A teoria da ação social de Erving Goffman

A teoria da ação social de Erving Goffman é uma abordagem sociológica que se concentra na interação entre os indivíduos em contextos sociais específicos. Goffman argumenta que as interações sociais são como peças teatrais, onde os indivíduos desempenham papéis e utilizam estratégias de apresentação de si mesmos para influenciar a percepção dos outros. Ele enfatiza a importância da linguagem corporal, gestos, expressões faciais e outros sinais não verbais na comunicação social. A teoria de Goffman ajuda a compreender como as pessoas constroem suas identidades e relacionamentos em diferentes situações sociais, analisando os rituais sociais, as normas de comportamento e as estratégias de representação utilizadas pelos indivíduos.

Entendendo a teoria de Erving Goffman: o que é e como se aplica.

A teoria da ação social de Erving Goffman é uma abordagem sociológica que se concentra na interação social e na forma como as pessoas constroem suas identidades em situações do dia a dia. Goffman foi um sociólogo canadense conhecido por seu trabalho inovador no campo da sociologia simbólica, que enfatiza o papel dos símbolos e dos rituais na interação social.

Em suas obras, Goffman desenvolveu o conceito de “interacionismo simbólico”, que se baseia na ideia de que as pessoas constroem significados através de interações sociais e que esses significados influenciam suas ações. Ele também introduziu o conceito de “dramaturgia social”, que compara a vida social a uma peça teatral, onde as pessoas desempenham papéis e utilizam diferentes estratégias de apresentação de si mesmas.

Para Goffman, a interação social é uma forma de performance, na qual as pessoas tentam gerenciar a impressão que causam nos outros e garantir a aceitação social. Ele argumenta que as pessoas utilizam várias ferramentas, como gestos, expressões faciais e linguagem corporal, para moldar a percepção que os outros têm delas.

A teoria de Goffman tem sido amplamente aplicada em diferentes áreas, como psicologia, comunicação e estudos culturais. Ela ajuda a entender como as pessoas constroem identidades sociais, como lidam com situações de estigma e como negociam poder e status em interações sociais.

Entendendo a teoria de Erving Goffman: a representação social e interação cotidiana.

A teoria da ação social de Erving Goffman é uma abordagem sociológica que se concentra na forma como os indivíduos representam a si mesmos na sociedade e interagem no dia a dia. Goffman argumenta que a interação social é como uma performance teatral, na qual as pessoas desempenham papéis específicos para criar uma impressão desejada nos outros.

Segundo Goffman, as pessoas constroem representações sociais de si mesmas com base em normas culturais e expectativas sociais. Isso inclui a forma como se vestem, falam, se comportam e interagem com os outros. Essas representações sociais podem variar dependendo do contexto social e das situações específicas em que se encontram.

Relacionado:  Como abrir mais com outras pessoas: 6 dicas para socializar

Na interação cotidiana, os indivíduos utilizam uma série de estratégias para gerenciar suas impressões e controlar a forma como são percebidos pelos outros. Isso inclui o uso de linguagem corporal, expressões faciais e tom de voz para transmitir mensagens não verbais e influenciar a percepção dos outros.

Goffman também introduziu o conceito de rituais de interação, que são padrões previsíveis de comportamento que ocorrem durante as interações sociais. Esses rituais ajudam a regular a comunicação e garantir a ordem social, facilitando a compreensão mútua entre os participantes.

Em suma, a teoria da ação social de Erving Goffman destaca a importância da representação social e da interação cotidiana na construção da identidade e na manutenção da ordem social. Ao compreender esses conceitos, podemos analisar de forma mais aprofundada como as pessoas se relacionam e se comportam em diferentes contextos sociais.

Compreendendo a definição de interação social na perspectiva de Goffman.

A teoria da ação social de Erving Goffman é uma abordagem sociológica que se concentra na análise da interação social. Goffman define interação social como um processo em que os indivíduos agem uns em relação aos outros, criando significados e construindo realidades sociais compartilhadas.

Na perspectiva de Goffman, a interação social é vista como uma forma de “performance”, onde as pessoas desempenham papéis e utilizam estratégias para gerenciar a impressão que causam nos outros. Goffman argumenta que as interações sociais são marcadas por rituais, normas e convenções que guiam o comportamento das pessoas.

Um dos conceitos-chave de Goffman é o de “teatro social”, onde as interações sociais são comparadas a uma peça teatral, com atores, cenários e audiência. Nesse sentido, as pessoas são vistas como atores que desempenham papéis em diferentes situações sociais, seguindo scripts preestabelecidos.

Portanto, para Goffman, a interação social é um processo complexo, onde os indivíduos utilizam diversas estratégias para se comunicar, negociar significados e construir identidades sociais. A compreensão da definição de interação social na perspectiva de Goffman é fundamental para analisar as dinâmicas sociais e os padrões de comportamento que permeiam as relações humanas.

Qual o legado de Erving Goffman para a sociologia contemporânea?

A teoria da ação social de Erving Goffman deixou um legado significativo para a sociologia contemporânea, influenciando diversas áreas de estudo dentro da disciplina. Goffman é reconhecido por sua abordagem microsociológica e sua análise detalhada das interações sociais do dia a dia.

Uma das principais contribuições de Goffman é a sua noção de dramaturgia social, que compara as interações humanas a uma peça teatral, onde os indivíduos desempenham papéis sociais em diferentes contextos. Essa perspectiva permitiu aos sociólogos compreenderem melhor como as pessoas constroem suas identidades e interagem em sociedade.

Relacionado:  Efeito ator-observador: o que é e quais são suas causas?

Além disso, Goffman introduziu o conceito de interacionismo simbólico, que enfatiza a importância dos símbolos e significados na comunicação entre as pessoas. Segundo essa abordagem, a realidade social é construída através da interpretação e atribuição de significados aos símbolos compartilhados pelos membros de uma sociedade.

Outro aspecto relevante da teoria de Goffman é a sua análise dos rituais de interação, que são as normas e regras não escritas que guiam o comportamento das pessoas em situações sociais. Ele demonstrou como esses rituais influenciam a maneira como nos apresentamos aos outros e como nos relacionamos em diferentes contextos sociais.

Em suma, o legado de Erving Goffman para a sociologia contemporânea reside em sua abordagem inovadora e perspicaz das interações sociais, que continua a influenciar os estudos sociológicos até os dias atuais. Sua ênfase na importância do contexto, dos símbolos e dos rituais sociais trouxe novas perspectivas para o entendimento da sociedade e das relações humanas.

A teoria da ação social de Erving Goffman

A teoria da ação social de Erving Goffman 1

Com uma simples olhada nas publicações de seus amigos ou seguidores em redes sociais como Facebook ou Instagram , podemos ver como as pessoas refletem sua vida e personalidade através das fotos e vídeos enviados.

No entanto, nessas redes não há sinais de sofrimento, sofrimento ou tristeza nos perfis de nenhum de seus membros. Vemos uma infinidade de fotos de rostos felizes, paisagens, sorrisos, frases de superação; e, no entanto, não há lugar para uma realidade tão avassaladora e verdadeira quanto a existência de dor e sofrimento humanos na vida de cada pessoa.

O que realmente sabemos sobre os outros quando vemos seu perfil nas redes sociais? Essas plataformas virtuais podem nos dizer como as pessoas realmente são?

Esse mercado das amostras de felicidade que encontramos sempre que você abre redes sociais pode ser visto a partir de uma das grandes teorias da personalidade, a desenvolvida pelo sociólogo e escritor Erving Goffman.

Erving Goffman e a personalidade criada pelas interações

Este autor desenvolve seu trabalho em torno da criação de personalidade por meio de interações com os outros. Ele defende que grande parte do nosso comportamento depende de cenários interpessoais e geralmente assume as formas do que queremos alcançar e do que nos interessa de nossos interlocutores. É uma gestão constante da nossa imagem diante dos outros.

Relacionado:  Qual é o efeito Hawthorne?

Segundo Goffman, a interação é sempre sobre definir a situação de uma maneira que nos permita ganhar controle sobre as impressões que os outros causam de nós. Nessa perspectiva, a melhor definição que corresponde à pessoa é a de um ator que desempenha um papel e atua por meio de interações com os outros.

A partir dessa teoria, a interação consistiria em criar impressões que permitam formar as inferências que nos beneficiam e que refletem as intenções e aspectos de nossa própria identidade que queremos comunicar, tornando o relacionamento com os outros um gerenciamento contínuo da imagem pública, um séries sucessivas de auto-apresentações.

Teoria de Goffman e redes sociais

Atualmente, essas auto-apresentações podem ser cada uma das fotos e vídeos que enviamos a todos que nos seguem nas redes sociais, como forma de criar uma imagem positiva sobre os outros e obter benefícios para seus seguidores. Mas não apenas isso serviria para vender nossa imagem pública, mas também cada uma das interações que realizamos no dia-a-dia.

A reunião com o padeiro ao comprar pão, café diário com colegas de trabalho, a consulta com a pessoa que o apresentou a um amigo … Qualquer um desses cenários envolve a criação de impressões e, dependendo da sua interpretação, o as pessoas com quem você interage impõem uma personalidade ou outra a você.

Nessa perspectiva, a identidade é a maneira de apresentar o sujeito com base nas vantagens e desvantagens das possíveis identidades múltiplas do sujeito em um determinado momento. Em resumo, a teoria da ação social de Goffman explicaria um conjunto de papéis que interpretamos em cada interação com o objetivo de obter benefícios e, acima de tudo, de ser bem-vindo pela sociedade.

Goffman insiste que esse jogo de representações nunca transmite a identidade real, mas a identidade amada; portanto, o comportamento humano é caracterizado por técnicas de publicidade, marketing e interpretação, de modo que o modelo de Goffman reflete a importância de ter Negociação como forma de interação social .

O mercado público de imagens

É fácil concluir que é uma teoria sobre a identidade um tanto maquiavélica e baseada no superficial, no estético e no falso. No entanto, as semelhanças das conclusões deste autor com o mundo das redes sociais e do tratamento pessoal, em que não há lugar para sofrimento e infortúnio, mas tudo está escondido atrás dos produtos de um supermercado de felicidade, aparências e estéticos, são muito reais e é necessário levá-los em consideração.

Pelo menos, para nos conscientizar de que a pessoa por trás dessa conta do Instagram pode dizer muito sobre a pessoa que ela realmente é .

Deixe um comentário