Sipunculi: características, reprodução, alimentação

Sipuncula é um filo pertencente ao reino animal, composto de vermes redondos não segmentados. Seus membros são conhecidos como “vermes de amendoim”. Foi descrito pela primeira vez em 1814 pelo naturalista inglês Constantine Rafinesque.

Muitos dos animais que pertencem a essa borda são um mistério para a ciência, pois são encontrados principalmente no fundo do mar e sua observação e estudo em seu habitat natural é bastante difícil por esse motivo.

Sipunculi: características, reprodução, alimentação 1

Sipuncula vermes. Fonte: Usuário: Vmenkov [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/)]

Taxonomia

A classificação taxonômica dos sipuncúlides é a seguinte:

– Domínio: Eucarya.

– Reino: Animalia.

– Borda: Sipuncula.

Caracteristicas

Esses vermes são compostos de células eucarióticas, com seu material genético (DNA) fechado dentro do núcleo da célula. Eles também são multicelulares porque consistem em células especializadas em várias funções.

Da mesma forma, apresenta simetria bilateral, de modo que, se uma linha imaginária é traçada ao longo do plano médio deste animal, duas metades são obtidas exatamente iguais uma à outra.

Da mesma forma, esses animais são triblásticos, pois em seu desenvolvimento embrionário aparecem três camadas germinativas: ectoderma, mesoderma e endoderme. Deles, cada tecido do animal se desenvolve.

Seu tipo de reprodução é sexual e seu desenvolvimento embrionário é indireto com a formação de uma larva.

Sua característica essencial é dada pela presença de tentáculos ao redor da boca.

Morfologia

Os sipúnculos são vermes do tipo redondo, com comprimentos variados, que variam de alguns milímetros a cerca de 500 mm.

-Anatomia externa

Esses tipos de vermes não têm seu corpo segmentado e a maior parte é composta de tecido muscular. Eles têm uma extremidade cefálica, com a boca como órgão principal e uma extremidade posterior.

Por estarem enterrados principalmente no fundo do mar durante todo o curso de sua vida, o corpo do animal tem a forma de “U”. Uma de suas características mais representativas é a chamada “introvertida”, que é uma estrutura retrátil que pode ser impulsionada para o exterior ou retraída para o animal. No final deste introvertido é a boca.

-Anatomia interna

Paralelamente ao esôfago do animal, são apresentados os músculos retrovisores introvertidos. Sua função é fazer com que o introvertido se estenda para fora do animal ou se esconda dentro dele.

A boca, que é a entrada que abre para o sistema digestivo rudimentar do animal, é cercada por tentáculos. Também é possível encontrar no introvertido um tipo de extensões como ganchos ou espinhos, que se acredita terem um papel no processo de alimentação do animal.

A parede deste animal é composta de várias camadas. Primeiro, uma cutícula bastante espessa e exerce funções protetoras; a epiderme que é do tipo glandular; camadas musculares (circulares e longitudinais) e derme interna.

É importante notar que essa derme possui extensões chamadas cílios e também envolve todo o celloma.

Internamente, apresenta uma cavidade, o celoma. Isso é grande e é preenchido com um fluido que tem a função de transportar nutrientes e oxigênio por todo o corpo.

É importante notar que os sipuncles não possuem sistema circulatório ou respiratório.

Sistema digestivo

É o sistema mais desenvolvido apresentado por sipunculi. Sua porta de entrada é a boca do animal.

Da boca, um tubo digestivo que consiste no esôfago e um intestino com formato arredondado, que termina no ânus, que se abre ao lado do animal.

O sistema digestivo tem uma forma de “U”.

Sistema nervoso

O sistema nervoso é bastante rudimentar. É constituído por um cordão nervoso ventral, além de um gânglio cerebral localizado acima do esôfago. No resto do corpo do animal, não há presença de nenhum outro gânglio nervoso.

Da mesma forma, no nível da porção cefálica do animal, há uma série de fotorreceptores conhecidos como ocelos, que são primitivos e permitem apenas perceber certos flashes de luz vindos do ambiente circundante.

Além disso, muito perto do introvertido, existem células abundantes do tipo sensorial que permitem ao animal orientar e explorar o ambiente circundante.

Sistema reprodutivo

Os sipuncles são organismos dióicos. Isso significa que eles têm sexos separados. Existem indivíduos do sexo feminino e masculino.

As gônadas estão muito próximas dos músculos retratores do introvertido, especificamente na base destes.

Sistema excretor

Assim como os anelídeos, com os quais os sipunculos têm certa semelhança, o sistema excretor é constituído por metanefrídeos, que se abrem para o exterior através de uma abertura chamada nefridioporo.

Alimento

Esses organismos são heterotróficos, mas não se alimentam de outros seres vivos; isto é, eles não são predadores.

A comida favorita dos sipuncles é representada por partículas de suspensão que podem ser capturadas graças à ação de seus tentáculos.

Da mesma forma, existem espécies que têm hábitos de escavação e se alimentam de sedimentos.

A digestão das partículas ingeridas é extracelular e ocorre dentro do intestino. Posteriormente, os nutrientes são absorvidos e, finalmente, os resíduos liberados pelo ânus.

Respiração

O tipo de respiração dos sipuncles é cutâneo, porque esses organismos não possuem sistema respiratório com órgãos especializados.

Na respiração da pele, as trocas gasosas ocorrem diretamente através da pele do animal, que deve ser muito vascular e também úmida. Este último não é um inconveniente, pois os sipunculi são encontrados em habitats aquáticos.

Os gases são transportados por difusão simples, seguindo um gradiente de concentração. O oxigênio é transportado para o animal, enquanto o dióxido de carbono é liberado para o exterior.

Reprodução

O tipo de reprodução mais frequente nesses organismos é o sexual, que envolve a fusão de gametas. A fertilização é externa.

Em geral, uma vez produzidos os gametas, eles amadurecem no celoma. Quando maduros, são libertados no exterior. Fora do corpo do verme estão os gametas feminino e masculino, ocorrendo a fertilização.

O desenvolvimento é indireto, uma vez que uma larva trocofórica é formada como resultado da fertilização. Esta larva tem a forma de uma parte superior ou superior e possui uma série de extensões ou pêlos apicais em sua extremidade superior. Ele também tem várias linhas de cílios ao redor do corpo.

Essa larva passa por uma série de transformações para formar um indivíduo adulto.

Classificação

O filo de sipuncula compreende duas classes: sipunculidea e phascolosomatidea.

Sipunculidea

Animais pertencentes a essa classe habitam o fundo do mar, embora alguns também possam ocupar conchas de caracóis. Da mesma forma, um de seus elementos distintivos é que eles têm tentáculos ao redor da boca.

Esta classe inclui duas ordens: sipunculiformes e golfingiiformes.

Phascolosomatidea

Abrange animais que têm tentáculos apenas acima da boca, não ao redor. Além disso, seus ganchos são organizados formando anéis regulares. Essa classe é composta de duas ordens: aspidosiphoniformes e phascolosomatiformes.

Referências

  1. Brusca, RC & Brusca, GJ, (2005). Invertebrados, 2ª edição. McGraw-Hill-Interamericana, Madri
  2. Curtis, H., Barnes, S., Schneck, A. e Massarini, A. (2008). Biologia Editorial médico pan-americano. 7ª edição
  3. Cutler, EB, 1994. O Sipuncula: Seus sistemáticos, biologia e evolução. Imprensa da Universidade de Cornell. 453 p
  4. Harlan, D. (2001). Biodiversidade Marinha da Costa Rica: Os filos Sipuncula e Echiura. Revista de Biologia Tropical 49 (2)
  5. Hickman, CP, Roberts, LS, Larson, A., Ober, WC e Garrison, C. (2001). Princípios integrados de zoologia (Vol. 15). McGraw-Hill
  6. Maiorova, A. e Adrianov, A. (2013). Minhocas de amendoim do filo Sipuncula do mar do Japão com uma chave para as espécies. Estudos tropicais em oceanografia.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies