10 Dinâmica da Resolução de Conflitos

A dinâmica da resolução de conflitos é uma área de estudo e prática que busca entender os processos envolvidos na resolução de disputas e desentendimentos entre indivíduos ou grupos. Neste contexto, existem várias estratégias e técnicas que podem ser empregadas para lidar de forma eficaz com situações de conflito, promovendo a comunicação, a negociação e a busca por soluções que atendam às necessidades e interesses de todas as partes envolvidas. Neste artigo, vamos explorar 10 dinâmicas que podem ser utilizadas para ajudar na resolução de conflitos de forma construtiva e pacífica.

Principais técnicas para resolver conflitos de forma eficaz e harmoniosa.

Resolução de conflitos é uma habilidade essencial para lidar com situações adversas de forma construtiva. Existem diversas técnicas que podem ser utilizadas para resolver conflitos de forma eficaz e harmoniosa. Neste artigo, vamos abordar 10 dinâmicas que podem ajudar a solucionar conflitos de maneira positiva.

1. Comunicação eficaz:

Uma das principais técnicas para resolver conflitos é a comunicação eficaz. É importante expressar claramente seus sentimentos e ouvir atentamente o ponto de vista da outra pessoa. Evite interrupções e demonstre empatia durante a conversa.

2. Colaboração:

A colaboração é outra técnica importante para resolver conflitos. Trabalhar em conjunto para encontrar uma solução que atenda às necessidades de ambas as partes pode ser uma maneira eficaz de resolver desentendimentos.

3. Controle emocional:

Manter o controle emocional durante uma situação conflituosa é essencial. Tente manter a calma e não deixe que as emoções tomem conta da situação, pois isso pode dificultar a resolução do conflito.

4. Busca por interesses comuns:

Em vez de focar nas diferenças, tente identificar os interesses comuns entre as partes envolvidas no conflito. Ao buscar pontos de convergência, é possível encontrar soluções que beneficiem a todos.

5. Negociação:

A negociação é uma técnica fundamental para resolver conflitos. Busque um acordo que seja justo e equilibrado para ambas as partes, levando em consideração as necessidades e preocupações de cada um.

6. Empatia:

Praticar a empatia pode ajudar a resolver conflitos de forma mais harmoniosa. Colocar-se no lugar do outro e tentar compreender seus sentimentos e perspectivas pode facilitar a resolução do conflito.

7. Respeito mútuo:

O respeito mútuo é essencial para resolver conflitos de forma construtiva. Trate a outra pessoa com respeito e evite fazer ataques pessoais durante a discussão.

8. Busca por soluções criativas:

Em vez de adotar uma abordagem tradicional, tente encontrar soluções criativas para resolver o conflito. Pensar fora da caixa e buscar alternativas inovadoras pode levar a resultados mais satisfatórios.

9. Compromisso:

O compromisso é fundamental para resolver conflitos de forma eficaz. Esteja disposto a ceder em alguns pontos e buscar um acordo que seja aceitável para ambas as partes.

10. Aprendizado contínuo:

Por fim, lembre-se de que a resolução de conflitos é um processo contínuo. Esteja aberto a aprender com cada situação de conflito e aprimorar suas habilidades de comunicação e negociação.

Utilizando essas técnicas e dinâmicas, é possível resolver conflitos de forma eficaz e harmoniosa, promovendo relações saudáveis e construtivas.

Meios de resolver conflitos: descubra diferentes formas de lidar com desentendimentos e divergências.

Resolver conflitos é uma parte essencial da vida, seja no trabalho, em casa ou em qualquer outro ambiente. Saber lidar com desentendimentos e divergências de forma eficaz pode melhorar significativamente a qualidade dos relacionamentos e evitar situações de tensão e estresse. Existem várias maneiras de resolver conflitos, e aqui estão 10 dinâmicas que podem te ajudar a encontrar uma solução:

  1. Comunicação eficaz: O diálogo aberto e honesto é fundamental para resolver conflitos. Escute atentamente a outra parte e expresse seus sentimentos de forma clara e respeitosa.
  2. Colaboração: Trabalhar em conjunto para encontrar uma solução que atenda às necessidades de ambas as partes é essencial para resolver conflitos de forma positiva.
  3. Compreensão mútua: Tente enxergar a situação do ponto de vista da outra pessoa e demonstre empatia em suas interações.
  4. Controle emocional: Manter a calma e controlar as emoções durante uma discussão é fundamental para evitar conflitos ainda maiores.
  5. Mediação: Em situações mais complexas, a ajuda de um mediador imparcial pode ser necessária para facilitar a comunicação e encontrar uma solução justa.
  6. Flexibilidade: Esteja aberto a considerar diferentes opções e soluções, mesmo que estas não estejam alinhadas com suas preferências iniciais.
  7. Respeito mútuo: Demonstrar respeito pela outra parte, mesmo durante um conflito, é essencial para manter a dignidade e a integridade de todos os envolvidos.
  8. Busca por interesses comuns: Identificar interesses compartilhados pode ajudar a encontrar soluções que beneficiem a todos os envolvidos no conflito.
  9. Compromisso: Estar disposto a ceder em algumas questões para chegar a um acordo que seja satisfatório para ambas as partes.
  10. Aprendizado: Encare os conflitos como oportunidades de crescimento pessoal e interpessoal, aprendendo com as experiências e buscando melhorar a forma como lida com situações semelhantes no futuro.

Ao aplicar essas dinâmicas de resolução de conflitos em sua vida, você estará mais preparado para lidar com desentendimentos e divergências de forma construtiva, promovendo relacionamentos saudáveis e produtivos. Lembre-se de que resolver conflitos requer paciência, compreensão e a disposição de buscar soluções que sejam justas e satisfatórias para todas as partes envolvidas.

Descubra os 4 mecanismos essenciais para resolver conflitos de forma eficaz.

Resolver conflitos de forma eficaz é essencial para manter a harmonia em qualquer ambiente, seja ele pessoal ou profissional. Existem 4 mecanismos essenciais que podem ajudar a alcançar esse objetivo de forma eficaz. Vamos descobrir quais são eles.

1. Comunicação eficaz:

Um dos pontos chaves para resolver conflitos é a comunicação eficaz. É importante expressar claramente os sentimentos e pontos de vista, ouvindo atentamente o outro lado e buscando entender a perspectiva da outra pessoa. A comunicação aberta e honesta pode evitar mal-entendidos e ajudar a encontrar soluções em conjunto.

2. Empatia:

A empatia é fundamental para resolver conflitos, pois nos permite colocar-se no lugar do outro e compreender seus sentimentos e necessidades. Ao demonstrar empatia, criamos um ambiente de compreensão mútua e respeito, facilitando a resolução do conflito de forma pacífica.

Relacionado:  Altruísmo: características, teorias e vantagens

3. Controle emocional:

O controle emocional é essencial para lidar com conflitos de forma eficaz. É importante manter a calma e controlar as emoções, evitando reações impulsivas que podem piorar a situação. Ao manter a serenidade, podemos pensar de forma racional e encontrar soluções construtivas para o conflito.

4. Colaboração:

A colaboração é outro mecanismo essencial para resolver conflitos. Ao invés de focar em ganhar a discussão, é importante buscar soluções que sejam benéficas para ambas as partes. Trabalhar juntos para encontrar um acordo que atenda às necessidades de todos os envolvidos pode fortalecer os relacionamentos e evitar conflitos futuros.

Ao aplicar esses 4 mecanismos essenciais – comunicação eficaz, empatia, controle emocional e colaboração – é possível resolver conflitos de forma eficaz e construtiva, promovendo a harmonia e o entendimento mútuo. Praticar essas habilidades pode fazer a diferença na resolução de conflitos em qualquer contexto.

Estratégias para lidar com conflitos de forma eficaz no ambiente escolar.

Os conflitos são situações comuns no ambiente escolar e podem surgir entre alunos, entre alunos e professores ou até mesmo entre professores. Para lidar com essas situações de forma eficaz, é importante adotar estratégias que promovam a resolução pacífica dos conflitos e o fortalecimento das relações interpessoais na escola.

10 Dinâmicas da Resolução de Conflitos:

1. Comunicação eficaz: Estimular a comunicação aberta e honesta entre as partes envolvidas no conflito é essencial para identificar as causas do problema e encontrar soluções adequadas.

2. Escuta ativa: Ouvir com atenção e empatia as diferentes perspectivas dos envolvidos no conflito ajuda a criar um ambiente de diálogo e compreensão mútua.

3. Negociação: Buscar um acordo que seja satisfatório para todas as partes, levando em consideração seus interesses e necessidades, é uma forma de resolver conflitos de forma colaborativa.

4. Mediação: Recorrer a um mediador neutro e imparcial pode facilitar a comunicação entre as partes e ajudar na busca por soluções consensuais.

5. Respeito mútuo: Cultivar o respeito e a tolerância entre os envolvidos no conflito é fundamental para construir relações saudáveis e pacíficas no ambiente escolar.

6. Empatia: Colocar-se no lugar do outro e tentar compreender seus sentimentos e pontos de vista ajuda a criar um clima de compreensão e solidariedade.

7. Resolução criativa: Estimular a criatividade na busca por soluções inovadoras e criativas para os conflitos pode abrir novas perspectivas e fortalecer o trabalho em equipe.

8. Feedback construtivo: Dar e receber feedback de forma construtiva e respeitosa pode ajudar a identificar aspectos a serem melhorados e fortalecer o relacionamento entre as partes.

9. Trabalho em equipe: Envolver outras pessoas no processo de resolução de conflitos, como colegas, diretores e pais, pode trazer diferentes pontos de vista e contribuir para encontrar soluções mais eficazes.

10. Aprendizado contínuo: Encarar os conflitos como oportunidades de aprendizado e crescimento pessoal e interpessoal pode transformar situações negativas em experiências positivas e construtivas.

10 Dinâmica da Resolução de Conflitos

10 Dinâmica da Resolução de Conflitos

A dinâmica da resolução de conflitos coloca situações em que um conflito aparece ou, seu objetivo é a análise e / ou resolução de um aspecto do conflito, como a comunicação entre os diferentes membros do grupo, promovendo a empatia em ver o conflito. caso contrário, etc.

Essas dinâmicas são amplamente utilizadas no setor educacional, no trabalho com crianças e adolescentes. Eles são um ótimo recurso educacional e alimentam seu espírito crítico.

Além disso, eles podem ser usados ​​em outros contextos, como trabalhar com minorias sociais ou setores de negócios.

A seguir, apresento a você dez dinâmicas. Lembre-se de que, ao trabalhar com um grupo, você deve ter clareza sobre quais são as necessidades e quais objetivos eles estabelecem para você. Você sempre pode adaptar a dinâmica a esse contexto.

10 dinâmicas de resolução de conflitos

1- Motivação pessoal

  • Objetivos.

a) Demonstre como cada pessoa tem uma série de motivações diferentes das de outras pessoas.

b) Aprenda a entender a opinião de outros colegas, mesmo que não seja a mesma que a deles e, mesmo, seja totalmente contrária.

  • Tempo necessário: aproximadamente 40 minutos.
  • Tamanho do grupo: tamanho médio, máximo de 30 pessoas.
  • Local: amplo espaço no qual dois círculos concêntricos podem ser formados.
  • Materiais necessários: nenhum em particular.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador pede que cerca de 6 ou 7 pessoas sejam voluntárias para realizar a atividade. É muito importante que o grupo seja motivado para que eles tomem a decisão de se voluntariar.
  2. Ele pede que eles se sentem em círculo para que todos possam ver seus rostos. Em seguida, seus colegas formarão outro círculo ao redor deles, para que possam ouvi-los bem.
  3. O facilitador apresenta um tópico para discussão. Pode ser uma situação conflituosa que ocorreu naquele grupo ou que gerou algum tipo de tensão ou, uma invenção.
  4. Voluntários debatem a situação.
  • Avaliação: quando os voluntários terminarem a conversa, será realizado um debate com todo o grupo no qual os seguintes fatores serão analisados:

a) Por que os voluntários se ofereceram para sair e por que seus colegas não? Qual foi a sua motivação para a atividade?

b) Como se sentiram quando sua opinião não coincidiu com os outros colegas. Houve respeito entre as diferentes opiniões? Eles simpatizaram com seus colegas? Alguém mudou de ponto de vista depois de ouvir outras pessoas?

  • Notas: durante o debate e na avaliação, é muito importante que o facilitador saiba como conduzi-lo adequadamente, que não mude de assunto ou que assuma um caráter violento ou negativo.

2- Teia de aranha

  • Objetivos.

a) Resolva um conflito como um grupo.

b) Promover a confiança e a cooperação entre os membros do grupo.

  • Tempo necessário: cerca de 20 minutos.
  • Tamanho do grupo: cerca de 15 pessoas no máximo. A idade ideal é a partir dos 12 anos.
  • Local: espaço amplo, de preferência ao ar livre. Deve haver dois postes ou árvores entre os quais colocar a teia de aranha.
  • Materiais necessários: corda longa o suficiente para recriar a teia de aranha.
  • Passos a seguir:
  1. A pessoa que guia o grupo explica em que consiste a atividade: ir de um lado para o outro da teia de aranha sem tocá-la ou movê-la. Pode ser recriado contando uma história de que eles estão em uma caverna e essa é a única saída para sair.
  • Discussão: quando todos os membros do grupo puderem se afastar, será realizado um debate no qual o desenvolvimento da atividade será analisado: quais mecanismos de cooperação e ajuda foram desenvolvidos, como eles se sentiram ao longo da atividade , se eles acreditavam que o conseguiriam desde o primeiro momento etc.
  • Variantes: se queremos complicar a atividade, podemos adicionar uma série de variantes. Um deles é o tempo que eles têm para realizar a atividade (por exemplo, 10 minutos), isso varia dependendo do número de pessoas. Outra variante é que eles não podem se comunicar verbalmente durante toda a atividade, dessa forma, eles seriam oferecidos alguns minutos depois de explicar a dinâmica, para que possam conceber uma estratégia que os ajude a passar pela teia de aranha.
Relacionado:  10 Dinâmica da confiança de crianças, adolescentes e adultos

3- O árbitro

  • Objetivos.

a) Resolva uma situação de conflito entre todos os membros de um grupo.

b) Promover compreensão e empatia .

  • Tempo necessário: cerca de 40 minutos.
  • Tamanho do grupo: tamanho do grupo da classe (entre 20 a 30 pessoas). Essa dinâmica é muito útil em contextos educacionais.
  • Local: sala de aula.
  • Materiais necessários: lousa, caneta, papéis.
  • Passos a seguir:
  1. Há uma situação problemática ou conflituosa que afeta o desenvolvimento do grupo. O facilitador do grupo, que nesses contextos geralmente é o professor, levanta a situação em sala de aula e, juntos, eles resolverão o conflito.
  2. Uma pessoa começa expondo a situação. Se necessário, são feitas anotações dos fatos ou das pessoas envolvidas no quadro-negro para abordar posteriormente esses pontos.
  3. O facilitador terá que promover que todas as pessoas interessadas intervenham e apresentem seu ponto de vista.
  4. Entre todos, uma solução deve ser tomada para resolver o problema.
  • Notas: o facilitador desempenha um papel importante ao liderar o debate e incentivar a participação de todo o grupo. Da mesma forma, ao tomar decisões para resolver o conflito, você deve fazer isso para que todos se comprometam.

Pode ser adicionado para resolver o problema após alguns dias para avaliar se as medidas que foram decididas são eficazes.

4- Dramatização

  • Objetivos.

a) Dramatize a situação ocorrida ou hipotética.

b) Desenvolver empatia.

  • Tempo necessário: aproximadamente 30 minutos.
  • Tamanho do grupo: tamanho médio do grupo, cerca de 20 participantes.
  • Local: amplo espaço para recriar uma situação ou, se não exigir movimento, espaço no qual eles podem sentar-se em círculo.
  • Materiais necessários: nenhum em particular.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador levanta a situação conflituosa que ocorreu, ou uma situação hipotética.
  2. Se o tamanho do grupo for grande e não houver tantas pessoas envolvidas, algumas pessoas serão voluntárias.
  3. As pessoas que vão mudar de papel terão alguns minutos para conhecer a pessoa que irão interpretar. Para isso, recomenda-se que a situação e os caracteres estejam por escrito. Eles ficam alguns minutos para aprender a história e fazer anotações. Eles também poderão fazer perguntas.
  4. A atividade decorre. Os colegas observam, eles também podem fazer anotações.
  5. Quando termina, é realizado um debate envolvendo pessoas que mudaram de papel e aquelas que não precisam atingir um ponto de entendimento e acordo comum.

5- Piranhas no rio

  • Objetivos.

a) Sucesso após resolver uma solução conflitante.

b) Promover a cooperação e a ajuda entre os diferentes membros do grupo.

  • Tempo necessário: cerca de 20 minutos.
  • Tamanho do grupo: cerca de 15 pessoas.
  • Local: espaço amplo, de preferência ao ar livre.
  • Materiais necessários: pano ou linha larga (pode ser giz no chão), livros ou outros objetos.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador explica que eles precisam atravessar o rio (caminho marcado) sem sair. Além disso, eles precisam transportar de um lado para o outro uma série de objetos. Um na saída e outro, diferente, no caminho de volta. Cada pessoa receberá seu objeto e não poderá ser transportada por nenhum dos acompanhantes.
  2. A pessoa que sair do caminho deve iniciar a atividade desde o início.
  3. A atividade não termina até que todas as pessoas tenham voltado para lá.
  • Discussão: haverá tempo para discutir a atividade, quais estratégias foram desenvolvidas para que todos possam realizar a atividade satisfatoriamente, quais objetos foram mais fáceis de transportar e quais foram mais difíceis, etc.

6- Cadeiras Cooperativas

  • Objetivos.

a) Promover a cooperação e a ajuda entre os membros do grupo.

b) Resolva uma situação problemática juntos.

  • Tempo necessário: cerca de 20 minutos.
  • Tamanho do grupo: grupo de tamanho médio, cerca de 15 pessoas. Se houver mais, a dinâmica levará mais tempo.
  • Local: amplo espaço no qual um círculo de cadeiras pode ser criado e no qual os membros possam se mover confortavelmente.
  • Materiais necessários: uma cadeira para cada participante, algum dispositivo para tocar música e torná-lo audível para todos os participantes.
  • Passos a seguir:
  1. O facilitador da atividade explicará que eles vão jogar o jogo da cadeira, mas em uma versão diferente da versão clássica. Para fazer isso, eles devem formar um círculo de cadeiras com os assentos voltados para eles. A dificuldade deste jogo ainda não será explicada.
  2. A música toca e quando parar, todos devem se sentar.
  3. Para a próxima rodada, uma cadeira é removida. Mais uma vez, a música toca e todos os participantes devem estar sentados. Ninguém pode se levantar.
  4. Essa é a dificuldade, nenhum membro pode se levantar. Quanto mais cadeiras estiverem faltando, será mais difícil encontrar uma solução entre todos.
  5. O jogo termina quando é impossível que todos estejam sentados nas cadeiras.
  • Discussão: O importante deste jogo é que todos se ajudem e que ninguém seja discriminado.

 7-  Vire a folha

  • Objetivos.

a) Incentive o trabalho e a colaboração entre colegas.

b) Estimular a busca de soluções para uma situação conflituosa.

  • Tempo necessário: aproximadamente 45 minutos.
  • Tamanho do grupo: entre 10 e 15 pessoas.
  • Local: amplo espaço, pode estar ao ar livre.
  • Materiais necessários: uma folha grande pode ser substituída por um pedaço de papel contínuo.
  • Passos a seguir:
  1. A pessoa que dirige a atividade colocará uma folha no chão e pedirá a todos os membros que fiquem em cima dela. Eles devem ocupar metade do espaço, se não couberem, a atividade será realizada por subgrupos ou o tamanho da folha terá que ser maior.
  2. Quando são colocados, é explicado a eles que todos eles devem virar a folha sem que ninguém saia dela ou pise no chão.
  • Discussão: no final, será promovido um debate em que a (s) estratégia (s) que eles seguiram é identificada, como eles chegaram à solução, se eles tiveram que mudar seus planos ao longo da atividade, etc.
  • Variação: se quisermos dar uma dificuldade extra à atividade, podemos adicionar a orientação de que eles têm um certo tempo para concluir a atividade ou, como em outras dinâmicas, eles não podem falar durante a execução da atividade.
Relacionado:  Chantagem emocional: 11 sinais de um manipulador

8- Fantasia de um conflito

  • Objetivos.

a) Permita que cada pessoa expresse sua maneira de resolver o conflito livremente.

b) Identifique diferentes estratégias e desenvolva uma comum.

c) Promover a compreensão e o respeito entre os membros do grupo por meio de negociação.

  • Tempo necessário: cerca de 60 minutos.
  • Tamanho do grupo: grupo de 20 a 25 pessoas.
  • Local: a sala de aula ou um espaço no qual todos os participantes estão sentados e têm um local onde podem escrever.
  • Materiais necessários: folhas e caneta para cada um. Além disso, um quadro-negro.
  • Passos a seguir:
  1. Todas as pessoas estão sentadas e o instrutor apresenta a seguinte fantasia:

“Você está andando pela rua e vê, ao longe, uma pessoa que lhe é familiar. De repente, você percebe que é essa pessoa com quem você tem mais conflito. Toda vez que você está mais perto e não sabe como reagir quando o encontra, alternativas diferentes ocorrem para você … Decida agora qual você escolherá e dedique alguns minutos para recriar em sua imaginação como a ação ocorreria. ”

  1. Depois de alguns minutos, o instrutor retorna com estas palavras: “Já aconteceu, essa pessoa se foi. Como você se sente? Qual é o seu nível de satisfação com a maneira como você se comportou? “
  2. Em seguida, eles têm de 15 a 20 minutos para refletir sobre o seguinte:
  3. As alternativas que eles consideraram agir.
  4. Qual eles escolheram e por quê?
  5. O nível de satisfação que alcançaram com o resultado da fantasia.
  6. Restam alguns minutos para os grupos de 3 discutirem a atividade e uma dessas pessoas atuará como porta-voz do debate de todo o grupo.
  7. O grande debate em grupo prossegue, as alternativas podem ser divididas em diferentes grupos.

9- Sim e Não

  • Objetivos.

a) Promover a abordagem de diferentes posições sobre um tópico.

b) Desenvolver flexibilidade de opiniões.

  • Tempo necessário: aproximadamente 40 minutos.
  • Tamanho do grupo: cerca de 30 pessoas. Se o grupo for menor, a atividade levará menos tempo.
  • Local: sala de aula ou espaço amplo onde os participantes podem se mover.
  • Materiais necessários: dois cartões grandes nos quais um está escrito “SIM” e o outro “NÃO”.
  • Passos a seguir:
  1. Os sinais SIM e NÃO são colocados na sala de aula de frente para o outro. É importante que a sala de aula seja clara.
  2. Todos os participantes são colocados no centro da sala de aula. Em seguida, o facilitador dirá uma frase e cada pessoa deverá ir a um ponto da sala de aula, dependendo se concorda ou não com a frase.
  3. Quando todas as pessoas estão localizadas, elas devem, uma a uma, argumentar suas motivações para se posicionarem naquele lugar.
  4. É repetido novamente com outra frase e assim sucessivamente até o tempo reservado para o desempenho da dinâmica se esgotar.
  • Notas: Durante a atividade, se as pessoas mudarem de idéia, elas poderão se mover livremente pela sala de aula e mudar de lugar. As frases devem ser adaptadas ao nível e idade dos participantes.
  • Avaliação: a pessoa que dirige a dinâmica pode avaliar diferentes critérios na evolução dos participantes, incluindo os seguintes: grau de flexibilidade, capacidade de dialogar e reconciliar posições diferentes, etc.

10- Inflar como balões

  • Objetivo: aprender a se acalmar em uma situação de conflito.
  • Tempo necessário: cerca de 15 minutos.
  • Tamanho do grupo: ilimitado.
  • Local: amplo espaço no qual os participantes podem formar um círculo.
  • Materiais necessários: nenhum.
  • Passos a seguir:
  1. É explicado que, quando nos deparamos com uma situação conflituosa ou problemática, isso produz uma reação emocional que nos ativa fisiologicamente. A explicação deve ser adaptada ao nível e idade dos participantes.
  2. A seguir, será explicado que vamos nos inflar como balões.
  3. Para começar, respire fundo, em pé, com os olhos fechados. Ao encherem os pulmões de ar, levantam os braços, como se fossem balões. Este passo é repetido várias vezes, o suficiente para que todos tenham realizado o exercício corretamente.
  4. Então eles soltam o ar e começam a enrugar como balões e esvaziar até cair no chão. Este exercício também é repetido.
  • Discussão: Quando terminam e decorrem alguns minutos para desfrutar da sensação de relaxamento, perguntam-lhes se pensam que a realização desses exercícios pode ajudá-los quando estão com raiva.

Outras dinâmicas de interesse

Dinâmica de grupo para jovens .

Dinâmica de comunicação assertiva .

Dinâmica motivacional .

Dinâmica da auto-estima .

Dinâmica da inteligência emocional .

Dinâmica de integração de grupos .

Dinâmica da criatividade .

Dinâmica de confiança .

Dinâmica de liderança .

Dinâmica de valores .

Dinâmica de apresentação .

Dinâmica do trabalho em equipe .

Referências

  1. Dinâmica de grupo aplicada à resolução de conflitos.
  2. Jogos de resolução de conflitos. Sala de aula de idéias. Portal de Educação e Criatividade.
  3. Principais dinâmicas da resolução de conflitos em sala de aula. Universidade de Valência.
  4. Sessões para trabalhar o conflito na sala de aula. Desafios em contextos multiculturais. Gitanos.org.
  5. Parece familiar para você? Dinâmica e Jogos. Unicef.

Deixe um comentário