100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo

A lista dos 100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo é uma compilação de espécies que estão em risco de desaparecer da face da Terra devido a diversos fatores, como a perda de habitat, caça ilegal, poluição e mudanças climáticas. Esses animais representam uma parte importante da biodiversidade do planeta e sua extinção pode ter impactos significativos em todo o ecossistema. É crucial conscientizar e tomar medidas para proteger essas espécies e garantir sua sobrevivência para as futuras gerações.

Animais ameaçados de extinção: quais espécies correm maior risco de desaparecer da natureza?

Os animais ameaçados de extinção estão presentes em todo o mundo, devido à ação do ser humano e às mudanças climáticas. Existem cerca de 100 espécies que correm um alto risco de desaparecer da natureza, se medidas de conservação não forem tomadas urgentemente.

Entre os animais ameaçados de extinção, podemos citar o tigre siberiano, o panda gigante, o rinoceronte negro e o gorila das montanhas. Esses animais estão sofrendo com a perda de habitat, a caça ilegal e as mudanças climáticas, o que coloca em risco a sua sobrevivência.

Além dessas espécies icônicas, muitos outros animais estão ameaçados de extinção, como o peixe-boi da Amazônia, o orangotango de Bornéu, o lobo mexicano e o tatu-canastra. A destruição dos ecossistemas naturais e a poluição dos rios e oceanos estão contribuindo para o declínio dessas populações.

É importante que a sociedade se conscientize sobre a importância da conservação da biodiversidade e adote práticas sustentáveis para evitar a extinção dessas espécies. A preservação dos animais ameaçados de extinção é fundamental para manter o equilíbrio dos ecossistemas e garantir um futuro saudável para o nosso planeta.

Conheça a lista de animais em risco de extinção no mundo atualmente.

Atualmente, existem mais de 100 animais em risco de extinção em todo o mundo, devido à destruição do habitat, caça ilegal e mudanças climáticas. Essas espécies correm o risco de desaparecer para sempre se medidas de conservação urgentes não forem tomadas.

Alguns dos animais mais ameaçados incluem o tigre siberiano, o rinoceronte de Sumatra, o panda gigante, o elefante africano e a tartaruga marinha. Essas espécies estão sofrendo com a perda de habitat, caça furtiva e mudanças climáticas que afetam diretamente sua sobrevivência.

Outros animais em perigo de extinção incluem o lobo mexicano, o gorila da montanha, o orangotango de Sumatra, o atum azul e o tigre de bengala. Essas espécies icônicas estão lutando para sobreviver em um mundo cada vez mais hostil.

É crucial que medidas de conservação sejam implementadas para proteger esses animais e garantir sua sobrevivência no futuro. A conscientização pública e a educação sobre a importância da preservação da vida selvagem são fundamentais para reverter a tendência de extinção dessas espécies.

Descubra quais são os 23 animais que já foram extintos da Terra.

Nos dias de hoje, a preocupação com a preservação da vida animal é cada vez mais evidente. Com o aumento da destruição do meio ambiente e da ação humana desenfreada, muitas espécies estão sendo ameaçadas de extinção. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), existem atualmente cerca de 100 animais em risco de desaparecer para sempre. Mas, além desses, também existem aqueles que já foram extintos da Terra.

Entre os 23 animais que já desapareceram, destacam-se o Dodô, o Tigre da Tasmânia, o Moa, o Tigre de Bali e o Rinoceronte Negro Ocidental. Essas espécies, que um dia habitaram o nosso planeta, foram dizimadas principalmente pela caça excessiva e pela destruição do seu habitat natural. Infelizmente, muitas delas não puderam ser salvas a tempo.

É importante refletir sobre o impacto que as ações humanas têm sobre a biodiversidade do nosso planeta. A extinção de uma espécie pode desencadear um efeito dominó, afetando todo o ecossistema. Por isso, é fundamental adotar medidas de conservação e preservação ambiental, antes que seja tarde demais. Afinal, a vida selvagem é parte integrante do nosso mundo e merece ser protegida.

Quais espécies animais desapareceram no ano de 2023 da face da Terra?

Em 2023, várias espécies animais foram declaradas extintas, causando grande preocupação entre os ambientalistas e cientistas. Dentre os 100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo, algumas das espécies que desapareceram foram o tigre de Sumatra, o rinoceronte negro do oeste, o golfinho do rio Yangtze e o macaco leão dourado.

O tigre de Sumatra, conhecido por sua beleza e agilidade, foi vítima da caça ilegal e da perda de habitat. O rinoceronte negro do oeste, por sua vez, foi dizimado devido à demanda por seus chifres no mercado negro. Já o golfinho do rio Yangtze, que habitava as águas poluídas da China, não resistiu à degradação de seu ambiente. E o macaco leão dourado, encontrado apenas na floresta tropical brasileira, não resistiu à devastação causada pela exploração madeireira e agrícola.

A extinção dessas espécies é um alerta para a necessidade de conservação e proteção da biodiversidade do planeta. A perda de cada uma delas representa um desequilíbrio no ecossistema e uma triste consequência da ação humana. É urgente que medidas efetivas sejam tomadas para evitar que mais animais entrem para a lista de espécies extintas.

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo

Entre os animais em perigo de extinção crítica, podemos encontrar desde mamíferos como o macaco-aranha ou o guepardo asiático, até répteis como a iguana-de-crista ou a tartaruga-de-pente, passando por aves como o egotel da Nova Caledônia ou o cuco terrestre de Sumatra.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) é a mais alta autoridade global em conservação da vida selvagem.

Em 1963, graças a seus esforços, foi criada a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas, desenvolvendo uma classificação do status de conservação de animais e plantas:

-Os animais totalmente extintos (EX) ou aqueles que não habitam mais selvagens (EW) e vivem apenas em zoológicos.

-Animais ameaçados de extinção (CR), ameaçados (EN) e vulneráveis ​​(VU) estão ameaçados.

-As espécies quase ameaçadas ou em bom estado de conservação são de menor preocupação.

Espécies Criticamente em Perigo (RC)

Pangolim chinês ( Manis pentadactyla )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 1

O pangolim chinês habita a Índia, Nepal, Butão, Bangladesh, Birmânia, Taiwan e sul da China, incluindo a Ilha Hainan.

Possui escamas marrons pequenas e seu tamanho é médio. São noturnos, excelentes alpinistas e nadadores. Alimentam-se de cupins e formigas e rolam sobre uma bola como mecanismo de defesa.

Enguia europeia ( Anguilla anguilla )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 2

A enguia europeia habita o norte do Oceano Atlântico e os mares que banham a Europa.

Uma das ameaças, além da pesca, enfrentadas pela enguia européia é um nematóide asiático ( Anguilicola crassus ). Ao contrário do japonês, a enguia européia não desenvolveu tolerância a esse parasita que facilmente causa morte, reduz sua fertilidade ou danifica sua bexiga natatória.

Marina de Vaquita ( Phocoena sinus )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 3

A marina de vaquita é uma das seis espécies de botos. Sua população conhecida era de 97 cópias em 2015 e em 2016 havia perdido 40% de sua população. Está em estado crítico devido ao uso de redes de emalhar.

Este animal vive no Golfo da Califórnia, onde medidas insuficientes de conservação foram tomadas para aumentar a população. As vacas marinhas vivem em lagos rasos e escuros, são rasas e suas costas se destacam na superfície da água.

Seus avistamentos foram registrados a 11-50 metros de profundidade e 11 a 25 quilômetros da costa. Eles preferem águas turvas por causa de seu alto teor de nutrientes, o que os ajuda a atrair pequenos peixes, lulas e crustáceos.

Beija-flor do Sol ( urina de Coeligena )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 4

O beija-sol é endêmico da Cordilheira Ocidental da Colômbia e foi descoberto no Frontino Moorland, mas há anos não há avistamentos.

Alexander Wetmore o descreveu em 1953. Em 2004, Niels Krabbe e outros biólogos o redescobriram em Frontino e nos Farallones del Citará. A taxonomia deste beija-flor ainda é discutida.

Egoleto da Nova Caledônia ( Aegotheles savesi )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 5

O egotel da Nova Caledônia foi descrito cientificamente pelos ornitólogos ingleses Edgar Leopold Layard e seu filho Edgar Leopold Calthrop Layard em 1881.

Este pássaro é noturno e possui facilidade de camuflagem. Os ornitólogos ingleses descobriram o pássaro porque um espécime voou para o quarto onde estavam hospedados em Tonghoué. Naquela época, a espécie já era escassa.

Relacionado:  Llantén: Características, Tipos, Origem

Os avistamentos mais recentes foram feitos em 1998, quando um grande espécime foi visto no vale Rivière Ni. Devido à dificuldade de encontrá-los, considera-se que os animais vivem em pequenos grupos.

Tartaruga Swinhoe ( Rafetus swinhoei )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 6

A tartaruga Swinhoe é uma espécie de tartaruga asiática Trionychidae . Está em um estado enigmático, uma vez que restam apenas três idosos exemplares na China; Um quarto espécime foi encontrado em Hanói, mas morreu em 2016. No Vietnã, é um animal mítico que não é visto há anos.

Os cientistas pensaram que ele já estava extinto devido à caça e à perda de seu habitat, mas periodicamente os habitantes locais dizem que os viram, embora isso não tenha sido provado.

Jacaré chinês ( Alligator sinensis )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 7

O jacaré chinês é tímido e dócil. Pertence à família Alligatoridae . Alimenta-se de sapos e peixes que caça debaixo d’água, embora possa matar galinhas, cães e outros animais que considere uma ameaça.

Nunca houve um ataque a humanos. Os jacarés chineses estão se extinguindo devido à atividade humana, principalmente a pesca de espécies que são uma parte importante de sua dieta. Existem cerca de 300 espécimes na natureza e tantos em cativeiro.

Água de cisalhamento balear ( Puffinus mauretanicus )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 8

O cisalhamento das Baleares ou Baldritja era considerado uma subespécie do cisalhamento de pombos ou cisalhamento do Mediterrâneo, mas hoje eles descobriram que não é assim. Sua população diminuiu rapidamente devido a alterações em seu habitat, especialmente na área de reprodução.

É uma espécie gregária e geralmente voa perto da superfície da água porque se alimenta de peixes e lulas. Não se aproxima de navios. A urbanização do turismo nas Ilhas Baleares e a introdução de animais, que competem com eles por comida ou comem seus filhotes, são suas principais ameaças.

Considera-se que a água de cisalhamento das Baleares poderia ter produzido uma espécie híbrida com a água de cisalhamento do Mediterrâneo, o que poderia ser um problema para sua conservação.

Esmeraldita de Munchique patiblanca ( Eriocnemis mirabilis )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 9

A esmeraldita Munchique patiblanca habita os Andes da Colômbia entre 2.200 e 2.800 metros. Este beija-flor azul pode ter até 8 centímetros de comprimento.

O macho é verde escuro iridescente e sua testa é verde esmeralda. O pêlo da fêmea é menos impressionante. Seu estado criticamente ameaçado é considerado relacionado à diminuição no cultivo de frutos de lulo ou naranjilla, afetados por pragas.

Crocodilo das Filipinas ( Crocodylus mindorensis )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 10

O crocodilo filipino ou Mindoro habita rios e áreas pantanosas de Mindanao e algumas das Visayas. É semelhante ao crocodilo da Nova Guiné e, por isso, eles foram considerados a mesma espécie por um longo tempo.

Pode atingir 18 centímetros de altura e um comprimento de até 254 cm para os machos, as fêmeas são um pouco menores. Seu focinho é largo comparado ao de outros crocodilos.

Acredita-se que restem apenas 500-1000 do cativeiro. Existem programas governamentais para criação de animais em cativeiro e considera-se que os próximos 10 anos serão fundamentais para determinar sua sobrevivência.

Iguana ricord ( Cyclura ricordi )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 11

A iguana Ricord é endêmica da Hispaniola. Atualmente, na parte sul da República Dominicana, os únicos espécimes dessa espécie são preservados.

Em 2008, uma pequena população foi descoberta em Anse-a-Pitres, no Haiti, acreditando até então que só era conservada na República Dominicana. A iguana de Ricord coexiste com a iguana de rinoceronte, que é abundante na área.

Saiga ( Saiga tatarica )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 12

A saiga vive nas estepes da Ásia Central, da Rússia à China através da Mongólia; A maior população é registrada no Cazaquistão e no Uzbequistão.

A saiga coexiste nas estepes do semi-deserto, alimenta-se de plantas, incluindo algumas que são venenosas para outros animais. Como sabem nadar e são muito resistentes, viajam muitos quilômetros por dia e gostam de espaços abertos, frios e secos.

Graças aos fósseis encontrados, foi determinado que sua população se estendia da China à Península Ibérica. Nos territórios europeus, foi extinto no século 18 devido à caça indiscriminada para obter seus chifres e peles. Em 2015, 120.000 espécimes morreram no Cazaquistão, um terço da população total, devido à bactéria Pasteurella multocida.

Tubarão do Gangeal ( Glyphis gangeticus )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 13

O tubarão Ganges é especializado em capturar peixes pequenos. Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, é uma das 20 espécies de tubarões da “lista vermelha” em risco de extinção devido à pesca.

Salmo do Carmo ( Lago Garp Carpione )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 14

O Salmo Cárpico vive na Itália, no lago Garda, no norte do país. Sua taxonomia ainda é discutida. Alguns argumentam que a espécie pertence ao gênero Salmothymus em vez de Salmo, embora também possa ser uma hibridação.

O salmo do carpo vive principalmente no fundo do lago e se alimenta de invertebrados bentônicos, como plâncton e necton.

Ao contrário de outros salmonistas, o carpio não migra. Sua extinção se deve à destruição de seu habitat natural, sobrepesca e poluição.

Peixe-gato Mekong ( Pangasianodon gigas )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 15

O peixe-gato Mekong é endêmico do sudeste da Ásia e é considerado um dos maiores peixes de água doce do mundo. É cinza com listras e quase não tem farpas ou dentes.

O programa de uso sustentável e biodiversidade das zonas úmidas do Mekong as declarou como uma das espécies mais importantes que devem ser protegidas. As causas da extinção são a sobrepesca, represas e poluição.

A população diminuiu 80% nos últimos anos. No livro The Kitchen of Anthropologists (1977), é indicado que este peixe foi reverenciado pelos habitantes do Laos e também foi uma parte importante de sua dieta. Atualmente, sua pesca é ilegal na Tailândia, Laos e Camboja. Embora a Tailândia permita a caça sob certas condições.

Lagarto gigante de La Palma ( Gallotia auaritae )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 16

O lagarto gigante de La Palma é endêmico da ilha de La Palama, nas Ilhas Canárias, e se alimenta de plantas xerófitas e ovos de aves costeiras. Esta espécie foi declarada extinta até sua redescoberta em 2007. Embora expedições subseqüentes não tenham sido capazes de encontrar mais espécimes.

Seu declínio começou quando o ser humano chegou às ilhas há 2000 anos. A introdução de gatos e agricultura foram suas principais ameaças. Foi originalmente descrita como uma subespécie do gigante Lagarto de Ferro, mas mais tarde e quando estudada, as diferenças entre as duas espécies foram descobertas.

Tartaruga-de- lora ( Lepidochelys kempii )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 17

A tartaruga lora habita o Oceano Atlântico e está em perigo crítico devido à pesca e à poluição. Durante o derramamento da planta de óleo no Golfo do México, há alguns anos, essa espécie sofreu muito e seu habitat foi afetado.

Seus hábitos e ciclos alimentares estão bem documentados. Sua época de reprodução é de abril a agosto. As fêmeas aparecem na praia, preferindo áreas com dunas ou pântanos. O número de fêmeas de nidificação diminui a cada ano.

Lobo vermelho ( Canis rufus )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 18

O lobo vermelho vive nos Estados Unidos, México e, talvez, no Canadá. Esta espécie de lobo é híbrida entre o lobo e o coiote ( Canis latrans ).

Graças a programas de reprodução em cativeiro, sua população foi mantida. De acordo com as últimas análises genéticas e descobertas fósseis, foi demonstrado que essa espécie é nativa, pois se acreditava que não era assim e sua taxonomia era muito discutida.

Camelo bactriano ( Camelus bactrianus)

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 19

O camelo bactriano ou asiático está em perigo crítico porque os pastores pastam com animais de estimação. Habita livremente em áreas desérticas da Mongólia e na região chinesa de Xinjiang, onde migram constantemente em pequenos grupos de 6 e 30 indivíduos.

Eles são robustos e suas pernas são mais curtas que as dos camelos árabes. É composto por duas gibas e seu pêlo é variado. Ele sobrevive em condições climáticas extremas e possui grande força e resistência física que lhe permitem viajar de 45 a 50 quilômetros por dia.

Relacionado:  Partenogênese: o que é, tipos, organismos

Morcego de fruta de Bulmer ( Aproteles bulmerae )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 20

Imagem via: Huffington Post Canada

Os primeiros fósseis do morcego Bulmer Fruit foram encontrados na década de 1970 em uma montanha na Nova Guiné. Depois de examinada, a espécie foi declarada extinta na Idade do Gelo, até que uma colônia foi descoberta em 1992.

Esses animais vivem em cavernas e sua população diminui drasticamente, apesar das medidas tomadas para sua conservação.

Leopardo-das-neves ( Panthera uncia )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 21

Leopardos-da-neve ou irbis são felinos que vivem na Ásia Central em regiões montanhosas. São animais solitários, exceto durante a estação de acasalamento. Eles também caçam sozinhos e sua presa favorita é o íbex, o cervo almiscarado ou as cabras selvagens.

Pode viver em altitudes de mais de 6.000 metros. Esta espécie está ameaçada porque sua pele é usada para fazer casacos. Atingem a idade adulta aos dois anos e podem ter cinco filhos. É interessante notar que esta é a única espécie do tipo que não ruge.

Macaco-aranha (Ateles fusciceps)

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 22

O macaco-aranha-de-cabeça-preta diminuiu sua população em 80% nos últimos 50 anos. Sua situação em perigo crítico se deve à perda de seu habitat, fragmentação de seu território, caça e desmatamento.

Na Colômbia, a magdalena marimonda é criada em cativeiro no zoológico de Ocarros, em Villavicencio, no zoológico de Cali e no zoológico de Santa Cruz, em San José del Tequendama.

Rã morelet ( Agalychnis moreletii )

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 23

Está criticamente a
eaçada devido à perda de habitat e à quitridiomicose, uma doença causada por um fungo.

O sapo de Morelet vivia anteriormente no México, em Honduras e no centro de El Salvador. De acordo com as últimas expedições científicas, esse anfíbio desapareceu da maioria desses lugares. Considera-se que não restam mais de 1.500 cópias.

Na Guatemala e Honduras, devido à destruição de seu habitat, desapareceu quase completamente.

Cuco de Sumatra (Carpococcyx viridis)

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 24

O cuco terrestre de Sumatra está em estado crítico. Esta ave cuculiforme foi redescoberta e fotografada por Andjar Rafiastanto em 1997 no Parque Nacional Bukit Barisan Selatan. Antes dessa descoberta, ela era considerada extinta e apenas oito espécimes dissecados expostos em museus eram conhecidos.

Estima-se que sua população não ultrapasse 250 cópias. Em 2007, sua música foi gravada e esta gravação será usada para capturar mais cópias no futuro. Este animal endêmico da Indonésia pode chegar a 55 centímetros.

Truta Apache ( Oncorhynchus apache)

100 animais ameaçados de extinção em todo o mundo 25

A truta Apache é um peixe da família dos salmonídeos que vive nas bacias dos rios Salt e Colorado, ambos no Arizona. Eles vivem em rios e lagos de águas limpas e frias, em altas montanhas acima de 2500 metros.

Sua população diminuiu 95% porque compete por seu habitat com truta e truta comum. Existem espécies híbridas de trutas apache e truta arco-íris. A truta Apache é popular na pesca esportiva, o que também contribui para o seu desaparecimento.

Albatroz-de-galápagos (Phoebastria irrorata)

Este pássaro nidifica apenas na ilha de Hispaniola, nas Ilhas Galápagos. Embora o Parque Nacional de Galápagos o proteja, ele está em perigo crítico devido ao turismo e à pesca ilegal.

Kakapo (Strigops habroptilus)

O kakapo ou o papagaio noturno é endêmico da Nova Zelândia e é famoso por ser o único papagaio que não voa, pois é muito pesado. É uma das aves mais longas do mundo, o único representante do gênero Strigops e da subfamília Strigopinae .

Ele sobreviveu à introdução de aves e outras espécies invasoras e ao desmatamento, mas existem apenas 131 espécimes vivos conhecidos e classificados.

Os cientistas acreditam que esses pássaros perderam a capacidade de voar porque não enfrentaram nenhum predador terrestre.Seu maior predador foi a gigante águia diurna.

Devido à fauna introduzida (gatos, ratos, arminho), quase todos os kakapos morreram. Em 1890, foram realizados os primeiros esforços para sua conservação, que não tiveram sucesso. Em 1980, o Plano de Recuperação da Kakapo foi implementado. Espécimes vivos habitam duas ilhas livres de predadores: na Ilha Chalky e na Ilha Codfish, onde ambientalistas e cientistas as monitoram.

Elmo do Elmo ( vigília de Rhinoplax )

Helm calamus é uma ave endêmica da península de Malaca e das ilhas de Bornéu e Sumatra. É o pássaro oficial do Bornéu Ocidental. Nenhuma subespécie é conhecida.

Alimenta-se de frutas, especialmente figos. Também consome insetos ou presas semelhantes. É sedentário, ao contrário de outros calaos, e é agrupado para se defender.

Os machos usam capacetes quando atacam seus inimigos durante brigas territoriais. O povo Punan Bah da Malásia acredita que o Cálao é o guardião do rio entre a vida e a morte. Vários povos indígenas usam suas penas como ornamentos.

Rinoceronte-preto (Diceros bicornis)

Os europeus que chegaram à África no início do século XX para colonizar e criar fazendas e plantações são responsáveis ​​pelo início do declínio da população de rinocerontes negros.

Sagui-de-cabeça-branca ( Saguinus oedipus )

O sagui de cabeça branca é uma pequena espécie de macaco encontrada nas florestas da América do Sul.

Devido ao seu tamanho relativamente pequeno, possui um número considerável de predadores em seu ambiente natural. Gatos selvagens, cães, cobras e aves de rapina são os principais predadores, juntamente com os seres humanos que destroem seu habitat natural.

Rinoceronte de Java ( Rhinoceros probeicus)

O rinoceronte de Java é uma espécie de rinoceronte nativo do sudeste da Ásia. Os humanos são sua maior ameaça, porque são caçados pelos chifres.

Sapo monte Iberia ( Eleutherodactylus iberia )

O sapo Monte Iberia é uma espécie minúscula do sapo nativa das florestas do Monte Iberia. É um animal incrivelmente sensível que é facilmente afetado por mudanças em seu ambiente, incluindo poluição e desmatamento.

Saola ( Pseudoryx nghetinhensis )

A saola é uma espécie de antílope nativo das florestas fronteiriças do centro-norte do Vietnã e do Laos. Sua maior ameaça é caçar chifres, que são um troféu entre os habitantes locais.

Elefante de Sumatra ( Elephas maximus sumatranus )

O elefante de Sumatra é uma subespécie de elefante asiático que inclui o elefante indiano, o elefante de Sumatra, o elefante do Sri Lanka e o elefante de Bornéu.

Sua população caiu seriamente, pois perdeu mais de 80% de seu habitat natural devido ao desmatamento das plantações de óleo de palma.

Orangotango de Sumatra ( Pongo abelii )

O orangotango de Sumatra é uma das duas espécies de orangotango da Ásia e é nativo da ilha de Sumatra, na Indonésia.

Embora a caça tenha devastado populações em determinadas áreas, é a perda de grandes áreas de seus habitats naturais que tem sido sua maior ameaça.

Rinoceronte-de-sumatra ( Dicerorhinus sumatrensis )

O rinoceronte de Sumatra é a menor das cinco espécies de rinocerontes e, ao contrário dos outros rinocerontes asiáticos, possui dois chifres.

Os humanos são sua maior ameaça, pois são caçados há décadas por seus chifres.

Gorila do rio Western Cross ( Gorilla gorilla diehli )

É uma das duas subespécies de gorilas ocidentais encontradas nas selvas do continente africano.

Sua maior ameaça é a perda de seu habitat devido ao desmatamento e caça furtiva. Partes de seu território também foram ocupadas por distúrbios civis nos últimos anos.

Wombat do norte ( Lasiorhinus krefftii )

O wombat do norte é um marsupial de tamanho médio, encontrado apenas em uma faixa de 3 km 2 a 33 km 2 do Parque Nacional Epping Forest, em Queensland.

Seus números têm diminuído rapidamente devido à perda de seu habitat e à caça de seres humanos que acreditam ser uma praga agrícola.

Petrel das Galápagos ( Pterodroma phaeopygia )

O petrel das Galápagos é grande e tem asas longas. Uma de suas maiores ameaças são os mamíferos introduzidos, que atacam e alteram suas colônias de nidificação. Também a presença do rato preto ( Rattus rattus ), que come os ovos e mata seus filhotes, é uma das causas do declínio da população.

Seu período de reprodução é de aproximadamente oito meses. Um estudo realizado em 2002 mostrou que o período de reprodução mais ativo é março, final de outubro e duas primeiras semanas de agosto.

Relacionado:  Tubarão-baleia: características, habitat, comida, comportamento

Iguana com crista de Fiji ( Brachylophus vitiensis )

A iguana-de-crista de Fiji está ameaçada devido à perda de habitat, que foi transformada por atividades agrícolas, tempestades, incêndios e plantas exóticas invasoras.

Gatos selvagens ( Felis catus ) são um dos seus principais predadores. A competição com cabras selvagens por comida e território também as afeta.

Desde que as cabras selvagens foram introduzidas em 1972, a vegetação da ilha foi bastante reduzida por pastagens e incêndios. A população de iguanas aumentou depois que o governo implementou a eliminação de todas as cabras na ilha.

Tartaruga-de-pente ( Eretmochelys imbricata )

A tartaruga-de-pente é o único dos gêneros retmochelys . Possui duas subespécies: Eretmochelys imbricata imbricata, que habita o Oceano Atlântico, e Eretmochelys imbricata bissa, que habita a região Indo-Pacífico.

Eles estão em estado crítico devido à pesca e poluição, fatores que afetam seu ciclo de vida .

Sua aparência é semelhante às tartarugas marinhas. Distingue-se pelo bico pontiagudo e curvado e pelas arestas da serra da sua concha. Ele passa boa parte de sua vida em mar aberto, mas seus avistamentos ocorrem em lagoas rasas e recifes de coral.

Na China e no Japão, é considerada uma iguaria deliciosa e as conchas são usadas para artesanato. Todos esses usos comerciais significam que muitos países não adotam políticas de proteção.

Civeta malhada grande de Malabar ( Viverra civettina )

A civeta malhada grande de Malabar é um mamífero carnívoro comum na costa de Kerala e Karnataka, no sul da Índia. Desde o início do século XX, sua população diminuiu devido ao seu uso na produção de almíscar de civeta.

Em 1990, ao sul de Malabar, considerou-se que ainda havia populações isoladas e em 1999 acreditava-se que pelo menos 250 espécimes maduros viviam em seu habitat natural.

Sua principal ameaça é a fragmentação da população, o que não lhes permite acasalar e aumentar o número de espécimes. Eles são pegos por cães, principalmente quando tentam roubar aves.

Chita asiática ( Acinonyx jubatus venaticus )

A chita asiática, endêmica do Irã, é uma subespécie rara de chita. Está criticamente ameaçada devido à sua baixa taxa de fertilidade, alta mortalidade de filhotes e dificuldade de criação em cativeiro.

Este felino atípico caça em grupo e usa sua velocidade para isso. Ele vive de uma maneira muito fragmentada, o que permitiu sua extinção na Índia. Viver longe um do outro torna a reprodução impossível.

É o animal mais rápido de toda a terra e alcança 112 km / h. Destaca-se também por sua capacidade de aceleração, que corresponde à de muitos veículos. Estima-se que não restem mais de 100 espécimes e todos morem no Irã.

Coelho sul-africano do rio ( Bunolagus monticularis )

O coelho do rio da África do Sul ou o coelho do bosquímano é o único membro do gênero Bunolagus . Este mamífero lagomorfo é raro e tem sido pouco estudado. Habita a África do Sul, no centro e ao sul do deserto de Karoo.

Pode medir até 50 centímetros de comprimento, sendo os machos maiores que as fêmeas. Eles são caracterizados por terem um “bigode” ou faixa preta sobre a boca. Sua pele é macia e cinza. Os machos são monogâmicos.

Os recém-nascidos nascem cegos e sem pêlos. Eles são cuidados por sua mãe até que possam cuidar de si mesmos. As águias negras são um dos seus predadores comuns.

Gorila da montanha (Gorilla beringei beringei)

O gorila da montanha (beringei beringei) é uma subespécie de gorila oriental que habita as montanhas Virunga na África Central. Sua população está distribuída em três parques nacionais: o Parque Nacional Gorilla de Mgahinga, o Parque Nacional dos Vulcões e o Parque Nacional Virunga. Também uma parte de sua população vive na selva de Bwindi.

Graças ao filme Gorilas no nevoeiro e Dian Fossey, a espécie é bem conhecida. 900 indivíduos são contados. Segundo um censo de 2003, a população está aumentando. As principais ameaças às espécies são caça ilegal, perda de habitat e disseminação de doenças humanas.

Leopardo da Arábia (Panthera pardus nimr)

Existem apenas cerca de 250 cópias de leopardos da Arábia, distribuídas em duas subpopulações: Península Arábica (Iêmen e Omã) e no deserto de Negev, em Israel. No Negev, apenas 20 cópias são registradas e são consideradas quase extintas.

Devido ao cruzamento com outros leopardos, híbridos foram produzidos e o surgimento de doenças congênitas e a infertilidade feminina são temidos no futuro. Essa espécie é considerada o menor leopardo do mundo: os machos não excedem 30 quilos e as fêmeas 20.

Alimentam-se de gelados núbios, lebres, damans e outros pequenos mamíferos. Esses animais também reduziram seus números.

Eles são solitários, exceto na estação de reprodução. No Iêmen, existe um programa de criação em cativeiro e, portanto, a população deve aumentar.Sua principal ameaça é a caça, pois é considerado um troféu nesses países.

Orangotango de Bornéu ( Pongo pygmaeus )

O orangotango de Bornéu é endêmico da Indonésia e suas principais ameaças são madeireiros, tráfico ilegal de pele ou ossos e incêndios. Eles são cada vez mais ameaçados pelo comércio de sua carne e, ultimamente, são vendidos como animais de estimação.

Nesses casos, as mães são mortas e seus filhos são capturados, que serão treinados e vendidos como animais de estimação. Este animal que habitou 10.000 anos atrás nesses territórios, viu sua população diminuir em 14% apenas nos últimos anos do século XX.

Javali-anão ( Sus salvanius )

O javali anão habita o Butão, o norte da Índia e o sul do Nepal. É um mamífero artiodátilo que possivelmente pertence à família Suidae, embora sua taxonomia ainda seja discutida.

É pequeno, semelhante em tamanho a um coelho. Segundo pesquisas científicas, graças às suas características, um novo gênero ou família poderia ser criado para classificá-lo.

Esturjão comum (Acipenser sturio)

O esturjão comum ou marion é a espécie mais representativa do gênero Acipenser . Esta espécie é anádômica: vive no mar, mas se reproduz em água doce. Ele vive em profundidades de 5 a 60 metros e se alimenta de invertebrados: crustáceos, vermes e moluscos.

Após atingirem a juventude, migram para a foz dos rios e permanecem nos estuários por um ano ou mais. Eles são ameaçados pelas redes, que acidentalmente as capturam, pela regulação dos canais e pela diminuição dos fluxos graças às barragens, à contaminação e à extração de materiais dos rios.

Celacanto de Comores ( Latimeria chalumnae )

O Comla Celacanth vive a oeste do Oceano Índico, na costa de Comores e na África do Sul. Acreditava-se extinto, até que em 1938 um novo espécime foi capturado.

Marjorie Courtenay-Latimer, diretora do Museu de East London (África do Sul), recebeu a notícia em 1938 de que havia capturado um peixe azul desconhecido. O espécime foi levado ao museu e estudado, embora sua conservação tenha sido difícil.

James Leonard Brierley Smith, um ictiologista da Universidade de Rhodes, estudou o museu, o descreveu cientificamente e o nomeou. Em 1952, após anos de busca, uma segunda cópia foi encontrada.

Espátula de peixe do Yangtze ( Psephurus gladius )

O peixe espátula do Yangtze habita as águas do rio Yangtze da China. Está em sério risco de extinção devido à caça, poluição e barragens.

Não há avistamentos da espécie em aproximadamente 10 anos, mas ainda não foi declarada extinta. Os cientistas acreditam que a população é muito baixa para garantir a sobrevivência das espécies.

Samarugo ( Valência Hispânica )

O samarugo ou samaruc habita as margens do mar Mediterrâneo. É endêmica da Península Ibérica, juntamente com o farteto ( Aphanius iberus ) e o salinete ( Aphanius baeticus ). Esta espécie e outras de seu gênero são coloquialmente conhecidas como ‘killies’ e habitam regiões tropicais e subtropicais em todo o mundo, exceto a Oceania e o nordeste da Ásia.

Sua principal ameaça foi a introdução da gambusia (Gambusia holbrooki), um peixe que ameaça remover o habitat do samarugo.

h4>Tartaruga-listrada (

Deixe um comentário