Tipos de história e suas características

As histórias são narrativas que podem ser contadas de diversas formas e com diferentes elementos. Existem diversos tipos de história, cada um com suas próprias características e estruturas específicas. Desde contos de fadas até narrativas de ficção científica, cada gênero possui suas próprias particularidades que definem sua identidade e estilo. Neste contexto, é importante compreender as diferentes categorias de histórias e suas características para explorar a diversidade narrativa presente em diversas culturas e contextos.

Tipos de narrativas: conheça as diversas formas de contar uma história.

Existem vários tipos de narrativas que podem ser utilizadas para contar uma história. Cada tipo possui características específicas que ajudam a moldar a forma como a história é apresentada ao leitor ou espectador. Vamos conhecer alguns dos principais tipos de narrativas e suas particularidades.

Uma das formas mais comuns de narrativa é a narrativa linear, onde a história é contada de forma cronológica, seguindo uma sequência de eventos que se desenrolam de maneira ordenada. Este tipo de narrativa é bastante utilizado em livros, filmes e séries de TV.

Já a narrativa não linear apresenta a história de forma não sequencial, pulando entre diferentes momentos temporais. Este tipo de narrativa pode criar um suspense maior e surpreender o público ao revelar informações em momentos inesperados.

Outro tipo de narrativa é a narrativa em primeira pessoa, onde a história é contada pelo ponto de vista de um personagem que participa ativamente dos eventos. Isso permite ao leitor ou espectador se identificar mais facilmente com o protagonista e compreender melhor seus pensamentos e emoções.

Por outro lado, a narrativa em terceira pessoa apresenta a história de um ponto de vista externo, observando os personagens de fora. Isso pode permitir uma visão mais ampla dos acontecimentos e explorar diferentes personagens e cenários de forma mais abrangente.

Além desses tipos de narrativas, existem também as narrativas interativas, onde o público pode influenciar o desenrolar da história através de escolhas ou ações que alteram o curso dos eventos. Este tipo de narrativa é comum em jogos de vídeo game e livros interativos.

Em resumo, as diversas formas de contar uma história oferecem aos escritores e criadores uma ampla gama de possibilidades para cativar o público e transmitir suas mensagens de maneira eficaz. Cada tipo de narrativa possui suas próprias características que podem ser exploradas de acordo com o objetivo e estilo do autor.

Tipos de narrativas: conheça as diversas categorias de histórias presentes na literatura.

As narrativas são essenciais na literatura, sendo responsáveis por contar histórias de diferentes formas e estilos. Existem diversos tipos de narrativas, cada uma com suas características específicas que as tornam únicas.

Um dos tipos mais comuns é a narrativa ficcional, que se caracteriza por contar histórias inventadas, com personagens e cenários fictícios. Esse tipo de narrativa permite ao autor explorar sua criatividade e imaginação, criando mundos e situações que não existem na realidade.

Outro tipo de narrativa é a narrativa autobiográfica, em que o autor conta sua própria história, baseada em suas experiências e memórias pessoais. Essas narrativas são geralmente mais intimistas e emocionais, permitindo ao leitor se identificar com as vivências do autor.

Além disso, temos a narrativa de suspense, que se caracteriza por manter o leitor tenso e curioso ao longo da história, com reviravoltas e mistérios a serem desvendados. Esse tipo de narrativa é conhecido por prender a atenção do leitor até o desfecho surpreendente.

Por fim, a narrativa de aventura é marcada por explorar cenários exóticos, com personagens corajosos e desafios emocionantes. Essas histórias costumam envolver viagens, descobertas e superações, proporcionando ao leitor uma experiência emocionante e empolgante.

Relacionado:  Escudo Durango: História e Significado

Em resumo, as narrativas são essenciais na literatura e nos permitem explorar diferentes universos e emoções. Cada tipo de narrativa possui suas características próprias, mas todas têm o poder de nos transportar para mundos imaginários e nos fazer refletir sobre a vida e as experiências humanas.

Conheça os 7 períodos históricos mais importantes ao longo da humanidade.

Quando estudamos a história da humanidade, podemos identificar diferentes períodos que marcaram de forma significativa a evolução da sociedade. Conhecer esses períodos é fundamental para compreendermos o mundo em que vivemos hoje. Vamos explorar os 7 períodos históricos mais importantes ao longo da história:

Pré-História: Este período se estende desde o surgimento dos primeiros hominídeos até a invenção da escrita. Durante a Pré-História, os seres humanos desenvolveram ferramentas, técnicas de caça e pinturas rupestres.

Idade Antiga: Neste período, surgiram as primeiras civilizações como a Mesopotâmia, Egito, Grécia e Roma. Foi uma época de grandes avanços nas áreas da filosofia, arte, ciência e política.

Idade Média: A Idade Média é caracterizada pelo domínio da Igreja Católica, feudalismo e grandes conflitos como as Cruzadas. Foi um período marcado por guerras, peste negra e a decadência do Império Romano.

Idade Moderna: Durante a Idade Moderna, ocorreram importantes eventos como o Renascimento, Reforma Protestante, Descobrimento da América e Revolução Industrial. Foi um período de transformações profundas na sociedade.

Idade Contemporânea: A Idade Contemporânea é marcada pela Revolução Francesa, Revolução Industrial, Primeira e Segunda Guerra Mundial, Guerra Fria e a globalização. Foi um período de intensas mudanças políticas, sociais e econômicas.

Idade Pós-Moderna: Na Idade Pós-Moderna, surgiram novas tecnologias, como a internet, e uma maior preocupação com questões ambientais e sociais. Foi um período de questionamento das grandes narrativas e valorização da diversidade.

Idade Futura: Por fim, a Idade Futura representa o período que ainda está por vir, marcado por incertezas e desafios, mas também por oportunidades de construir um mundo mais justo e sustentável.

Ao conhecermos esses 7 períodos históricos, podemos compreender melhor a trajetória da humanidade e refletir sobre o nosso papel na construção do futuro. A história nos ensina lições valiosas que podem guiar nossas ações e decisões no presente.

Os quatro períodos históricos que marcam a evolução da humanidade ao longo dos séculos.

Todos nós sabemos que a história da humanidade é marcada por diversos períodos que influenciaram diretamente a evolução da sociedade ao longo dos séculos. Esses períodos podem ser divididos em quatro grandes categorias, que representam diferentes momentos-chave na trajetória da humanidade.

O primeiro período histórico é conhecido como Pré-História, que engloba desde o surgimento dos primeiros seres humanos até o surgimento da escrita, por volta de 4000 a.C. Nesse período, os seres humanos eram nômades, vivendo da caça, da pesca e da coleta de alimentos. A invenção da agricultura marca o fim da Pré-História e o início de uma nova era para a humanidade.

O segundo período histórico é a Antiguidade, que se estende desde o surgimento das primeiras civilizações até a queda do Império Romano, em 476 d.C. Nesse período, surgiram grandes civilizações como a egípcia, a grega e a romana, que deixaram um legado cultural e político que influencia a sociedade até os dias de hoje.

O terceiro período histórico é a Idade Média, que se inicia com a queda do Império Romano e se estende até o século XV, com o início da Idade Moderna. A Idade Média é marcada pelo feudalismo, pelas Cruzadas e pela peste negra, que tiveram um impacto profundo na sociedade da época.

O quarto e último período histórico é a Idade Moderna, que se inicia no século XV e vai até o século XVIII, com a Revolução Francesa. Nesse período, ocorreram grandes transformações sociais, políticas e econômicas, como o Renascimento, a Reforma Protestante e a Revolução Científica, que moldaram a sociedade ocidental como a conhecemos hoje.

Em resumo, os quatro períodos históricos que marcam a evolução da humanidade ao longo dos séculos são a Pré-História, a Antiguidade, a Idade Média e a Idade Moderna. Cada um desses períodos possui características únicas que contribuíram para moldar a sociedade em que vivemos atualmente.

Tipos de história e suas características

Os tipos de história são as classificações utilizadas para subdividir os estudos historiográficos. A história é uma disciplina que é responsável por estudar e analisar eventos ou eventos do passado. Tende a seguir uma metodologia para dar legitimidade ao que está sendo estudado.

Por outro lado, o especialista encarregado de modelar esses estudos é o historiador, que tem a responsabilidade de transmitir os fatos objetivamente. Nesse sentido, a ética do historiador permite que ele expresse uma verdade em todos os momentos que pode ser útil para a sociedade .

Tipos de história e suas características 1

Por JB (originalmente publicado no Flickr como The Stacks) [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons

Segundo vários teóricos, o objetivo da história é o homem; Ao longo da história, o homem deve ser capaz de adquirir conhecimento e depois transmiti-lo ou analisá-lo. Outros afirmam que sua utilidade é tomá-lo como exemplo para evitar cometer os mesmos erros do passado no presente e no futuro.

Segundo o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, o estudo histórico é fundamentalmente necessário para a saúde do homem, das pessoas e das culturas. Embora a história tenha várias abordagens desenvolvidas ao longo dos anos, ela persegue o mesmo objetivo; o estudo da sociedade e seu desenvolvimento.

Tipos de história

História do Antiquário

É um tipo de história que coleta dados ou fatos do passado e depois é descrita de maneira detalhada. Nesse sentido, um antiquário é um especialista que coleta, estuda e escreve em detalhes sobre antiguidades.

A história do antiquário parte do fato de que o estudo realizado geralmente é reservado ou “de pouco interesse” para qualquer especialista. Esse tipo de história se concentra no estudo detalhado de artefatos antigos e sítios arqueológicos e históricos.

A diferença entre um antiquário e um historiador é que o primeiro se concentra no estudo das relíquias do passado, enquanto o último se preocupa em narrar o passado, em lições políticas e morais para ser usado como exemplo para o presente. .

Atualmente, o termo é usado em um sentido pejorativo para se referir a um foco em curiosidades históricas, excluindo processos ou contextos históricos.

História Crítica

A história crítica aborda uma variedade de questões históricas do ponto de vista da teoria crítica; isto é, a partir de uma avaliação crítico-reflexiva da sociedade e da cultura, aplicando o estudo da sociologia, humanidades, críticas literárias, etc.

Por outro lado, esse tipo de história enfatiza a investigação sobre personagens emblemáticos da história universal, que geralmente são vistos “com maus olhos” ao longo do tempo. Um exemplo deles é o comunista Karl Marx e suas obras anticapitalistas como o Manifesto Comunista .

A história crítica oferece a oportunidade de acordo ou desacordo sobre uma gama variada de questões de importância para a sociedade.

Além disso, aborda questões de história da arte, literatura e arquitetura no sentido crítico. Um exemplo é o historiador da arquitetura Mark Jarzombek, que encarna em sua obra todo o desenvolvimento da arquitetura renascentista e uma crítica contemporânea da arquitetura.

Relacionado:  Revolução da Nicarágua: causas e conseqüências

História do Bronze

A história do bronze decorre da necessidade das nações de possuir sua própria visão em relação à história; isto é, as nações têm o objetivo de exaltar suas figuras históricas para criar um patriotismo fiel.

Existem referências que garantem a manipulação pelo Estado de dados e eventos históricos, a fim de manter o sistema de poder e ideologias patrióticos. Em resumo, a história do bronze é a exibição de um sentimento que as nações desejam transmitir ao seu povo.

Um exemplo é o patriotismo do México. A partir dos estudos básicos, o conhecimento é incutido sobre os heróis que deram a vida pela causa nacional. Diz-se que, inconscientemente, desde tenra idade, essa essência é imposta ao seu modo de ser.

A história do bronze também é chamada de história monumental, de acordo com as formas da história de Nietzsche. Segundo o filósofo alemão, esse tipo de história evoca eventos passados ​​que foram positivos para extrair no presente como um impulso para a humanidade.

História Científica

A história científica enfatiza a análise do desenvolvimento do conhecimento científico e tecnológico da sociedade humana. Além disso, estuda o impacto que a ciência teve ao longo do tempo e como ela influencia outros campos, como cultura, política ou economia.

Esse tipo de história oferece conclusões derivadas de um estudo quantitativo e, além disso, compartilha seu material com outras ciências, como as ciências naturais e sociais. A preocupação dessa abordagem é fundamentalmente baseada na condução de investigações científicas da história universal.

Os historiadores têm se preocupado em atribuir à história um caráter lógico, por isso aplicaram métodos científicos para adaptá-los ao estudo do passado da humanidade.

No entanto, a cientificidade da história tem sido complicada, uma vez que historiadores e o ser humano em geral tendem à subjetividade; portanto, os princípios da neutralidade devem ser mantidos, evitando fazer julgamentos pessoais.

Historicismo

O historicismo é uma tendência filosófica que se concentra no estudo da história para entender as questões humanas. Além disso, ele argumenta que os eventos científicos, artísticos, políticos ou religiosos que ocorreram ao longo da vida são relevantes para o ser humano.

Os historicistas não vêem a história como “passado”, mas adotam a visão de que ela está viva porque seu estudo surge como uma motivação para melhorar ou mudar o presente. Nesse sentido, ele propõe uma exploração dos fatos históricos.

No surgimento do movimento historicista, muitos teóricos da época explicaram que a história não deveria ser vista como ações que eram realizadas em eventos isolados, mas como um conjunto que deveria ser estudado e analisado em profundidade.

Outra das visões historicistas é que a história é baseada em fatos ou eventos que são o resultado de todas as ações humanas; No entanto, nem todos os eventos devem ser levados em consideração. Deve ter um certo critério de relevância.

Em contraste com esses fatos “sem importância”, existem outros que duram ao longo do tempo, prolongando sua ação e às vezes se repetindo no futuro.

Referências

  1. Antiquarianism and history, Portal School of Advanced Study, (sd). Retirado de history.ac.uk
  2. Antiquário, Wikipedia em inglês, (nd). Retirado de Wikipedia.org
  3. Diferentes tipos de história, H. Frederick, 2017. Extraído de careertrend.com
  4. Os tipos de história, Juan Carlos López López, (2007). Retirado de monographs.com
  5. Historicismo, Enciclopédia do Novo Mundo, (nd). Retirado de newworldencyclopedia.org
  6. Métodos de interpretação histórica, Google Site Portal, (nd). Extraído de sites.google.com

Deixe um comentário