversas doenças.

Usos dos sais orgânicos: os sais orgânicos são utilizados em diversos setores, como na indústria farmacêutica, na produção de alimentos orgânicos e na fabricação de cosméticos naturais. Eles também são empregados na agricultura, como fertilizantes orgânicos que ajudam no crescimento das plantas.

Exemplos de sais orgânicos:
1. Ácido acetilsalicílico – conhecido como AAS, é utilizado como analgésico e anti-inflamatório.
2. Citrato de sódio – utilizado como conservante de alimentos e regulador de acidez.
3. Lactato de cálcio – empregado na indústria alimentícia como estabilizante.
4. Gluconato de zinco – utilizado na fabricação de suplementos vitamínicos.
5. Acetato de etila – empregado na produção de solventes e na indústria química.

Como podemos ver, os sais orgânicos desempenham um papel fundamental em diversas áreas, sendo essenciais para a nossa vida cotidiana. Sua versatilidade e propriedades únicas fazem deles compostos indispensáveis em diversos setores da indústria e da ciência.

Relacionado:  Ácido perbromico (HBrO4): propriedades, riscos e usos

Aplicações possíveis para os sais na indústria, saúde e culinária.

Os sais orgânicos são compostos que possuem um átomo de carbono ligado a um átomo de metal. Eles são amplamente utilizados em diversas aplicações na indústria, saúde e culinária. Suas propriedades únicas tornam-nos muito versáteis e úteis em diferentes contextos.

Na indústria, os sais orgânicos são frequentemente utilizados como catalisadores em reações químicas, como agentes de secagem em processos de fabricação e como corantes em tintas e pigmentos. Além disso, eles também podem ser empregados como conservantes em cosméticos e produtos de limpeza. Sua capacidade de formar complexos estáveis os torna especialmente úteis em muitas aplicações industriais.

Na saúde, os sais orgânicos são utilizados em medicamentos para tratamento de diversas doenças. Eles podem atuar como anti-inflamatórios, antifúngicos, antibióticos, entre outros. Além disso, esses compostos também são essenciais para a manutenção do equilíbrio iônico no organismo, sendo fundamentais para o bom funcionamento de diversas funções biológicas.

Na culinária, os sais orgânicos são amplamente utilizados para realçar o sabor dos alimentos. Eles podem ser adicionados diretamente aos pratos durante o preparo ou utilizados como temperos. Além disso, esses sais também podem ser empregados como conservantes em alimentos processados, garantindo a sua durabilidade e segurança alimentar.

Em resumo, os sais orgânicos são compostos versáteis e essenciais em diversas aplicações na indústria, saúde e culinária. Sua ampla gama de propriedades e usos faz deles componentes indispensáveis em muitos produtos e processos do dia a dia.

Entenda o que é o sal orgânico e suas vantagens para a saúde.

O sal orgânico é um tipo de sal que passa por um processo de produção mais natural e sustentável, sem aditivos químicos ou refinamento. Ele é extraído de fontes naturais, como minas de sal ou do mar, e mantém seus minerais e nutrientes essenciais. Diferentemente do sal comum, o sal orgânico não passa por processos de refinamento que removem seus componentes naturais.

Uma das vantagens do sal orgânico para a saúde é a preservação de seus minerais, como o magnésio, cálcio e potássio, que são importantes para o bom funcionamento do nosso organismo. Além disso, por não conter aditivos químicos, ele é considerado mais saudável para o consumo, ajudando a manter o equilíbrio do corpo.

O sal orgânico pode ser utilizado da mesma forma que o sal comum, em receitas culinárias, temperos e conservas. Ele também pode ser encontrado em diferentes tipos, como o sal rosa do Himalaia, o sal marinho e o sal negro. Cada tipo de sal orgânico possui características e sabores únicos, podendo ser escolhido de acordo com o gosto pessoal e as necessidades de cada pessoa.

Portanto, ao optar pelo sal orgânico em sua alimentação, você estará escolhendo um produto mais saudável e natural, que pode trazer benefícios para a sua saúde a longo prazo. Experimente incluir o sal orgânico em suas refeições e sinta a diferença que ele pode fazer no seu bem-estar.

Sais orgânicos: propriedades, usos e exemplos

Os sais orgânicos são o número densa de compostos iónicos com muitas características. Eles são derivados anteriormente de um composto orgânico, que sofreu uma transformação que permite transportar uma carga e que, além disso, sua identidade química depende do íon associado.

Na imagem abaixo, são mostradas duas fórmulas químicas muito gerais para sais orgânicos. O primeiro, R-AX, é interpretado como um composto em cuja estrutura de carbono um átomo, ou grupo A, carrega uma carga positiva + ou negativa (-).

Relacionado:  Óxido de mercúrio (Hg2O): estrutura, propriedades, usos

Sais orgânicos: propriedades, usos e exemplos 1

Fonte: Gabriel Bolívar

Como pode ser visto, existe uma ligação covalente entre R e A, RA, mas, por sua vez, A possui uma carga formal que atrai (ou repele) o íon X. O sinal da carga dependerá da natureza de A e do ambiente químico. .

Se A fosse positivo, com quantos X ele poderia interagir? Com apenas um, dado o princípio da eletroneutralidade (+ 1-1 = 0). No entanto, qual é a identidade do X? O ânion X pode ser CO 3 2 – , exigindo dois cátions RA + ; um halogeneto: F , Cl , Br , etc .; ou mesmo outro composto RA . As opções são incalculáveis.

Da mesma forma, um sal orgânico pode ter um caráter aromático, ilustrado no anel marrom de benzeno. O sal de benzoato de cobre (II), (C 6 H 5 COO) 2 Cu, por exemplo, consiste em dois anéis aromáticos com carga negativa, que interagem com os grupos carboxilo catis Cu 2+ .

Propriedades físicas e químicas

A partir da imagem, pode-se afirmar que os sais orgânicos consistem em três componentes: o orgânico, R ou Ar (o anel aromático), um átomo ou grupo carregando a carga iônica A e um contra-íon X.

Assim como a identidade e a estrutura química são definidas por esses componentes, da mesma maneira que suas propriedades dependem deles.

A partir desse fato, certas propriedades gerais que atendem à grande maioria desses sais podem ser resumidas.

Massas moleculares elevadas

Assumindo ânions X inorgânicos mono ou polivalentes, os sais orgânicos geralmente têm massas moleculares muito maiores que os sais inorgânicos. Isso se deve principalmente ao esqueleto de carbono, cujas simples ligações CC e seus átomos de hidrogênio contribuem com muita massa para o composto.

Portanto, é R ou Ar responsável por suas altas massas moleculares.

Anfifílicos e surfactantes

Os sais orgânicos são compostos anfifílicos, ou seja, suas estruturas têm extremidades hidrofílicas e hidrofóbicas.

Quais são esses extremos? R ou Ar representam o fim hidrofóbico, porque seus átomos de C e H não possuem grande afinidade pelas moléculas de água.

A + (-) , o átomo ou grupo que carrega a carga, é a extremidade hidrofílica, pois contribui para o momento dipolar e interage com os dipolos formadores de água (RA + OH 2 ).

Quando as regiões hidrofílica e hidrofóbica são polarizadas, o sal anfifílico se torna um surfactante, uma substância amplamente usada para a produção de detergentes e desmulsificantes .

Altos pontos de ebulição ou fusão

Como os sais inorgânicos, os sais orgânicos também têm altos pontos de fusão e ebulição, devido às forças eletrostáticas que governam na fase líquida ou sólida.

No entanto, como existe um componente orgânico R ou Ar, outros tipos de forças de Van der Waals ( forças de Londres , dipolo-dipolo , pontes de hidrogênio ) participam que competem de alguma forma com a eletrostática.

Por esse motivo, as estruturas sólidas ou líquidas dos sais orgânicos são, em primeira instância, mais complexas e variadas. Alguns deles podem até se comportar como cristais líquidos .

Acidez e basicidade

Os sais orgânicos são geralmente ácidos ou bases mais fortes que os sais inorgânicos. Isso ocorre porque A, por exemplo, nos sais de amina, tem uma carga positiva devido à sua ligação com um hidrogênio adicional: A + -H. Então, em contato com uma base, doe o próton para ser um composto neutro novamente:

RA + H + B => RA + HB

H pertence a A, mas está escrito porque está envolvido na reação de neutralização.

Além disso, RA + pode ser uma molécula grande, capaz de formar uma estrutura sólida suficientemente estável para anião hidroxilo ou hidroxilo OH .

Relacionado:  Sistemas de materiais: classificação, fases e exemplos

Quando é assim, o sal RA + OH se comporta como uma base forte; mesmo tão básico quanto NaOH ou KOH:

RA + OH + HCl => RACL + H 2 S

Observe na equação química que o ânion Cl substitui OH , formando o sal RA + Cl .

Usos

O uso de sais orgânicos varia de acordo com a identidade de R, Ar, A e X. Além disso, a aplicação a que se destinam também depende do tipo de sólido ou líquido que eles formam. Algumas generalidades a esse respeito são:

-Eles servem como reagentes para a síntese de outros compostos orgânicos. O RAX pode atuar como um “doador” da cadeia R a ser adicionado a outro composto, substituindo um bom grupo de saída.

-Eles são surfactantes, para que também possam ser utilizados como lubrificantes. Sais de carboxilato de metal são utilizados para este fim.

-Eles permitem sintetizar uma ampla gama de corantes.

Exemplos de sais orgânicos

Carboxilatos

Os ácidos carboxílicos reagem com um hidróxido em uma reação de neutralização, causando os sais de carboxilato: RCOO M + ; onde M + pode ser qualquer cátion metálico (Na + , Pb 2+ , K + , etc.) ou o cátion de amônio NH 4 +.

Os ácidos graxos são ácidos carboxílicos de cadeia alifática longa, podem ser saturados e insaturados. Eles encontram-se entre o ácido palmítico saturado (CH 3 (CH 2 ) 14 COOH). Isto faz com que o sal palmitato, enquanto que o ácido esteárico (CH 3 (CH 2 ) 16 COOH forma o sal de estearato. Sabões são sais destes.

No caso do ácido benzóico, C 6 H 5 COOH (onde C 6 H 5 – é um anel benzeno), quando reage com uma base, forma os sais de benzoato. Em todos os carboxilatos, o grupo -COO representa A (RAX).

Diacilcupratos de lítio

O diaquilcuprato de lítio é útil na síntese orgânica. Sua fórmula é [R-Cu-R] Li + , na qual o átomo de cobre carrega uma carga negativa. Aqui, o cobre representa o átomo A da imagem.

Sais de sulfônio

Eles são formados a partir da reação de um sulfeto orgânico com um halogeneto de alquila:

R 2 S + R’X => R 2 R’S + X

Para esses sais, o átomo de enxofre carrega uma carga formal positiva (S + ) por possuir três ligações covalentes.

Sais de oxônio

Da mesma forma, os éteres (os análogos do sulfeto oxigenado) reagem com as hidrazidas para formar os sais de oxônio:

ROR ‘+ HBr <=> RO + HR’ + Br

ácido protão HBr é ligado covalentemente ao átomo de oxigénio do éter (R 2 O + -H), carregar positivamente.

Sais de amina

As aminas podem ser primárias, secundárias, terciárias ou quaternárias, bem como seus sais. Todos eles são caracterizados por ter um átomo de H ligado ao átomo de nitrogênio.

Assim, RNH 3 + X é um sal de amina primário; R 2 NH 2 + X , amina secundária; R 3 NH + X , amina terciária; e R 4 N + X , amina quaternária (sal de amónio quaternário).

Sais de diazônio

Finalmente, os sais de diazônio (RN 2 + X ) ou arildiazônio (ArN 2 + X ) representam o ponto de partida de muitos compostos orgânicos, especialmente corantes azoicos.

Referências

  1. Francis A. Carey. Quimica Organica. (Sexta edição., P. 604-605, 697-698, 924). Mc Graw Hill
  2. Graham Solomons TW, Craig B. Fryhle. Química Orgânica Aminas (10ª edição). Wiley Plus
  3. Wikipedia (2018). Sal (Química) Retirado de: en.wikipedia.org
  4. Steven A. Hardinger (2017). Glossário Ilustrado de Química Orgânica: sais. Recuperado de: chem.ucla.edu
  5. Oronita da Chevron. (2011). Carboxilatos [PDF]. Recuperado de: oronite.com

Deixe um comentário