Teste Confessional: Características, Exemplos

Um teste confessional é a afirmação de uma pessoa sobre eventos passados ​​que não são favoráveis ​​a ela e que têm a ver com seu desempenho pessoal. Logicamente, o teste confessional deve lidar com os fatos e não com a lei.

O magistrado não deve fazer nenhuma verificação sobre a veracidade da confissão, exceto no que diz respeito à qualificação legal concedida pelo sujeito que realiza o teste. Se não fosse assim, ocorreria uma contradição, uma vez que o magistrado teria que aceitar até as conseqüências legais proibidas no sistema regulatório relevante no assunto.

Teste Confessional: Características, Exemplos 1

Só pode se referir a eventos passados. Ou seja, uma declaração do que está acontecendo neste momento pode ser vista como uma habilidade, mas em nenhum caso como um teste confessional.

Seu poder probatório deve basear-se em fatos pessoais, mesmo que, em sua declaração, ele não fale do fato e faça isso de seu conhecimento. Os eventos sujeitos à prova confessional devem ser desfavoráveis ​​ao declarante.

Object

Há dois aspectos que podemos considerar em relação ao objetivo do teste confessional:

-Como explicado anteriormente, você deve entender eventos passados, prejudiciais para a pessoa que faz a confissão e benéficos para a outra parte. Devem ser atos credíveis, atos que não são isentos de acordo com a lei como forma de confissão ou ato polêmico, pois, se não houver discordância entre as partes sobre o assunto, o teste não faz sentido.

– A lei não é considerada como objeto do teste confessional, a menos que se tente provar a existência de uma lei estrangeira vinculada a um fato. O direito também pode ser confessado se for para dar força à interpretação do direito fornecida pelos sujeitos a serem contratados.

Relacionado:  Sociedades mercantis: história, elementos, tipos, exemplos

Caracteristicas

– Somente as partes envolvidas podem realizar o teste confessional. No entanto, sua capacidade de ser parte deve andar de mãos dadas com a capacidade processual; isto é, o poder legal de fazer valer seus direitos. Aplicam-se regulamentos de direito civil sobre capacidade e incapacidade.

– Os menores não têm capacidade para realizar um teste confessional. Eles têm que fazer isso com seus pais ou responsáveis.

Aqueles que têm suas habilidades esgotadas (físicas para se comunicar ou mentais) podem fazê-lo através de curandeiros.

– Crianças em situação de emancipação (independentemente de como ocorre a emancipação) podem realizar o teste confessional com relação a todos os atos administrativos.No que diz respeito aos atos de disposição, eles têm capacidade se forem bens adquiridos gratuitamente e possuem a autorização correspondente.

Classificação

Em geral, o teste confessional é dividido nos seguintes tipos:

Judicial

É feito em tribunal e com os formulários exigidos perante um juiz.

Extrajudicial

Isso é feito fora do ambiente judicial.

Provocado

Quando existe uma exigência judicial que a origina.

Espontâneo

Quando não há exigência.

Express

É uma confissão que implica um reconhecimento total e absoluto dos respectivos atos. Esse tipo de evidência confessional tem valor vinculativo para o juiz, sendo irrevogável.

Tácito

Quando deduzida das atitudes do litigante a quem a evidência é solicitada: não comparecimento, sem justificativa justa causa ao aparelho auditivo, a recusa em responder respostas categoricamente ou evasivas. Não é irrevogável.

Simples

Quando o fato afirmado pela parte contrária é aceito sem objeção.

Qualificado

Quando, aceitando o fato, é adicionado outro fato dependente que altera ou restringe seu escopo.

Complex

Quando, reconhecendo o fato e adicionando outro fato que modifica ou limita seu escopo, ambos os fatos são separáveis ​​ou independentes.

Relacionado:  Sublocação: características, vantagens e desvantagens

Exemplos

-Uma pessoa mata outra em um momento de raiva. Ao perceber o que ele fez, ele vai até a delegacia mais próxima para dar uma declaração sobre o que aconteceu. É uma prova confessional de um crime de homicídio.

-Hacienda inicia uma inspeção de um empresário que possui várias empresas de construção e começa a solicitar documentos e justificativas dos movimentos econômicos realizados nos últimos 4 anos. O empregador cede à pressão e, seguindo o conselho de seu advogado, realiza um teste confessional dos crimes de fraude cometidos.

– Uma pessoa encarregada do pessoal de uma empresa está sendo investigada pelo Ministério do Trabalho porque foram denunciadas irregularidades nos pagamentos aos trabalhadores. O responsável confessa que as horas extras que os trabalhadores fizeram não se refletiram nas folhas de pagamento e que foram pagas em dinheiro sem documentação.

Diferença entre teste confessional e teste de testemunho

O teste de depoimento é um ato diferente do teste confessional. A palavra “testemunho” vem do latim testis , que significa “aquele que assiste”; isto é, quem ajuda.

No caso de evidência testemunhal, é o sujeito que explica o que sabe ou conta o que testemunhou ou o que ouviu de terceiros, sem fazer parte do julgamento.

As testemunhas oculares são mais credíveis do que aquelas que ouviram algo de outras pessoas. A testemunha deve limitar-se a contar os fatos sem fazer avaliações ou avaliações pessoais.

A evidência de depoimento difere do teste confessional, pois este é sobre confessar algo que aconteceu diretamente ao sujeito e que o prejudica contra terceiros.

No caso de evidências de depoimento, ele presta um testemunho de algo que viu ou ouviu, mas que não aconteceu com ele. Tem um papel externo.

Relacionado:  Ativos fungíveis e não fungíveis: diferenças e exemplos

Referências

  1. Isaura Arguelles. Alívio do teste confessional. Universidade Autônoma do Estado de Hidalgo.
  2. Hilda (2008) Teste confessional. Right.laguia2000.com
  3. Daniel Poot (2017) O teste confessional. Gradoceroprensa.wordpress.com
  4. Teste confessional. Testconfesional.blogspot.com
  5. Escola de litigantes (2016) Teste confessional. ecueladelitigantes.com

Deixe um comentário