10 Dinâmica da confiança de crianças, adolescentes e adultos

10 Dinâmica da confiança de crianças, adolescentes e adultos

A dinâmica da confiança é muito importante para promover a coesão e a participação de todos os membros do grupo. Para começar a usar essa dinâmica, é quase essencial que os membros do grupo se conheçam e haja uma certa conexão entre eles.

Esse tipo de dinâmica pode ser usado tanto em contextos educacionais quanto em negócios e em todos os tipos de grupos. É importante ajustar a atividade ao nível e às necessidades das pessoas que vão participar.

10 dinâmicas de confiança úteis

1- Confiança

  • Objetivo: aumentar a confiança entre os membros do grupo.
  • Tempo necessário: entre 15 e 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: formarão casais.
  • Local: amplo espaço no qual os participantes podem trabalhar em pares.
  • Materiais necessários: nenhum.
  • Passos a seguir:
  1. Os membros do grupo são divididos em pares. O facilitador promoverá que estes não sejam constituídos por pessoas de constituição física semelhante, mas que haja grandes diferenças entre os membros do casal.
  2. Casais ficam de frente um para o outro. Eles dão as mãos e as pontas dos pés se tocam.
  3. Quando os pares estiverem na posição requerida, o facilitador dará o sinal e eles deverão recuar, tentando manter o corpo reto.
  4. Eles alcançarão um ponto de equilíbrio e, nesse momento, poderão tentar fazer movimentos juntos e nenhum deles perderá o equilíbrio. Esses movimentos podem ser: curvando-se, um deles dobrando os joelhos, etc.
  • Avaliação: tempo de reflexão em grupo no qual os casais expressam como se sentiram.
  • Variação: essa dinâmica pode ser realizada em um grande grupo, formando um círculo e de mãos dadas. Os números 1 e 2 serão atribuídos de maneira ignorada e o facilitador indicará a ordem de cada um deles ser lançada para frente ou para trás.

2- Estátuas

  • Objetivo: promover a confiança, a cooperação e a coesão entre os membros do grupo.
  • Tempo necessário: cerca de 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: formarão casais.
  • Local: amplo espaço no qual os participantes podem trabalhar em pares.
  • Materiais necessários: olhos vendados para cobrir os olhos.
  • Passos a seguir:
  1. Os casais serão formados de maneira aleatória, de modo que cabe às pessoas que não se conhecem muito trabalharem juntas.
  2. Um deles assumirá o papel de uma estátua e o outro deve cobrir os olhos com os olhos vendados.
  3. Quando estiverem cobertos, quem age como uma estátua assumirá uma posição. Seu parceiro deve tocá-lo para adivinhar a postura que você adotou e, posteriormente, imitá-la.
  4. Ele o imitará sem que seu parceiro retire sua postura e, quando achar que terminou, o facilitador removerá a venda para que ele mesmo possa comparar o resultado.
  5. O exercício é repetido, mas mudando de papéis.
  • Avaliação: pergunte aos casais qual o papel que acharam mais fácil, se eles se sentiram confortáveis ​​com o contato físico entre parceiros, etc.
  • Variação: em vez de em pares, faça-o em pequenos grupos (3 ou 4 pessoas) e apenas um atua como uma estátua. Dessa forma, outros podem conversar e comentar. Dessa forma, a comunicação seria outra dimensão que seria levada em consideração na avaliação.

3- Fã das estimativas

  • Objetivo: promover a confiança, a cooperação e a coesão entre os membros do grupo.
  • Tempo necessário: cerca de 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: grupo de tamanho médio, cerca de 20 pessoas.
  • Local: amplo espaço onde os participantes podem sentar-se em círculo e se sentir confortáveis.
  • Materiais necessários: papel e caneta para cada participante.
  • Passos a seguir:
  1. Essa dinâmica deve ocorrer quando eles já se conhecem ou trabalham juntos.
  2. Os membros do grupo se sentam em círculo e cada um coloca seu nome em um pedaço de papel. O papel é passado para a pessoa à esquerda e ela escreverá algo que você gosta sobre essa pessoa. Ele dobra o papel (para que os outros não vejam o que ele escreveu) e devolve para quem está à sua esquerda, e assim por diante, até que o papel se vire completamente.
  3. Quando todos receberem o jornal com o nome em mãos, eles levarão alguns minutos para lê-lo e comentar o que acharam da atividade, como se sentiram ao ler os comentários de seus colegas de classe etc.

4- Compartilhar qualidades

  • Objetivos: criar um clima positivo e confiável e reforçar o autoconhecimento e o conhecimento dos colegas do grupo.
  • Tempo necessário: aproximadamente 45 minutos.
  • Tamanho do grupo: grupo de tamanho médio, cerca de 20 pessoas.
  • Local: amplo espaço no qual os participantes podem trabalhar por subgrupos.
  • Materiais necessários: Vários hexágonos (um por grupo) cortados em 6 pedaços e canetas.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador do grupo se dividirá em subgrupos de seis pessoas. Cada grupo recebe um hexágono que é cortado em 6 partes e essas peças são numeradas. Cada membro do subgrupo escolherá um desses números.
  2. Quando já estiverem organizados, o facilitador dirá, aleatoriamente, um número de 1 a 6. Em seguida, quem tiver esse número será o “foco do grupo”.
  3. O resto dos colegas de classe, por alguns minutos, deve escrever coisas positivas sobre essa pessoa na seção do hexágono.
  4. Este mesmo procedimento é repetido com cada um dos membros do grupo.
  • Avaliação: será uma reflexão em grupo sobre como eles se sentiram quando receberam essas palavras de seus colegas de classe, se esperavam, etc.

5- Similar

  • Objetivo: criar um ambiente de trabalho adequado no qual os membros demonstrem confiança em seus colegas.
  • Tempo necessário: aproximadamente 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: tamanho ilimitado do grupo. Quanto mais velhos forem, mais tempo serão necessários para a atividade.
  • Localização: espaço de trabalho confortável.
  • Materiais necessários: lençóis e canetas (um para cada participante).
  • Passos a seguir:
  1. A pessoa encarregada de dirigir a atividade distribuirá os materiais a todos os membros do grupo e solicitará que pensem em alguém do mesmo grupo com quem compartilham semelhanças.
  2. Após alguns minutos e todos concluíram a atividade, o facilitador solicitará um voluntário que deve dizer qual parceiro parece semelhante a si mesmo.
  3. Quando você descrever os motivos, o restante do grupo decidirá se eles acham que a opinião está correta e quais são os motivos.
  4. Todos os membros do grupo explicarão suas razões.

6- sons de animais

  • Objetivos: promover o conhecimento dos diferentes membros do grupo e criar um ambiente descontraído.
  • Tempo necessário: cerca de 20 minutos.
  • Tamanho do grupo: quanto mais membros houver, mais tempo será necessário para a tarefa.
  • Local: um espaço onde eles podem sentar-se em círculo (se for um grupo grande) ou seguidos (se houver poucas pessoas).
  • Materiais necessários: vários hexágonos (um por grupo) cortados em seis pedaços e canetas.
  • Passos a seguir:
  1. Essa dinâmica é ideal para os primeiros momentos de um grupo, pois servirá para que os membros se conheçam e compartilhem algumas risadas.
  2. O facilitador o apresentará como uma dinâmica de apresentação e o objetivo é que cada um aprenda o nome de seus colegas de classe.
  3. O facilitador começará dizendo seu nome e imitando o barulho de um animal. Por exemplo: meu nome é Sara e “moooooo”.
  4. A próxima pessoa se apresentará e acrescentará o som animal de que mais gosta e terá que repetir o som do parceiro anterior. Dessa forma, a lista de nomes e ruídos aumentará.
  5. Se uma pessoa cometer um erro, todo o grupo deve começar do começo.
  • Avaliação: após alguns minutos, pergunte a alguém como são chamados os colegas de classe, depois de ocuparem outro lugar ou realizar outra tarefa com o objetivo de verificar se aprenderam o nome dos colegas.

7- Lázaro

  • Objetivo: verificar o nível de confiança que existe entre os colegas de classe.
  • Tempo necessário: cerca de 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: a atividade será realizada em pares.
  • Local: espaço amplo, de preferência ao ar livre.
  • Materiais necessários: olhos vendados para cobrir os olhos.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador solicitará que as pessoas formem pares, não importa com quem.
  2. Em seguida, ele fornecerá uma venda para cada casal. Portanto, uma das pessoas deve cobrir os olhos.
  3. O parceiro que não tiver os olhos cobertos, atuará como um guia. Para começar, ele lhe dará algumas voltas para que você não saiba onde está.
  4. A pessoa encarregada da atividade indicará algumas orientações que cada casal deve repetir para o parceiro com os olhos vendados. Por exemplo: “à direita, mais rápido, jogs, …”
  5. Depois de alguns minutos, os papéis serão trocados, mas alterando as instruções fornecidas ao longo do exercício.
  • Avaliação: é importante que o facilitador esteja ciente do desenvolvimento da atividade. Ou seja, se as pessoas confiam em seus pares. Caso contrário, é importante fortalecer os relacionamentos entre pares e identificar os elementos que falham.

8- Segredos

  • Objetivo: criar um clima de confiança no qual exista empatia entre colegas.
  • Tempo necessário: aproximadamente uma hora.
  • Tamanho do grupo: não mais que 15 pessoas.
  • Local: espaço no qual as pessoas podem sentar-se em círculo.
  • Materiais necessários: canetas, fólios e envelopes (um para cada participante).
  • Passos a seguir:
  1. As palavras do facilitador para iniciar a tarefa estarão relacionadas aos segredos e intimidades que cada um de nós guarda para si.
  2. Ainda faltam alguns minutos para que cada pessoa pense em um de seus segredos mais bem guardados e, quem quiser, pegue papel e lápis para escrevê-lo anonimamente.
  3. As pessoas que o escreveram colocarão seu segredo em um envelope e a pilha de envelopes será removida.
  4. Aqui estão alguns minutos para você refletir individualmente sobre como você acha que outras pessoas reagiriam quando descobrissem seu segredo.
  5. Se o facilitador considerar apropriado e se os membros do grupo concordarem, os segredos encontrados nos envelopes serão lidos.
  • Outros: os segredos são delicados porque respondem à coisa mais íntima que um ser humano tem e, portanto, devem ser cobertos de uma maneira muito respeitosa.

9- Cartas

  • Objetivo: melhorar o relacionamento entre as pessoas que formam um grupo.
  • Tempo necessário: aproximadamente 1 hora.
  • Tamanho do grupo: grupo de tamanho médio, entre 15 e 20 pessoas. Serão formados subgrupos de 3 pessoas.
  • Local: amplo espaço no qual os participantes podem trabalhar por subgrupos.
  • Materiais necessários: lençóis e canetas.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador convidará as pessoas a se sentarem em grupos de três. Uma vez sentados, eles pedirão a cada um deles que fale sobre um assunto que os preocupa por 3 minutos. O facilitador deve estar monitorando e aconselhando os horários.
  2. Quando todos falarem, eles levarão duas páginas. Em cada um deles, você deve escrever uma carta sobre o que pensa sobre essa pessoa e quais palavras deseja dedicar a ela. Essa dinâmica funcionará melhor se houver confiança e um caminho de trabalho anterior no grupo.
  3. Depois de alguns minutos e que todas as pessoas terminaram a atividade, em grupos, cobrirão os problemas que cada um expôs. Os colegas falarão com essa pessoa e opinarão por respeito e confiança, enquanto a pessoa ouve.
  4. Quando eles trocarem suas impressões, as cartas que foram escritas umas para as outras serão dadas. Alguns minutos serão deixados para cada um ler.
  • Avaliação: compartilhando com os outros colegas de turma, como eles se sentiram durante a atividade, contando o problema, com o feedback dos colegas de turma, etc.

10- trens loucos

  • Objetivo: promover a confiança entre os colegas de classe por meio de um exercício dinâmico e agradável.
  • Tempo necessário: cerca de 30 minutos, aproximadamente.
  • Tamanho do grupo: subgrupos de 4-5 pessoas serão formados.
  • Local: espaço amplo e desobstruído, de preferência ao ar livre.
  • Materiais necessários: olhos vendados para cobrir os olhos.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador convocará grupos de 4 ou 5 pessoas cada um deles e distribuirá os olhos vendados para cada grupo, exceto um.
  2. Antes de colocar as bandagens, será explicado que a atividade consiste em formar um trem no qual, sem falar, eles devem chegar a um local específico. A pessoa sem curativo será a última no trem e deve liderar o grupo. Alguns minutos serão oferecidos para que eles desenvolvam uma estratégia de trabalho conjunta.
  3. Passados ​​esses minutos, eles passarão a cobrir os olhos e a alinhar-se. O facilitador indicará qual trem (ou subgrupo) deve realizar a atividade. O resto dos companheiros simplesmente observa sem comentar, para não influenciar seus companheiros.
  4. Quando todos os trens concluírem a atividade, haverá um tempo de reflexão do grupo para informar qual foi a estratégia de cada grupo, como eles se sentiram em realizar a atividade, qual o papel que consideram mais difícil etc.

Outras dinâmicas de interesse

Dinâmica de grupo para jovens .

Dinâmica de comunicação assertiva .

Dinâmica motivacional .

Dinâmica da auto-estima .

Dinâmica da inteligência emocional .

Dinâmica de integração de grupos .

Dinâmica da criatividade .

Dinâmica de liderança .

Dinâmica de resolução de conflitos .

Dinâmica de valores .

Dinâmica de apresentação .

Dinâmica do trabalho em equipe .

Referências

  1. Dinâmica do grupo Gerza.
  2. Dinâmica de confiança. Minyons escoteiros e guias da Catalunha.
  3. Jogos de tempo livre: dinâmica e atividades.
  4. Jogos e dinâmica de grupo – Confiança.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies