Tipos de relatórios jornalísticos (finalidade e conteúdo)

Os relatórios jornalísticos são um dos principais gêneros de texto utilizados na prática jornalística, sendo essenciais para informar os leitores sobre acontecimentos importantes e relevantes. Existem diferentes tipos de relatórios jornalísticos, cada um com uma finalidade específica e um conteúdo característico. Neste contexto, é fundamental compreender as particularidades de cada tipo de relatório para garantir a eficácia da comunicação jornalística.

7 tipos de textos jornalísticos que são essenciais para entender o jornalismo.

Existem diversos tipos de textos jornalísticos que são essenciais para compreender o funcionamento do jornalismo. Cada um possui uma finalidade e conteúdo específicos que contribuem para a diversidade e riqueza da informação transmitida. Abaixo, listamos 7 tipos de relatórios jornalísticos que são fundamentais:

1. Notícia:

A notícia é um tipo de texto jornalístico que tem como principal objetivo informar sobre acontecimentos recentes e relevantes. Geralmente, é escrita de forma objetiva e imparcial, apresentando os fatos de forma clara e concisa. As notícias costumam seguir a estrutura de pirâmide invertida, onde as informações mais importantes estão no início do texto.

2. Reportagem:

A reportagem é um tipo de texto mais aprofundado, que busca investigar e analisar determinado assunto. Ela pode ser dividida em diferentes formatos, como a reportagem investigativa, a reportagem interpretativa e a reportagem perfil. Geralmente, a reportagem busca trazer diferentes pontos de vista e contextualizar os fatos apresentados.

3. Entrevista:

A entrevista é um tipo de texto que apresenta uma conversa entre o jornalista e uma fonte de informação. Ela pode ser feita de forma presencial, por telefone ou por e-mail. As entrevistas são importantes para trazer a opinião e o ponto de vista de especialistas, autoridades e pessoas envolvidas nos acontecimentos noticiados.

4. Artigo:

O artigo é um tipo de texto jornalístico que expressa a opinião do autor sobre determinado assunto. Geralmente, os artigos são mais subjetivos e podem conter argumentos e análises pessoais. Eles são importantes para estimular o debate e a reflexão sobre temas relevantes.

5. Editorial:

O editorial é um texto opinativo produzido pela equipe editorial de um veículo de comunicação. Ele representa a posição oficial do veículo sobre determinado assunto e geralmente aborda questões políticas, sociais e econômicas. Os editoriais são importantes para orientar o leitor sobre a linha editorial do veículo.

6. Resenha:

A resenha é um tipo de texto que avalia e analisa obras culturais, como livros, filmes, peças de teatro e exposições. Geralmente, as resenhas apresentam uma breve sinopse da obra e a opinião crítica do autor sobre ela. Elas são importantes para orientar o público sobre a qualidade e relevância das obras analisadas.

7. Crônica:

A crônica é um tipo de texto jornalístico que aborda temas do cotidiano de forma leve e descontraída. Geralmente, as crônicas são escritas em primeira pessoa e apresentam uma visão pessoal e subjetiva sobre os acontecimentos do dia a dia. Elas são importantes para aproximar o leitor do universo do autor e estimular a reflexão sobre questões do cotidiano.

Em resumo, esses são alguns dos principais tipos de textos jornalísticos que contribuem para a diversidade e a qualidade da informação veiculada pelos veículos de comunicação. Cada um possui uma finalidade e um conteúdo específicos, mas todos são essenciais para a compreensão do jornalismo e para a formação de uma opinião crítica e informada.

Qual a função de um texto jornalístico na comunicação atualmente?

Atualmente, a função de um texto jornalístico na comunicação é essencial para informar, educar e entreter o público. Os jornalistas têm o papel de relatar os fatos de forma imparcial e objetiva, fornecendo aos leitores ou espectadores informações precisas e relevantes sobre os acontecimentos do mundo.

Relacionado:  Os 5 pratos mais típicos de Lambayeque

Existem diversos tipos de relatórios jornalísticos, cada um com sua finalidade e conteúdo específicos. Os principais tipos incluem a notícia, a reportagem, a entrevista, a resenha e a crônica. Cada um desses formatos tem o seu propósito e público-alvo, sendo importante para a diversidade e a qualidade da informação que chega até as pessoas.

A notícia é um relato breve e objetivo de um acontecimento recente, com informações básicas e relevantes. Já a reportagem é mais aprofundada, explorando diferentes ângulos e contextualizando o tema. A entrevista traz as opiniões e os insights de uma pessoa sobre determinado assunto, enquanto a resenha analisa e avalia obras culturais, como livros e filmes. Por fim, a crônica é um texto mais pessoal e subjetivo, que reflete sobre aspectos do cotidiano.

Em resumo, os textos jornalísticos desempenham um papel fundamental na comunicação atual, fornecendo informações e análises que contribuem para a formação de opinião e o debate público. É através desses diferentes tipos de relatórios que os jornalistas cumprem sua missão de informar e promover a democracia e a transparência na sociedade.

Principais tipos de jornalismo: quais são e como se diferenciam na prática jornalística?

O jornalismo é uma área vasta e diversificada, que engloba diferentes tipos de práticas e abordagens. Entre os principais tipos de jornalismo, podemos destacar o jornalismo impresso, o jornalismo televisivo, o jornalismo online e o jornalismo investigativo.

O jornalismo impresso refere-se às notícias veiculadas em jornais e revistas, com o objetivo de informar o público sobre os acontecimentos mais relevantes do momento. Já o jornalismo televisivo envolve a transmissão de notícias através de programas de televisão, com o uso de imagens e entrevistas para complementar as informações. O jornalismo online, por sua vez, é aquele realizado em plataformas digitais, como sites de notícias e portais de informação, buscando alcançar um público mais amplo e diversificado.

Por fim, o jornalismo investigativo é aquele que se dedica a apurar e revelar informações de interesse público, muitas vezes envolvendo investigações aprofundadas e denúncias de práticas ilícitas. Este tipo de jornalismo requer um alto nível de apuração e ética profissional, visando sempre a busca pela verdade e pela transparência.

Em resumo, os diferentes tipos de jornalismo se diferenciam na prática jornalística pela forma de abordagem, pelo meio de comunicação utilizado e pela finalidade da informação. Cada um desses tipos tem sua importância e contribuição para a sociedade, sendo essencial para a manutenção da democracia e da liberdade de expressão.

Tipos de textos presentes em um jornal: conheça os gêneros textuais mais comuns.

Os jornais são compostos por diversos tipos de textos que cumprem diferentes funções e objetivos. Entre os gêneros textuais mais comuns encontrados em um jornal, destacam-se as notícias, reportagens, entrevistas, crônicas, editoriais, artigos de opinião e resenhas.

As notícias têm como principal finalidade informar o leitor sobre eventos recentes e relevantes, seguindo o princípio da objetividade e imparcialidade. Já as reportagens são textos mais aprofundados, que buscam investigar e analisar determinado assunto, apresentando diferentes perspectivas e fontes de informação.

As entrevistas são textos que apresentam diálogos entre o entrevistador e o entrevistado, trazendo opiniões e declarações sobre determinado tema. As crônicas, por sua vez, são textos mais pessoais e subjetivos, que exploram experiências do autor e reflexões sobre a sociedade.

Os editoriais são textos de autoria coletiva, nos quais a equipe editorial do jornal expressa sua posição sobre determinado assunto. Já os artigos de opinião são textos de autoria individual, nos quais o autor expõe e defende seu ponto de vista sobre um tema específico.

Relacionado:  Flexômetro ou fita métrica: recursos, usos, histórico

Por fim, as resenhas são textos críticos que avaliam obras de arte, livros, filmes, entre outros produtos culturais, apresentando uma análise detalhada e uma opinião fundamentada.

Portanto, os tipos de textos presentes em um jornal são variados e atendem a diferentes necessidades e interesses dos leitores, contribuindo para a diversidade e riqueza do conteúdo jornalístico.

Tipos de relatórios jornalísticos (finalidade e conteúdo)

Existem vários tipos de relatórios jornalísticos , que são possíveis de serem classificados de acordo com a finalidade. São o demonstrativo, o descritivo, a narrativa, o anedótico e o autobiográfico. Mas outros tipos também podem ser diferenciados de acordo com a ordem do conteúdo. São eles: eventos, ação, namoro e reportagem investigativa.

O relatório é um dos gêneros jornalísticos mais extensos e complexos que existem em relação à elaboração narrativa. Consiste no extenso desenvolvimento de um tópico de interesse geral. Nele, o autor dedica-se a investigar todos os tipos de detalhes, como antecedentes, circunstâncias, causas e repercussões do fato ou tema central.

Tipos de relatórios jornalísticos (finalidade e conteúdo) 1

Este gênero jornalístico investiga, descreve, diverte, informa e documenta. E isso é alcançado porque é uma informação que tem um caráter profundo. Não está ligado às notícias mais imediatas, pois o imediatismo não é importante no relatório. Certamente, os relatórios geralmente começam em um evento de notícias. No entanto, neste caso, a chave está na extensão e investigação aprofundada das notícias.

A reportagem permite que o jornalista tenha maior liberdade de exibição e oferece a ele a oportunidade de desenvolver seu próprio estilo literário. Embora isso não signifique que deva haver subjetividade.

Aqui os fatos são narrados como aconteceram, pois o objetivo ainda é informar. Por esse motivo, o relatório deve sempre ser acompanhado por uma investigação completa.

Somente assim é possível garantir que as informações sejam completas e totalmente fiéis. O objetivo é apresentar tudo sobre o assunto para que o leitor possa tirar suas próprias conclusões.

Tipos de relatórios

-De acordo com o objetivo

Relatório de demonstração

Nesse tipo de reportagem, o jornalista se dedica a descobrir problemas e baseia seu trabalho em reivindicações sociais. Como todo trabalho desse gênero jornalístico, a escrita não pode permanecer na exposição dos fatos, mas deve aprofundar-se nas causas do problema para oferecer um panorama mais completo.

Nesses tipos de relatórios, os leitores precisam fazer um esforço para entender as informações e prestar muita atenção. E, para atrair o leitor, o jornalista deve tentar animar a história.

Relatório descritivo

Esse tipo de relatório é baseado na observação detalhada do repórter, pois ele deve fornecer, por escrito, uma imagem clara de todas as características do assunto a ser discutido.

Isso inclui objetos, seres humanos, sensações, cidades e todos os aspectos da realidade. Você deve ser capaz de descrever cada elemento para colocar o leitor na história. No relatório descritivo, a investigação é importante, mas a capacidade de observação do repórter é elementar.

Relatório narrativo

Nesse tipo de relatório, o fator tempo assume um papel de liderança. Para esta história, o evento ou problema deve ser muito bem estruturado. Ele deve apresentar sua evolução ao longo do tempo e, para isso, deve ser estabelecido o que aconteceu primeiro e o que depois.

Relacionado:  50 materiais naturais e suas características

Para realizar um relatório narrativo, é necessário não apenas analisar documentos e fazer descrições de pessoas, objetos ou lugares, mas também coletar opiniões diferentes. Embora seja importante que sejam de pessoas autorizadas ou entidades oficiais.

Relatório retrospectivo-anedótico

Esse tipo de relatório visa reconstruir os detalhes de um evento passado. A história é construída através da análise das informações, que geralmente são coletadas a partir do estudo de documentos ou de entrevistas com testemunhas do fato de que se quer contar.

O relatório retrospectivo-anedótico deve manter seu foco nos eventos diários das pessoas. Pode basear-se na descoberta de fatos que não eram conhecidos. Ou você pode até apostar em negar outras versões contadas do mesmo evento.

Relatório autobiográfico

Esse tipo de reportagem foi criado pelo jornalista americano Tom Wolfe, reconhecido por ter feito importantes inovações no estilo jornalístico. O relatório autobiográfico nada mais é do que um trabalho de pesquisa em que não há mais protagonistas do que o repórter.

Ou seja, quem escreve a história se torna o personagem do próprio relatório. Esse tipo de trabalho geralmente é feito quando o jornalista tem algo importante a dizer e o faz da perspectiva dele.

-De acordo com a ordem do conteúdo

Relatório de Eventos

O relato de eventos consiste em apresentar uma visão estática dos fatos. O jornalista atua como um observador responsável por falar sobre os fatos, mas de fora.

Nesse caso, os eventos não são apresentados em ordem cronológica, mas em ordem de importância e simultaneamente.

Relatório de Ação

Tipos de relatórios jornalísticos (finalidade e conteúdo) 2

Cappa, principal fotojornalista e autor de importantes reportagens relacionadas a conflitos de guerra

Ao contrário do relatório de eventos, no relatório de ação, os eventos são apresentados dinamicamente, como se algo estivesse acontecendo. O jornalista deve acompanhar a evolução dos eventos, pois escreve a história de dentro do evento.

E assim deve fazer com que o leitor se sinta também. Esse tipo de relatório está associado à narração, pois a história deve acompanhar a evolução temporal do evento.

Relatório de Nomeação

Este é o relatório que é comumente conhecido como uma entrevista. Os fatos seguem o que o entrevistado conta. E para montar a história, descrições ou narrações alternativas do jornalista com palavras textuais do personagem questionado. Desta forma, o acima é suportado.

Não há regras para entrevistas. No entanto, é melhor evitar forçar o diálogo. Deve haver uma conversa agradável, com perguntas interessantes, para que o entrevistado possa fornecer todas as informações necessárias.

Relatório de Pesquisa

Embora possa parecer óbvio, uma vez que todos os relatórios são baseados em pesquisas, neste caso, é muito mais profundo.

No relatório investigativo, o jornalista deve realizar um trabalho praticamente detetive para capturar todos os detalhes, especialmente aqueles que são desconhecidos.

É também um trabalho que requer fontes muito confiáveis ​​e até confidenciais que fornecem evidências do que é dito no resumo. Esse tipo de relatório geralmente contém dados estatísticos, números atualizados e documentos com informações oficiais.

Referências

  1. Patterson, C. (2003). O bom relatório, sua estrutura e características. Revista Latina de Comunicação Social. Universidade do Panamá Recuperado de ull.es.
  2. A imprensa, um recurso para a sala de aula. Análise de imprensa. Gêneros jornalísticos (sem data). Treinamento em rede, recuperado de ite.educacion.es.

Deixe um comentário