Adenohipófise: o que é, funções e hormônios que secreta

A adenohipófise é uma das partes da glândula pituitária, localizada na base do cérebro. Também conhecida como lobo anterior da hipófise, é responsável pela produção e secreção de diversos hormônios que regulam diversas funções do organismo. Entre os hormônios produzidos pela adenohipófise estão o hormônio do crescimento (GH), hormônio estimulante da tireoide (TSH), hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), hormônio folículo-estimulante (FSH), hormônio luteinizante (LH) e prolactina. Esses hormônios desempenham papéis essenciais no crescimento, metabolismo, função endócrina, reprodução e outras funções do corpo humano.

Quais são os hormônios secretados pela adeno-hipófise?

A adeno-hipófise, também conhecida como lobo anterior da hipófise, é uma glândula localizada na base do cérebro que desempenha um papel fundamental na regulação do sistema endócrino. Esta glândula secreta diversos hormônios que são essenciais para o funcionamento adequado do organismo.

Os principais hormônios secretados pela adeno-hipófise são:

  • Hormônio do crescimento (GH): Este hormônio é responsável pelo crescimento e desenvolvimento do corpo, estimulando o crescimento celular, a síntese de proteínas e a queima de gordura.
  • Hormônio adrenocorticotrófico (ACTH): Este hormônio estimula as glândulas suprarrenais a produzir hormônios como o cortisol, que desempenham um papel importante na resposta ao estresse.
  • Hormônio estimulante da tireoide (TSH): Este hormônio estimula a tireoide a produzir hormônios como o T3 e o T4, que são essenciais para regular o metabolismo do corpo.
  • Hormônio folículo-estimulante (FSH) e hormônio luteinizante (LH): Estes hormônios desempenham um papel crucial na regulação do ciclo menstrual e na produção de hormônios sexuais como o estrogênio e a progesterona.
  • Prolactina: Este hormônio estimula a produção de leite durante a amamentação e desempenha um papel na regulação do ciclo menstrual.

Estes são apenas alguns dos principais hormônios secretados pela adeno-hipófise, que desempenham funções vitais no organismo. Qualquer desequilíbrio na produção desses hormônios pode levar a uma série de problemas de saúde, por isso é importante manter a saúde dessa glândula em dia.

Entenda o papel da adeno-hipófise no organismo e sua importância para o corpo humano.

A adeno-hipófise, também conhecida como lóbulo anterior da hipófise, é uma glândula localizada na base do cérebro e desempenha um papel fundamental no controle de diversas funções do organismo. Ela é responsável pela produção e liberação de diversos hormônios que regulam o crescimento, o metabolismo, a reprodução e o funcionamento de outras glândulas do corpo.

Uma das principais funções da adeno-hipófise é a produção do hormônio do crescimento, conhecido como somatotropina. Este hormônio é essencial para o crescimento e desenvolvimento adequado do corpo, especialmente durante a infância e a adolescência. Além disso, a adeno-hipófise também secreta hormônios como o ACTH, responsável por estimular a glândula adrenal, e o TSH, que regula a função da tireoide.

A importância da adeno-hipófise para o corpo humano é indiscutível. Sem a produção adequada dos hormônios secretados por essa glândula, diversas funções vitais do organismo podem ser comprometidas. Problemas na adeno-hipófise podem levar a distúrbios como a acromegalia, em que há um excesso de produção de hormônio do crescimento, ou a hipopituitarismo, que resulta na deficiência de vários hormônios hipofisários.

Relacionado:  A química do amor: uma droga muito potente

Portanto, é essencial compreender o papel da adeno-hipófise no organismo e a importância de manter seu funcionamento adequado para garantir a saúde e o bem-estar do corpo humano.

Hormônios secretados pelos lobos da hipófise: conheça a função de cada um.

A adenohipófise é uma glândula localizada no cérebro que é responsável por secretar diversos hormônios essenciais para o funcionamento adequado do nosso organismo. Esses hormônios são produzidos pelos lobos da hipófise, também conhecidos como lobo anterior e lobo intermediário. Vamos conhecer cada um deles e suas funções:

Lobo anterior

O lobo anterior da hipófise secreta diversos hormônios, sendo os principais:

  • GH (hormônio do crescimento): responsável pelo crescimento e desenvolvimento do corpo, além de regular o metabolismo.
  • ACTH (hormônio adrenocorticotrópico): estimula a produção de cortisol pelas glândulas adrenais, ajudando a resposta do corpo ao estresse.
  • TSH (hormônio estimulante da tireoide): regula a produção de hormônios pela tireoide, influenciando o metabolismo.

Lobo intermediário

O lobo intermediário da hipófise secreta o hormônio Melatonina, que regula o ciclo sono-vigília e influencia o funcionamento do sistema imunológico.

É fundamental entender a importância dos hormônios secretados pela adenohipófise, pois qualquer desequilíbrio na produção dessas substâncias pode acarretar em diversos problemas de saúde. Por isso, é essencial manter uma rotina de exames médicos para garantir o bom funcionamento do sistema endócrino.

Qual é o papel desempenhado pela glândula hipófise no organismo humano?

A glândula hipófise, também conhecida como pituitária, desempenha um papel fundamental no organismo humano. Ela é responsável por regular a maioria das funções do corpo, pois controla a produção e liberação de diversos hormônios que afetam o crescimento, o metabolismo, a reprodução e outras funções vitais.

Adenohipófise: o que é, funções e hormônios que secreta

A adenohipófise é uma das partes da glândula hipófise e é responsável por secretar diversos hormônios importantes para o funcionamento do corpo. Ela é composta por diferentes tipos de células que produzem hormônios como o GH (hormônio do crescimento), que regula o crescimento e o desenvolvimento do corpo, e o TSH (hormônio estimulante da tireoide), que controla a atividade da glândula tireoide.

Além disso, a adenohipófise também secreta hormônios como o ACTH (hormônio adrenocorticotrófico), que estimula a produção de cortisol pelas glândulas suprarrenais, e o FSH (hormônio folículo-estimulante) e LH (hormônio luteinizante), que são essenciais para o funcionamento dos ovários e testículos.

Portanto, a adenohipófise desempenha um papel crucial no organismo humano ao regular a produção de hormônios que controlam diversas funções vitais, como o crescimento, o metabolismo e a reprodução.

Relacionado:  associação córtex (cérebro) tipos, partes e funções

Adenohipófise: o que é, funções e hormônios que secreta

Adenohipófise: o que é, funções e hormônios que secreta 1

Nosso corpo é formado por um grande número de estruturas diferentes, que por sua vez são constituídas por milhões de células. Nesta grande rede, podemos descobrir que há uma série de substâncias químicas secretadas pelo organismo e cuja ação regula bastante nosso comportamento e permite fenômenos como crescimento, comportamento sexual ou busca de alimentos. Estes são hormônios, que circulam pelo sistema endócrino, nos quais podemos encontrar estruturas diferentes, algumas delas no nível do cérebro.

Nesse sentido, destaca-se a glândula pituitária, que por sua vez pode ser dividida em várias subestruturas. Um deles, sobre o qual falaremos ao longo deste artigo, é a adenohipófise .

Adenohipófise: definição e principais funções

É chamada adeno-hipófise da porção anterior e maior da hipófise ou hipófise . Essa estrutura em forma de ovoide está localizada na parte basal do cérebro, abaixo do hipotálamo (com o qual é conectada pela haste da hipófise) e repousa na cavidade do osso esfenóide conhecido como cadeira turca.

É uma pequena região cerebral de grande importância para o nosso desenvolvimento como seres humanos, cuja principal função é regular a emissão de grandes quantidades de hormônios. É, portanto, parte do sistema neuroendócrino e, em particular, está ligado a hormônios relacionados ao crescimento, metabolismo e sexualidade .

Essa região do cérebro é altamente vascularizada e possui um grande número de células glandulares . Nesse sentido, a adeno-hipófise é composta por seis tipos de células grandes, dos quais pelo menos cinco são conhecidos por liberar os diferentes hormônios que a adeno-hipófise secreta e regula: somatotrópicos (que liberam hormônio do crescimento), mamotrópicos (que influenciam a liberação de prolactina e tireotropina), corticópteros (secretam corticotropina ou ACTH), gonadotrópicos (ligados a hormônios sexuais, neste caso hormônio folículo estimulante e luteica), tireotrópicos (estimulam a síntese de prolactina, mas principalmente tireotropina) e cromofóbicos (acredita-se que sirva para renovar a possível perda das anteriores).

Hormônios que governam essa estrutura

A adenohipófise, como vimos na seção anterior, tem como principal função secretar e regular os níveis de diferentes hormônios. Esses hormônios são essenciais ao gerar e permitir diferentes processos biológicos. Entre os diferentes hormônios que gera, destacam-se os seguintes.

1. Corticotropina

Também conhecida como hormônio adrenocorticotrópico, essa substância é essencial na geração de glicocorticóides endógenos , afetando principalmente as glândulas supra-renais. Sua ação gera a estimulação de diferentes hormônios pelo córtex, o que permite que aspectos como metabolismo sejam regulados (por exemplo, influencia a secreção de insulina), equilíbrio homeostático e processos inflamatórios.

Relacionado:  Circuito de Papez: o que é e quais estruturas cerebrais inclui

2. Betaendorfinas

Betaendorfinas são outros hormônios liberados pela adenohipófise. São substâncias que atuam como opióides endógenos, geralmente associados a moderar, diminuir ou mesmo inibir a sensação de dor . Por sua vez, gera sentimentos de prazer e relaxamento. É gerado ao fazer grandes esforços, ou durante a gravidez e o parto.

3. Tirotropina

Hormônio fundamental que regula o funcionamento da tireóide, estimulando seu desempenho a secreção de hormônios da tireóide e a regulação destes no organismo.

4. Prolactina

Sabe-se que esse hormônio é responsável por gerar a produção de leite nas glândulas mamárias após a gravidez (embora o próprio hormônio já comece a aumentar sua quantidade durante esse período). Além desta ação, também influencia o crescimento das mamas, a inibição da menstruação e o período refratário masculino.

5. Hormônio folículo-estimulante

Substância essencial no campo da reprodução, o hormônio folículo estimulante exerce nas mulheres o papel de estimular a produção de oócitos e estradiol (nos homens, o mesmo ocorre com a formação de espermatozóides). Além disso, também afeta o desenvolvimento físico e a maturação sexual .

6. Hormônio luteinizante

Esse hormônio está profundamente ligado à reprodução e ao corpo lúteo, um de seus papéis mais conhecidos é o de gerar a causa do processo de ovulação. Nos homens, também desempenha um papel na reprodução e na sexualidade, pois estimula a produção de testosterona pelas células de Leydig dos testículos. Contribui também para a gênese da progesterona, de maneira a facilitar a implantação de um possível óvulo fertilizado.

7. Somatotropina ou hormônio do crescimento

Esse hormônio é essencial, como o próprio nome sugere, para estimular o crescimento e o desenvolvimento físico. Músculos e ossos são afetados por esse hormônio, entre outras estruturas. Também está associado ao consumo e metabolização de gorduras e nutrientes e seu uso no organismo.

Alterações ligadas a essa estrutura cerebral

A adenohipófise é uma estrutura fundamental para o ser humano, e sua alteração ou lesão pode gerar diferentes distúrbios e consequências de diferentes graus de gravidade.

Nesse sentido, é possível descobrir que sua disfunção pode gerar distúrbios de crescimento, dentre os quais podemos encontrar diferentes tipos de nanismo e gigantismo (devido ao déficit ou excesso de hormônio do crescimento). O papel da adenohipófise na geração de hormônios da tireóide significa que sua disfunção está ligada ao hipotireoidismo (por padrão) e ao hipertireoidismo (por excesso).

Também pode afetar a função reprodutiva, afetando a libido (por exemplo, pode ocorrer hiperprolactinemia) e a formação dos hormônios sexuais e das próprias células. Por exemplo, no caso das mulheres, podem ocorrer problemas ou até a interrupção da menstruação e a capacidade de produzir óvulos. Finalmente, também pode gerar ou afetar distúrbios metabólicos (incluindo diabetes) e causar problemas ao metabolizar e usar elementos como gorduras e carboidratos.

Deixe um comentário