10 exemplos de energia nuclear

A energia nuclear pode ter vários usos: calor, eletricidade, conservação de alimentos, encontrar novos recursos ou usado como um tratamento médico.Essa energia é obtida a partir da reação que ocorre no núcleo dos átomos, as unidades mínimas de matéria dos elementos químicos do universo.

Esses átomos podem ter formas diferentes, chamadas isótopos. Existem estáveis ​​e instáveis, dependendo das mudanças que eles experimentam no núcleo.É a instabilidade no conteúdo de nêutrons, ou massa atômica, que os torna radioativos. São os radioisótopos ou átomos instáveis ​​que produzem energia nuclear.

10 exemplos de energia nuclear 1

A radioatividade que eles emitem pode ser usada, por exemplo, no campo da medicina com radioterapia. Uma das técnicas utilizadas no tratamento do câncer, entre outros usos.

Lista de 10 exemplos de energia nuclear

1- Produção de eletricidade

A energia nuclear é usada para produzir eletricidade de maneira mais econômica e sustentável, desde que seja feito um bom uso dela.

A eletricidade é um recurso fundamental para a sociedade atual, de modo que a redução dos custos que ocorrem com a energia nuclear pode favorecer o acesso de mais pessoas a meios elétricos.

Segundo dados de 2015 da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a América do Norte e o sul da Ásia lideram a produção mundial de eletricidade por meio de energia nuclear. Ambos excedem 2000 terawatts por hora (TWh).

2- Melhorar as culturas e aumentar os recursos mundiais

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) afirma em seu relatório de 2015 que existem “795 milhões de pessoas subnutridas no mundo”.

O bom uso da energia nuclear pode contribuir para esse problema, gerando mais recursos. De fato, a FAO desenvolve programas colaborativos com a AIEA para esse fim.

Segundo a Associação Nuclear Mundial, a energia atômica contribui para aumentar os recursos alimentares através de fertilizantes e modificações genéticas nos alimentos.

O uso de energia nuclear permite um uso mais eficiente de fertilizantes, uma substância muito cara. Com alguns isótopos como o nitrogênio-15 ou o fósforo-32, as plantas podem tirar proveito da quantidade máxima possível de fertilizante, sem desperdiçá-lo no ambiente.

Por outro lado, os alimentos transgênicos permitem maior produção de alimentos através da modificação ou troca de informações genéticas. Uma das maneiras de conseguir essas mutações é por radiação iônica.

No entanto, existem muitas organizações que se opõem a esses tipos de práticas por causa de seus danos à saúde e ao meio ambiente. É o caso do Greenpeace, que defende a agricultura orgânica.

3- Controle de pragas

A energia nuclear permite o desenvolvimento de uma técnica de esterilização em insetos, que serve para prevenir pragas nas lavouras.

É a técnica de insetos estéreis (SIT). Segundo uma notícia da FAO de 1998, foi o primeiro método de controle de pragas que utilizou a genética.

Este método consiste em criar insetos de uma espécie específica, normalmente prejudicial às culturas, em um espaço controlado.

Os machos são esterilizados através de pequenas radiações moleculares e são liberados na área afetada para acasalar com as fêmeas. Quanto mais insetos machos estéreis criados em cativeiro, haverá menos insetos selvagens e férteis.

Dessa forma, eles conseguem evitar perdas econômicas no campo da agricultura. Esses programas de esterilização foram utilizados por vários países. Por exemplo, o México, onde de acordo com a Associação Nuclear Mundial, foi um sucesso.

Relacionado:  Os pisos térmicos da Colômbia e suas características

4- Conservação de alimentos

O controle de pragas da radiação com energia nuclear permite uma melhor preservação dos alimentos.As técnicas de irradiação impedem o desperdício maciço de alimentos, especialmente nos países com clima quente e úmido.

Além disso, a energia atômica serve para esterilizar as bactérias presentes em alimentos como leite, carne ou vegetais. É também uma maneira de prolongar a vida de alimentos perecíveis, como morangos ou peixes.

Segundo os defensores da energia nuclear, essa prática não afeta os nutrientes dos produtos nem tem efeitos prejudiciais à saúde.

A maioria das organizações ecológicas não pensa o mesmo, que continua a defender o método tradicional de colheita.

5- Aumento dos recursos hídricos

Os reatores nucleares produzem calor, que pode ser usado para dessalinização da água. Esse aspecto é especialmente útil para países secos com falta de recursos de água potável.

Essa técnica de irradiação permite converter a água salgada do mar em água limpa, adequada para beber.Além disso, de acordo com a Associação Nuclear Mundial, as técnicas hidrológicas com isótopos permitem um monitoramento mais preciso dos recursos hídricos naturais.

A AIEA desenvolveu programas de colaboração com países como o Afeganistão, para buscar novos recursos hídricos neste país.

6- Uso da energia nuclear na medicina

Um dos usos benéficos da radioatividade pela energia nuclear é a criação de novos tratamentos e tecnologias no campo da medicina. É o que é conhecido como medicina nuclear.

Esse ramo da medicina permite que os profissionais façam um diagnóstico mais rápido e preciso de seus pacientes, além de tratá-los.

Segundo a Associação Nuclear Mundial, dez milhões de pacientes em todo o mundo são tratados com medicina nuclear todos os anos e mais de 10.000 hospitais usam isótopos radioativos em seus tratamentos.

A energia atômica na medicina pode ser encontrada em radiografias ou em tratamentos tão importantes quanto a radioterapia, amplamente utilizada no câncer.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, “a terapia de radiação (também chamada de terapia de radiação) é um tratamento contra o câncer que utiliza altas doses de radiação para matar células cancerígenas e reduzir tumores”.

Este tratamento tem uma desvantagem; Pode causar efeitos colaterais nas células do corpo que são saudáveis, danificando-os ou produzindo alterações, que geralmente se recuperam após a cura.

7- Aplicações industriais

Os radioisótopos presentes na energia nuclear permitem maior controle dos poluentes emitidos no meio ambiente.

Por outro lado, a energia atômica é bastante eficiente, não deixa resíduos e é muito mais barata que outras energias de produção industrial.

Os instrumentos utilizados nas usinas nucleares geram um benefício muito maior do que custam. Em alguns meses, eles permitem que você economize o dinheiro que eles custam no momento inicial, antes de serem amortizados.

Por outro lado, as medidas usadas para calibrar as quantidades de radiação geralmente também contêm substâncias radioativas, geralmente raios gama. Esses instrumentos evitam o contato direto com a fonte a ser medida.

Relacionado:  Os 7 tipos de plásticos, características e usos

Este método é especialmente útil quando se trata de substâncias que podem ser extremamente corrosivas para os seres humanos.

8- É menos poluente que outros tipos de energia

Usinas nucleares produzem energia limpa. Segundo a National Geographic Society, eles podem ser construídos em áreas rurais ou urbanas sem causar um grande impacto ambiental.

Embora, como vimos, em eventos recentes como Fukushima, a falta de controle ou um acidente possa ter consequências catastróficas para grandes hectares de território e para a população de gerações de anos e anos.

Se comparado com a energia produzida pelo carvão, é verdade que emite menos gases na atmosfera, evitando o efeito estufa.

9- Missões espaciais

A energia nuclear também tem sido usada para expedições no espaço sideral.

Os sistemas de fissão nuclear ou decaimento radioativo são usados ​​para gerar calor ou eletricidade por meio de geradores termoelétricos de radioisótopos que geralmente são usados ​​para sondas espaciais.

O elemento químico a partir do qual a energia nuclear é extraída nesses casos é o plutônio-238. Existem várias expedições que foram feitas com esses dispositivos: a missão Cassini em Saturno, a missão Galileu em Júpiter e a missão New Horizons em Plutão.

O último experimento espacial realizado com esse método foi o lançamento do veículo Curiosity, dentro das investigações que estão sendo desenvolvidas em torno do planeta Marte.

O último é muito maior que os anteriores e é capaz de produzir mais eletricidade do que os painéis solares podem produzir, de acordo com a Associação Nuclear Mundial.

10- Armas nucleares

A indústria da guerra sempre foi uma das primeiras a ser atualizada no campo de novas técnicas e tecnologias. No caso da energia nuclear, não seria menor.

Existem dois tipos de armas nucleares, aquelas que usam essa fonte como propulsão para produzir calor, eletricidade em diferentes dispositivos ou aquelas que buscam diretamente a explosão.

Nesse sentido, podemos distinguir entre meios de transporte, como aeronaves militares ou a bomba atômica já conhecida, que gera uma cadeia sustentada de reações nucleares.Estes últimos podem ser fabricados com diferentes materiais, como urânio, plutônio, hidrogênio ou nêutrons.

Segundo a AIEA, os Estados Unidos foram o primeiro país a construir uma bomba nuclear, por isso foi um dos primeiros a entender os benefícios e perigos dessa energia.

Desde então, este país, como uma grande potência mundial, estabeleceu uma política de paz no uso da energia nuclear.

Um programa de colaboração com outros estados que começou com o discurso do presidente Eisenhower na década de 1950, diante da organização das Nações Unidas e da Agência Internacional de Energia Atômica.

Efeitos negativos da energia nuclear

Alguns dos perigos do uso de energia atômica são os seguintes:

1- As consequências devastadoras dos acidentes nucleares

Um dos maiores riscos de energia nuclear ou atômica é o acidente, que pode ocorrer em reatores a qualquer momento.

Como já demonstrado em Chernobyl ou Fukushima, essas catástrofes têm efeitos devastadores na vida, com alta contaminação de substâncias radioativas em plantas, animais e no ar.

A exposição excessiva à radiação pode causar doenças como câncer, malformações irreparáveis ​​e danos nas gerações futuras.

2- Efeitos nocivos dos alimentos transgênicos

Organizações ecológicas como o Greenpeace criticam o método de agricultura defendido pelos promotores da energia nuclear.

Relacionado:  Impacto das atividades humanas na natureza

Entre outros qualificadores, eles afirmam que esse método é muito destrutivo devido à grande quantidade de água e óleo que consome.

Também tem efeitos econômicos, como o fato de que essas técnicas só podem pagar e ter acesso a alguns, arruinando pequenos agricultores.

3- Limitação da produção de urânio

Como o petróleo e outras fontes de energia usadas pelos seres humanos, o urânio, um dos elementos nucleares mais comuns é o finito. Ou seja, pode acabar a qualquer momento.

É por isso que muitos defendem o uso de energia renovável em vez de energia nuclear.

4- Requer grandes instalações

A produção de energia nuclear pode ser mais barata que outros tipos de energia, mas o custo de construção de usinas e reatores é alto.

Além disso, você deve ter muito cuidado com esses tipos de construções e com o pessoal que irá trabalhar nelas, pois você deve ser altamente qualificado para evitar possíveis acidentes.

Os maiores acidentes nucleares da história

Bomba atômica

Ao longo da história, houve inúmeras bombas atômicas. A primeira ocorreu em 1945 no Novo México, mas as duas mais importantes, sem dúvida, foram as que explodiram em Hiroshima e Nagasaki durante a Segunda Guerra Mundial. Os nomes deles eram Little Man e Fat Boy, respectivamente.

Acidente de Chernobyl

Ocorreu na usina nuclear na cidade de Pripyat, Ucrânia, em 26 de abril de 1986. É considerada uma das mais graves catástrofes ambientais ao lado do acidente de Fukushima.

Além das mortes que produziu, quase todos os trabalhadores da fábrica, havia milhares de pessoas que tiveram que ser evacuadas e nunca puderam voltar para suas casas.

Hoje, a cidade de Prypiat ainda é uma cidade fantasma, que foi objeto de pilhagem, e se tornou uma atração turística para os mais curiosos.

Acidente de Fukushima

Foi o 11 de março de 2011. É o segundo acidente nuclear mais grave após Chernobyl.

Ocorreu como resultado de um tsunami no leste do Japão que explodiu os edifícios onde estavam os reatores nucleares, liberando uma grande quantidade de radiação para o exterior.

Milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas, enquanto a cidade sofreu sérias perdas econômicas.

Referências

  1. Aarre, M. (2013). Prós e contras da energia nuclear. Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de energyinformative.org.
  2. Blix, H. Os bons usos da energia nuclear. Retirado em 25 de fevereiro de 2017 de iaea.org.
  3. Instituto Nacional do Câncer. Terapia de radiação Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de cancer.gov.
  4. Greenpeace. Agricultura e GM. Retirado em 25 de fevereiro de 2017 de greenpeace.org.
  5. Associação Nuclear Mundial. Outros usos da tecnologia nuclear. Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de world-nuclear.org.
  6. Enciclopédia da National Geographic Society. Energia Nuclear Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de nationalgeographic.org.
  7. Regulador Nuclear Nacional: nnr.co.za.
  8. Tardón, L. (2011). Que efeitos a radioatividade tem na saúde? Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de elmundo.es.
  9. Wikipedia Energia Nuclear Recuperado em 25 de fevereiro de 2017 de wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies