Vanguarda latino-americana: contexto, características, autores

A vanguarda latino-americana foi um movimento artístico e literário que se desenvolveu no final do século XIX e na primeira metade do século XX, em resposta às grandes mudanças políticas e sociais que ocorreram no continente americano como resultado da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) , a guerra civil espanhola (1936-1939) e a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Baseia-se principalmente na quebra dos esquemas e normas tradicionais que foram aceitos na arte e na literatura modernas. Isso significava que novas correntes literárias e novas formas de escrever poesia eram geradas e revolucionárias para a época.

Vanguarda latino-americana: contexto, características, autores 1

Vicente Huidobro é um dos principais representantes da vanguarda latino-americana. Fonte: Veja a página do autor [Domínio público]

Foi um movimento com o qual os artistas enfrentavam a ameaça constante que eles percebiam em relação à sua aliança por parte do capitalismo. Um novo modelo social e econômico que incentivou a comercialização da arte.

Contexto histórico

A vanguarda teve seu início no final do século XIX, com o fim da Primeira Guerra Mundial . A partir de então, o movimento experimentou um boom significativo, seus expoentes tiveram muito sucesso até meados do século XX, quando a Segunda Guerra Mundial foi gerada e o pós-modernismo emergiu.

Seu nascimento está associado à fervorosa oposição da sociedade de artistas europeus ao sistema burguês que prevalece na Europa do século XIX.

Seu surgimento na América Latina surgiu como um produto das grandes mudanças políticas e sociais derivadas da Primeira Guerra Mundial e da guerra civil espanhola. Seus primeiros autores pegaram os postulados e características dessas formas de expressão européia e os adaptaram à realidade latino-americana.

Durante a guerra civil espanhola, muitas manifestações da guilda de artistas ocorreram em oposição à ditadura de Francisco Franco e à disputa que estava ocorrendo no território espanhol; Nesse contexto, foram gerados escritos e textos que apoiavam a República.

A vanguarda no continente americano surgiu como resposta à ascensão de classes que se opunham ao crescente sistema capitalista, que se misturava às idéias de protesto das classes trabalhadoras.

Caracteristicas

A vanguarda na América Latina procurou gerar uma nova identidade na maneira de expressar a arte, produto da incerteza e da crise econômica deixada pelo pós-guerra. Destina-se a expressar os processos psicológicos e as preocupações vividas pelos artistas da época em termos de seu lugar na sociedade.

Procura romper com a estética da narrativa tradicional, modificando a linearidade e o caráter lógico e fazendo uso de recursos como contraponto, translocação ou flashback , narração múltipla e humor negro.

Na poesia, destacaram o uso de versos livres, caligramas e colagens, sendo esses trabalhos percebidos como criações experimentais.

Da mesma forma, a vanguarda latino-americana adotou e combinou os ismos propostos pela vanguarda européia, dentro da qual encontramos principalmente criacionismo, ultraismo, simplicidade, estridentismo e nada. A seguir, explicaremos as principais características desses movimentos:

Criacionismo

Foi proposto pelo chileno Vicente Huidobro durante sua estadia na Espanha em 1918. Como o nome indica, ele negligencia a concepção descritiva da literatura e concentra-se na criação livre do artista que inova e expressa novas idéias, conceitos e elementos.

No criacionismo, o poeta tem a possibilidade de alterar até os usos dos sinais de pontuação, uma vez que ele pode ignorá-los.

Ultraismo

Foi proposta pelo argentino Jorge Luis Borges em 1919. No ultraismo, o artista utiliza a metáfora, geralmente incoerente, como elemento principal para expressar suas idéias e preocupações. Deixe de lado a rima tradicional e apresente uma linguagem mais bruta e simplificada através da qual omite ornamentos e qualificações desnecessários.

Introduz o uso das palavras esdrújulas na narrativa, além de neologismos e tecnicismos. Tem uma forte influência nas características do cubismo, dadaísmo e futurismo europeu, bem como no próprio criacionismo de Huidobro.

Simplicidade

Teve seu início no Peru em 1925 pelas mãos do poeta Alberto Hidalgo. A simplicidade busca representar as idéias do autor da maneira mais simples e clara possível, independentemente de tudo que represente uma barreira ao entendimento da poesia.

Como o ultraismo, utiliza o recurso da metáfora como elemento para dar forma e imagem às idéias do artista; no entanto, neste caso, é usado com um sentido claro e coerente. Geralmente cobre tópicos relacionados ao amor próprio e patriotismo.

Stridentismo

Foi criado pelo mexicano Manuel Maples Arce em 1921. O estridentismo é mostrado como uma forma de expressão rebelde e rejeição dos costumes do passado, com a intenção de dar lugar ao novo e ao moderno.

Os estridentistas usam humor negro e irreverência para dar conotação negativa aos costumes e normas tradicionais do passado. Uma nova sociedade é proposta, conhecida como Estridentópolis, criada a partir de desenvolvimentos tecnológicos e de uma nova concepção política e social.

Nadaism

Ele nasceu em 1958 pela mão do colombiano Gonzalo Arango. Caracteriza-se por sua acentuada componente existencialista e crítica ao sistema social, político e religioso colombiano da época.

Suas maiores críticas foram de natureza anárquica contra as instituições, refletindo o descontentamento dos artistas pela alienação derivada de práticas políticas e religiosas.

Eles usaram o uso de elementos irracionais, negação, não conformidade e o contínuo questionamento da sociedade. O uso da prosa sem seguir as normas estabelecidas também foi utilizado como uma maneira de se separar da normativa.

Tópicos frequentes

Os artistas de vanguarda adotaram temas que geralmente começavam com o existencialismo, que mostravam o interesse especial que tinham pelas situações proibidas e fatídicas.

Os trabalhos procuraram expressar rejeição aos problemas sociais que ocorreram como resultado de mudanças em seu ambiente. Entre os principais tópicos desenvolvidos, destacam-se:

– desigualdades econômicas.

– intervencionismo político.

– A pobreza.

– exclusão social.

Autores e obras

Vicente Huidobro (criacionismo)

Ele nasceu em 10 de janeiro de 1893 em Santiago, Chile e morreu em 1948 em Cartagena, Chile. Salienta seu trabalho The Water Mirror (1916) por ser aquele em que ele começou a mostrar algumas características do criacionismo. Seu estilo também é evidente em obras como Mío Cid Campeador: Hazaña (1929), Altazor (1931) e Tremor do Céu (1931).

Jorge Luis Borges (ultraismo)

Nasceu em 24 de agosto de 1919 em Buenos Aires, Argentina, e morreu em Genebra, na Suíça, em 1986. É considerado o pai do ultraismo na América Latina e foi o primeiro a assinar um manifesto ultraísta.

Ele é conhecido por suas obras Fervor de Buenos Aires (1923) e História Universal da Infâmia (1935). Em 1979, ganhou o prêmio Miguel de Cervantes.

Alberto Hidalgo (Simplicidade)

Nasceu em Arequipa (Peru) em 1897 e morreu em Buenos Aires (Argentina) em 1967. Foi proclamado pela guilda como poeta à frente de seu tempo, considerado o criador e um dos maiores expoentes da simplicidade da América Latina. Seu trabalho principal foi o simplismo: poemas inventados (1925).

Manuel Maples Arce (estridentismo)

Ele nasceu em 1 de maio de 1900 em Veracruz, México, e morreu em 1981 na Cidade do México. Ele foi o precursor do estilo estridentista.

Em 1921, ele publicou o primeiro manifesto estridentista, intitulado Stridentista comprimido, e um ano depois revelou os andaimes do Interior. Poemas radiográficos

Gonzalo Arango (nada)

Ele nasceu em 18 de janeiro de 1931 nos Andes, na Colômbia, e morreu em 1976 em Gachancipa, também na Colômbia. Ele escreveu o primeiro manifesto nadaista em 1958.

Suas principais obras em poesia foram Fogo no altar (1974), Adangelios (1985) e Providencia (1972).

Cesar Vallejo

Ele nasceu em 16 de março de 1892 em Santiago de Chuco, Peru, e morreu em 1938 em Paris, França. Ele é considerado um dos maiores expoentes da vanguarda latino-americana desde que conseguiu escrever trabalhos inovadores que se adaptaram às diferentes correntes.

Em 1918, ele publicou seus poemas The Black Heralds , uma obra que, embora apresente uma estrutura modernista, começa na busca de uma maneira diferente de expressar suas idéias. Em 1922, ele publicou o livro de poesia Trilce , que coincide com o surgimento da vanguarda e denota sua linguagem poética muito pessoal.

Pablo Neruda

Ele nasceu em 12 de julho de 1904 em Parral, no Chile, e morreu em 1973 em Santiago, no Chile. Foi um notável escritor e ativista político que compartilhou sua paixão pela literatura com a reivindicação de direitos sociais.

Seu período de atividade está concentrado no período de vanguarda. Uma de suas obras mais importantes é intitulada Vinte poemas de amor e uma canção desesperada , publicada em 1924.

Em 1971, a Academia Sueca concedeu a ele o Prêmio Nobel de Literatura “por uma poesia que, com a ação de uma força elementar, torna realidade o destino e os sonhos de um continente”. Além disso, ele recebeu o Doutorado Honorário em Filosofia e Letras da Universidade de Oxford.

Referências

  1. Cruz, Jacqueline. “Discursos da modernidade em culturas periféricas: a vanguarda latino-americana” (1997) Na América Latina. Retirado em 9 de julho de 2019 da América Latina: jstor.org
  2. Rincon, Carlos. “A vanguarda européia no contexto latino-americano: Anais do Colóquio Internacional de Berlim” (1991) In Dialnet Foundation. Retirado em 9 de julho de 2019 de Fundación Dialnet: dialnet.unirioja.es
  3. Hamill, Katherine. “Arte de vanguarda na América Latina” Em arte latino-americana moderna. Recuperado em 09 de julho de 2019 de modernartinamerica: modernlatinamericanart.wordpress.com
  4. Vázquez, M. Ángeles. “EL Ultraísmo” (2004) No Centro Virtual de Cervantes. Recuperado em 09 de julho de 2019 no Centro Virtual Cervantes: cvc.cervantes.es
  5. Biblioteca Nacional do Chile. “Vicente Huidobro (1893-1948)”. Memória chilena Retirado em 9 de julho de 2019 na Biblioteca Nacional do Chile: memoriachilena.gob.cl
  6. Cortés, Rafael. “A revista ‘Zut’ resgata a ‘poesia simplista’ do Alberto Hidalgo peruano” (2010) In Diario Sur. Recuperado em 09 de julho de 2019 em Diario Sur: diariour.es
  7. Instituto Cervantes. “Jorge Luis Borges. Biografia. ” Recuperado em 09 de julho de 2019 no Instituto Cervantes: cervantes.es
  8. Galán, John. “Gonzalo Arango Arias.” Em Rede Cultural do Banco da República na Colômbia. Recuperado em 9 de julho de 2019 na Rede Cultural do Banco da República da Colômbia: encyclopedia.banrepcultural.org
  9. Palácios, Esther. “Manuel Maples Arce” (2017) Na Enciclopédia de Literatura no México. Retirado em 9 de julho de 2019 na Enciclopédia de Literatura no México: elem.mx
  10. De Currea-Lugo, Victor. “América Latina e a Guerra Civil Espanhola”. Na Unidade Cívica da República. Recuperado em 9 de julho de 2019 na Unidade Cívica da República: Unidadcivicaporlarepublica.es
  11. Niemeyer, Katharina. “Arte – vida: ida e volta? O caso do estridentismo ”. Na Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes. Retirado em 9 de julho de 2019 na Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes: cervantesvirtual.com
  12. Escobar, Eduardo. “Nadaismo”. Em Gonzalo Arango. Retirado em 09 de julho de 2019 em Gonzalo Arango: gonzaloarango.com
  13. Milhares, Selena. “A vanguarda Nerud, uma escrita de negação” In Centro Virtual Cervantes Recuperado em 9 de julho de 2019 no Centro Virtual Cervantes: vc.cervantes.es

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies