Visão geral de risco: o que é, como é feito, exemplos

A visão geral de risco é uma ferramenta utilizada para identificar, analisar e avaliar os riscos existentes em um determinado contexto, seja ele pessoal, profissional ou empresarial.

O objetivo principal da visão geral de risco é antecipar possíveis problemas e elaborar estratégias para mitigar ou evitar suas consequências. Para isso, são considerados diversos fatores, tais como a probabilidade de ocorrência do risco, o impacto que ele pode causar e as medidas preventivas que podem ser adotadas.

Para realizar uma visão geral de risco, é necessário seguir um processo que envolve a identificação dos riscos, a análise dos mesmos, a avaliação de sua gravidade e a definição de planos de ação para lidar com eles.

Alguns exemplos de riscos que podem ser identificados em uma visão geral são: riscos operacionais, financeiros, de mercado, de segurança, de saúde e de compliance. É fundamental que as organizações estejam atentas a esses riscos e saibam como gerenciá-los de forma eficaz para garantir a sustentabilidade e o sucesso de seus negócios.

Cinco exemplos de tipos de riscos que você precisa conhecer agora mesmo.

Quando se trata de gerenciamento de riscos, é essencial compreender os diferentes tipos de riscos que uma organização pode enfrentar. Aqui estão cinco exemplos de tipos de riscos que você precisa conhecer agora mesmo:

Risco financeiro: Este tipo de risco está relacionado à instabilidade do mercado financeiro, flutuações cambiais, taxas de juros e outros fatores que podem afetar a saúde financeira de uma empresa.

Risco operacional: Este tipo de risco está relacionado a falhas em processos internos, sistemas de informação, recursos humanos e outros aspectos operacionais que podem impactar negativamente a eficiência e eficácia de uma organização.

Risco de conformidade: Este tipo de risco está relacionado ao não cumprimento de leis, regulamentos e padrões da indústria, o que pode resultar em penalidades legais, multas e danos à reputação da empresa.

Risco estratégico: Este tipo de risco está relacionado a decisões estratégicas erradas, mudanças no ambiente de negócios, concorrência acirrada e outros fatores que podem impactar a capacidade de uma empresa de atingir seus objetivos estratégicos.

Risco cibernético: Este tipo de risco está relacionado a ataques cibernéticos, violações de dados, roubo de informações confidenciais e outros incidentes de segurança cibernética que podem causar danos significativos à reputação e operações de uma organização.

É importante que as empresas identifiquem, avaliem e mitiguem esses tipos de riscos para garantir a sustentabilidade e sucesso a longo prazo de seus negócios.

Exemplos de percepção de risco: compreenda a importância de identificar ameaças potenciais.

A percepção de risco é fundamental para identificar ameaças potenciais e tomar medidas para mitigá-las. Existem diversos exemplos que ilustram esse conceito e demonstram a importância de estar ciente dos possíveis perigos que podem surgir em diferentes situações.

Um exemplo comum de percepção de risco é quando uma pessoa decide não atravessar a rua fora da faixa de pedestres. Nesse caso, a percepção do risco de ser atropelado por um carro em alta velocidade influencia a decisão de agir de forma mais segura e utilizar a faixa de pedestres.

Outro exemplo é a percepção de risco em relação à segurança cibernética. Quando uma empresa identifica a possibilidade de um ataque de hackers aos seus sistemas, ela pode implementar medidas de proteção, como firewalls e criptografia, para reduzir a vulnerabilidade e minimizar os danos potenciais.

Relacionado:  Viciado em trabalho: sintomas e tratamento

Além disso, a percepção de risco também é crucial em áreas como saúde pública e meio ambiente. Por exemplo, a identificação dos riscos associados à poluição do ar ou à contaminação da água pode levar a políticas de prevenção e controle para garantir a saúde e a segurança da população.

Ao reconhecer os perigos que podem surgir em diferentes contextos, é possível agir de forma proativa e garantir a segurança e o bem-estar de indivíduos, organizações e comunidades como um todo.

Exemplos de fatores de risco: o que são e como identificá-los.

Os fatores de risco são características ou condições que aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver uma determinada doença ou sofrer um acidente. Identificar esses fatores é fundamental para prevenir problemas de saúde e garantir um estilo de vida mais saudável.

Um exemplo comum de fator de risco é o tabagismo. Pessoas que fumam têm um maior risco de desenvolver doenças cardíacas, câncer de pulmão e problemas respiratórios. Identificar esse fator de risco pode ser feito através de perguntas simples, como “você fuma?” durante uma consulta médica.

Outro exemplo de fator de risco é a obesidade. Indivíduos com excesso de peso têm maior probabilidade de desenvolver diabetes, hipertensão e doenças articulares. Identificar a obesidade como um fator de risco pode ser feito através da medição do índice de massa corporal (IMC) durante uma avaliação física.

Além disso, a falta de atividade física também é um fator de risco importante para diversas doenças crônicas. Identificar esse fator pode ser feito através de perguntas sobre o nível de atividade física diária e a prática de exercícios durante uma avaliação de saúde.

Identificá-los precocemente é essencial para adotar medidas preventivas e melhorar a qualidade de vida. Esteja atento aos principais fatores de risco e busque orientação médica para manter-se saudável.

Exemplos de situações que representam riscos em determinada circunstância.

Quando falamos em riscos, estamos nos referindo a possíveis eventos que podem causar danos ou prejuízos em determinadas circunstâncias. Esses riscos podem estar presentes em diversas situações do nosso dia a dia, desde atividades simples até processos complexos. Vamos analisar alguns exemplos de situações que representam riscos em determinadas circunstâncias.

Um exemplo clássico de risco é atravessar a rua sem olhar para os dois lados. Nesse caso, a pessoa está sujeita a ser atropelada por um veículo em alta velocidade, o que pode resultar em ferimentos graves ou até mesmo na morte. Esse risco pode ser minimizado se a pessoa adotar medidas de segurança, como atravessar na faixa de pedestres e respeitar a sinalização de trânsito.

Outro exemplo de situação de risco é a falta de manutenção em equipamentos de trabalho. Se uma empresa não realizar a manutenção adequada em suas máquinas, existe o risco de ocorrerem acidentes de trabalho, como quedas, cortes e até mesmo explosões. Para evitar esses riscos, é fundamental que as empresas sigam as normas de segurança e façam a manutenção preventiva de seus equipamentos.

Além disso, a exposição a substâncias químicas sem os devidos cuidados também representa um risco. Por exemplo, se uma pessoa manusear produtos químicos sem utilizar os equipamentos de proteção adequados, ela pode sofrer intoxicação ou queimaduras. Para evitar esses riscos, é importante seguir as orientações de segurança fornecidas pelos fabricantes e utilizar os equipamentos de proteção individual.

Relacionado:  Teste psicotécnico: o que é, exemplos e como superá-lo

Portanto, é essencial identificar os riscos, avaliar sua probabilidade de ocorrência e impacto, e adotar medidas para mitigá-los. A prevenção é a chave para evitar acidentes e garantir a segurança em todas as atividades que realizamos.

Visão geral de risco: o que é, como é feito, exemplos

Um cenário de risco é uma ferramenta de diagnóstico, usada por empresas e organizações, que estabelece as condições gerais de trabalho para estabelecer os pontos críticos de perigo.

Pontos críticos são considerados as situações potenciais em que a integridade física de uma ou mais pessoas pode sofrer algum tipo de conseqüência ou dano. Podem ser doenças relacionadas ao trabalho ou acidentes de trabalho. Por outro lado, qualquer probabilidade ou possibilidade de ocorrência de um evento que possa expor uma ou mais pessoas a qualquer tipo de perigo é chamada de risco.

Visão geral de risco: o que é, como é feito, exemplos 1

Trabalhadores chineses usando capacete. Fonte: pixabay.com

Um cenário de risco serve para avaliar as condições gerais de “perigo” em uma empresa ou organização. Essa análise permite priorizar riscos e obter informações valiosas sobre condições de trabalho e trabalhadores.

O cenário de risco é de fundamental importância para evitar acidentes, lesões ou situações que possam afetar a integridade física de um ou mais trabalhadores.

Como um cenário de risco é desenvolvido

Um panorama de risco é preparado com base no tipo de operação produtiva de uma empresa. Isso significa estudar o que a organização faz. Posteriormente, é realizada uma segunda análise global do ambiente de trabalho.

Nesta etapa inicial, são levados em consideração elementos fundamentais que servem para diagnosticar a situação atual da empresa. Objetos e situações que são considerados potencialmente perigosos ou prejudiciais à saúde e à integridade física das pessoas são identificados, localizados e valorizados.

Variáveis ​​a serem consideradas

As variáveis ​​consideradas principalmente são:

– Características físicas gerais do ambiente de trabalho, como instalações, equipamentos, ferramentas ou elementos existentes no local de trabalho.

– Natureza dos riscos potenciais associados aos itens acima (físicos, químicos ou biológicos) e seu nível de intensidade. A intensidade de um perigo está associada ao nível de concentração ou presença do elemento.

– Estudo dos procedimentos para o uso de elementos potencialmente perigosos, que podem afetar a saúde ou a segurança dos trabalhadores.

– Organizar e organizar as tarefas dos trabalhadores, levando em consideração os pontos anteriores, bem como os aspectos ergonômicos e psicossociais.

Estudo e avaliação

O estudo e a avaliação de riscos potenciais em uma área onde as atividades de trabalho são realizadas são essenciais. Isso serve para avaliar um plano de ação que evita situações prejudiciais à saúde e segurança das pessoas.

Tanto a gerência da empresa ou organização, quanto os especialistas, desempenham um papel fundamental na preparação do diagnóstico. Mais do que tudo, porém, são os próprios trabalhadores que devem colaborar ativamente para manter os cenários de risco atualizados.

Procedimento

Geralmente, os cenários de risco são realizados seguindo uma série de etapas estruturadas da seguinte maneira:

1- A localização geográfica do local de trabalho é estabelecida e avaliada.

2- É realizado o trabalho de campo, que consiste em observar o estabelecimento e as posições em que os trabalhadores trabalham.

3- São coletadas informações sobre o que poderia ser fator de risco para saúde e segurança.

Relacionado:  Eu odeio o meu trabalho: 7 dicas práticas para corrigi-lo

4- As informações coletadas são organizadas centralmente.

5- Os dados obtidos são analisados ​​e é feita uma avaliação de cada risco (do menor ao maior perigo).

6- Os fatores de risco são priorizados.

7- É executado um plano de trabalho que ajuda a reduzir fatores de risco e a estabelecer protocolos caso o risco se concretize.

8- É realizado monitoramento periódico das condições de trabalho, o que ajuda a modificar o cenário de risco (se necessário).

Como os riscos são avaliados

Realizados os procedimentos necessários para o reconhecimento inicial da situação de trabalho, os dados coletados são analisados ​​por especialistas. Essa análise revela situações que podem ameaçar a saúde ou a segurança, mas cada uma deve ser avaliada em uma escala perigosa.

A avaliação dos riscos ocupacionais é feita da seguinte forma:

1- Avaliação de risco: neste caso, é atribuída uma classificação a cada perigo, levando em consideração os controles de segurança atualmente em vigor. A efetividade do controle, as probabilidades de risco e suas conseqüências também são consideradas.

2- Definir critérios: nesse caso, é definido o que é conhecido como “aceitabilidade de risco”.

3- Definir a aceitabilidade do risco: uma vez estabelecidos os critérios de aceitabilidade do risco, considera-se se os procedimentos atuais são aceitáveis ​​para manter o risco sob controle e se cumprem os requisitos legais.

Existem fórmulas específicas para a consideração de riscos, que avaliam uma série de variáveis ​​para estabelecer o nível de probabilidade de ocorrência de um evento perigoso.

Exemplos de cenário de risco

Os cenários de risco coletam informações valiosas e, após o estudo, são coletadas de forma específica.

Dados como:

– Nome da empresa.

– número de trabalhadores.

– Data de realização.

– Pessoa responsável pelo panorama.

Da mesma forma, neste relatório, você encontrará as informações que se referem à localização da empresa e / ou empregos, os fatores de risco e de qual fonte eles vêm, os efeitos sobre a saúde ou a segurança dos trabalhadores, quais áreas Eles estão expostos e por quanto tempo.

O grau de perigo será avaliado levando em consideração as conseqüências, o grau de exposição e o índice de probabilidade. Isso é feito em uma escala de 1 a 10 para as consequências, probabilidades e tempo de exposição.

Sobre as consequências:

1: Ferimentos leves (contusões, golpes).

4: Lesões que impliquem incapacidade (não permanente).

6: Lesões que envolvem incapacidade permanente.

10: Morte

Sobre as probabilidades:

1: Não há registros do fato ou isso não acontece há anos.

4: Isso poderia acontecer, seria estranho.

7: Completamente possível, nada de estranho.

10: É o resultado mais esperado.

Sobre o tempo de exposição:

1: Remotamente possível.

4: Ocasionalmente, uma vez por semana.

6: Frequentemente, às vezes.

10: Isso acontece continuamente.

Referências

  1. Universidade ocidental de Sydney. (2011). Identificação de perigos, avaliação de riscos e procedimento de controle. PDF
  2. Centro de Segurança Naval (2005). Guia do Usuário do Sistema de Relatório de Perigos. PDF
  3. Comitê Conjunto de Saúde Ocupacional da Colômbia. (1989). Resolução 1016. PDF
  4. ICONTEC International. (2010). Guia para identificação de perigos e avaliação de riscos à saúde e segurança ocupacional.
  5. Seguro de vida sul-americano. (sf). Visão geral dos fatores de risco de uma empresa. Recuperado em arlsura.com

Deixe um comentário