Visão geral de risco: o que é, como é feito, exemplos

Um cenário de risco é uma ferramenta de diagnóstico, usada por empresas e organizações, que estabelece as condições gerais de trabalho para estabelecer os pontos críticos de perigo.

Pontos críticos são considerados as situações potenciais em que a integridade física de uma ou mais pessoas pode sofrer algum tipo de conseqüência ou dano. Podem ser doenças relacionadas ao trabalho ou acidentes de trabalho. Por outro lado, qualquer probabilidade ou possibilidade de ocorrência de um evento que possa expor uma ou mais pessoas a qualquer tipo de perigo é chamada de risco.

Visão geral de risco: o que é, como é feito, exemplos 1

Trabalhadores chineses usando capacete. Fonte: pixabay.com

Um cenário de risco serve para avaliar as condições gerais de “perigo” em uma empresa ou organização. Essa análise permite priorizar riscos e obter informações valiosas sobre condições de trabalho e trabalhadores.

O cenário de risco é de fundamental importância para evitar acidentes, lesões ou situações que possam afetar a integridade física de um ou mais trabalhadores.

Como um cenário de risco é desenvolvido

Um panorama de risco é preparado com base no tipo de operação produtiva de uma empresa. Isso significa estudar o que a organização faz. Posteriormente, é realizada uma segunda análise global do ambiente de trabalho.

Nesta etapa inicial, são levados em consideração elementos fundamentais que servem para diagnosticar a situação atual da empresa. Objetos e situações que são considerados potencialmente perigosos ou prejudiciais à saúde e à integridade física das pessoas são identificados, localizados e valorizados.

Variáveis ​​a serem consideradas

As variáveis ​​consideradas principalmente são:

– Características físicas gerais do ambiente de trabalho, como instalações, equipamentos, ferramentas ou elementos existentes no local de trabalho.

Relacionado:  Organização da matriz: recursos mais importantes

– Natureza dos riscos potenciais associados aos itens acima (físicos, químicos ou biológicos) e seu nível de intensidade. A intensidade de um perigo está associada ao nível de concentração ou presença do elemento.

– Estudo dos procedimentos para o uso de elementos potencialmente perigosos, que podem afetar a saúde ou a segurança dos trabalhadores.

– Organizar e organizar as tarefas dos trabalhadores, levando em consideração os pontos anteriores, bem como os aspectos ergonômicos e psicossociais.

Estudo e avaliação

O estudo e a avaliação de riscos potenciais em uma área onde as atividades de trabalho são realizadas são essenciais. Isso serve para avaliar um plano de ação que evita situações prejudiciais à saúde e segurança das pessoas.

Tanto a gerência da empresa ou organização, quanto os especialistas, desempenham um papel fundamental na preparação do diagnóstico. Mais do que tudo, porém, são os próprios trabalhadores que devem colaborar ativamente para manter os cenários de risco atualizados.

Procedimento

Geralmente, os cenários de risco são realizados seguindo uma série de etapas estruturadas da seguinte maneira:

1- A localização geográfica do local de trabalho é estabelecida e avaliada.

2- É realizado o trabalho de campo, que consiste em observar o estabelecimento e as posições em que os trabalhadores trabalham.

3- São coletadas informações sobre o que poderia ser fator de risco para saúde e segurança.

4- As informações coletadas são organizadas centralmente.

5- Os dados obtidos são analisados ​​e é feita uma avaliação de cada risco (do menor ao maior perigo).

6- Os fatores de risco são priorizados.

7- É executado um plano de trabalho que ajuda a reduzir fatores de risco e a estabelecer protocolos caso o risco se concretize.

Relacionado:  As 7 etapas mais importantes do planejamento

8- É realizado monitoramento periódico das condições de trabalho, o que ajuda a modificar o cenário de risco (se necessário).

Como os riscos são avaliados

Realizados os procedimentos necessários para o reconhecimento inicial da situação de trabalho, os dados coletados são analisados ​​por especialistas. Essa análise revela situações que podem ameaçar a saúde ou a segurança, mas cada uma deve ser avaliada em uma escala perigosa.

A avaliação dos riscos ocupacionais é feita da seguinte forma:

1- Avaliação de risco: neste caso, é atribuída uma classificação a cada perigo, levando em consideração os controles de segurança atualmente em vigor. A efetividade do controle, as probabilidades de risco e suas conseqüências também são consideradas.

2- Definir critérios: nesse caso, é definido o que é conhecido como “aceitabilidade de risco”.

3- Definir a aceitabilidade do risco: uma vez estabelecidos os critérios de aceitabilidade do risco, considera-se se os procedimentos atuais são aceitáveis ​​para manter o risco sob controle e se cumprem os requisitos legais.

Existem fórmulas específicas para a consideração de riscos, que avaliam uma série de variáveis ​​para estabelecer o nível de probabilidade de ocorrência de um evento perigoso.

Exemplos de cenário de risco

Os cenários de risco coletam informações valiosas e, após o estudo, são coletadas de forma específica.

Dados como:

– Nome da empresa.

– número de trabalhadores.

– Data de realização.

– Pessoa responsável pelo panorama.

Da mesma forma, neste relatório, você encontrará as informações que se referem à localização da empresa e / ou empregos, os fatores de risco e de qual fonte eles vêm, os efeitos sobre a saúde ou a segurança dos trabalhadores, quais áreas Eles estão expostos e por quanto tempo.

Relacionado:  Eu odeio o meu trabalho: 7 dicas práticas para corrigi-lo

O grau de perigo será avaliado levando em consideração as conseqüências, o grau de exposição e o índice de probabilidade. Isso é feito em uma escala de 1 a 10 para as consequências, probabilidades e tempo de exposição.

Sobre as consequências:

1: Ferimentos leves (contusões, golpes).

4: Lesões que impliquem incapacidade (não permanente).

6: Lesões que envolvem incapacidade permanente.

10: Morte

Sobre as probabilidades:

1: Não há registros do fato ou isso não acontece há anos.

4: Isso poderia acontecer, seria estranho.

7: Completamente possível, nada de estranho.

10: É o resultado mais esperado.

Sobre o tempo de exposição:

1: Remotamente possível.

4: Ocasionalmente, uma vez por semana.

6: Frequentemente, às vezes.

10: Isso acontece continuamente.

Referências

  1. Universidade ocidental de Sydney. (2011). Identificação de perigos, avaliação de riscos e procedimento de controle. PDF
  2. Centro de Segurança Naval (2005). Guia do Usuário do Sistema de Relatório de Perigos. PDF
  3. Comitê Conjunto de Saúde Ocupacional da Colômbia. (1989). Resolução 1016. PDF
  4. ICONTEC International. (2010). Guia para identificação de perigos e avaliação de riscos à saúde e segurança ocupacional.
  5. Seguro de vida sul-americano. (sf). Visão geral dos fatores de risco de uma empresa. Recuperado em arlsura.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies