Somatometria: medições e aplicações

O somatometry ou antropometria é a ciência dedicada a estudar e avaliar as medidas e as proporções do corpo humano. Seu nome deriva de duas palavras gregas: somato (que significa “corpo”) e metria (que significa medida), de modo que o nome literalmente significa “medida do corpo”.

Esta ciência tem aplicações diretas em várias disciplinas, como medicina, nutrição, treinamento esportivo, antropologia e até ciências forenses.

Somatometria: medições e aplicações 1

Fonte: pixabay.com

Embora à primeira vista possa ser simples, a antropometria é uma ciência complexa. Isso ocorre porque não se trata apenas de medir diferentes diâmetros e comprimentos do corpo humano, mas também de estabelecer as proporções entre eles.

Além disso, a somatometria permite determinar as características físicas de determinados grupos étnicos e seres humanos em diferentes períodos da história, bem como alterações nas dimensões e proporções ao longo da vida do indivíduo.

Medidas básicas

As medidas básicas na somatometria são peso e altura. Ambas as medidas são uma parte essencial de qualquer exame médico. A partir deles, é possível calcular o índice de massa corporal (IMC), um indicador bastante preciso do estado nutricional do indivíduo.

Além disso, com a altura é possível calcular a superfície corporal do indivíduo. Esta informação é útil ao selecionar certos tipos de medicamentos, próteses e até mesmo calcular a hidratação em casos especiais, como pacientes queimados.

A obtenção dos dados de peso e altura é muito simples, basta ter uma balança clínica e um medidor de altura para obter informações úteis e precisas.

No caso de crianças pequenas, é necessário ter um medidor infantil, um instrumento muito semelhante ao equilíbrio clínico, mas especialmente configurado para trabalhar com jovens.

Medições clínicas específicas

Embora o peso e a altura sejam parte fundamental de qualquer exame médico, existem inúmeros dados antropométricos que podem ser necessários para conhecer em certos contextos clínicos.

Por exemplo, o diâmetro da circunferência abdominal é de vital importância na determinação do risco cardiovascular. Esse diâmetro é medido com uma fita métrica convencional, que é colocada ao redor do abdômen do sujeito a ser avaliado, paralelamente ao solo e ao nível do umbigo.

Uma circunferência abdominal superior a 90 cm nos homens e 80 cm nas mulheres é sinônimo de aumento do risco cardiovascular. Essa medida é ainda mais precisa que o IMC na previsão de risco vascular futuro.

Por outro lado, em pediatria, medidas antropométricas são usadas diariamente para avaliar o crescimento das crianças. Entre as mais utilizadas está a circunferência da cabeça, que permite determinar o crescimento da cabeça e do cérebro nos primeiros anos de vida.

Medições instrumentais especiais

Até o momento, apenas as medidas antropométricas que podem ser obtidas com instrumentos mais ou menos simples foram mencionadas, diretamente em um consultório médico e sem grandes complicações.

No entanto, a somatometria moderna abrange muito além do que pode ser medido com o simples exame físico. Para isso, é necessário ter instrumentos especiais para determinar certas dimensões do corpo humano que, de outra forma, seriam impossíveis de conhecer.

Relacionado:  Reflexo osteotendinoso ou miotático: componentes, funções

A seguir, descreveremos algumas das medidas somatométricas mais comuns na prática diária.

Prega tricipital

A medida da dobra tricipital é muito útil para determinar o conteúdo de gordura do corpo humano.

Embora o peso permita conhecer o peso dos ossos, músculos, vísceras e gordura corporal juntos, são informações limitadas. Isso ocorre porque, em muitas ocasiões, é necessário conhecer o peso magro e a porcentagem de gordura corporal para avaliar o estado nutricional de um indivíduo.

Nesses casos, é utilizado um instrumento conhecido como “pliômetro”, com o qual a espessura da dobra cutânea realizada pela pinça é medida no ponto médio da região posterior do braço (região tricipital).

A espessura da dobra nesta área, bem como em outras áreas específicas da anatomia (abdômen, por exemplo) permite estimar o percentual de gordura corporal com bastante precisão e, assim, estabelecer estratégias terapêuticas apropriadas.

Pelvimetria

A pelvimetria é a avaliação dos diâmetros da pelve óssea de uma mulher. É um estudo muito útil em obstetrícia, pois permite antecipar com grande precisão qual grupo de mulheres pode ter um parto vaginal e qual precisará de uma cesariana, pois os diâmetros de sua pelve são menores que o mínimo necessário para o parto.

Embora a maioria das mulheres possa dar à luz vaginal, a pelvimetria é útil naquelas com histórico de trauma ou fraturas ao nível da pelve, histórico familiar de cesarianas ou partos instrumentais devido a desproporção feto-pélvica ou em mulheres grávidas de fetos grandes (peso estimado superior a 4.500 gramas).

Para realizar a pelvimetria, é necessário realizar uma série de radiografias em diferentes projeções, o que permitirá conhecer exatamente os diâmetros da pelve. Especialmente as áreas conhecidas como “pélvicas estreitas” serão medidas, onde os diâmetros mais estreitos são alcançados.

Ultrassom

Na medicina, diz-se que há uma “megalia” quando um órgão é maior que o normal. Embora às vezes seja possível detectar essa condição pelo exame clínico, isso só é possível quando as dimensões do órgão em questão são muito mais altas que o normal.

No entanto, com o uso do ultrassom, é possível determinar com precisão o tamanho de praticamente qualquer órgão sólido ou víscera oca que contenha líquido no interior, o que torna este estudo uma ferramenta fundamental para a detecção precoce de crescimentos viscerais.

Se durante o ultrassom, por exemplo, for detectado crescimento de fígado (hepatomegalia) ou baço (esplenomegalia), o protocolo de diagnóstico apropriado poderá ser iniciado muito antes que o crescimento de órgãos seja detectado no exame clínico. Isso aumenta substancialmente o sucesso terapêutico e melhora o prognóstico ostensivamente.

Como você pode ver, à medida que a tecnologia de imagem avança, o escopo da somatometria se expande. Atualmente, além das ferramentas de diagnóstico já citadas, também são utilizados estudos como tomografia axial computadorizada, ressonância magnética funcional e ecocardiografia, para citar apenas alguns dos mais comuns.

Aplicações de Somatometria

Embora a somatometria seja conhecida por sua aplicação na clínica médica, sua utilidade vai muito além, sendo utilizada em disciplinas tão diversas quanto:

Relacionado:  Tecido muscular: características, funções, tipos, células

– Medicina

– Nutrição

– Esportes

Medicina forense.

– Antropologia.

– Ergonomia

Uma dissertação detalhada das aplicações da antropometria em cada uma das disciplinas mencionadas levaria vários livros didáticos. No entanto, para ter uma idéia geral de como essa disciplina funciona, explicaremos alguns dos usos mais comuns abaixo.

Somatometria na medicina

Na medicina, as aplicações da somatometria são múltiplas e variadas. Nesse campo, as medidas do corpo humano permitem saber se uma criança está crescendo adequadamente, se um órgão é maior ou menor que o normal ou se um tratamento afeta negativamente qualquer estrutura corporal.

As medidas antropométricas são parte integrante de qualquer exame físico, e algumas mais ou menos detalhadas são incluídas, dependendo das necessidades do especialista.

Nesse sentido, você pode ter informações muito amplas, variando entre os maiores e mais espessos dados, como peso e altura, e detalhes microscópicos, como o diâmetro anteroposterior do olho, sendo este último muito útil na seleção de lentes para cirurgia de catarata entre outras coisas.

Somatometria em nutrição

Intimamente relacionado à medicina, encontramos o campo da nutrição, no qual a antropometria também desempenha um papel muito importante.

A somatometria permite uma abordagem muito precisa do estado nutricional de um indivíduo. As diferentes medidas e proporções calculadas a partir dos dados obtidos nas medidas permitem saber com certeza se uma pessoa está desnutrida, desnutrida ou eutrófica.

Somatometria no esporte

Nos esportes, principalmente quando se fala de atletas altamente competitivos, a somatometria é essencial para o bom desempenho do atleta.

As informações antropométricas permitem o design de equipamentos e roupas personalizados que maximizam o desempenho do atleta. Além disso, as proporções corporais permitem antecipar com grande precisão a disciplina que o corpo de cada indivíduo está melhor adaptado.

Nesse sentido, a captura de movimento em tempo real permite que a somatometria avance um passo além, já que não apenas trabalha com medições estáticas, mas também é possível ver como as dimensões, proporções e ângulos do corpo mudam em tempo real. Isso permite que você crie planos de treinamento personalizados para cada atleta.

Somatometria em medicina forense

Nas ciências forenses, a somatometria desempenha um papel fundamental na análise de evidências. Por exemplo, com as medidas de um cadáver, a perícia pode determinar se é um homem ou uma mulher, e é possível estimar a idade do falecido com muita precisão.

Por outro lado, através da antropometria é possível determinar o tamanho, peso e força de um agressor através do estudo das lesões infligidas à vítima. Nesse caso, o corpo não é medido diretamente, mas as dimensões e características das lesões podem ser verificadas posteriormente com as medidas antropométricas de possíveis suspeitos, a fim de descartá-las ou confirmá-las na investigação.

Somatometria em Antropologia

Outra ciência em que a somatometria é extremamente importante é a antropologia.

Relacionado:  5 Diferenças entre espermatozóides e espermatídeos

Através das características, dimensões e proporções corporais, é possível colocar qualquer ser humano (atual ou anterior) em um grupo étnico específico e região geográfica.

Assim, pode-se dizer que cada grupo étnico, em um determinado momento, possui medidas e proporções específicas que permitem sua diferenciação.

Tanto na antropologia moderna quanto na antropologia forense, a somatometria fornece informações importantes para a classificação e agrupamento de indivíduos.

Somatometria em ergonomia

O ramo de engenharia e design responsável por adaptar objetos, ferramentas e espaços às características físicas de seus usuários é conhecido como ergonomia.

O objetivo da ergonomia é que todos os objetos do cotidiano possam ser usados ​​com facilidade e conforto, adaptando-os às medidas, proporções, força estimada e características físicas dos usuários.

Para atingir esse objetivo de design, é essencial ter as informações somatométricas dos usuários em potencial, para que o peso, tamanho, design, proporções e outras características de cada elemento sejam adaptados aos seus usuários finais.

Assim, o conjunto de dados fornecidos pela somatometria permite o desenho de ferramentas e artigos específicos para mulheres, homens e crianças. Você pode ir um pouco além e criar objetos específicos para determinadas populações específicas.

Um dos exemplos mais claros da aplicação dessa ciência em ergonomia é o design dos leitos.

Em populações muito altas, seria necessário projetar camas mais longas e provavelmente mais robustas para acomodar usuários grandes e pesados; um recurso útil em uma população alta, mas totalmente inútil em regiões onde o tamanho é médio ou curto.

Referências

  1. Frisancho, AR (1990).Padrões antropométricos para avaliação do crescimento e estado nutricional . Imprensa da Universidade de Michigan.
  2. Reilly, T., Bangsbo, J., & Franks, A. (2000). Predisposições antropométricas e fisiológicas para o futebol de elite.Jornal de ciências do esporte , 18 (9), 669-683.
  3. Ulijaszek, SJ e Kerr, DA (1999). Erro de medida antropométrica e avaliação do estado nutricional.British Journal of Nutrition , 82 (3), 165-177.
  4. Watson, PE, Watson, ID, & Batt, RD (1980). Volume total de água no corpo de homens e mulheres adultos, estimado a partir de simples medidas antropométricas.O jornal americano de nutrição clínica , 33 (1), 27-39.
  5. Pouliot, MC, Després, JP, Lemieux, S., Moorjani, S., Bouchard, C., Tremblay, A., … & Lupien, PJ (1994). Circunferência da cintura e diâmetro sagital abdominal: melhores índices antropométricos simples de acúmulo de tecido adiposo visceral abdominal e risco cardiovascular relacionado em homens e mulheres.The American journal of cardiology , 73 (7), 460-468.
  6. Gouvali, MK, & Boudolos, K. (2006). Correspondência entre as dimensões do mobiliário escolar e a antropometria infantil.Ergonomia aplicada , 37 (6), 765-773.
  7. Panagiotopoulou, G., Christoulas, K., Papanckolaou, A. e Mandroukas, K. (2004). Dimensões do mobiliário de sala de aula e medidas antropométricas na escola primária.Ergonomia aplicada , 35 (2), 121-128.
  8. Adams, BJ e Herrmann, NP (2009). Estimativa da estatura viva a partir de medidas antropométricas selecionadas (tecidos moles): aplicações para antropologia forense.Jornal de ciências forenses , 54 (4), 753-760.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies