Tanquetazo: antecedentes, causas e consequências

O Tanquetazo foi um episódio marcante na história do Chile, ocorrido em 29 de junho de 1973, quando o exército chileno liderado pelo general Roberto Viaux realizou um golpe de Estado fracassado, utilizando tanques para tentar derrubar o governo do presidente Salvador Allende. Este evento teve antecedentes políticos e sociais, como a polarização ideológica no país, a crise econômica e a insatisfação de setores da sociedade com as reformas implementadas pelo governo de Allende.

As causas do Tanquetazo estão relacionadas com a oposição de militares e setores conservadores ao governo socialista de Allende, que promovia reformas de cunho progressista e nacionalizava empresas estrangeiras. A tentativa de golpe foi um reflexo dessas tensões e da crescente radicalização política no país.

As consequências do Tanquetazo foram significativas, pois apesar de ter sido rapidamente controlado pelas forças leais ao governo, ele demonstrou a fragilidade da democracia chilena e a ameaça iminente de um golpe militar. Esse episódio foi um prenúncio do golpe de Estado que ocorreria em setembro de 1973, liderado por Augusto Pinochet, que resultou na morte de Salvador Allende e na instauração de uma ditadura militar no Chile.

Qual líder chileno foi deposto pelos militares em 1973?

O líder chileno deposto pelos militares em 1973 foi Salvador Allende. O acontecimento que culminou na queda de Allende foi o chamado Tanquetazo, uma tentativa fracassada de golpe militar em 29 de junho de 1973.

Os antecedentes do Tanquetazo remontam à polarização política no Chile durante o governo de Allende. As tensões entre os setores da direita e da esquerda culminaram em confrontos nas ruas e em tentativas de desestabilização do governo.

As causas do Tanquetazo estão relacionadas à insatisfação de setores conservadores e militares com as reformas implementadas por Allende, como a nacionalização de empresas e a redistribuição de terras. O golpe fracassado foi uma tentativa de impedir a continuidade dessas políticas.

As consequências do Tanquetazo foram a intensificação da instabilidade política no Chile e o aumento da pressão sobre o governo de Allende. Poucos meses depois, em 11 de setembro de 1973, Allende foi deposto em um golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet.

Líder da ditadura chilena: Quem esteve à frente do regime autoritário no Chile?

O líder da ditadura chilena foi o general Augusto Pinochet, que assumiu o poder após o golpe militar de 1973 que derrubou o presidente democraticamente eleito Salvador Allende. Pinochet governou o Chile com mão de ferro por 17 anos, até 1990.

O Tanquetazo foi um levante militar fracassado que ocorreu em 29 de junho de 1973, quando um grupo de tanques do exército tentou tomar o Palácio de La Moneda, sede do governo chileno. O golpe foi rapidamente sufocado e seus líderes presos.

Os antecedentes do Tanquetazo remontam à crescente polarização política no Chile durante o governo de Allende, com tensões entre as Forças Armadas e o governo socialista. As causas imediatas do levante foram a insatisfação de setores militares com as políticas de Allende e a radicalização da esquerda chilena.

As consequências do Tanquetazo foram a radicalização do cenário político no Chile, com a intensificação da repressão contra o governo de Allende e o fortalecimento da ala mais conservadora das Forças Armadas. Isso culminou no golpe militar de setembro de 1973, que colocou Pinochet no poder e deu início a uma das ditaduras mais sangrentas da história do Chile.

Relacionado:  As 6 ditaduras ibero-americanas mais destacadas

Os caminhos que levaram Pinochet à presidência do Chile: uma análise detalhada.

Tanquetazo foi um levante militar fracassado ocorrido em 29 de junho de 1973 no Chile, liderado pelo general Roberto Viaux. Esse acontecimento foi um dos fatores que contribuíram para o golpe de estado que levou Augusto Pinochet ao poder.

Antes do Tanquetazo, o Chile estava passando por um período conturbado de instabilidade política e social. O presidente Salvador Allende estava enfrentando forte oposição da direita, das Forças Armadas e de setores da sociedade civil. A crise econômica, a polarização política e os conflitos sociais criaram um clima propício para a intervenção militar.

O Tanquetazo foi uma tentativa de golpe militar que visava derrubar o governo de Allende. Apesar de fracassado, esse evento demonstrou a disposição de setores das Forças Armadas em intervir na política do país. A partir desse momento, os militares passaram a articular um plano para depor Allende e assumir o poder.

Em 11 de setembro de 1973, o golpe de estado liderado por Pinochet foi bem-sucedido. Allende foi deposto e se suicidou no Palácio de La Moneda. Pinochet assumiu o poder e instaurou uma ditadura militar que durou 17 anos no Chile.

As consequências do golpe foram devastadoras para o Chile. Milhares de pessoas foram presas, torturadas e mortas durante a ditadura de Pinochet. A economia do país foi duramente afetada e a sociedade chilena ficou dividida por décadas.

Em conclusão, o Tanquetazo foi um dos eventos que pavimentaram o caminho para a ascensão de Pinochet à presidência do Chile. A crise política, a instabilidade social e a intervenção militar foram elementos-chave que culminaram no golpe de estado de 1973 e na instauração de uma ditadura que marcou a história do país.

O Chile em 1976: um ano marcado por eventos cruciais e transformações significativas.

O ano de 1976 foi um período de intensa agitação política e social no Chile, marcado por eventos cruciais e transformações significativas. Um dos acontecimentos mais emblemáticos deste ano foi o Tanquetazo, um levante militar ocorrido em junho, que teve importantes antecedentes, causas e consequências.

Antes do Tanquetazo, o Chile já vinha enfrentando uma série de tensões políticas e econômicas, especialmente devido às políticas implementadas pelo governo de Salvador Allende. A crise econômica, a polarização política e os conflitos sociais contribuíram para criar um clima de instabilidade no país.

O Tanquetazo foi desencadeado por um grupo de militares insatisfeitos com o governo de Allende, que tentaram tomar o Palácio de La Moneda em Santiago. O levante foi rapidamente contido, mas teve consequências profundas para o país.

As consequências do Tanquetazo foram significantes. O governo de Allende enfrentou um aumento da oposição interna e externa, o que acabou contribuindo para o golpe militar que o derrubaria em setembro de 1973. A partir desse momento, o Chile entrou em um período sombrio de ditadura sob o comando de Augusto Pinochet.

Em resumo, o Tanquetazo foi um evento crucial que marcou um ponto de virada na história do Chile em 1976. Suas causas e consequências foram profundas e duradouras, moldando o destino do país e de seu povo por muitos anos.

Tanquetazo: antecedentes, causas e consequências

O Tanquetazo , também conhecido como Tancazo, foi uma tentativa de golpe contra o governo de Salvador Allende, no Chile. O levante ocorreu em 29 de junho de 1973, quando o tenente-coronel Roberto Souper, comandando um regimento blindado, fato que dá nome à intenção, tentou derrubar o presidente eleito.

A vitória da Unidade Popular nas eleições de 1970 causou o mal-estar dos setores mais conservadores da sociedade chilena. Seu compromisso com o socialismo democrático os fez temer uma mudança nas estruturas sociais e econômicas. A essa oposição interna deve ser adicionada a hostilidade aberta dos Estados Unidos.

Tanquetazo: antecedentes, causas e consequências 1

Salvador Allende – Fonte: Biblioteca do Congresso Nacional do Chile [CC BY-SA 3.0 cl (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/cl/deed.en)]

A partir de 1972, a economia chilena sofreu grandes problemas. Fatores internos e externos causaram problemas no suprimento de alimentos e o mercado negro aumentou. Por seu lado, um grande setor das Forças Armadas, tradicionalmente conservador, decidiu agir por conta própria.

Apesar do fracasso do Tanquetazo, apenas alguns meses depois houve outro golpe que derrubou Allende da presidência. O líder desse levante foi Augusto Pinochet, que havia desempenhado um papel bastante sombrio durante a primeira tentativa.

Antecedentes

A Unidade Popular era uma candidatura unitária de vários partidos da esquerda chilena antes das eleições de 1970. Em janeiro daquele ano, Salvador Allende foi nomeado candidato à presidência.

Em 4 de setembro do mesmo ano, a votação foi realizada e Allende assumiu a presidência.

O governo popular

O governo presidido por Salvador Allende era uma novidade na região. Foi a primeira vez que o socialismo estava tentando implementar por meios democráticos.

Uma das primeiras medidas do novo governante foi retomar as relações diplomáticas com os países socialistas, incluindo Cuba, que estava sob um bloqueio imposto pelos Estados Unidos.

No campo socioeconômico, Allende aprofundou a Reforma Agrária, expropriando terras. Assim, em 1972, ele pôs fim às propriedades. Além disso, ele começou a nacionalizar o cobre, algo que até os partidos de direita aprovaram no Congresso.

O Estado iniciou um processo de recuperação das principais empresas do país, comprando as 100 mais importantes. Da mesma forma, ele nacionalizou o banco privado.

Todas essas medidas não foram apreciadas pelos setores mais conservadores, formados pela oligarquia financeira chilena.

Estados Unidos

O governo de Allende não apenas encontrou oposição da direita chilena. No exterior, a reação dos Estados Unidos foi rápida. Entre as represálias adotadas estavam o congelamento das vendas de cobre, além de bloquear boa parte das importações.

Da mesma forma, como evidenciado pelos documentos desclassificados pelos próprios Estados Unidos, logo iniciou campanhas de sabotagem econômica no interior do Chile, além de pressionar as Forças Armadas a dar um golpe de estado.

Eleições Parlamentares de 1973

A economia chilena começou a vacilar em 1972. No entanto, as eleições legislativas de março de 1973 significaram uma vitória para a União Popular, que obteve 45% dos votos.

O golpe

O Tanquetazo foi liderado pelo tenente-coronel Roberto Souper. Com o Regimento Blindado Nº 2, ele tentou derrubar o Presidente Allende em 29 de junho de 1973.

O nome vem do fato de que no levante foram usados ​​principalmente tanques. Após algumas horas de tensão, os soldados leais, comandante em chefe do exército, conseguiram reprimir a rebelião.

Causas

Contexto internacional

A Guerra Fria e a Revolução Cubana foram dois dos fatores que causaram a hostilidade dos Estados Unidos contra o governo de esquerda de Allende. Os documentos desclassificados pelas autoridades americanas mostram que os movimentos contra ele começaram na mesma eleição.

Nas conversas, também desclassificadas, entre o presidente Nixon e o conselheiro de segurança nacional, Henry Kissinger, você pode ouvir os detalhes sobre a participação americana na desestabilização do governo de Allende.

Relacionado:  José de la Serna: o último vice-rei do Peru

Nessas mesmas conversas, os dois políticos americanos explicaram como o principal problema com Allende, além das considerações ideológicas, foi a decisão de nacionalizar as empresas americanas que operavam no Chile.

Entre as medidas tomadas pelos Estados Unidos, estava a pressão contra as instituições de crédito para não conceder empréstimos ao governo chileno, impedindo-o de renegociar sua dívida externa.

Crise econômica

Depois de alguns meses com bons resultados econômicos, desde 1972, o Chile entrou em uma grande crise.

O déficit público aumentou significativamente, devido aos gastos do Estado dedicados a assuntos sociais e ajuda a empresas públicas. Essa despesa, dada a impossibilidade de recorrer ao exterior, foi financiada por emissões do Banco Central.

Logo houve períodos de escassez e o mercado negro apareceu fortemente. Algumas mercadorias deixaram de ser encontradas nas lojas.

Crise política

As eleições parlamentares de março de 1973 foram vencidas, novamente, pela Unidade Popular. A oposição havia aparecido em coalizão com a intenção de obter dois terços dos assentos e, assim, demitir o presidente.

Allende tentou abordar a democracia cristã para encontrar soluções para a crise, mas encontrou uma boa recepção, mesmo quando teve a mediação do cardeal Raúl Silva.

Naquela época, o presidente já tinha medo de um golpe militar. A única coisa que o impediu foi que o comandante em chefe, Carlos Prats, fosse fiel à Constituição.

Consequências

Quando Souper percebeu que seu levante havia sido derrotado, ele se rendeu às autoridades. Allende convocou durante a tarde no mesmo dia uma manifestação em frente ao Palácio de la Moneda. O Presidente saiu para a varanda com os três Comandantes em Chefe das Forças Armadas e agradeceu por sua atuação durante o golpe.

No mesmo dia, Allende pediu ao Congresso que declarasse o estado de sítio por seis meses.

Pinochet

Segundo os historiadores, o fracasso do Tanquetazo foi devido ao desempenho de Carlos Prats, comandante em chefe do Exército. Outra causa foi que o Regimento de Infantaria Nº 1 Buin não aderiu à intenção, ao contrário do que era esperado.

Precisamente, no Buin estava Augusto Pinochet, então chefe do Estado Maior. O general apareceu em La Moneda ao meio-dia, em uniforme de combate. Naquela época, porém, os rebeldes já haviam decidido se retirar. Isso levou muitos especialistas a pensar que Pinochet estava tocando duas bandas.

Golpe de 11 de setembro

Augusto Pinochet liderou o golpe de estado que, em 11 de setembro do mesmo ano, encerrou o governo e a vida de Salvador Allende.

Nesta ocasião, os três ramos do Exército agiram em coordenação e não encontraram muita resistência em grande parte do país.

O próprio general Pinochet disse que o Tanquetazo havia servido para os serviços de inteligência das Forças Armadas para provar a capacidade de se defender com as armas dos apoiadores da Unidade Popular.

Referências

  1. O cidadão. 34 anos após uma tentativa de golpe com mais de 30 assassinatos: Crônica de Tanquetazo que matou Leonardo Henrichsen. Obtido em elciudadano.cl
  2. Andrés, Roberto. O Tanquetazo: a revolta militar que antecipava a derrubada de Salvador Allende. Obtido em laizquierdadiario.com
  3. Memória chilena O governo da Unidade Popular (1970-1973). Obtido de memoriachilena.gob.cl
  4. Devine, Jack. O que realmente aconteceu no Chile. Obtido em Foreignaffairs.com
  5. Kornbluh, Peter. Kissinger e Chile: o registro desclassificado. Obtido em nsarchive2.gwu.edu
  6. Os editores da Encyclopaedia Britannica. Salvador Allende Obtido em britannica.com

Deixe um comentário