20 tradições e costumes típicos da Guatemala

20 tradições e costumes típicos da Guatemala

As tradições e costumes da Guatemala são o resultado de uma extensa tradição cultural que se estende desde os maias até os dias atuais. Estes incluem carnaval, Páscoa, greve de Dolores, queima de touros, pousadas, entre outros.

Influenciadas pela colonização hispânica, pela religião católica e até pela atividade política, suas expressões são muitas e variadas. Em todo o país, há festivais, danças, feiras, irmandades e ritos de santos padroeiros, produto de uma fusão entre tradição religiosa e mística.

A prevalência da cultura maia , a confluência de raças e processos históricos moldaram esta cidade fascinante e seu belo patrimônio cultural. Você também pode estar interessado em ver 10 costumes e tradições típicas da Argentina .

Costumes e tradições guatemaltecas

1- O carnaval na Guatemala

Como de costume em países com tradição hispânica, esta celebração ocorre em todo o território de Chapin. Vindo do latim carnem levare (abandono de carne), está relacionado à Quaresma e ao costume de não comer esse alimento por 40 dias.

Segundo a tradição religiosa, sua celebração começa na terça-feira anterior à quarta-feira de cinzas. Também está associado ao final do Natal, que é representado em 6 de janeiro.

Nesta cultura, os trajes não são obrigatórios, e sim um feriado geral. É caracterizada por conchas vazias pintadas com aquarela cheia de pica pica ou farinha que crianças e adultos usam para brincar de carnaval em escolas e parques.

2- Páscoa

A Semana Mayor é realizada todos os anos entre os meses de março e abril. Esta celebração pós-Quaresma apresenta várias procissões que encenam a morte e a paixão de Cristo. É comum que esta comemoração mostre a confecção de tapetes e procissões fúnebres com pessoas vestidas para a ocasião.

Existem alguns eventos que são internacionalmente famosos e que atraem pessoas de diferentes partes do mundo. Entre eles estão El Nazareno, da Igreja de San José, La Reseña do Templo de Merced, Cristo Yacente ou Cristo del Amor, do Templo de Santo Domingo, o Senhor Enterrado de San Felipe e outros.

3- O Achí Rabinal

Também conhecida como dança Tun, é uma celebração internacional que representa o único balé pré-hispânico no continente americano. Seu desempenho é condicionado por vários rituais aos quais os participantes se submetem. Uma delas é a visita às montanhas que dão nome a essa tradição para pedir permissão 7 vezes.

Outro requisito essencial que os dançarinos devem atender está relacionado à abstinência sexual durante os 30 dias anteriores à dança e 30 dias após a dança. Essa representação geralmente ocorre durante a eleição do Rabin Ajau como parte da festa cantonal.

4- O Corpus Christi de Patzún

Enquadrada no contexto religioso, essa famosa tradição popular inclui a elaboração de arcos triunfais com frutas da região, a criação de tapetes, danças e fogos de artifício. Tudo isso faz parte da veneração de San Simón em San Andrés de Itzapa, um deus que pode ser bom e ruim.

É um evento organizado pela irmandade indígena local ligada à magia e à religião. Tem uma capela muito movimentada, onde são oferecidos incensos, charutos, licores ao santo, além de dinheiro, jóias, plantas e animais. Este número é muito influente neste e em outros países da região.

5- O Cristo negro de Esquipulas

Essa tradição ocorre em um dos locais mais impressionantes da América Central e também é conhecida como trifinio (Honduras, El Salvador e Guatemala). Nasceu do processo de evangelização em espanhol e está relacionado a divindades coloridas como Ek Chua ou Ek Balam Chua.

Ocorre no departamento de Chiquimula, considerado o centro do mundo para hospedar este santuário. Acontece durante o mês de janeiro e inclui peregrinações, penitências, ofertas, pagamento de promessas, agradecimentos e muito mais.

6- Golpe de Dolores

Esta marcha satírica tradicional inclui uma série de atividades realizadas pelos estudantes da Universidade de San Carlos toda sexta-feira em Dolores. Criado em 1898 como uma medida de pressão sobre o governo, seus símbolos mais importantes são La Chabela (esqueleto dançante), La Chalana (canto), o jornal No Nos Tientes e a parada de Bufo.

Ao longo de sua história, foi reprimido várias vezes com alguns incidentes lamentáveis, mas continua sendo comemorado. É uma demonstração em que os jovens aproveitam a oportunidade para mostrar seu descontentamento de maneira bem-humorada e personagens satirizantes do atual governo.

7- A queima do touro

Esse costume consiste em uma dança de origem espanhola, ligada ao tema do gado e de seus capatazes. A dança conta a história de um capataz que impede os vaqueiros de lidar com um touro e eles decidem deixá-lo bêbado para fazê-lo. A narrativa termina com a morte do chefe nas mãos do touro mais corajoso.

Sua origem também está ligada à chegada de fogos de artifício e é comum vê-lo em muitas regiões. O torito é uma armação de madeira ou arame cheia de fogos de artifício acesos que alguém carrega em seus ombros entre a multidão enquanto as pessoas tentam tourá-lo.

8- A corrida da fita

Essa atividade também é conhecida como o Jogo dos Galos e é realizada após a cerimônia em que a irmandade pede permissão aos santos e à Mãe Terra. Os motociclistas usam uma roupa de protocolo que inclui lenços coloridos, fitas vermelhas e penas.

A morte de um cavaleiro é um bom presságio relacionado à abundância e à saúde, pelo qual é comemorado. Os turnos para entrar na pista são controlados e os participantes devem pagar para pedalar por um tempo especificado ou por várias voltas.

9- O corte a frio

Na gastronomia, este prato é um dos mais emblemáticos da cultura guatemalteca e é consumido durante o Dia de Todos os Santos (1º de novembro). Sua criação remonta aos tempos coloniais, parece uma salada e pode incluir até 50 ingredientes diferentes.

Este prato multicultural contém vegetais mesoamericanos, linguiças espanholas ou árabes e as contribuições particulares de cada região. É uma atividade familiar que comemora o falecido e é acompanhada por sobremesas tradicionais, como ayote, grão de bico com mel ou jocote.

10- As pipas gigantes

Relacionadas ao Dia dos Mortos, são estruturas de papel feitas por moradores para espantar espíritos de casas e cemitérios. No Festival de Santiago, tudo começa às 4 da manhã para levá-los ao cemitério e terminar de montá-los.

As pipas são mantidas até as 4 da tarde e no dia seguinte as pessoas vão com velas ao cemitério para que os espíritos voltem para suas casas. As pipas em terra são altas e, no final do ritual, são queimadas por crianças, para que a fumaça possa guiar as almas perdidas.

11- As pousadas

Relacionada ao nascimento do Menino Jesus, esta celebração acontece na véspera de 24 de dezembro e é uma procissão com as imagens da Virgem Maria e de São José. Inclui crianças vestidas como pastores que carregam velas, lanternas e instrumentos como pandeiros e castanholas.

É um passeio cheio de canções de Natal, canções e canções em que os pastorinhos são atendidos quando pedem uma pousada durante a procissão. No final da jornada, eles são convidados com um lanche que pode ser um tamale, um ponche e pão doce, para que continuem cantando até meia-noite.

12- Natal guatemalteco

Como na Europa, os guatemaltecos costumam colocar a árvore de Natal com enfeites, luzes e a estrela típica no topo. Antes, os galhos de pinabete eram usados, mas essa prática caiu em desuso devido ao corte indiscriminado, preferindo espécies artificiais ou outras.

Esta celebração tem sua expressão máxima durante os dias 24 e 25 de dezembro, com a celebração da missa do galo uma hora antes da meia-noite. Quando as doze horas chegam, são comuns os fogos de artifício, os desejos do Feliz Natal, as orações diante do Menino Jesus e os abraços da fraternidade.

13- A queima do diabo

Semelhante a outras tradições americanas, é realizado como um ritual para purificar tudo de ruim que aconteceu no ano. Anteriormente, as pessoas usavam todos os tipos de lixo velho e inútil para queimá-los. Hoje, piñatas em forma de diabo são usadas e queimadas em frente às casas todo dia 7 de dezembro.

14- A vara voadora

Também praticada no sul do México, essa dança mesoamericana é feita para pedir a fertilidade do solo e da chuva.

Consiste em uma árvore cortada com uma estrutura rotativa no topo que também possui 4 cordas para os dançarinos. Debruçados em penas e máscaras, eles pulam no vazio amarrado pelos pés e giram em torno do poste.

15- As ordens do casamento

Fiel a certos costumes castos, os pais guatemaltecos do noivo costumam marcar uma consulta com os pais da noiva para discutir os planos dos futuros cônjuges. Geralmente, o pai do noivo é responsável por discutir esses assuntos.

Da mesma forma, a mãe participa para divulgar os planos da noiva e do noivo e indicar como eles podem colaborar com a felicidade e sua integração na sociedade. Uma vez estabelecido o acordo mútuo, os pais da noiva fazem um lanche como uma oferta de boa vontade.

16- Os sons populares

A tradição musical abrange todas as cidades e o guatemalteco não é a exceção. Usando instrumentos locais, como o marimba de teclado único ou duplo, bateria, tamborcito, pito, harpa, violino, guitarrilla e outros, eles criaram várias melodias muito distintas.

Entre os mais conhecidos, podemos citar o filho de la Chabela, o filho barreño, eles são típicos, são chapín, são páscoa, são cerimoniais, são tradicionais e são indígenas, entre outros.

17- Danças tradicionais

Dentro do contexto da dança , existem muitas e variadas expressões que esse povo mesoamericano de tanta mistura e influência possui. Isso deu origem a expressões como a dança dos macacos, a dos demônios, a dos marinheiros e a de nossos velhos animais.

Outros exemplos notáveis ​​são: a dança da cobra, a do dragão ou taragón, a da conquista, a dos anciões, a dos güegüechos e a dança de Yurumein. Também existem danças Garifuna, como Chip, Yancunú, Sambai, Majani, Gunjae, Zumba e outras.

18- Dia do Professor

Em homenagem à morte da professora María Chinchilla Recinos, na Guatemala, eles estabeleceram o dia 25 de junho como dia do professor. Esse evento ocorreu no dia 25 do mês de 1944, durante um protesto em massa contra a ditadura de Jorge Ubico que foi violentamente reprimida pelas forças da ordem.

Este evento é um lembrete anual feito para lembrar o papel fundamental do professor na sociedade. Historicamente, a profissão de professor de muitos países latino-americanos é subvalorizada e esses profissionais vivem como cidadãos de segunda classe.

19- Festa de aniversário

Todas as culturas mostram maneiras diferentes de comemorar essa ocasião, dependendo da idade do aniversariante. Na Guatemala, é costume queimar fogos de artifício às 5 da manhã, parabenizar o destinatário e comer um tamale acompanhado de chocolate e pão francês no café da manhã.

Quando se trata de crianças, a festa geralmente é realizada à tarde, com as piñatas tradicionais cheias de doces e um personagem favorito. Isso é acompanhado com o bolo, outros doces e pratos típicos, como chuchitos e tostadas.

20- Despedida de solteiro ou despedida de solteiro

Esse costume anglo-saxão criou raízes nessa cultura e pode ser para homens e mulheres. No primeiro caso, é normal que a celebração ocorra em um restaurante ou em uma discoteca onde piadas são feitas sobre o futuro marido.

Quanto às mulheres, a festa pode ser organizada pela mãe da noiva, suas irmãs ou pessoas próximas. Pode ser em um local ou empresa onde a futura esposa se diverte com presentes, jogos e piadas divertidas.

Referências

  1. Crônica (2015). “As tradições ligam as pessoas à sua história.” Recuperado de cronica.gt.
  2. Valenzuela, Heber (2013). Os departamentos da Guatemala. Recuperado de slideshare.net.
  3. Dom Quixote (sem data). Costumes guatemaltecos. Recuperado de donquijote.org.
  4. García, Alejandro (sem data). Tradições e costumes da Guatemala. Recuperado de academia.edu.
  5. Mundo Chapin. (sem data). Costumes guatemaltecos. Recuperado de mundochapin.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies